https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/issue/feed Revista Desenvolvimento Social 2022-08-19T13:10:11+00:00 Comissão Editorial da RDS revista.desenvolvimento@unimontes.br Open Journal Systems <p align="justify">A Revista Desenvolvimento Social (RDS) é um periódico eletrônico vinculado ao <a href="https://www.posgraduacao.unimontes.br/ppgds/" target="_blank" rel="noopener">Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Social da Universidade Estadual de Montes Claros (PPGDS/Unimontes)</a>. Criada em 2008, a revista tem por objetivo publicar artigos, dossiês, ensaios, resenhas e demais formatos de textos acadêmicos que apresentem abordagens teóricas e experiências empíricas sobre os impactos e as controvérsias do desenvolvimento social em diferentes contextos.</p> https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/5061 A elite econômica na produção do espaço urbano de Montes Claros/MG 2022-04-11T04:00:53+00:00 Eduardo Vinícius Pereira Barbosa eduardovpb@gmail.com Éder de Souza Beirão ederbeirao@gmail.com Marcos Esdras Leite marcosesdrasleite@gmail.com <p>Este artigo tem como objetivo central analisar a concentração fundiária urbana de Montes Claros/MG. Para a consecução do objetivo, o presente trabalho considerou a formação da cidade em um trecho da área urbana denominado, historicamente, Fazenda Vargem Grande. Foi realizado o mapeamento da área da Fazenda Vargem Grande, a partir de seu desmembramento territorial, com inserção de dados dos atuais loteamentos que compõem o trecho. Procedeu-se, ainda, à coleta de dados do Ofício do 1º Registro de Imóveis de Montes Claros/MG referentes aos imóveis ali registrados que, no início da cadeia dominial, estavam compreendidos na Fazenda Grande, e, também, informações disponibilizadas pela Prefeitura Municipal de Montes Claros/MG, pelas plantas dos loteamentos, com elaboração de mapas. Nesse sentido, os resultados obtidos apontam a elite econômica de Montes Claros/MG com acesso à propriedade imobiliária num grande trecho da cidade, bem como as implicações concernentes à formação de um espaço urbano diante da concentração de terra, como a ocorrência de vazios urbanos e da especulação imobiliária.</p> 2022-10-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Eduardo Vinícius Pereira Barbosa, Éder de Souza Beirão, Marcos Esdras Leite https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/4744 Estímulos e barreiras à criatividade no ambiente de trabalho 2021-11-25T20:19:57+00:00 Graciela Soares da Silva 0046003@feevale.br Cristiano Max Pereira Pinheiro 0046003@feevale.br Mauricio Barth mauricio@feevale.br Vania Gisele Bessi 0046003@feevale.br <p>A criatividade é avaliada como um diferencial no mercado. Atualmente, ela é valorizada pelas organizações como a chave-mestra da inovação. Este estudo visa, portanto, analisar a relação dos valores organizacionais com os estímulos e as barreiras à criatividade no ambiente de trabalho. Para isso, foram utilizados conceitos de autores específicos sobre o assunto, buscando apresentar, inicialmente, um quadro referencial de criatividade e, em seguida, a sua abordagem no contexto organizacional, relacionando com os estímulos e barreiras à criatividade. Os resultados obtidos através deste estudo teórico demonstram os inúmeros fatores que podem inibir ou incentivar a criatividade no trabalho, bem como sua relação com os valores organizacionais, considerados o cerne da cultura organizacional.</p> 2022-10-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Graciela Soares da Silva, Cristiano Max Pereira Pinheiro, Mauricio Barth, Vania Gisele Bessi https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/5016 Dependência e desequilíbrios entre Montes Claros e as cidades de pequeno porte do Norte de Minas Gerais: Empresas e força de trabalho 2022-03-17T01:13:07+00:00 Raíssa Cota Pales raissa.pales@educacao.mg.gov.br Eduardo Antônio Salomão Condé eduardosconde@gmail.com <p>O processo de desconcentração do desenvolvimento nas grandes cidades, iniciado na década de 1970, culminou numa reconcentração em direção às cidades médias-polo. Nesse contexto, várias cidades médias mineiras gozaram de incentivos políticos para sua consolidação como polos de desenvolvimento regional, destacadamente Montes Claros (Norte de Minas Gerais). O esforço principal deste trabalho é analisar e compreender os efeitos do processo de concentração do desenvolvimento em Montes Claros provenientes da reorganização da produção na década de 1970 e, particularmente, a partir da década de 1990, com foco no papel do Estado, verificando os desdobramentos, positivos e negativos, da polarização do desenvolvimento. Nesse sentido, a intenção foi de mapear o quadro referente ao potencial econômico, mostrando como o processo de reconcentração do desenvolvimento em cidades médias, se por um lado desconcentrou o desenvolvimento das grandes metrópoles, por outro, restringiu o desenvolvimento às cidades médias, deixando os habitantes das cidades de pequeno porte, via de regra, dependentes da infraestrutura da cidade média.