https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/issue/feed Revista Desenvolvimento Social 2022-01-31T18:07:46+00:00 Comissão Editorial da RDS revista.desenvolvimento@unimontes.br Open Journal Systems <p align="justify">A Revista Desenvolvimento Social (RDS) é um periódico eletrônico vinculado ao <a href="https://www.posgraduacao.unimontes.br/ppgds/" target="_blank" rel="noopener">Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Social da Universidade Estadual de Montes Claros (PPGDS/Unimontes)</a>. Criada em 2008, a revista tem por objetivo publicar artigos, dossiês, ensaios, resenhas e demais formatos de textos acadêmicos que apresentem abordagens teóricas e experiências empíricas sobre os impactos e as controvérsias do desenvolvimento social em diferentes contextos.</p> https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/4537 O contributo do ensino superior para o desenvolvimento na África Subsariana: Casos de Angola e Moçambique 2021-08-31T18:22:09+00:00 Teresa Patatas teresapatatas.angola@gmail.com Godwen Veremu gsveremo@gmail.com <p>África Subsariana é uma região que aposta na educação, em especial o ensino superior, para o seu aspirado desenvolvimento. Neste estudo apresentam-se dois exemplos da contribuição do ensino superior para o desenvolvimento nacional de dois países, Angola e Moçambique, mostrando os casos de duas Instituições de Ensino Superior: Escola Superior Politécnica do Namibe (em Angola) e Instituto Superior Politécnico de Manica (em Moçambique). O objetivo é mostrar como as duas instituições têm contribuído para o desenvolvimento local, e consequentemente nacional, com a sua oferta formativa e evidenciando-se os trabalhos de fim de curso de licenciatura. Fez-se uma pesquisa bibliográfica e documental neste estudo múltiplo de caso, para além de um estudo de documentos institucionais. Os resultados mostram que as duas instituições têm contribuído na formação de quadros e na especialização de mão de obra, através das suas licenciaturas. Nesta pesquisa destacaram-se os trabalhos de fim de curso que visam múltiplos beneficiários e trazem benefícios investigativos, assim como sugestões de melhorias exequíveis com a finalidade de melhor produtividade, qualidade, efetivação e eficácia dos variados recursos disponíveis para um maior impacto no desenvolvimento local e consequentemente nacional.</p> 2022-02-10T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Teresa Patatas, Godwen Veremu https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/4581 Análise dos indicadores de desenvolvimento rural do Norte de Minas 2021-09-15T02:57:49+00:00 Claudiana Aparecida Leal de Araujo claudiana.araujo@unimontes.br Carlos Renato Theophilo crtheophilo@uol.com.br <p>A noção de desenvolvimento rural está ligada a transformações, a melhoria da qualidade de vida da população rural, considerando os aspectos plurais existentes nesse meio. O desenvolvimento rural, de certa forma, resulta de ações articuladas nas vertentes cultural, social e econômica com o objetivo de melhorar qualidade de vida no espaço rural. O objetivo deste trabalho foi de analisar os níveis de desenvolvimento rural dos municípios da Mesorregião Norte de Minas, com base nos indicadores populacionais, de bem-estar social, econômicos e ambientais no ano de 2010. A metodologia utilizada foi baseada no estudo de Kageyama (2004), que adotou o Índice de Desenvolvimento Rural (IDR), um índice composto, obtido pela média de outros indicadores, a saber: os indicadores de população, de bem-estar social, desenvolvimento econômico e meio ambiente. A ideia de medir o desenvolvimento rural por meio de um indicador possibilitou uma reflexão sobre uma medida que resultasse da combinação de diversas dimensões importantes nesse contexto. A análise do IDR reforçou a ideia de que os aspectos multidimensionais são fundamentais para o desenvolvimento rural. Além disso, medir o desenvolvimento rural exige escolha criteriosa de variáveis e a combinação dessas em cada dimensão, além da observação das características da região a ser analisada.