https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/unicientifica/issue/feed Revista Unimontes Científica 2021-01-29T20:40:29+00:00 Cristina Andrade Sampaio ruc@unimontes.br Open Journal Systems <p style="text-align: justify;">A <em>Revista Unimontes Científica</em> (RUC) é uma publicação periódica, técnico-científica, que tem por finalidade contribuir para divulgação, acesso e utilização do conhecimento produzido multidisciplinarmente.&nbsp; A RUC tem como missão ser instrumento no avanço do conhecimento técnico-científico gerado no rigor da metodologia da pesquisa e da ética, por meio da publicação de artigos de elevado mérito científico. Seu público-alvo são profissionais e estudantes de todas áreas do conhecimento, principalmente, Ciências Biológicas e da Saúde, Ciências Humanas e Sociais. Caracteriza-se como periódico nacional, de circulação internacional que teve sua primeira edição publicada em 2001. Apresenta-se, também, pela chamada de dossiês temáticos, para promover a discussão de temas relevantes para o conhecimento científico.</p> https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/unicientifica/article/view/3516 (Des) conhecimento do Projeto Pedagógico de Curso de Graduação em Medicina entre Estudantes 2021-01-29T20:40:29+00:00 Márcia Mendes Menezes marciam.menezes@yahoo.com.br Mariza Dias Xavier marizadx@hotmail.com Orlene Veloso Dias orlenedias@yahoo.com.br Simone de Melo Costa smelocosta@gmail.com <p>Os projetos de caráter pedagógico de cursos de medicina são baseados em competências e habilidades descritas nas Diretrizes Curriculares Nacionais. Objetivo: O objetivo deste trabalho foi analisar o (des) conhecimento sobre o Projeto Pedagógico de Curso entre estudantes de medicina. Metodologia: Trata-se de um estudo transversal analítico conduzido com acadêmicos matriculados em um curso de medicina do norte do estado de Minas Gerais. Participaram 281 estudantes. No estudo, foi analisado o conhecimento dos estudantes acerca do Projeto Pedagógico do Curso. Resultados: De acordo com os resultados, observou-se o desconhecimento sobre o Projeto Pedagógico, inclusive entre aqueles do último ano. Conclusão: Os achados apontaram para a necessidade de elaborar e operacionalizar o Projeto Pedagógico de forma colaborativa e participativa por todos os sujeitos, pela práxis dialógica entre o saber e o fazer.&nbsp; Ressalta-se a necessidade de novos estudos que possam apresentar o impacto dessas práticas sobre a qualidade do ensino da medicina.</p> 2020-12-31T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Revista Unimontes Científica https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/unicientifica/article/view/3622 Perfil Ocupacional, Comportamentos e Saúde Segundo Diferenciais de Gênero entre Professores da Rede Pública 2020-12-16T15:28:01+00:00 Tatiana Almeida de Magalhães tatimagmoc@gmail.com Marise Fagundes Silveira ciaestatistica@yahoo.com.br Jairo Evangelista Nascimento jairomenmoc@gmail.com Marta Raquel Mendes Vieira martaraquelmendes@hotmail.com Emerson Willian Santos de Almeida emerson93.ew@gmail.com Andréa Maria Eleutério de Barros Lima Martins martins.andreamebl@gmail.com Efigênia Ferreira e Ferreira efigenia@uai.com.br Desirée Sant’Ana Haikal desireehaikal@gmail.com <p><strong>Resumo: </strong>Objetivou-se identificar possíveis diferenciais de gênero entre professores segundo o perfil laboral, comportamentos e saúde. Trata-se de um estudo de prevalência usando amostra probabilística por conglomerados de docentes do ensino básico da rede pública de um município norte mineiro. Foram estimadas prevalências e análises bivariadas corrigidas pelo desenho amostral. Dos 745 docentes investigados, as mulheres representam ampla maioria (85,4%), apresentaram maiores proporções de casadas/união estável e divorciadas/viúvas, com filhos, de classe social mais baixa, perfil laboral precário, com melhores comportamentos relacionados à saúde, apesar de relatarem maior autopercepção negativa