</p> 2022-10-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Raíssa Cota Pales, Eduardo Antônio Salomão Condé https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/5026 El turismo cultural en La Guajira y los pueblos originarios, una posibilidad de desarrollo para los tiempos de la postpandemia 2022-03-24T18:06:01+00:00 Katherin Pérez Mendoza kperezm@uniguajira.edu.co Carlos Busón cbuson@gmail.com Alexis Carabalí Angola acarabali@uniguajira.edu.co <p>Este trabajo hace parte de una investigación de la Maestría en ciencias sociales de la Universidad de La Guajira para analizar la valoración que las comunidades indígenas asentadas en la costa de Mayapo, dan a la cultura, el turismo y la solidaridad en sus territorios marino-costeros. Entre los objetivos que pretendíamos estudiar era identificar la valoración económica y social de los ecosistemas costeros desde la cosmovisión wayuu. Dicho trabajo se justifica como parte de una investigación en la búsqueda de valoración económica de la incidencia de los riesgos socio ambientales sobre los sistemas productivos locales. Dicho estudio pretendía valorar los ecosistemas costeros de Mayapo situados en el municipio de Manaure, por medio de un diseño metodológico que respondiese a una definición propia de los territorios de acuerdo con las prácticas, usos y costumbres presentes en las tradiciones de la comunidad indígena Wayuu. Asimismo, que pudiera servir como insumo para crear estrategias de desarrollo, planes de ordenamiento territorial y el diseño de instrumentos metodológicos para la utilización responsable de los servicios ecosistémicos que proveen áreas de alto valor cultural.</p> 2022-10-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Katherin Pérez Mendoza, Carlos Busón, Alexis Carabalí Angola https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/5021 Utopia e heterotopia: Análise da normatização e das resistências dos corpos e espaços 2022-03-21T19:58:37+00:00 Marcelo Brito professormarcelob@gmail.com Ildenilson Meireles meirelesildenilson@gmail.com Iuri Simões Mota iurimota@gmail.com <p>O artigo tem como objetivo debater sobre o corpo enquanto um espaço heterotópico, tomando por base a noção definida por Foucault, O Corpo, as heterotopias. Nesse sentido, propomos compreender como os corpos dissidentes da cisnormatividade podem ser entendidos como um espaço heterotópico na medida em que se mostram como um instrumento de resistência às formas de normalização e normatização de si mesmos e do espaço físico. O significado de corpo em nossa análise aponta para um espaço de luta, de disputa de sentidos entre os sujeitos e de embate de diferentes relações de poder que atravessam os indivíduos e suas vivências. Propomos pensar as pessoas trans a partir da ideia do corpo como uma heterotopia, tanto pelo seu caráter de resistência aos processos de normatizações, como pelo processo de apropriação que essas pessoas fazem da sua identidade, constituindo-se como sujeitos dos seus desejos e subjetividades. Os corpos dissidentes são considerados como um espaço heterotópico na medida em que estão gravados na constituição do mesmo uma série de processos de significações e construções socioculturais, mas ao mesmo tempo esse corpo, enquanto espaço heterotópico, resiste e subverte o processo, as imposições binárias e o discurso cisnormativo, criando em si mesmos um espaço heterotópico.</p> 2022-10-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Marcelo Brito, Ildenilson Meireles, Iuri Simões Mota https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/5670 Apresentação do Dossiê | Futebóis, dissidências e resistências 2022-08-19T11:17:06+00:00 Cláudia Samuel Kessler jornalista24h@hotmail.com Enrico Spaggiari enricospaggiari@gmail.com <p>A Revista Desenvolvimento Social (RDS) apresenta, nesta edição, o Dossiê temático <strong>"Futebóis, dissidências e resistências"</strong>, organizado pela Professora Doutora <strong>Cláudia Samuel Kessler</strong> (Universidade Federal de Santa Maria/UFSM) e pelo Doutor <strong>Enrico Spaggiari </strong>(Universidade de São Paulo/USP).</p> <p>Foto de capa por <strong>Cassimano</strong> (2019).