</p> 2022-02-22T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Claudiana Aparecida Leal de Araujo, Carlos Renato Theophilo https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/4627 Acolhimento familiar, articulação de rede e reintegração familiar: Reflexões a partir da prática 2021-10-03T23:44:27+00:00 Julia Matinatto Salvagni jusalvagni@gmail.com Regina Lúcia Sucupira Pedroza rpedroza@unb.br <p>Este artigo discute a importância da garantia do direito a convivência familiar e comunitária de crianças e adolescentes no contexto das Políticas de Assistência Social, em especial nas situações de afastamento do convívio familiar devido à medida protetiva de acolhimento. A partir dessa contextualização, discute-se os resquícios e impactos do histórico menorista do Brasil, mesmo que com a instauração da doutrina da proteção integral e, nesse sentido, como possibilidade de romper com a hegemonia do aparelho institucional da proteção à infância, o investimento em outras modalidades de acolhimento, como o Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora (SFA). Coloca-se o SFA como via para a garantia do direito à convivência familiar e comunitária, bem como suas potencialidades para trabalhar de forma efetiva a articulação de rede, enquanto instrumento dos processos de reintegração familiar. Nessa perspectiva, é descrito um caso que elucida os principais pontos da discussão proposta e a partir dele, reflexões a respeito da temática estudada.</p> 2022-02-25T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Julia Matinatto Salvagni, Regina Lúcia Sucupira Pedroza https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/4568 Pandemia e aumento da desigualdade de renda no Brasil: Desafios ao SUAS 2021-09-11T09:04:32+00:00 Camila Pereira Lisboa milalisb@gmail.com <p>Este artigo pretende contribuir para um debate sobre os impactos da COVID-19 na política de Assistência Social brasileira. Em especial, serão discutidos desafios colocados pelo aumento da desigualdade de renda ao Sistema Único de Assistência Social (SUAS). Para tanto, veremos brevemente algumas características da desigualdade de renda no país, como ela se configura durante a pandemia e como normativas federais têm reagido diante desse novo quadro que exige respostas do SUAS.</p> 2022-03-23T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Camila Pereira Lisboa https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/4818 Apresentação do Dossiê | Paulo Freire e o esperançar de um mundo diferente 2021-12-22T22:43:27+00:00 Mônica Maria Teixeira Amorim monica.amorim@unimontes.br Carlos Rodrigues Brandão carlosdecaldas@gmail.com Andrea Maria Narciso Rocha de Paula andreapirapora@yahoo.com.br <p>A <em>Revista Desenvolvimento Social</em> apresenta, nesta edição, o Dossiê temático <strong>"<em>Paulo Freire e o esperançar de um mundo diferente</em>"</strong>, organizado pela Professora Dra. <strong>Mônica Maria Teixeira Amorim</strong> (Universidade Estadual de Montes Claros/UNIMONTES), pela Professora Dra. <strong>Andrea Maria Narciso Rocha de Paula</strong> (Universidade Estadual de Montes Claros/UNIMONTES) e pelo Professor Dr. <strong>Carlos Rodrigues Brandão</strong> (Universidade Estadual de Campinas/UNICAMP).</p> 2021-12-23T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/4808 O Instituto Paulo Freire: História, ações, desafios e o esperançar de um mundo diferente 2021-12-20T17:22:05+00:00 Ângela Maria Biz Rosa Antunes angela.bizantunes@paulofreire.org Mônica Maria Teixeira Amorim monica.amorim@unimontes.br <p>Entrevista com Ângela Maria Biz Rosa Antunes, Diretora Pedagógica do Instituto Paulo Freire (IPT).