de sua aparência e pior qualidade de vida nos domínios físico e psicológico em relação aos homens. Já os homens apresentaram um melhor perfil laboral, maiores frequências de comportamentos não saudáveis e menor busca por assistência médica/odontológica. Observou-se consideráveis diferenças entre os gêneros, demonstrando que são as mulheres que refletem o maior peso da precarização profissional e os homens, os piores comportamentos de saúde. Desse modo, este estudo contribui para que as políticas públicas repensem as oportunidades sociais e questões de saúde relacionadas aos gêneros dentro da classe docente. </p> <p><strong>Palavras chaves: </strong>Diferença de gênero; Professores; Comportamento; Saúde.</p> 2020-12-31T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Revista Unimontes Científica https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/unicientifica/article/view/3069 O Impacto da Ausência de Vedamento Coronal na Infiltração Endodôntica 2020-09-18T23:15:48+00:00 Edwaldo de Souza Barbosa Júnior edwaldobarbosajunior@gmail.com Falyne Pinheiro de Oliveira falyne.pinheiro@gmail.com Laura Marcelly Teixeira Gomes laura.marcelly98@gmail.com Danilo Cangussu Mendes danilocangussuodonto@yahoo.com.br Renata Francine Rodrigues de Oliveira renatafrancine@gmail.com Soraya Mameluque Ferreira Ferreira soraya.ferreira@unimontes.br <p>A restauração coronária está intimamente ligada ao sucesso e bom prognóstico do tratamento endodôntico, uma vez que a microinfiltração de microrganismos da cavidade bucal através dos canais radiculares preenchidos pode atingir os tecidos periapicais provocando infecções. Ainda que os canais radiculares sejam obturados em condições ideais, a microinfiltração estará presente caso não haja selamento coronal. <strong>Objetivo:</strong> Apresentar diferentes estudos e conclusões a respeito de infiltração endodôntica, buscando responder a seguinte pergunta: Qual impacto da ausência de vedamento coronal na infiltração coronária em dentes tratados endodonticamente? <strong>Método:</strong> Foi realizada uma revisão integrativa da literatura seguindo as etapas preconizadas pelo <em>Joanna Briggs Institute</em> utilizando os seguintes descritores: Obturação do canal radicular, falha de restauração dentária e infiltração dentária, que foram empregados para buscas de artigos científicos entre 2015 e 2020 através da plataforma da <em>Biblioteca Virtual em Saúde (</em>BVS). <strong>Resultados:</strong> Foram identificados 06 estudos que compuseram a amostra dessa revisão, organizados e tabulados para extração de dados conforme informações relevantes para solução da pergunta norteadora. <strong>Conclusão:</strong> É fundamental o tratamento restaurador adequado e de qualidade, tanto com materiais provisórios, quanto definitivos, para que assim possam fornecer longevidade aos tratamentos endodônticos.</p> 2021-01-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Revista Unimontes Científica https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/unicientifica/article/view/3392 A biossegurança em tempos de covid-19 no Curso de Odontologia da Unimontes 2020-12-03T18:19:20+00:00 Gabriel Felipe Albuquerque Barbosa gabriel-barbosa12@hotmail.com Amanda Fróes Ribeiro froesribeiro10@gmail.com Maria Cleonice de Oliveira Nobre cleonicenobre@yahoo.com.br Renata Francine Rodrigues de Oliveira renatafrancine@gmail.com Carolina de Castro Oliveira carolinadcastro@yahoo.com.br Maria de Lourdes Carvalho Bonfim malu_cb2000@yahoo.com.br Soraya Mameluque Ferreira soraya@mameluque.com.br Mânia de Quadros Coelho Pinto mania.coelho@unimontes.br <p><strong>Resumo: </strong>A pandemia pela nova cepa de coronavírus, o SARS-CoV-2, modificou a forma de atendimento de muitas profissões e serviu de alerta para a necessidade de constante atualização dos profissionais e normas de biossegurança. <em>Objetivo:</em> relatar a experiência da Comissão de Biossegurança e Infraestrutura do Curso de Odontologia