Desenvolvimento de um programa de computador para levantamentos epidemiológicos sobre condições de saúde bucal

Autores

  • Andréa Maria Eleutério de Barros Lima Martins Doutora em Saúde Pública / Epidemiologia - Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG. Professora da Unimontes
  • Carlos Alberto Quintão Rodrigues Mestre em Ciências da Saúde - Unimontes. Professor da Unimontes.
  • Desirée Sant` Ana Haikal Mestre em Odontologia em Saúde Coletiva. Professora da Unimontes.
  • Marise Fagundes Silveira Doutoranda no Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva - Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP. Professora da Unimontes.
  • Danilo Cangussu Mendes Mestre em Cuidado Primário em Saúde - Unimontes.
  • Michelle Pimenta Oliveira Mestre em Cuidado Primário em Saúde - Unimontes
  • Agnaldo Ferreira Andrade Graduado em Engenharia da Computação - Faculdade de Ciência e Tecnologia de Montes Claros.
  • Carolina Vieira de Freitas Graduada em Odontologia - Unimontes.
  • Isabela Almeida Pordeus Doutora em Epidemiology and Public Health - University College London. Professora titular em Odontopediatria da UFMG.

Palavras-chave:

Inquéritos Epidemiológicos. Software. Coleta de dados. Saúde Bucal.

Resumo

Objetivos: Apresentar o desenvolvimento e o desempenho em campo do Programa Coletor de Dados em Saúde – PCDS,
concebido para uso no Levantamento Epidemiológico das Condições de Saúde Bucal da População de Montes Claros/MG, inquérito
com amostra probabilística de 4.852 indivíduos, realizado em 2008/2009. Metodologia: O desenvolvimento do PCDS iniciouse com uma revisão de literatura para a identificação e escolha de instrumentos a serem utilizados no inquérito epidemiológico.
Em seguida, realizou-se a programação em linguagem computacional Java e os testes de desempenho na coleta e construção do
banco de dados. Resultados: O PCDS contou com 433 variáveis que abrangem os instrumentos validados e testados na busca de
informações referentes às condições normativas e subjetivas de saúde bucal, além de fatores relacionados a essas condições. A
programação contemplou as possibilidades de seleção automática das variáveis específicas para cada faixa etária ou idade índice
no inquérito, recursos para impedir respostas em branco, a geração de respostas automáticas frente às questões interdependentes
e o reconhecimento de incoerências mediante respostas contraditórias durante a coleta de dados. Constatou-se maior validade no
levantamento epidemiológico conduzido, pois a possibilidade de erros de digitação na construção do banco de dados e a dificuldade
de reconhecimento de informações verificadas nas coletas tradicionais foram minimizadas. Conclusões: O PCDS, utilizado na coleta
de dados de 4.508 indivíduos, foi efetivo e de fácil manuseio, ampliou a validade da pesquisa e agilizou a construção do banco de
dados

