A influência do trabalho no cotidiano de Agentes Comunitários de Saúde: uma abordagem qualitativa

Autores

  • Desirée Sant’Ana Haikal Mestre em Odontologia em Saúde Coletiva. Professora do Departamento de Odontologia da Unimontes
  • Thalita Thyrza De Almeida Santa-Rosa Mestre em Odontologia em Saúde Coletiva. Professora do Departamento de Odontologia da Unimontes
  • Cláudia Borges Pereira Graduada em Odontologia pela Unimontes
  • Erivânia Cardoso Silva Graduada em Odontologia pela Unimontes.
  • Andréa Maria Eleutério de Barros Lima Martins Doutora em Saúde Pública. Professora do Departamento de Odontologia da Unimontes
  • Efigênia Ferreira e Ferreira Doutora em Epidemiologia. Professora da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Minas Gerais

Palavras-chave:

Agente Comunitário de Saúde. Satisfação. Qualidade de vida. Saúde do Trabalhador. Programa Saúde da Família. Pesquisa Qualitativa.

Resumo

Objetivo: Este estudo buscou compreender a influência do trabalho sobre a vida cotidiana de Agentes Comunitários de Saúde (ACS) de um município pólo da região Norte do Estado de Minas Gerais. Metodologia: Foi utilizada metodologia qualitativa. Entrevistas semi-estruturadas, gravadas foram realizadas com 15 ACS, total definido
pelo ponto de saturação. As falas transcritas foram analisadas pela técnica de Análise do Conteúdo. Resultados: As
categorias que emergiram foram: Inserção na profissão; Qualidade de vida e trabalho (Relação com a comunidade,
Relação com a equipe de saúde, Saúde , Acesso ao atendimento e Satisfação com o trabalho). O trabalho foi percebido pelos ACS como gerador de distúrbios físicos e emocionais, com interferência na vida pessoal, o que foi agravado
pelo sentimento de desamparo e pelo dilema ante a necessidade de utilizar, como usuário, o serviço de saúde que
representam. Conclusão: Apesar das situações conflitantes e desgastantes que causaram impacto em suas vidas, ficou
evidente o predomínio de sentimentos de satisfação com o exercício da profissão de ACS. Tais situações representam
“nós críticos” que devem ser avaliados com cautela, a fim de não prejudicarem a consolidação do sistema público de
saúde almejado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. NUNES M. O. et al. O agente comunitário de
saúde: construção da identidade desse personagem híbrido e polifônico. Cad Saúde Pública, Rio de Janeiro, v.
18, n. 6, p. 1639-46, 2002.
2. TOMAZ J. B. C. O agente comunitário de saúde
não deve ser um “super-herói”. Interface (Botucatu), Botucatu, v. 6, n. 10, p. 84-87, 2002.
3. BRASIL, Lei no 10.507 de 10 de julho de 2002.
Cria a profissão de Agente Comunitário de Saúde - ACS.
Diário Oficial da União 2002; 10 jul.
4. BRASIL, Ministério da Saúde. Agentes comunitários de saúde, equipes de saúde da família e equipes
de saúde bucal em atuação – competência março/2007.
Brasília, 2007 [acessado 2009 ago 10]. Disponível em:
http:// dtr2004.saude.gov.br/dab/documentos/ resumo_
por_uf_03_2007.pdf .
5. KLUTHCOVSKY, A. C. G. C. et al. Avaliação da
qualidade de vida geral de agentes comunitários de saúde: a contribuição relativa das variáveis sociodemográficas e dos domínios da qualidade de vida. Rev Psiquiatr
Rio Gd Sul; Porto Alegre, v. 29, n. 2, p. 176-183, 2007.
6. BOWER E.; SCAMBLER S. The contributions
of qualitative research towards dental public health
practice. Community Dent Oral Epidemiol; Austrália, v.
35, p. 161–169, 2007.
7. MINAYO M. C. S. O Desafio do Conhecimento:
pesquisa qualitativa em saúde. 11° ed. São Paulo: Hucitec: Rio de Janeiro: Abrasco: 2008. 408 p.