da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) na atuação e criação de um novo protocolo de biossegurança durante a pandemia da COVID-19. <em>Relato de Experiência:</em> Embora existisse um manual previamente estabelecido e normatizado, tornou-se necessário o desenvolvimento de um novo documento. Foi realizada uma análise criteriosa da literatura, leis, portarias e normas técnicas do Ministério da Saúde, Secretarias Estaduais e Municipais, Protocolos de Biossegurança de outras Instituições de Ensino Superiores (IES) e de Entidades de Classe. Após diversas reuniões <em>online</em>, de março a julho de 2020, elaborou-se o Protocolo de Biossegurança do Curso de Odontologia da Unimontes em Tempos de COVID-19. <em>Conclusão:</em> Os cuidados à saúde são de extrema importância para reduzir o risco de infecção cruzada, sobretudo no momento de pandemia. Espera-se que esse documento seja utilizado na adequação do cuidado com a segurança necessária, tendo em vista a retomada das atividades presenciais do curso de Odontologia.</p> 2020-12-31T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Revista Unimontes Científica https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/unicientifica/article/view/3394 Plantão Psicológico Online em Tempos de Pandemia 2020-12-12T12:19:29+00:00 Ana Ângela Catharina Gontijo e Barcellos anacatharinabarcellos@gmail.com Marcela Luiza Lopes Ferreira marcelalopesferreira@hotmail.com.br Mayra de Aquino Mendes Santos mayrinhaaquino@yahoo.com.br César Rota Júnior cesarota@yahoo.com.br <p>O mundo enfrenta hoje um inimigo comum e invisível, o novo Coronavírus, agente causador da COVID-19, configurando-se um cenário de inúmeras mudanças e incertezas. O presente relato de experiência tem como objeto apresentação e discussão das vivências de um projeto de Plantão Psicológico idealizado e desenvolvido por um grupo de psicólogas no norte de Minas Gerais, de maneira voluntária e online. A gênese desse projeto parte da inquietação e preocupação de profissionais da psicologia, em um cenário de crise e instabilidade oriundo da pandemia, com reais mudanças estruturais na sociedade, em todos os âmbitos e com desdobramentos para a saúde mental da população. Objetivamos elucidar a importância do plantão psicológico como aparato em momento de crise e contribuições da Logoterapia e Análise Existencial na condução dos atendimentos. Através do método de análise quantitativa dos atendimentos efetuados, buscou-se apresentar o perfil dos usuários do serviço, embasada em revisão teórica acerca dos conceitos fundamentais sobre plantão psicológico e logoterapia, ressaltamos que o projeto tem se efetivado como espaço de acolhimento e cuidado para quem o solicite. Concluímos que essa modalidade configura-se como importante mecanismo de suporte e transformador de realidade e combate a crises de urgência e emergências emocionais.&nbsp;&nbsp;</p> 2020-12-31T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Revista Unimontes Científica https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/unicientifica/article/view/3353 Pandemia da Covid-19 2020-12-03T18:45:29+00:00 Fernanda Ferreira Costa ffcostaa07@gmail.com Igor Ramos Rosa igorramosr@hotmail.com Lucineia de Pinho lucineiapinho@hotmail.com Maria Luiza Pereira Dias e Silva marialuizapereiradiasesilva@gmail.com <p><strong>Resumo: </strong>a pandemia da Covid-19 vem causando consequências várias à população mundial que vão além da contaminação pelo vírus, representando, por vezes, a acentuação de problemas já enfrentados pela sociedade. <strong>Objetivo:</strong> discutir os impactos do coronavírus sobre a efetivação do Direito Humano à Alimentação Adequada (DHAA), no Brasil, perpassando por dois objetos: diminuição da renda e aumento do consumo de alimentos ultraprocessados. <strong>Metodologia:</strong> método de abordagem dedutivo, através do levantamento documental e bibliográfico de fontes secundárias, procedendo-se a pesquisa em bases de dados <em>online</em> para