Dobras incômodas: Entre corpos gordos e práticas esportivas

Uncomfortable folds: Between fat bodies and sports practices

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46551/issn2179-6807v28n1p66-83

Palavras-chave:

Esporte, Corpo, Futebol, Gênero

Resumo

O presente ensaio reflete sobre corpos gordos no esporte moderno, que extrapolam os padrões impostos por um sistema capitalista altamente regulador das subjetividades. Os corpos desejáveis não são apenas produtivos, mas também vendáveis e carregam consigo representações classistas e racializadas. Analisamos as pressões relacionadas à estética e à performance impostas a atletas na atualidade, questionando a ideia de performance ligada ao corpo magro e jovem. Consideramos que o corpo gordo historicamente passou não apenas por julgamentos morais relacionados à forma física, mas também relacionados a status social, sendo até o século XIX considerado símbolo de poder financeiro e político. A partir de casos amplamente divulgados na mídia, parte-se da análise de críticas a três futebolistas da seleção brasileira e, posteriormente, reflete-se sobre modalidades em que a gordura corporal pode ser considerada positiva ou até mesmo aceitável, como no handebol e jiu-jitsu.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cláudia Samuel Kessler, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Doutora em Antropologia Social pela UFRGS. Professora na Universidade Federal de Santa Maria. E-mail: jornalista24h@hotmail.com. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-1292-6914.

Viviane Teixeira Silveira, Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT)

Professora na Universidade do Estado de Mato Grosso. E-mail: viviane.silveira@unemat.br. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-4383-7412.

Referências

AHMED, Murad. Brazil’s Ronaldo on owning a club, fame and playing under Berlusconi. Financial Times. 10 mai 2019. Disponível em: https://www.ft.com/content/de15acf8-70e7-11e9-bbfb-5c68069fbd15. Acesso: 20 jul 2022.

ALVES, Camila Aloisio; GUILHERME, Alexandre Anselmo; SANTOS, Lara Vedovatto. Expressões da violência associada ao corpo gordo: Uma revisão bibliográfica qualitativa. Revista Polis e Psique, v. 13, n. 2, p. 160-183, 2021.

ANDRADE, Sandra dos Santos. Saúde e beleza do corpo feminino: algumas representações no Brasil do Século XX. Movimento, Porto Alegre, v. 9, n. 1, p. 119-143, 2003.

CALLAHAN, Alice. ¿El Índice de Masa Corporal es un cálculo engañoso? The New York Times. 21 mai 2021. Disponível em: https://www.nytimes.com/es/2021/05/21/espanol/IMC-formula.html. Acesso: 22 jul 2022.

CAPRIGLIONE, Laura. Cor de celebridades revela critérios 'raciais' do Brasil. Folha. 23 nov. 2008. Disponível em https://www1.folha.uol.com.br/fsp/especial/fj2311200827.htm. Acesso: 19 jul. 2022.

FISCHLER, C. Obeso benigno, obeso maligno. In: SANT’ANNA, D. B. (org.). Políticas do Corpo: Elementos para uma história das práticas corporais. São Paulo: Estação Liberdade, 1995, p. 69-80.

FRAGA, Alex Branco. El sedentarismo es... Saúde e Sociedade, São Paulo, v.25, n.3, p.716-720, 2016.

GABI GARCIA a faixa preta de jiu jitsu que é uma campeã dentro e fora dos tatames. 10 set 2015. Disponível em: https://bjjfanatics.com.br/blogs/news/gabi-garcia . Acesso 29 jul 2022.

GOLEIRA “gordinha” de Angola é melhor que Neymar para a torcida brasileira. 9 ago. 2016. UOL. Disponível em: http://olimpiadas.uol.com.br/noticias/redacao/2016/08/09/goleira-gordinha-de-angola-e-melhor-que-neymar-para-torcida-brasileira.htm . Acesso 16 jul 2022.

GORDINHA sensação do handebol admite que sobrepeso atrapalha, mas ignora regime. 11 ago. 2016. ESPN. Disponível em: http://www.espn.com.br/noticia/621119_gordinha-sensacao-do-handebol-admite-que-sobrepeso-atrapalha-mas-ignora-regime . Acesso 17 jul. 2022.

‘GORDINHOS OLÍMPICOS’, apesar de exercício, ainda correm risco de saúde. 18 agos 2016. UOL. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2016/08/1804197-gordinhos-olimpicos-apesar-de-exercicio-ainda-correm-risco-de-saude.shtml . Acesso 16 jul 2022.

GORDOFOBIA: Goleira Bárbara é chamada de ‘porca de suéter’ por jornalista holandês. 27 jul 2021. UOL. Disponível em: https://cultura.uol.com.br/olimpiadas/noticias/2021/07/27/442_gordofobia-goleira-barbara-e-chamada-de-porca-de-sueter-por-jornalista-holandes.html. Acesso 20 jul. 2022.