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. OLIVEIRA, A. G. R. C. et al. Levantamentos
epidemiológicos em saúde bucal: análise da
metodologia proposta pela Organização Mundial
da Saúde. Revista Brasileira de Epidemiologia,
Rio de Janeiro, v. 1, n. 2, p. 177-89, 1998.
2. WORLD HEALTH ORGANIZATION.
Oral health surveys: basic methods. 4. ed.
Geneve: World Health Organization; 1997.
3. RONCALLI, A. G. et al. Projeto SB 2000: uma
perspectiva para a consolidação da epidemiologia em
saúde bucal coletiva. Revista Brasileira de Odontologia
em Saúde Coletiva, Florianópolis, v. 1, n. 2, p. 9-25, 2000.
4. MARTINS, A. M. E. B. L. et al.
Levantamentos Epidemiológicos Brasileiros das
Condições de Saúde Bucal. Unimontes Científica,
Montes Claros, v. 7, n. 1, p. 55-66, 2005.
5. BRASIL. Ministério da Saúde – Coordenação
Nacional de Saúde Bucal. Projeto Técnico do
SB Brasil 2010: Pesquisa Nacional de Saúde
Bucal. Brasília – DF, 2009. Disponível em: http://
www.sbbrasil2010.org. Acesso em: 22 Set 2010.
6. ––––––. Ministério da Saúde. Secretaria
de Políticas de Saúde. Departamento de Atenção
Básica. Área Técnica de Saúde Bucal. Projeto
SB2000: condições de saúde bucal da população
brasileira no ano 2000. Manual de calibração de
examinadores. Brasília: Ministério da Saúde, 2001.
7. ––––––. Ministério da Saúde – Coordenação
Nacional de saúde Bucal. Resultados Principais do
Projeto SB Brasil 2003: Condições de Saúde Bucal da
população Brasileira 2002-2003. Brasília-DF, 2004.
8. BREGA J. R. F. et al. Levantamento
Epidemiológico em Saúde Bucal Utilizando
Ferramentas Móveis. In: Congresso Brasileiro de
Informática na Saúde, 2008, Campos do Jordão.
Anais do Congresso Brasileiro de Informática na
Saúde, 2008. Disponível em: http://www.sbis.org.br/
cbis11/arquivos/814.pdf. Acesso em 15 Abr. 2010.
9. PEREIRA, R. C.; MOREIRA, P. R. C. Sistema
Automatizado para Levantamento Epidemiológico
em Saúde Bucal. In: XXI Congresso de Iniciação
Científica da UNESP, 2009, São José do Rio Preto.
Anais do Congresso de Iniciação Científica da UNESP,
2009. Disponível em: http://prope.unesp.br/xxi_
cic/27_23003739808.pdf. Acesso em: 18 Abr. 2010.
10. VASCONCELLOS, M. M.; MORAES, I. H. S.;
LEAL, M. T. Política de saúde e potencialidades de uso
das tecnologias de informação. Revista Saúde em Debate,
Rio de Janeiro, v. 26, n. 61, p. 219-235, mai-ago, 2002.
11. GILBERT, D. Bioinformatics software
resources. Briefings in Bioinformatics,
Oxford, UK, v. 5, n. 3, p. 300–304, sept. 2004.
12. MORAES, I. H. S.; GOMEZ, M. N. G.
Informação e informática em saúde: caleidoscópio
contemporâneo da saúde. Ciência & Saúde Coletiva
[online], Rio de Janeiro, v. 12, n. 3, June 2007.
Disponível em: <http://www.scielosp.org/ scielo.
php?pid=S1413-81232007000300002&script=sci_
pdf&tlng=pt>. Acesso em: 20 Abr. 2010.
13. TRINDADE, E. A incorporação de novas
tecnologias nos serviços de saúde: o desafio da análise
dos fatores em jogo. Cadernos de Saúde Pública,
Rio de Janeiro, v. 24, n. 5, p. 951-964, mai. 2008.
14. SOUSA TA, AGNER L. Design de Interação
para Sistemas de Apoio a Pesquisas Domiciliares
com Utilização de Dispositivos Móveis. In: 2º EBAI
– Encontro Brasileiro de Arquitetura de Informação,
2008, São Paulo. Anais do 2º Encontro Brasileiro de
Arquitetura de Informação [online], 2008. Disponível
em: http://www.congressoebai.org/wp-content/
uploads/ebai08/5.pdf. Acesso em: 10 nov. 2010.
15. IBGE. Apresentação do Censo 2010. [online] http://
www.ibge.gov.br/censo2010 Acesso em: 10 nov. 2010.
16. MARTINS, A. M. E. B. L.; BARRETO, S. M.;
PORDEUS, I. A. Auto-avaliação de saúde bucal em idosos:
análise com base em modelo multidimensional. Cadernos
de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 25, n. 2, fev. 2009.
17. MOREIRA, R. S.; NICO, L. S.; SOUSA, M. L. R.
Fatores associados à necessidade subjetiva de tratamento
odontológico em idosos brasileiros. Cadernos de Saúde
Pública, Rio de Janeiro, v. 25, n. 12, dez. 2009.
18. PATTUSSI, M. P. et al. Self-rated oral
health and associated factors in Brazilian elders.
Community Dentistry and Oral Epidemiology,
v. 38, n. 4, p. 348–359, August 2010.
19. NARVAI, P. C. et al. Diagnóstico da
cárie dentária: comparação dos resultados de
três levantamentos epidemiológicos numa
mesma população. Revista Brasileira de
Epidemiologia, São Paulo, v. 4, n. 2, Aug. 2001.
20. MARTINS, A. M. E. B. L.; BARRETO,
S. M.; PORDEUS, I. A. Fatores relacionados
à autopercepção da necessidade de tratamento