seleção de artigos. Ao final, pretende-se validar, ou não, as duas hipóteses levantadas. <strong>Resultados: </strong>o DHAA é um direito social cuja efetivação está a cargo do Estado. Em razão das medidas de contenção do vírus, e seus impactos nas relações de emprego, a renda de alguns brasileiros obteve considerável redução – validação da hipótese (a). Em períodos de restrição financeira, sobretudo nas regiões subdesenvolvidas há um aumento no consumo de alimentos ultraprocessados – validação parcial da hipótese (b). <strong>Considerações finais:</strong> a população brasileira, deflagrada a situação de pandemia, pode estar inserta no contexto de falsa segurança alimentar, de maneira que qualquer agravamento dessa situação configura, em verdade, o endossamento de uma realidade anterior ao vírus.</p> 2020-12-31T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Revista Unimontes Científica https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/unicientifica/article/view/3072 Enquanto espero a quarentena passar 2020-11-25T16:59:01+00:00 Joseeldo da Silva Junior joseeldojr@gmail.com Francisco Vieira da Silva francisco.vieiras@ufersa.edu.br <p><strong>Objetivo: </strong>Este artigo intenta analisar materialidades do projeto intitulado <em>Projetando Poesias</em>, de modo a investigar como se produzem estratégias discursivas e de resistência em tais dizeres. O movimento ganhou notoriedade durante o período de pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2) no contexto do distanciamento social no Brasil. As <em>projeções mapeadas (vídeo mappimngs)</em>, consideradas como uma nova prática de manifestação urbana, consistem, como o próprio nome sugere, em projetar imagens ou textos em parte de prédios ou edifícios. <strong>Metodologia:</strong> A análise dos dados segue a perspectiva dos estudos discursivos de Michel Foucault. A metodologia segue um viés descritivo-interpretativo de natureza qualitativa. <strong>Resultado:</strong> O estudo das projeções mapeadas permitiu observar a existência de estratégias discursivas nas quais o sujeito que enuncia deixa entrever uma subjetividade sufocada em tempos de confinamento social. A resistência desses dizeres reside na possibilidade de trazer a arte literária como uma possibilidade de fruição e liberdade estética numa conjuntura de isolamento, a partir da ressignificação dos espaços urbanos.</p> 2020-12-31T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Revista Unimontes Científica https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/unicientifica/article/view/3356 Manejo de Apendicite Aguda Durante a Pandemia de COVID-19 em um Hospital de Referência no Brasil 2020-12-02T18:01:41+00:00 Alice Silveira Rodrigues alicesr8@gmail.com Alice Crespo Ferreira alicecrespo22@gmail.com Deborah de Farias Lelis dehlelisfarias@gmail.com João Marcus Oliveira Andrade joao_marcus13@hotmail.com Christine Mendes Silveira citomed10@gmail.com Thaísa Soares Crespo thaisacrespo@yahoo.com.br <p>Objetivo: Comparar dados epidemiológicos e clínicos, acesso a exames diagnósticos e tempo do início dos sintomas até o tratamento cirúrgico de pacientes com apendicite aguda (AA) durante a pandemia de COVID-19 ao período correspondente do ano anterior (não pandêmico). Métodos: Trata-se de um estudo transversal, analítico e retrospectivo, realizado a partir de registros médicos de pacientes com AA em um hospital de referência em Montes Claros – Minas Gerais, Brasil. Resultados: Na vigência da pandemia, houve acréscimo de 10,7% nos casos de AA; o acesso à propedêutica não apresentou diferença estatisticamente significativa (exames laboratoriais: p = 0,059; ultrassonografia de abdome: p = 0,576 e tomografia computadorizada de abdome: p = 0,593) e o tratamento cirúrgico foi realizado em todos os pacientes com diagnóstico de AA, não sendo indicado tratamento conservador. Prevaleceram achados de AA em fases iniciais nos exames anatomopatológicos das peças cirúrgicas, sem diferença estatística nos períodos avaliados (p = 0,905). Conclusões: Apesar da sobrecarga dos serviços de saúde durante o período pandêmico, não houve diferença estatisticamente significativa dos dados epidemiológicos e clínicos, do acesso aos exames laboratoriais e de imagem, assim como da indicação e realização de procedimento cirúrgico da AA, contribuindo para o manejo dessa patologia de modo correlato ao período não pandêmico.