Dilemas e desafios do Programa Saúde da família em Bocaiúva-MG

Autores

  • Liliane Souto Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES
  • Sandra Célia Muniz Magalhães Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES

Palavras-chave:

Bocaiúva. Território. Saúde. Programa Saúde da Família - PSF

Resumo

Tendo em vista o cenário atual da saúde no Brasil, faz se necessárias mudanças nas práticas de saúde, neste contexto, o Programa Saúde da Família- PSF
surge como estratégia de mudança, centrado na atenção a família, focando a prevenção de doenças e promoção à saúde. Dessa forma este artigo tem como objetivo discutir a importância do território associado às perspectivas da proposta de saúde do PSF, enfatizando o município de Bocaiúva. Os procedimentos metodológicos foram revisão bibliográfica e documental, pesquisas informais com a finalidade de obter informações relacionadas à saúde e em especial aos PSFs de Bocaiúva, foram realizados ainda trabalhos de campo nos PSFs Bonfim, Esperança, Pernambuco, Renovação para avaliar o funcionamento e obter dados, documentos e mapas das áreas de atuação desses PSFs. È fundamental que a ciência geográfica seja identificada em toda a
estrutura do trabalho uma vez que a contribuição dessa ciência é infinita para a evolução do homem e a dinâmica que envolve sua sobrevivência. Nesse sentido as informações fornecidas por este trabalho poderão servir de base para futuros estudos e novas ações do programa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Liliane Souto, Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES

Graduada em Geografia pela Universidade Estadual de Montes Claros – UNIMONTES.

Sandra Célia Muniz Magalhães, Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES

Mestre em Geografia. Professora do Departamento de Geociências. Universidade Estadual de
Montes Claros – UNIMONTES.

Referências

ALBUQUERQUE. M. V. de. Território usado e saúde: respostas do Sistema único de Saúde a situação geográfica da metropolização em Campinas-SP. 2006 (dissertação). FFLCHUniversidade de São Paulo. São Paulo, 2006.

ANDRADE, M. C. de. Territorialidades, Desterritorialidades, Novas Territorialidades: Os Limites do Poder Nacional e do Poder Local. In: SANTOS, M. (Org.) et al. Território Globalização e Fragmentação. São Paulo. Hucitec, 1994.

BARCELLOS, C. (org.) A Geografia e o contexto dos problemas de saúde. Rio de Janeiro: Abrasco: ICIT: EPSJV, 2008.

BATISTELLA C.et al. Educação Profissional e Docência em Saúde: A formação e o trabalho do agente comunitário de saúde. O Território e o Processo Saúde - Doença. – Rio de Janeiro: EPSJV/Fiocruz, 2007.

BOCAIÚVA. Prefeitura Municipal. Plano Municipal de Saúde. Bocaiúva, 2000.

________. Museu Municipal de Bocaiúva, 2009.

________. Secretaria Municipal de Saúde. Plano Municipal de Saúde: Período 2002-2004

BRASIL. Constituição Federal (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Ministério da Saúde. Sistema de Informação e Atenção Básica (SIAB), indicadores 2002 a 2006.

________. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. SUS: avanços e desafios. / Conselho Nacional de Secretários de Saúde. – Brasília: CONASS, 2006.

CARVALHO NILSON MAESTRI. Os Territórios da Saúde e Saúde dos Territórios: Discutindo o Processo de Territorialização em Saúde a partir do caso de um Serviço de Atenção Primaria em Porto Alegre, RS. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre: 2003.

FONSECA, A. F.; CORBO, A. M.D.(org.) O território e o processo saúde-doença. Rio de Janeiro: Ed. Fundação Getulio Vargas, 2007.

GIL, A. C; LICHT R. H. G; YAMAUCHI N. I. Regionalização da saúde e consciência regional. Hygeia, Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, Uberlândia, dez. 2006. Disponível em: <http://www.hygeia.ig.ufu.br/>. Data de acesso: 2009.

GONDIM G. M. M. et al. O território da Saúde: A organização do sistema de Saúde e a Territorialização. 2002.