odontológico entre idosos. Revista de Saúde
Pública, São Paulo, v. 42, n. 3, p. 487-96, jun. 2008.
21. Organização Mundial da Saúde. Levantamento
epidemiológico básico de saúde bucal: manual de
instruções. 3ª ed. São Paulo: Editora Santos; 1991.
22. FRIAS, A. C.; ANTUNES, J. L. F.; NARVAL, P. C.
Precisão e validade de levantamentos epidemiológicos
em saúde bucal: cárie dentária na cidade de São
Paulo, 2002. Revista Brasileira de Epidemiologia,
São Paulo, v. 7, n. 2, p. 144-54, jun. 2004.
23. GILBERT, G. H.; FOERSTER, U.;
DUNCAN, R. P. Satisfaction with chewing ability
in a diverse sample of dentate adults. Journal of
Oral Rehabilitation, v. 25, n. 1, p. 15-27, 1998.
24. MARTINS, A. M. E. B. L. et al. Autopercepção
da saúde bucal entre idosos brasileiros. Revista de
Saúde Pública, São Paulo, v. 44, n. 5, Oct. 2010.
25. FOLSTEIN, M. F.; FOLSTEIN, S. E.; MCHUGH,
P. R. “Mini-mental state”. A practical method for grading
the cognitive state of patients for the clinician. Journal
of Psychiatric Research, v. 12, n. 3, p. 189-98, 1975.
26. GOLDBERG, D. P.; HILLIER, V. F. A
scaled version of the general health questionnaire.
Psychological Medicine, v. 9, p. 139-45, 1979.
27. WARE Jr., J. E.; SHERBOURNE, C. D.
The MOS 36-Item Short-Form Health Survey (SF36): I. Conceptual Framework and Item Selection.
Medical Care, v. 30, n. 6, p. 473-483. 1992.
28. SLADE, G. D. Derivation and valuation of a shortform oral health impact profile. Community Dentistry
and Oral Epidemiology, v. 25; p. 284-290, 1997.
29. CICONELLI, R. M. et al. Tradução para
a língua portuguesa e validação do questionário
genérico de avaliação de Qualidade de Vida
SF-36 (BRASIL SF-36). Revista Brasileira de
Reumatologia, v. 39, n. 3, p. 143-59, mai/jun 1999.
30. BRUCKI, S. M. D. et al. Sugestões para o uso do MiniExame do Estado Mental no Brasil. Arquivos de NeuroPsiquiatria, São Paulo, v. 61, n. 3-B, p. 777-781, 2003.
31. CAMELIER, A. A. Avaliação da Qualidade de
Vida Relacionada à Saúde em Pacientes com DPOC:
Estudo de base populacional com o SF-12 na cidade de São
Paulo-SP. 2004. 154 fls. Tese (Doutorado em Ciências),
Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP. São Paulo.
32. DE OLIVEIRA, B. H.; NADANOVSKY, P.
Psychometric properties of the Brasilian version of the oral
Health Impact Profile-Short form. Community Dentistry
and Oral Epidemiology, v. 33, n. 4, p. 307-14, 2005.
33. MARTINS, A. M. E. B. L. et al. Manual de Instruções
do Projeto SBMOC: Levantamento Epidemiológico
das Condições de Saúde Bucal da População de
Montes Claros. Montes Claros: Unimontes, 2008.
34. BRASIL, Ministério do Desenvolvimento,
Indústria e Comércio Exterior. Instituto Nacional
da Propriedade Industrial. Revista da Propriedade
Industrial, Brasília, n. 1997, p. 131. 2009.
35. PESSONI, A. et al. Informação, comunicação e
saúde: o avanço tecnológico e uso de PDA (Personal
Data Assistent) no mapeamento de situações de risco
de dengue. In: XXXI Congresso Brasileiro de Ciências
da Comunicação, 2008, Natal, RN. Anais do Congresso
Brasileiro de Ciências da Comunicação, 2008. Disponível
em: http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2008/
resumos/R3-0693-1.pdf. Acesso em: 11 mai. 2011.
36. BONI, G. N. et al. Desenvolvimento de um
Software de Coleta de Dados para Pesquisas de Campo
Através de Dispositivos Móveis. In: X Congresso
Brasileiro de Informática em Saúde, 2006, Florianópolis.
Anais do Congresso Brasileiro de Informática em
Saúde, 2006. Disponível em: http://www.sbis.org.br/
cbis/arquivos/ 1004.pdf. Acesso em: 14 mar. 2011.
37. CRISPIM Jr., C.; FERNANDES, A. Análise
das Aplicações Móveis existentes na Área da Saúde.
In: X Congresso Brasileiro de Informática em Saúde,
2006, Florianópolis. Anais do Congresso Brasileiro
de Informática em Saúde, 2006. Disponível em: http://
www.sbis.org.br/cbis/arquivos/762.pdf. Acesso em: 11
mai. 2011.

Downloads

Publicado

2020-04-24

Como Citar

ELEUTÉRIO DE BARROS LIMA MARTINS, A. M. .; QUINTÃO RODRIGUES, C. A. .; SANT` ANA HAIKAL, . D. .; FAGUNDES SILVEIRA, M. .; CANGUSSU MENDES, D. .; PIMENTA OLIVEIRA, M. .; FERREIRA ANDRADE, A. .; VIEIRA DE FREITAS, C. .; ALMEIDA PORDEUS, I. . Desenvolvimento de um programa de computador para levantamentos epidemiológicos sobre condições de saúde bucal. Revista Unimontes Científica, [S. l.], v. 14, n. 1, p. 30–42, 2020. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/unicientifica/article/view/2137. Acesso em: 28 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>