</p> 2020-12-31T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Revista Unimontes Científica https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/unicientifica/article/view/3312 Perfil epidemiológico da COVID-19 2020-11-26T17:37:42+00:00 Kamila Teles Soares kamila.550@hotmail.com Ana Clara Soares Bicalho a.clarabicalhoo@gmail.com Haiany Arielle Cangussu Araújo haianycangussuaraujo@gmail.com Rafaella Calixto Vieira Praes rafacalixtopraes@gmail.com Tatiana Almeida Magalhães tatimagmoc@gmail.com Andréa Maria Eleutério de Barros Lima Martins martins.andreamebl@gmail.com Desirée Sant'Ana Haikal desireehaikal@gmail.com <p><strong><em>Resumo: </em>Objetivo: </strong>Descrever dados epidemiológicos relativos à pandemia da COVID-19 em Montes Claros, criando um paralelo entre o município, o estado de Minas Gerais e o Brasil. <strong>Métodos: </strong>Estudo descritivo baseado na coleta diária de dados epidemiológicos disponibilizados nos sites oficiais do Ministério da Saúde, Secretaria do Estado de Saúde de Minas Gerais e de Montes Claros entre os dias 29 de março e 17 de agosto. Além disso, foi criado um paralelo entre duas datas especificas, com um intervalo de 45 dias. <strong>Resultados: </strong>Em 30 de junho Montes Claros e Minas Gerais apresentavam um quadro epidemiológico melhor que o Brasil, realidade que se alterou no dia 17 de agosto. Também foi observada uma inversão no perfil epidemiológico dos casos confirmados, nas três localidades mas o perfil dos óbitos se manteve. <strong>Conclusão: </strong>Acredita-se que este estudo possa contribuir com o entendimento do quadro epidemiológico da COVID-19 em Montes Claros de forma contextualizada.</p> 2020-12-31T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Revista Unimontes Científica https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/unicientifica/article/view/3333 Implicações da pandemia da covid-19 nos hábitos alimentares 2020-11-24T02:28:11+00:00 Sabrina Alves Durães nutri.sabrinaalves@gmail.com Thaís Souto Souza thaissoutosouza@gmail.com Yves André Rodrigues Gome yvesandrerg@gmail.com Lucineia de Pinho lucineiapinho@hotmail.com <p><strong>Objetivo:</strong> Sistematizar conhecimentos sobre as implicações da pandemia do COVID-19 nos hábitos alimentares. <strong>Método:</strong> Este estudo constitui uma revisão integrativa desenvolvida a partir da seleção sistemática da literatura científica voltada para os efeitos da pandemia do COVID-19 na alimentação. A coleta de dados foi realizada no período de 11 de agosto a 19 de setembro de 2020, onde a busca bibliográfica dos artigos se deu nas bases de dados Scielo, PubMed, BVS, Medline e LILACS. <strong>Resultados e Discussão: </strong>Foram selecionados 31 artigos para leitura e fichamento, por estarem dentro da temática proposta. As restrições provocadas pelo isolamento resultaram em consequências na saúde mental, no estilo de vida e hábitos alimentares, redução no consumo de alimentos in natura e ganho de peso. Em contrapartida, notou-se padrões opostos entre as pesquisas, onde houve uma maior ingestão de vegetais/frutas e menor consumo de junk food, redução no consumo de bebidas alcoólicas e comportamentos alimentares mais saudáveis quando comparados aos hábitos anteriores. <strong>Considerações Finais: </strong>Neste contexto, vê-se a necessidade de novos estudos que avaliem a qualidade nutricional da alimentação durante e pós pandemia e a inserção de ações e programas intensivos que atuem como forma de promover suporte para uma dieta saudável e variada.