IMPERADOR, Adriano. O Adriano Tem Uma História Para Contar. The Players Tribune. 11 mai. 2021. Disponível em: https://www.theplayerstribune.com/br/posts/adriano-imperador-tem-uma-historia-para-contar-carta. Acesso: 20 jul 2022.

JIMENEZ, M.L.J. Gordofobia: injustiça epistemológica sobre corpos gordos. Epistemologias do Sul, v. 4, n. 1, p. 144-161, 2020.

JIMENEZ, Maria; SILVA, Marcelle. Feminismo gordo: sexo, desejo e prazeres revolucionários. Revista Ártemis, v. XXXI, n. 1, p. 322-335, 2021.

KNIJNIK, Jorge; SIMÕES, Antonio Carlos. Ser é ser percebido: uma radiografia da imagem corporal das atletas de handebol de alto nível no Brasil. Revista Paulista de Educação Física, v.14, n.2, p.196-213, 2000.

LA MUTACIÓN de la 'She-Hulk' del MMA: Gabi García es 'La Gigante' de las Artes Marciales Mixtas. Marca. 24 fev. 2021. Disponível em: https://www.marca.com/buzz/2021/02/23/6034cb4a46163f3f7d8b456c.html. Acesso: 14 jul. 2022.

LE BRETON, David. Adeus ao corpo: antropologia e sociedade. Campinas: Papirus, 2003.

MATOS, Keyte dos S.; ZOBOLI, Fabio; MEZZAROBA, Cristiano. O corpo obeso: um corpo deficiente? Considerações a partir da mídia. Anais do IX SEF - Semana de Educação Física. Universidade Federal de Sergipe, 10 a 13 de abril de 2012.

MÉDICO AFIRMA QUE Ronaldo perdeu 30 quilos quando jogou no Corinthians. Veja São Paulo. 5 dez. 2016. Disponível em: https://vejasp.abril.com.br/cidades/medico-afirma-que-ronaldo-perdeu-30-quilos-quando-jogou-no-corinthians/ . Acesso 20 jul 2022.

MIRANDA, Andreza. Goleira da seleção feminina troca ofensas com atleta paralímpica em discussão nas redes sociais. BHAZ. 28 jul 2021. Disponível em: https://bhaz.com.br/noticias/esportes/andrea-pontes-barbara-barbosa-trocam-ofensas-instagram/#gref . Acesso: 21 jul. 2022.

ORAKA, Claudia S.; FAUSTINO, Deivison M.; OLIVEIRA, Elda; TEIXEIRA, João A.; SOUZA, Alex Sander P.; LUIZ, Olinda do C. Raça e obesidade na população feminina negra: uma revisão de escopo. Saúde e Sociedade, v. 29, n. 3, 11 Nov 2020.

RICH, Adrienne. Heterossexualidade compulsória e existência lésbica. Bagoas, n. 5, p. 17-44, 2010.

RUSSO, Renata. Imagem corporal: construção através da cultura do belo. Revista Movimento & Percepção, v. 5, n. 6, p. 80-90, 2005.

SÁNCHEZ, Gabriela Quirós. Gordofobia: existencia de un cuerpo negado. Análisis de las implicaciones subjetivas del cuerpo gordo en la sociedad moderna. Revista Latinoamericana de Derechos Humanos, v. 32, n. 1, p. 1-11, 2021.

SANT'ANNA, Denise Bernuzzi. Gordos, magros e obesos: uma história do peso no Brasil. 1 ed. São Paulo: Estação Liberdade, 2016.

SANT'ANNA, Denise Bernuzzi. História da beleza no Brasil. São Paulo: Editora Contexto, 2014.

SANTOLIN, Cezar Barbosa; RIGO, Luiz Carlos. O nascimento do discurso patologizante da obesidade. Movimento , v. 21, n. 1, p. 81-94, 2015.

SCHPUN, Mônica Raisa. Cultura física e comportamento em São Paulo nos anos 20. 1 ed. São Paulo: Senac, 1997.

SOUZA, Valdelice Cruz da Silva; GONÇALVES, Josiane Peres. Relações entre gordofobia e teoria histórico-cultural: interfaces com a educação. Itinerarios Reflectionis, v. 17, n. 2, p. 1-18, 2021.

STRINGS, Sabrina. A origem racista da gordofobia. Traduzido por Carol Correia. Medium. 4 set 2020. Disponível em: https://solemgemeos.medium.com/a-origem-racista-da-gordofobia-c9bb727b9ffe. Acesso: 1 ago 2022.

Downloads

Publicado

2022-08-19

Como Citar

KESSLER, C. S.; TEIXEIRA SILVEIRA, V. Dobras incômodas: Entre corpos gordos e práticas esportivas: Uncomfortable folds: Between fat bodies and sports practices. Revista Desenvolvimento Social, [S. l.], v. 28, n. 1, p. 66–83, 2022. DOI: 10.46551/issn2179-6807v28n1p66-83. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/5674. Acesso em: 1 dez. 2022.