&nbsp;</p> 2021-12-23T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/4809 Manter a esperança: Um pequeno almanaque de mensagens de coragem e esperança, para tempos de pandemia 2021-12-20T17:29:03+00:00 Carlos Rodrigues Brandão carlosdecaldas@gmail.com <p>Saibamos trocar o verbo passivo “esperar”, pelo verbo ativo “esperançar”. Em todas as partes e a todo o momento ouvimos e vemos pessoas dizendo de diferentes maneiras que “estamos vivendo um tempo escuro”; “estamos atravessando um tempo de tão poucas esperanças!” E é sobre isso quero lembrar algo. Apenas, desta vez, o que trago como uma mensagem não são palavras minhas. Preferi escolher alguns escritos de outras pessoas. E em todas elas, com acentos e palavras semelhantes ou diferentes, trago algo de resistência, de resiliência, de coragem e de esperança.</p> 2021-12-23T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/4811 A Campanha de alfabetização em Cuba, Paulo Freire, educação popular, e a Campanha “De Pé no Chão também se aprende a ler” 2021-12-20T17:43:56+00:00 Heiberle Hirsgberg Horácio heiberle@hotmail.com <p>Este artigo traz apontamentos relacionados à conjuntura e à organização da Campanha de Alfabetização de Cuba (1961), e da Campanha de Alfabetização “De Pé no Chão também se aprende a ler” (1961-1964), além de apontamentos sobre como o “método” do educador Paulo Freire esteve presente na segunda, que se caracteriza por ter sido uma experiência peculiar de Educação Popular. O artigo objetiva que os apontamentos possam possibilitar reflexões sobre os processos organizativos das duas Campanhas, e sobre a conjuntura e o contexto do surgimento delas, sendo que, se houve uma relação de influência da experiência cubana à experiência brasileira, a primeira foi plenamente desenvolvida, enquanto a segunda foi interrompida, mas não definitivamente silenciada, pelo Golpe Civil-Militar de 1964 e pela Ditadura Militar. Ditadura que, inclusive, levou à prisão e ao exílio Paulo Freire, Djalma Maranhão, e Moacyr de Góes, entre outras pessoas, que foram imprescindíveis para o desenvolvimento da Campanha “De Pé no Chão também se aprende a ler”, tendo sido Góes, inclusive, coordenador da Campanha.</p> 2021-12-23T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/4812 Quando Paulo Freire vier: Pedagogia do Oprimido, Santa Cruz e Religião 2021-12-20T17:50:25+00:00 Emerson Sena da Silveira emerosn.pesquisa@gmail.com <p>Este artigo procura compreender duas obras e contextos, a Pedagogia do Oprimido (1968), do filósofo e educador Paulo Freire, e o filme-documentário Santa Cruz (2000), do cineasta João Moreira Salles e do jornalista Marcos Sá Corrêa. A primeira obra, critica educação tradicional, propõe a educação problematizadora e a mudança social radical. A segunda, mostra o cotidiano de evangélicos pentecostais na Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro durante a construção de seu pequeno templo. Elaborou-se um paralelo entre as obras e, nos contextos sócio-históricos, tangentes. Entende-se que uma reflexão socio-crítica se faz essencial diante do crescimento evangélico e seu forte impacto na política, educação e sociedade brasileiras. A metodologia qualitativa-teórica, baseada em uma perspectiva histórico-antropológica, guiará a construção discursivo-textual deste artigo. A partir da exposição resumida das obras e da seleção de passagens-chave, buscam-se três resultados: a importância da releitura das ideias paulofreirianas para compreender melhor o mundo contemporâneo; a crítica das abordagens romântico-fenomenológicas e, por fim, o convite à transformação social a partir da crítica paulofreriana à sectarização e à educação não-problematizadora.