Mapeamento do futebol de várzea de São Paulo (SP): Reflexões para processos de proteção ao patrimônio

Mapping of amateur football in São Paulo (SP): Reflections on heritage protection processes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46551/issn2179-6807v28n1p122-152

Palavras-chave:

Mapeamento, Futebol de Várzea, Patrimônio, Metrópole, Cultura Popular

Resumo

Este artigo busca reconstituir as atividades e etapas do processo de elaboração do projeto de mapeamento do futebol várzea na cidade de São Paulo, encomendado pelo Núcleo de Identificação e Tombamento do Departamento de Patrimônio Histórico (DPH) a fim de reunir subsídios para a identificação de práticas culturais relacionadas ao universo popular varzeano e para a análise de processos administrativos de proteção do patrimônio cultural. Após uma breve contextualização sobre a prática do futebol de várzea e do circuito varzeano de São Paulo, serão apresentados os procedimentos, protocolos e técnicas adotados; os contextos selecionados como “pontos nodais” da pesquisa; os três principais eixos temáticos de análise – campos, acervos/coleções e eventos/projetos/práticas culturais –; alguns relatos e insights da pesquisa etnográfica em um clube específico; por fim, destaca, ainda que de forma incipiente, algumas reflexões, indicadores e possíveis encaminhamentos para subsidiar os processos patrimoniais de proteção ao futebol de várzea. Dentro de um quadro de reconhecimento e valorização do patrimônio do território da cidade de São Paulo, o futebol varzeano identifica-se com processos culturais presentes no cotidiano das camadas populares e periféricas inerentes à construção das identidades sociais e ao direito à cidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alberto Luiz dos Santos, Universidade de São Paulo (USP)

Doutor em Geografia pela Universidade de São Paulo (USP). Membro da Rede Paulista de Educação Patrimonial (REPEP) e do Grupo de Pesquisa Patrimônio, Espaço e Memória, vinculado ao Labur/FFLCH/USP (CNPq). Email: albertosantos@alumni.usp.br ORCID: 0000-0001-6657-4806. 

Aira Bonfim, Fundação Getulio Vargas (FGV)

Mestra em História Social pela FGV. Fez parte da equipe de implantação do Centro de Referência do Futebol Brasileiro (CRFB), em 2011, no Museu do Futebol, onde atuou até 2018 como pesquisadora e, depois, curadora. Trabalha como consultora para entidades culturais e de preservação do patrimônio, bem como no diálogo entre a universidade e as redes populares de articulação e protagonismo no futebol. Email: airafbonfim@gmail.com. ORCID: 0000-0002-3192-9168

Enrico Spaggiari, Universidade de São Paulo (USP)

Mestre e Doutor em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo (USP). Membro do Grupo de Estudos em Antropologia da Cidade (GEAC-USP), LabNAU (Laboratório do Núcleo de Antropologia Urbana-USP) e do LUDENS - Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas sobre Futebol e Modalidades Lúdicas (USP). Fundador e editor do Site Ludopédio. Email: enricospaggiari@gmail.com. ORCID: 0000-0002-7078-3827

Referências

ANTUNES, F. M. Futebol de Fábrica em São Paulo. Dissertação (Mestrado em Sociologia). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Universidade der São Paulo, São Paulo, 1994.

BRASIL RESTAURO. Inventário Participativo Estação Ferroviária de Campo Grande. São Paulo, 2020. Disponível em: https://irp.cdn-website.com/668431ed/files/uploaded/Dossie%20Final%20Campo%20Grande%20R01.pdf. Acesso em: abr. 2022

CARLOS, A. F. A. Espaço-tempo na metrópole: a fragmentação da vida cotidiana. São Paulo: Contexto, 2001.

DAMO, A. Do dom à profissão: Uma etnografia do futebol espetáculo a partir da formação de jogadores no Brasil e na França. Tese (Doutorado em Antropologia). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005.

DAMO, Arlei. “Futebóis – da horizontalidade epistemológica à diversidade política”. FuLiA/UFMG, Belo Horizonte, v. 3, n. 3, p. 37-66, set./dez. 2018.

DEBORD, G. A sociedade do espetáculo. São Paulo. Contraponto: 1997.

FAVERO, R. P. F. A várzea é imortal: abnegação, memórias, disputas e sentidos em uma prática esportiva urbana. Dissertação (Mestrado em Antropologia). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2019.

FONSECA, M. C. L. O patrimônio em processo: trajetória da política federal de preservação no Brasil. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2005.

GONÇALVES, G. R. A crise da cidade em jogo: o futebol na contramão nas ruas da Penha. 2011. 169f. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

IPHAN. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Inventário Nacional de Referências Culturais: Manual de aplicação. Brasília, 2000.

IPHAN. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Educação Patrimonial: Inventários participativos: Manual de aplicação. Brasília, 2016.

JESUS, G. M. “Várzeas, operários e futebol: uma outra geografia”. Geographia, Niterói, v. 4, n. 8, p. 84-92, 2002.

KOWARICK, L. A espoliação urbana. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

LEFEBVRE, H. A vida cotidiana no mundo moderno. São Paulo, Editora Ática, 1991.

LEFEBVRE, H. O direito à cidade. São Paulo: Centauro, 2001.

LOWY, Michael. “‘A contrapelo’. A concepção dialética da cultura nas teses de Walter Benjamin (1940)”. Lutas Sociais. São Paulo, n.25/26, p.20-28, 2011.