HAESBAERT, ROGÉRIO. Da Desterritorialização à Multiterritorialidade. Anais do X Encontro de Geógrafos da América Latina - 20 a 26 de março. Universidade de São Paulo, 2005.

________. Concepções de Território para entender a Desterritorialização. In: SANTOS, MILTON. I. E DE et al (orgs). Território, Territórios: Ensaio sobre o ordenamento territorial. 2º ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2000.

LEAL, A. A. Reflexões Sobre as Categorias Geográficas: Território, Desterritorialização, Reterritorialização e Multiterritorialização. (Monografia). Departamento de Geografia. Universidade Estadual de Montes Claros – UNIMONTES.

Minas Gerais, 2007.

LEMOS M. M.de V. Atlas de Minas Gerais: A Saúde E O Social Sob A Luz do Plano Diretor de Regionalização. 2005. (Dissertação de Mestrado) Universidade Estadual de Uberlândia, UBERLÂNDIA, 2005.

MENDES, E. V. (Org). A construção social da vigilância à saúde no Distrito Sanitário. In: MENDES, E. V. A Vigilância à Saúde no Distrito Sanitário. Série Desenvolvimento de Serviços de Saúde. 1993.

MINAS GERAIS. Secretaria de Estado de Minas Gerais, PSF: Uma estratégia de mudança do modelo de saúde passos para a implantação no município. Belo Horizonte, 1997.

MONKEN, M. & BARCELLOS, C. Vigilância em saúde e território utilizado: possibilidades teóricas e metodológicas. Cad. Saúde Pública, 2005.

PAIM, J. S. Gestão de atenção Básica nas Cidades. In: NETO, E. R. E. R; BÓGUS, C. M. Saúde nos aglomerados urbanos: uma visão integrada. Brasília. Organização Pan-Americana de saúde, 2003 b. p.183-210.

PEREIRA Martha Priscila Bezerra & BARCELLOS Christovam. O Território no Programa de Saúde da Família. Hygeia, Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, junho 2006.

RIBEIRO, A. C. T. Regionalização: fato e ferramenta. In: LIMONAD, E.; HAESBAERT, R.; MOREIRA, R. (Org.). Brasil, século XXI – Por uma Nova Regionalização: Agentes, processos e escalas. São Paulo: Max Limonad, 2004.

RIBEIRO, E. M. F. Bocaiúva: Sociedade e Espaço. Belo Horizonte: Granphilivros editores Ilta, 1998.

SANTOS M. A Natureza do Espaço. Técnica e tempo. Razão e Emoção. São Paulo: Editora da Universidade Estadual de São Paulo, 1999.

________. O dinheiro e o território. Universidade de São Paulo. Território e dinheiro: definições geográficas – Ano. 1 – No 1 –1999.

________. O Retorno do Território. In SANTOS, M. et al. (orgs). Território: Globalização e Fragmentação. São Paulo: Hucitec e Anpur. 1994.

SANTOS, S. M.; BARCELLOS, C.(org.) Abordagens Espaciais na Saúde Pública. Brasília: Ministério da Saúde,2006.

SOUSA MARIA DE FÁTIMA. A Cor-Agem do PSF. São Paulo: Hucitec, 2001.

TREVISAN, L.N. & JUNQUEIRA, L. A. P. Construindo o “pacto de gestão” no SUS: da descentralização tutelada à gestão em rede. Ciência & Saúde Coletiva, 2007.

VASCONCELOS, M. P. C. Reflexões sobre a Saúde da Família In: MENDES, E.V. A Organização da Saúde no nível Local. São Paulo: Hucitec, 1998.

Downloads

Publicado

2009-12-31

Como Citar

SOUTO, L.; MAGALHÃES, S. C. M. Dilemas e desafios do Programa Saúde da família em Bocaiúva-MG. Revista Cerrados, [S. l.], v. 7, n. 01, p. 41–62, 2009. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/2948. Acesso em: 23 maio. 2024.