</p> 2021-12-23T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/4813 Raça e educação: De Manoel Bomfim à Paulo Freire, uma leitura decolonial 2021-12-20T18:02:11+00:00 Cristina Borges cristinaborgesgirasol@gmail.com <p>A questão racial tem sido debatida por epistemologias marginais a exemplo do pensamento descolonial que tem como conceito principal a Colonialidade do Poder. Este artigo, em perspectiva marginal, busca refletir sobre a articulação entre colonialismo, educação e raça no Brasil. Objetiva demonstrar que uma educação libertadora tal como apregoada por Paulo Freire (1987) passa pelo empreendimento de criticar o colonialismo e a colonialidade. Para tanto, traz como subsídio teórico os intelectuais brasileiros Manoel Bomfim e Paulo Freire (1987), especificamente o conceito de parasitismo social cunhado pelo primeiro e a proposta de educação libertária do segundo a partir da superação do dilema oprimido-opressor.</p> 2021-12-23T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/4814 Contribuições da pedagogia freiriana para a formação de professores: Uma análise dos projetos pedagógicos das Licenciaturas do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Norte de Minas Gerais - IFNMG 2021-12-20T18:14:51+00:00 Hellen Vivian Moreira dos Anjos hellen.anjos@ifnmg.edu.br Mônica Maria Teixeira Amorim monica.amorim@unimontes.br Fernando Barreto Rodrigues fernando.barreto@ifnmg.edu.br <p>O objetivo central deste artigo é analisar os desenhos curriculares e a contribuição do pensamento de Paulo Freire nos Projetos Pedagógicos de Cursos (PPCs) das Licenciaturas ofertadas pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Norte de Minas Gerais (IFNMG). A metodologia utilizada é de cunho qualitativo, pois foram priorizadas a pesquisa e a análise documental para uma melhor compreensão dos documentos a partir de seus desenhos curriculares. O artigo está estruturado em duas partes: a primeira parte contempla a discussão acerca da formação de professores, currículo e contra - hegemonia, tendo a sociedade capitalista como palco dessa análise e a proposta de formação docente de Paulo Freire como um paradigma contra-hegemônico, capaz de reagir criticamente aos modelos dominantes de formação. Na segunda parte foi realizada a análise dos PPCs das Licenciaturas do IFNMG, a partir da identificação de categorias freirianas nesses projetos de curso.</p> 2021-12-23T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/4810 Educação como prática de liberdade 2021-12-20T17:36:37+00:00 Leandro Luciano Silva Ravnjak leandro.silva@unimontes.br <p>Trata-se de resenha, que tem por objeto a obra Educação como prática da Liberdade, de autoria de Paulo Freire. Com a primeira edição publiada em 1967.&nbsp;&nbsp;</p> 2021-12-23T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/4918 Analfabetismo e exclusão social: Apontamentos a partir do diálogo com Freire, Arroyo, Marta Oliveira e Antônia 2022-01-31T18:07:46+00:00 Andréia Luciane Sol Souza andreiasoll@gmail.com Alexandre Gonçalves alexandrecpt@gmail.com <p>Este texto marca o lugar da alfabetização como um “bem social” distribuído desigualmente na sociedade, na qual, as classes populares são desfavorecidas (FREIRE, 2008).&nbsp; O presente trabalho estabelece um “diálogo” entre Paulo Freire, Miguel Arroyo, Marta Oliveira e Antônia – mulher negra, trabalhadora e não alfabetizada. Este texto aponta a relação existente entre o analfabetismo e a exclusão social analisando o contexto e a vida da Antônia, em suas conexões com a educação de jovens e adultos e na implicação dos desafios teóricos-metodológicos para tratar desse tema. Um diálogo entre a educanda Antônia, sua trajetória de vida inseridas no contexto mais amplo do analfabetismo e as ações de educação popular. &nbsp;Assim, trazer elementos que possam contribuir com a compreensão das situações colocados às pessoas adultas não alfabetizadas ao lidar com ocasiões que são necessários o uso dos códigos de leitura e escrita. Neste sentido, convidamos aos (as) leitores (as) a refletir sobre a história de Antônia não como uma história individual, mas como uma história coletiva, que apresenta a realidade de muitas/os pessoas adultas não alfabetizadas.</p> 2022-01-31T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021