MANENTE, F. C. M. A moradia popular chegou à Serra da Cantareira. Dissertação (Mestrado). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2001.

MAGNANI, José Guilherme Cantor. “De perto e de dentro: notas para uma etnografia urbana”. Revista Brasileira de Ciências Sociais. vol. 17, nº 49, 2002.

MAGNANI, José Guilherme Cantor. “Os circuitos dos jovens urbanos”. Tempo social, São Paulo, v.17, n.2, 2005.

MAGNANI, J. G.; MORGADO, N. “Futebol de várzea também é patrimônio”. Revista do Patrimônio, 24: 175-184, 1996.

MASCARENHAS, Gilmar. A goleada do capital sobre a memória coletiva: o “bota abaixo” no patrimônio esportivo. In: DOMINGUES, J. e TELLES, M. (Org.). Memória, patrimônio cultural e a questão urbana no Rio de Janeiro: contradições, conflitos e desafios. 1. ed. Rio de Janeiro: Letra Capital/FAPERJ, 2019.

MENESES, U. T. B. de. Valor cultural, valor econômico: encontros e desencontros. Seminário Internacional História e Energia. São Paulo: Fundação Patrimônio Histórico de Energia de São Paulo, p. 29-47, 2000.

MENESES, U. T. B. de. “O campo do Patrimônio Cultural: uma revisão de premissas”. I Fórum Nacional do Patrimônio Cultural: Sistema Nacional de Patrimônio Cultural: desafios, estratégias e experiências para uma nova gestão. IPHAN, 2009, p 25-41.

MYSKIW, Mauro. Nas controvérsias da várzea: trajetórias e retratos etnográficos em um circuito de futebol da cidade de Porto Alegre. 2012. 415 f. Tese (Doutorado), Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2012.

PEREIRA, S. C. P. Os loteamentos clandestinos do distrito do Jaraguá (SP): Moradia e especulação. 2005. Dissertação (Mestrado em Geografia). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.

PEREIRA, Alexandre Barbosa. “As marcas da cidade: a dinâmica da pixação em São Paulo”. Lua Nova, 79, 2010, 143-162.

RAIMUNDO, S. L. Território, cultura e política: Movimento cultural das periferias, resistência e cidade desejada. Tese (Doutorado em Geografia). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

RIBEIRO, Raphael Rajão. “Futebol amador: história, memória e patrimonialização”. Simpósio Nacional de História, p. 1-17, 2017.

RIBEIRO, Raphael R. “Futebol de várzea é patrimônio?”. Ludopédio, v.113, 2018. Disponível em: https://www.ludopedio.com.br/arquibancada/futebol-de-varzea-epatrimonio/.

RIBEIRO, R. R. A várzea e a metrópole: Futebol amador, transformação urbana e política local em Belo Horizonte (1947-1989). Tese (Doutorado em História, Política e Bens Culturais). Escola de Ciências Sociais. Centro de Pesquisa e Documentação Histórica. Fundação Getúlio Vargas. Rio de Janeiro, 2021.

RIBEIRO, R. R.; SPAGGIARI, E. Futebol Popular. São Paulo: Editora Ludopédio, 2022. (no prelo)

SÃO PAULO. Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico. Processo no. 26.513/1988. Estudo de tombamento do Parque do Povo. 1994.

SANTOS, A. L. O samba como patrimônio cultural em São Paulo (SP): As batucadas de beira de campo e o futebol de várzea. Tese (Doutorado em Geografia). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2021.

SANTOS, A. L.; NITO, M. K. S. “A experiência da Brasilândia e da Freguesia do Ó (SP) como estratégia de mobilização social na preservação do patrimônio cultural”. In: Hilda Jaqueline de Fraga; Claudira do Socorro Cirino Cardoso; Éverton Reis Quevedo; Véra Lucia Maciel Barroso. (Org.). Experimentações do patrimônio: diversidades e resistências. Porto Alegre: Editora Fi, 2021.

SEABRA, O. C. de L. Urbanização e fragmentação: cotidiano e vida de bairro na metamorfose da cidade em metrópole, a partir das transformações do Bairro do Limão. 2003. 313. 397 f. Tese (Livre Docência) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.

SCIFONI, S. “Parque do Povo: um patrimônio do futebol de várzea em São Paulo”. Anais do Museu Paulista. São Paulo. v.21. n.2. p. 125-151, 2013.

SPAGGIARI, Enrico. Família joga bola: jovens futebolistas na várzea paulistana. São Paulo: Intermeios/FAPESP, 2016.

TEIXEIRA-DA-SILVA, Rafael H.; SILVA, Silvio Ricardo da. “Futebol: perspectivas de um patrimônio cultural em suspenso”. Revista Brasileira de Estudos do Lazer. Belo Horizonte, v. 7, n. 3, p. 86-104, 2020.

TELLES, M. F. P. “O registro como forma de proteção do patrimônio cultural imaterial”. Revista CPC, n. 4, p. 40-71, 1o out. 2007.

Downloads

Publicado

2022-08-19

Como Citar

DOS SANTOS, A. L.; BONFIM, A.; SPAGGIARI, E. Mapeamento do futebol de várzea de São Paulo (SP): Reflexões para processos de proteção ao patrimônio: Mapping of amateur football in São Paulo (SP): Reflections on heritage protection processes. Revista Desenvolvimento Social, [S. l.], v. 28, n. 1, p. 122–152, 2022. DOI: 10.46551/issn2179-6807v28n1p122-152. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/5677. Acesso em: 1 dez. 2022.