Revista Desenvolvimento Social https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds <p align="justify">A Revista Desenvolvimento Social (RDS) é um periódico eletrônico vinculado ao <a href="https://www.posgraduacao.unimontes.br/ppgds/" target="_blank" rel="noopener">Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Social da Universidade Estadual de Montes Claros (PPGDS/Unimontes)</a>. Criada em 2008, a revista tem por objetivo publicar artigos, dossiês, ensaios, resenhas e demais formatos de textos acadêmicos que apresentem abordagens teóricas e experiências empíricas sobre os impactos e as controvérsias do desenvolvimento social em diferentes contextos.</p> Editora Unimontes pt-BR Revista Desenvolvimento Social 1982-8608 <p>Esta licença permite que outros(as) façam <em>download</em> do trabalho e o compartilhe desde que atribuam crédito ao autor(a), mas sem que possam alterá-lo de nenhuma forma ou utilizá-lo para fins comerciais.</p> <p><a href="https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/" target="_blank" rel="noopener">Ver o Resumo da Licença</a> | <a href="https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/legalcode" target="_blank" rel="noopener">Ver o Texto Legal</a></p> Apresentação do Dossiê | Paulo Freire e o esperançar de um mundo diferente https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/4818 <p>A <em>Revista Desenvolvimento Social</em> apresenta, nesta edição, o Dossiê temático <strong>"<em>Paulo Freire e o esperançar de um mundo diferente</em>"</strong>, organizado pela Professora Dra. <strong>Mônica Maria Teixeira Amorim</strong> (Universidade Estadual de Montes Claros/UNIMONTES), pela Professora Dra. <strong>Andrea Maria Narciso Rocha de Paula</strong> (Universidade Estadual de Montes Claros/UNIMONTES) e pelo Professor Dr. <strong>Carlos Rodrigues Brandão</strong> (Universidade Estadual de Campinas/UNICAMP).</p> Mônica Maria Teixeira Amorim Carlos Rodrigues Brandão Andrea Maria Narciso Rocha de Paula Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-12-23 2021-12-23 27 2 4 7 10.46551/issn2179-6807v27n2p4-7 O Instituto Paulo Freire: História, ações, desafios e o esperançar de um mundo diferente https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/4808 <p>Entrevista com Ângela Maria Biz Rosa Antunes, Diretora Pedagógica do Instituto Paulo Freire (IPT).&nbsp;</p> Ângela Maria Biz Rosa Antunes Mônica Maria Teixeira Amorim Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-12-23 2021-12-23 27 2 8 13 10.46551/issn2179-6807v27n2p8-13 Manter a esperança: Um pequeno almanaque de mensagens de coragem e esperança, para tempos de pandemia https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/4809 <p>Saibamos trocar o verbo passivo “esperar”, pelo verbo ativo “esperançar”. Em todas as partes e a todo o momento ouvimos e vemos pessoas dizendo de diferentes maneiras que “estamos vivendo um tempo escuro”; “estamos atravessando um tempo de tão poucas esperanças!” E é sobre isso quero lembrar algo. Apenas, desta vez, o que trago como uma mensagem não são palavras minhas. Preferi escolher alguns escritos de outras pessoas. E em todas elas, com acentos e palavras semelhantes ou diferentes, trago algo de resistência, de resiliência, de coragem e de esperança.</p> Carlos Rodrigues Brandão Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-12-23 2021-12-23 27 2 14 19 10.46551/issn2179-6807v27n2p14-19 A Campanha de alfabetização em Cuba, Paulo Freire, educação popular, e a Campanha “De Pé no Chão também se aprende a ler” https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/4811 <p>Este artigo traz apontamentos relacionados à conjuntura e à organização da Campanha de Alfabetização de Cuba (1961), e da Campanha de Alfabetização “De Pé no Chão também se aprende a ler” (1961-1964), além de apontamentos sobre como o “método” do educador Paulo Freire esteve presente na segunda, que se caracteriza por ter sido uma experiência peculiar de Educação Popular. O artigo objetiva que os apontamentos possam possibilitar reflexões sobre os processos organizativos das duas Campanhas, e sobre a conjuntura e o contexto do surgimento delas, sendo que, se houve uma relação de influência da experiência cubana à experiência brasileira, a primeira foi plenamente desenvolvida, enquanto a segunda foi interrompida, mas não definitivamente silenciada, pelo Golpe Civil-Militar de 1964 e pela Ditadura Militar. Ditadura que, inclusive, levou à prisão e ao exílio Paulo Freire, Djalma Maranhão, e Moacyr de Góes, entre outras pessoas, que foram imprescindíveis para o desenvolvimento da Campanha “De Pé no Chão também se aprende a ler”, tendo sido Góes, inclusive, coordenador da Campanha.