</p> 2022-08-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Cláudia Samuel Kessler, Enrico Spaggiari https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/5671 A Coligay dentro da pedagogia do torcer 2022-08-19T11:52:40+00:00 Gustavo Andrada Bandeira gustavoabandeira@yahoo.com.br Luiza Aguiar dos Anjos luizaaguiardosanjos@gmail.com <p>O período pré-Copa do Mundo de futebol masculino da FIFA de 2014, no Brasil, colocou a ação dos torcedores dos estádios de futebol em questão. Preocupações até então negligenciadas nesse espaço começaram a aparecer, dentre as quais a homofobia. Nesse cenário de colocação em cena das discussões sobre homofobia no futebol, constatamos certo “retorno” na memória coletiva de torcedores do Grêmio da Coligay, torcida gay do clube, atuante nas décadas de 1970 e 1980 e apagada desde então. Nessa releitura, ao mesmo tempo em que a torcida foi exaltada por ter transgredido as normas de gênero e de sexualidade, ela também reforça uma série de representações. Os bons comportamentos, a festa e o financiamento próprio apareceram para enaltecer a torcida e, também, apresentar os conteúdos desejáveis para as torcidas ainda em atividade. Neste trabalho, olhamos de que forma essa memória da Coligay trabalha na pedagogia do torcer. Para tanto, utilizaremos os materiais produzidos contemporaneamente sobre a Coligay, além de diálogos com ex-integrantes da torcida e outros torcedores do Grêmio, além de jogadores, dirigentes e jornalistas que a conheceram, buscando mapear alguns dos significados possíveis na atualidade para essa experiência rememorada.</p> 2022-08-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Gustavo Andrada Bandeira, Luiza Aguiar dos Anjos https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/5672 Inteligibilidade e hegemonia: Diálogos com o futebol na relação com a cis-hetero-normatividade 2022-08-19T12:27:48+00:00 Eric Seger de Camargo eric.w.seger@gmail.com Guilherme Gomes Ferreira guilhermeferreira@ufrgs.br <p>O presente artigo visa refletir sobre as formas através das quais é possível fazer-se humano e inteligível na sociedade brasileira diante das masculinidades hegemônicas que temos no nosso país contemporaneamente, analisando as condições que permitem a estabilização da hegemonia da cisgeneridade, da heterossexualidade e de um tipo de masculinidade no Brasil. A partir daí, também será possível cruzar essa referência em relação à cis-hetero-normatividade no esporte, e mais particularmente, no futebol. Para este fim, realizamos uma revisão bibliográfica com base em teóricas transfeministas contemporâneas e tendo como referência também investigações científicas qualitativas realizadas pelos autores no campo dos estudos de gênero e sexualidade. Concluímos que atletas dissidentes em termos de gênero e sexualidade no futebol e em esportes em geral só são possíveis, ainda atualmente, a partir da invisibilidade de suas identidades ou a partir de modelos estruturados pela cisgeneridade que tomam a verdade dos seus corpos através de noções biologicistas e essencialistas. Ainda, que o esporte, assim como diversas outras instituições, reflete&nbsp; um regime de gênero e sexualidade hegemônico que retiram a inteligibilidade daquelas identidades dissidentes.</p> 2022-08-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Eric Seger de Camargo, Guilherme Gomes Ferreira https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/5673 A importância da oralidade para os estudos sobre a mulher no futebol baiano: Revisitando memórias 2022-08-19T12:36:30+00:00 Enny Vieira Moraes e.vieira.moraes@gmail.com Nivalda Pereira Coelho nyvia.uneb@outlook.com <p>Os movimentos em torno da presença das mulheres nos diferentes espaços da sociedade, inclusive no futebol, têm gerado uma série de reflexões relacionadas aos espaços de lutas por reconhecimento e igualdade nos esportes. Desta forma, o presente artigo objetiva abordar aspectos que revelam e destacam a força da metodologia da história oral em estudos anteriores realizados pelas autoras e pelo autor. Estes estudos evidenciaram memórias de mulheres que contestaram uma lógica social preestabelecida dos lugares que elas devem ocupar na sociedade. Assim, revisitou-se aspectos presentes nos relatos de Maria Neide e Risalva, duas praticantes de futebol atuantes na década de 1980 no interior baiano, que assim como muitas mulheres carregam uma trajetória de vida permeada por lutas em busca de reconhecimento e visibilidade social. O uso da história oral possibilita um contato diferenciado com a história, já que utiliza da memória enquanto meio para se chegar aos resultados. Desta forma, conclui-se que os relatos orais, as narrativas e as histórias sobre o passado ajudam a compreender os processos que permeiam a vida das pessoas, das comunidades, das coletividades, permitindo desvelar a complexidade que marca a vida cotidiana e as contradições inerentes às relações de poder incorporadas aos processos sociais vigentes.</p> 2022-08-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Enny Vieira Moraes, Nivalda Pereira Coelho https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/5674 Dobras incômodas: Entre corpos gordos e práticas esportivas 2022-08-19T12:44:48+00:00 Cláudia Samuel Kessler jornalista24h@hotmail.com Viviane Teixeira Silveira viviane.silveira@unemat.br <p>O presente ensaio reflete sobre corpos gordos no esporte moderno, que extrapolam os padrões impostos por um sistema capitalista altamente regulador das subjetividades. Os corpos desejáveis não são apenas produtivos, mas também vendáveis e carregam consigo representações classistas e racializadas. Analisamos as pressões relacionadas à estética e à <em>performa</em><em>nce </em>impostas a atletas na atualidade, questionando a ideia de <em>performance </em>ligada ao corpo magro e jovem. Consideramos que o corpo gordo historicamente passou não apenas por julgamentos morais relacionados à forma física, mas também relacionados a status social, sendo até o século XIX considerado símbolo de poder financeiro e político. A partir de casos amplamente divulgados na mídia, parte-se da análise de críticas a três futebolistas da seleção brasileira e, posteriormente, reflete-se sobre modalidades em que a gordura corporal pode ser considerada positiva ou até mesmo aceitável, como no handebol e jiu-jitsu.