8. BRASIL, Ministério da Saúde. Datasus. 2007
[acessado 2010 jan 15]. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/tabdata/cadernos/mg.htm.
9. DUARTE R. Pesquisa qualitativa: reflexões sobre o trabalho de campo. Cad Pesqui; São Paulo, n. 115,
p. 139-154, 2002.
10. BARDIN L. Análise de Conteúdo. Tradução de
Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Edições
70: 2000. 281p.
11. FRAZÃO P.; MARQUES D. S. C. Influência de
ACS na percepção de mulheres e mães sobre conhecimentos de saúde bucal. Rev C S Col , Rio de Janeiro, v.
11, n. 1, p. 131-144, 2006;
12. MOURA, M. S. et al. Perfil e práticas de saúde
bucal do agente comunitário de saúde em municípios
piauienses de pequeno porte. Rev C S Col. Rio de Janeiro, v. 15, suplemento 1, p. 1487-1495, 2010.
13. MARZARI C. K.; JUNGES, J. R.; SELLI, L.
Agentes Comunitários de Saúde: perfil e formação. Rev
C S Col. Rio de Janeiro, v. 16, suplemento 1, p. 873-880,
2011.
14. GALAVOTE, H. S. Desvendando os Processos
de Trabalho do Agente Comunitário de Saúde nos Cenários Revelados na Estratégia Saúde da Família no Município de Vitória. Rev C S Col. Rio de Janeiro, v. 16, n.
1, p. 231-240, 2011.
15. BACHILLI R. G.; SCAVASSA, A. J. ; SPIRI, W.
C. A identidade do agente comunitário de saúde: uma
abordagem fenomenológica. Rev C S Col , Rio de Janeiro, v. 13, n. 1, p. 51-60, 2008.
16. SANTOS, K. T. et al. Agente Comunitário de
Saúde: perfil adequado a realidade do Programa Saúde
da Família? Rev C S Col. Rio de Janeiro, v. 16, suplemento 1, p. 1023-1028, 2011.
17. FERREIRA, V. S. C. et al. Processo de trabalho
do agente comunitário de saúde e a reestruturação produtiva. Cad Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 25, n. 4, p.
898-906, 2009.
18. LACAZ F. A. C. Qualidade de vida no trabalho
e saúde/doença. Rev C S Col; Rio de Janeiro, v. 5, n. 1, p.
151-161, 2000.
19. BORNSTEIN, V. J.; STOTZ, E. N. Concepts involved in the training and work processes of community
healthcare agents: bibliographical review. Rev C S Col,
Rio de Janeiro, v. 13, n. 1, p. 259-268, 2008.
20. LOURES, L. F.; SILVA, M. C. S. A interface entre
o trabalho do Agente Comunitário de Saúde e do Fisioterapeuta na Atenção Básica à Saúde. Rev C S Col. Rio
de Janeiro, v. 15, n. 4, p. 2155-2164, 2010.
21. SILVA, J.A.; DALMASO, A. S. W. Agente Comunitário de Saúde: o ser, o saber, o fazer. Rio de Janeiro: Fiocruz: 2002. 240 p.
22. SILVA, I. Z. Q. J.; TRAD, L. A. B. O trabalho
em equipe no PSF: investigando a articulação técnica e
a interação entre os profissionais. Interface (Botucatu),
Botucatu, v. 9, n. 16, p. 25-38, 2005.
23. CARDOSO, A. S.; NASCIMENTO, M. C. Comunicação no programa saúde da família: o agente de
saúde como elo integrador entre a equipe e a comunidade. Rev C S Col. Rio de Janeiro, v. 15, supl. 1, p. 1509-
1520, 2010.
24. MINAYO-GOMEZ, C.; THEDIM-COSTA, S.
M. F. A construção do campo da saúde do trabalhador:
percurso e dilemas. Cad Saúde Pública, Rio de Janeiro,
v. 13, supl. 2, p. 21-32, 1997.

Downloads

Publicado

2020-04-29

Como Citar

SANT’ANA HAIKAL, D. .; DE ALMEIDA SANTA-ROSA, T. T. .; BORGES PEREIRA, C. .; CARDOSO SILVA, E. .; ELEUTÉRIO DE BARROS LIMA MARTINS, A. M. .; FERREIRA E FERREIRA, E. . A influência do trabalho no cotidiano de Agentes Comunitários de Saúde: uma abordagem qualitativa. Revista Unimontes Científica, [S. l.], v. 13, n. 1/2, p. 8–18, 2020. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/unicientifica/article/view/2200. Acesso em: 23 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>