</p> Heiberle Hirsgberg Horácio Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-12-23 2021-12-23 27 2 20 40 10.46551/issn2179-6807v27n2p20-40 Quando Paulo Freire vier: Pedagogia do Oprimido, Santa Cruz e Religião https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/4812 <p>Este artigo procura compreender duas obras e contextos, a Pedagogia do Oprimido (1968), do filósofo e educador Paulo Freire, e o filme-documentário Santa Cruz (2000), do cineasta João Moreira Salles e do jornalista Marcos Sá Corrêa. A primeira obra, critica educação tradicional, propõe a educação problematizadora e a mudança social radical. A segunda, mostra o cotidiano de evangélicos pentecostais na Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro durante a construção de seu pequeno templo. Elaborou-se um paralelo entre as obras e, nos contextos sócio-históricos, tangentes. Entende-se que uma reflexão socio-crítica se faz essencial diante do crescimento evangélico e seu forte impacto na política, educação e sociedade brasileiras. A metodologia qualitativa-teórica, baseada em uma perspectiva histórico-antropológica, guiará a construção discursivo-textual deste artigo. A partir da exposição resumida das obras e da seleção de passagens-chave, buscam-se três resultados: a importância da releitura das ideias paulofreirianas para compreender melhor o mundo contemporâneo; a crítica das abordagens romântico-fenomenológicas e, por fim, o convite à transformação social a partir da crítica paulofreriana à sectarização e à educação não-problematizadora.</p> Emerson Sena da Silveira Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-12-23 2021-12-23 27 2 41 70 10.46551/issn2179-6807v27n2p41-70 Raça e educação: De Manoel Bomfim à Paulo Freire, uma leitura decolonial https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/4813 <p>A questão racial tem sido debatida por epistemologias marginais a exemplo do pensamento descolonial que tem como conceito principal a Colonialidade do Poder. Este artigo, em perspectiva marginal, busca refletir sobre a articulação entre colonialismo, educação e raça no Brasil. Objetiva demonstrar que uma educação libertadora tal como apregoada por Paulo Freire (1987) passa pelo empreendimento de criticar o colonialismo e a colonialidade. Para tanto, traz como subsídio teórico os intelectuais brasileiros Manoel Bomfim e Paulo Freire (1987), especificamente o conceito de parasitismo social cunhado pelo primeiro e a proposta de educação libertária do segundo a partir da superação do dilema oprimido-opressor.</p> Cristina Borges Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-12-23 2021-12-23 27 2 71 87 10.46551/issn2179-6807v27n2p71-87 Contribuições da pedagogia freiriana para a formação de professores: Uma análise dos projetos pedagógicos das Licenciaturas do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Norte de Minas Gerais - IFNMG https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/4814 <p>O objetivo central deste artigo é analisar os desenhos curriculares e a contribuição do pensamento de Paulo Freire nos Projetos Pedagógicos de Cursos (PPCs) das Licenciaturas ofertadas pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Norte de Minas Gerais (IFNMG). A metodologia utilizada é de cunho qualitativo, pois foram priorizadas a pesquisa e a análise documental para uma melhor compreensão dos documentos a partir de seus desenhos curriculares. O artigo está estruturado em duas partes: a primeira parte contempla a discussão acerca da formação de professores, currículo e contra - hegemonia, tendo a sociedade capitalista como palco dessa análise e a proposta de formação docente de Paulo Freire como um paradigma contra-hegemônico, capaz de reagir criticamente aos modelos dominantes de formação. Na segunda parte foi realizada a análise dos PPCs das Licenciaturas do IFNMG, a partir da identificação de categorias freirianas nesses projetos de curso.</p> Hellen Vivian Moreira dos Anjos Mônica Maria Teixeira Amorim Fernando Barreto Rodrigues Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-12-23 2021-12-23 27 2 88 111 10.46551/issn2179-6807v27n2p88-111 Educação como prática de liberdade https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/4810 <p>Trata-se de resenha, que tem por objeto a obra Educação como prática da Liberdade, de autoria de Paulo Freire. Com a primeira edição publiada em 1967.&nbsp;&nbsp;</p> Leandro Luciano Silva Ravnjak Copyright (c) 2021 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-12-23 2021-12-23 27 2 112 117 10.46551/issn2179-6807v27n2p112-117