</p> 2022-08-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Cláudia Samuel Kessler, Viviane Teixeira Silveira https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/5675 Jogadores-peça, jogadores-produto e jogadores-empresa: Elementos para a compreensão de diferenças geracionais nas categorias de base de futebol 2022-08-19T12:53:24+00:00 Marina de Mattos Dantas marinamattos@gmail.com <p>O artigo apresenta algumas considerações para se pensar as diferenças geracionais na formação de jogadores em categorias de base de futebol. Com esse objetivo, está estruturado em duas partes: na primeira, apresenta-se um levantamento de teses e dissertações sobre categorias de base e formação de jogadores produzidas no Brasil entre os anos de 2001 e 2021, com foco na compreensão de quais aspectos relacionados ao tema vêm chamando a atenção de pesquisadores e pesquisadoras e como esses têm sido trabalhados nos últimos 20 anos; na segunda parte, apresentam-se algumas considerações sobre elementos que atravessam a produção de subjetividades-atleta, produzindo, como efeitos, modos de condução de si no futebol profissional: jogadores-peça, jogadores-produto e jogadores-empresa, que implicam em diferenças geracionais entre jogadores pelos modos de produção de formação em épocas distintas.&nbsp;</p> 2022-08-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Marina de Mattos Dantas https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/5676 A importância do futebol de várzea para a população negra de São Paulo (SP) 2022-08-19T13:01:39+00:00 Roberta Pereira da Silva revista.desenvolvimento@unimontes.br <p>O presente artigo apresenta o futebol de várzea da cidade de São Paulo, a partir da história do Negritude Futebol Clube, time criado na década de 1980, construído prioritariamente por homens e mulheres negras, que ocuparam o espaço do recém-inaugurado Conjunto Habitacional nomeado Cohab I. O texto articula o desenvolvimento do futebol de várzea com a organização da juventude negra, que foi capaz de fundar o MNU – Movimento Negro Unificado, e ao mesmo tempo apresentou diversas formas de resistência entre elas os bailes e o futebol, tão importantes para a demarcação da identidade racial e o combate ao racismo. Articulando passado e presente, o texto demonstra como a organização do futebol de várzea pode ser uma possibilidade democratizante frente aos processos de “arenização” do futebol.&nbsp;</p> 2022-08-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Roberta Pereira da Silva https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/5677 Mapeamento do futebol de várzea de São Paulo (SP): Reflexões para processos de proteção ao patrimônio 2022-08-19T13:10:11+00:00 Alberto Luiz dos Santos albertosantos@alumni.usp.br Aira Bonfim airafbonfim@gmail.com Enrico Spaggiari enricospaggiari@gmail.com <p>Este artigo busca reconstituir as atividades e etapas do processo de elaboração do projeto de mapeamento do futebol várzea na cidade de São Paulo, encomendado pelo Núcleo de Identificação e Tombamento do Departamento de Patrimônio Histórico (DPH) a fim de reunir subsídios para a identificação de práticas culturais relacionadas ao universo popular varzeano e para a análise de processos administrativos de proteção do patrimônio cultural. Após uma breve contextualização sobre a prática do futebol de várzea e do circuito varzeano de São Paulo, serão apresentados os procedimentos, protocolos e técnicas adotados; os contextos selecionados como “pontos nodais” da pesquisa; os três principais eixos temáticos de análise – campos, acervos/coleções e eventos/projetos/práticas culturais –; alguns relatos e insights da pesquisa etnográfica em um clube específico; por fim, destaca, ainda que de forma incipiente, algumas reflexões, indicadores e possíveis encaminhamentos para subsidiar os processos patrimoniais de proteção ao futebol de várzea. Dentro de um quadro de reconhecimento e valorização do patrimônio do território da cidade de São Paulo, o futebol varzeano identifica-se com processos culturais presentes no cotidiano das camadas populares e periféricas inerentes à construção das identidades sociais e ao direito à cidade.</p> 2022-08-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Alberto Luiz dos Santos, Aira Bonfim, Enrico Spaggiari