HISTÓRIA DA FORMAÇÃO E RENOVAÇÃO DA UMBANDA NO BRASIL: UM ESTUDO DE CASO NO TERREIRO ZAMBI-IRIS, BOCAIUVA/MG

  • Fábio da Silva Gonçalves
  • Daniel Coelho de Oliveira
Palavras-chave: Dessincretização, História da Umbanda, Mito fundador, Renovação

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar o processo e a compreensão histórica do surgimento, fundação e (des) institucionalização da Umbanda brasileira, bem como a Renovação da mesma com enfoque no terreiro Zambi-Iris, localizado em Bocaiuva/MG. Metodologicamente procedeu-se pela revisão bibliográfica, observação participante/direta, entrevistas estruturadas e semiestruturadas aos umbandistas do supracitado terreiro. O estudo compreendeu que a interpretação histórica da Umbanda no Brasil segue por duas vias de análise: uma tradicional (no sentido de mais popularizada) marcada pelo “mito fundador”, a partir da anunciação de Zélio de Moraes incorporado com o espírito Caboclo das Sete Encruzilhadas em 1908; e outra numa postura mais crítica a qual não haveria um “momento” fundador, mas um “longo processo” fundador gestado a partir da colonização brasileira. A vertente crítica entende que há oposição entre a “Umbanda Branca” e de classe média, de caráter racista, evolucionista e nacionalista, além de sincrética com os então “cultos brancos” (kardecismo e catolicismo) e a “Magia Negra”, caracterizada pela classe média como “baixo-espiritismo” praticado por negros. Logo, muitos terreiros brasileiros, como o Zambi-Iris, adotam posturas de renovação, reestruturação e dessincretização dos cultos, retirando, principalmente, elementos católicos e maior aproximação com práticas africanas /indígenas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-01-03
Como Citar
da Silva GonçalvesF., & Coelho de OliveiraD. (2020). HISTÓRIA DA FORMAÇÃO E RENOVAÇÃO DA UMBANDA NO BRASIL: UM ESTUDO DE CASO NO TERREIRO ZAMBI-IRIS, BOCAIUVA/MG. Revista Desenvolvimento Social, 25(2), 110-131. Recuperado de //www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/152
Seção
Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)