Uso de memes em aulas de Português: um olhar voltado à inovação de práticas pedagógicas na área de Linguagens e Códigos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46551/ees.e202006

Resumo

A pesquisa investiga as contribuições decorrentes da utilização de memes como ferramenta didático-pedagógica em aulas de Português. A análise traz subsídios à literatura vigente, no cerne das práticas colaborativas e inovadoras, ao abordar o uso deste gênero discursivo em sala de aula. Para efetivar a pesquisa qualitativa, os dados foram coletados por meio do oferecimento de uma oficina resultando nas observações, questionário e entrevista. Os participantes da pesquisa foram alunos do terceiro ano do Ensino Médio de uma escola localizada no Ceará, Brasil. Como resultados, o estudo apresenta novas alternativas para intervir em sala, tendo em vista as possibilidades de melhorar a colaboração entre os pares, o diálogo, a criatividade, a utilização de recursos digitais, a oratória e a visão otimizada relativa aos conteúdos de Português, além do entendimento do erro como parte integrante da aprendizagem. Logo, percebe-se que intervenções inovadoras em sala são substanciais na composição dos currículos escolares.

Palavras-chave: Inovação. Ensino de Português. Memes. Práticas educacionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ASSIS, Lilian Bambirra de; PAULA, Ana Paula Paes de; BARETTO, Raquel de Oliveira; VIEGAS, Glauce. Estudos de caso no ensino da administração: o erro construtivo libertador como caminho para inserção da pedagogia crítica. Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, v. 14, n. 5, São Paulo, set./out. 2013.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Tradução de Maria Emsantina Galvão Pereira. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

DAWKINS, Richard. O gene egoísta. Tradução de Rejane Rubino. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

ELLIOTT, John. Recolocando a pesquisa-ação em seu lugar original e próprio. In: GERALDI, Corinta Maria Grisolia, FIORENTINI, Dario; PEREIRA, Elisabete Monteiro de Aguiar. (Org.). Cartografias do trabalho docente: professor(a)-pesquisador(a). 2. ed. Campinas: Mercado das Letras, 2001, p. 137-152.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: EdUNESP, 2000.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 44 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

HAGUETTE, Teresa Maria Frota. Metodologias qualitativas na Dociologia. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 1997.

HALLIDAY, Michael. An introduction to functional grammar. London: Edward Arnold, 1985.

INSTITUTO EDUCADIGITAL. Design thinking para educadores. Nova York: IDEO, 2010.

JÓFILI, Zélia. Piaget, Vygotsky, Freire e a construção do conhecimento na escola. Educação: Teorias e Práticas, Recife, v. 2, n. 2, p. 191-208, dez. 2002.

KRESS, Gunther; LEEUWEN, Theo van. Reading images: the grammar of visual design. London: Routledge, 2000.

LENDL, Aluizio; PINHEIRO, Michelle Soares. Multimodalidade: perspectivas teóricas e aplicadas. João Pessoa: Ideia, 2018.

LEWIN, Kurt. Problemas dinâmicos de grupo. Tradução de Miriam Moreira Leite. São Paulo: Cultrix, 1973.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. 6 ed. São Paulo: Cortez, 1997.

MARTINO, Luís Mauro Sá; GROHMANN, Rafael. A longa duração dos memes no ambiente digital: um estudo a partir de quatro geradores de imagens on-line. Fronteiras: estudos midiáticos, São Leopoldo, v. 19, n. 1, p. 94-101, jan./abr. 2017.

MATTAR, João. Games em Educação: como os nativos digitais aprendem. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2010.

MEILI, Angela Maria. Os memes no YouTube: uma aplicação da intertextualidade como categoria analítica. Comunicação & Sociedade, São Bernardo do Campo, v. 35, n. 2, p. 353-381, jun. 2014.

VIEIRA, Josenia; SILVESTRE, Carminda. Introdução à Multimodalidade: contribuições da Gramática Sistêmico-Funcional, Análise de Discurso Crítica, Semiótica Social. Brasília: 2015

RODRIGUES, Alessandra; ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de; VALENTE, José Armando. Currículo, narrativas digitais e formação de professores: experiências da pós-graduação à escola. Revista Portuguesa de Educação, Braga, v. 30, n. 1, p. 61-83, 2017.

SANTAELLA, Lucia. Gêneros discursivos híbridos na era da hipermídia. Bakhtiniana: Revista de Estudos do Discurso, São Paulo, v. 9, n. 2, p. 206-216, jul./dez. 2014

SILVA, Michel Pratini Bernardo da; FRANCELINO, Pedro Farias; MELO, Raniere Marques de. Relações dialógicas em memes da campanha publicitária “Eu sou a Universal”. Prolíngua, João Pessoa, v. 12, n. 2, p. 175-187, jul./dez. 2017.

TAPSCOTT, Don. Geração digital: a crescente e irreversível ascensão da geração net. Tradução de Ruth Gabriela Bahr. São Paulo: Makron Books do Brasil, 1999.

VYGOTSKY, Lev Semionovitch. A formação social da mente. Tradução de José Cipolla Neto, Luis Silveira Menna Barreto, Solange Castro Afeche. Rio de Janeiro: Martins Fontes, 1996.

Arquivos adicionais

Publicado

2020-06-08 — Atualizado em 2020-06-25

Versões