</p> 2020-12-31T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Revista Unimontes Científica https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/unicientifica/article/view/3086 Covid-19: Procedimentos Minimamente Invasivos Em Odontopediatria 2020-12-16T19:17:34+00:00 Laura Marcelly Teixeira Gomes laura.marcelly98@gmail.com Alice Duarte Santos Veloso liceduartesv@gmail.com Antônio Cavalcanti Oliveira Filho tomcavalcanti@icloud.com Ítalo Filipe França italoff22@gmail.com Maria Fernanda Souza Ramos nandasra18@gmail.com Maria José Lages de Oliveira lagesdeoliveira@gmail.com Verônica Oliveira Dias veronicaunimontes@yahoo.com.br <p>Em meio à pandemia da doença Coronavírus (COVID-19), a prática odontopediátrica passa por novo cenário, considerando que crianças podem ser portadoras assintomáticas do vírus e o ambiente odontológico considerado um local de risco. Procedimentos odontológicos envolvem exposição à saliva e secreções nasofaríngea, produção de aerossóis e gotículas, fontes de transmissão. Além dos cuidados de biossegurança comuns nos consultórios e dos recomendados pela Organização Mundial da Saúde contra o Coronavírus, procedimentos odontológicos minimamente invasivos visando reduzir ou eliminar a produção dos aerossóis adquirem neste momento grande importância. <strong>Objetivo:</strong> Apresentar revisão bibliográfica narrativa sobre procedimentos minimamente invasivos utilizados na Odontopediatria diante da pandemia da COVID-19. <strong>Método:</strong> Foi realizada uma revisão da literatura utilizando à base de dados da Biblioteca Virtual em Saúde, dos últimos 10 anos, empregando os descritores: Coronavírus; COVID-19; Crianças; Odontopediatria; Tratamento conservador. <strong>Resultados:</strong> Na literatura possui diversas opções de procedimentos minimamente invasivos que podem ser usados em Odontopediatria e que cumprem eficientemente sua função diante da pandemia pela COVID-19. <strong>Conclusões:</strong> Considerando que crianças podem ser assintomáticas para COVID-19, devem ser tratadas como potenciais portadoras do vírus. Os procedimentos odontológicos minimamente invasivos, visando reduzir ou eliminar a produção dos aerossóis, são considerados uma opção de grande relevância no atual cenário.</p> 2020-12-31T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Revista Unimontes Científica https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/unicientifica/article/view/3104 Never Been Such a Clear Need For Science to Protect the Planet 2020-11-23T18:22:31+00:00 Wilson Medeiros Pereira wmpmoc@gmail.com Renato Assis Machado renatoassismachado@yahoo.com.br Daniella Reia Barbosa Martelli daniellareismartelli@yahoo.com.br Mário Sérgio Oliveira Swerts mariosergio.swerts@gmail.com Hercílio Martelli Júnior hmjunior2000@yahoo.com <p>.</p> 2020-12-31T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Revista Unimontes Científica https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/unicientifica/article/view/3349 Polypharmacy, Adverse Drug Reactions and Drug-Drug Interactions in COVID-19-Aging Patients 2020-11-26T17:39:35+00:00 Marileia Andrade marileia.andrade@unimontes.br José Henrique Pereira Pinto jhppinto@yahoo.com.br <p>Since the beginning of the Coronavirus Disease 2019 (COVID-19) pandemic, the most severe symptoms have occurred in elderly patients with comorbidities, with a higher risk of complications. Prescribed drugs, which are already part of geriatric care, associated with the experimental therapeutic drugs of COVID-19, may increase the risk of undesirable occurrences, due to the practice of polypharmacy, with the possibility of emergence of inappropriate adverse events and drug interactions. This can increase the risk of worsening the clinical picture, impairment of the general condition, intensification of inflammation and associated unfavorable conditions, incurring the highest probability of mortality.</p> 2020-12-31T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Revista Unimontes Científica