https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/issue/feed Revista Cerrados 2020-08-26T19:25:34+00:00 Luiz Andrei Gonçalves Pereira revista.cerrados@unimontes.br Open Journal Systems <div id="journalDescription"> <p>A Revista Cerrados é um periódico de publicação em fluxo contínuo do Programa de Pós-Graduação em Geografia e do Departamento de Geociências da Universidade Estadual de Montes Claros – Unimontes, que busca publicar os trabalhos científicos de interesse da ciência geográfica e de áreas afins.</p> </div> https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/1953 Redes organizacionais, sinergias locais e interações espaciais: o projeto Granja Marileusa e a atuação do Grupo Algar em Uberlândia (MG) 2020-05-13T23:16:28+00:00 Fernando Fernandes de Oliveira fernando.oliveira@ifgoiano.edu.br Denis Castilho deniscastilho@hotmail.com <p>No âmbito da reestruturação técnico-científica, a organização em rede é baseada na premissa das sinergias locais, da flexibilidade, da cooperação e das interações espaciais. Este texto discute as estratégias de ação do Grupo Algar, uma corporação sediada em Uberlândia (MG), no arranjo de redes organizacionais correlatas às suas principais atividades. Em vista disso, analisa o comando de programas de inovação aberta e os esforços para fomentar, na mencionada cidade, qualificações e sinergias profícuas ao próprio funcionamento. Sobre esse último ponto, a estratégia segue vinculada à prática de incorporação imobiliária que, a partir da refuncionalização de uma gleba periurbana pertencente ao próprio grupo, deu origem ao projeto imobiliário denominado Granja Marileusa. Esse projeto revela uma importante estratégia que potencializa as interações, alimenta efeitos de proximidade, de conexão e de inovação. Frente ao arrefecimento da produção industrial e/ou da venda de bens ligados ao mercado primário, evidencia especialmente uma prática que mira a valorização do capital fundiário angariado nos auspícios do mercado imobiliário.</p> 2020-07-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Revista Cerrados https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/1931 Caracterização Geológica/Geomorfológica da escarpa erosiva do Sítio Arqueológico Cemitério Caixa D’água, vale do São Francisco, Buritizeiro-MG/BR 2020-05-11T14:21:41+00:00 Hernando Baggio Filho hbaggio@ufvjm.edu.br Matheus Simões Santos suehtamespeleo@yahoo.com.br Adolf Heinrich Horn hahorn@ufmg.br Thiago Martins da Costa thiagocostam@hotmail.com <p>O trabalho teve como meta, a caracterização geológica e geomorfológica da escarpa de linha de falha erosiva do sitio arqueológico Cemitério Caixa d’Água, localizado no Município de Buritizeiro – Norte do Estado de Minas Gerais, a partir da aplicação de parâmetros geomorfológicos, da análise regional litoestrutural, estratigráfica e sedimentar. Geologicamente, a área de estudo encontra-se localizada nos domínios do Grupo Bambuí – Neoproterozoico, as litofácies podem ser interpretadas como um sistema deposicional deltaico. O sítio encontra-se inserido dentro de uma feição morfoescultural denominada escarpa de linha falha erosiva, onde os elementos da escarpa encontram-se bem definidos. Através da caracterização do meio físico, pôde-se compreender melhor a morfoestrutura e morfodinâmica ocorrida na região, principalmente na escarpa de linha de falha erosiva.</p> 2020-07-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Revista Cerrados https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/1037 A importância do território em ações de vigilância em saúde 2020-05-21T19:27:56+00:00 Aline Fernanda Cardoso alinecardoso1@outlook.com.br Valéria Aparecida Moreira Costa valleriamoreira@outlook.com Cássio Alexandre da Silva cassioas27@gmail.com <p>As condições de vida das pessoas e suas interações com meio econômico, social e territorial estão intimamente ligadas ao risco e consequentemente ao processo saúde-doença. O conhecimento da dinâmica social em determinado território, os hábitos e costumes é de fundamental relevância para determinar as vulnerabilidades para a saúde. O objetivo deste trabalho é discutir a importância dos estudos de territórios como estratégia em ações de vigilância em saúde. A metodologia constituiu em revisão bibliográfica sobre a categoria em foco, autores como (RAFFESTIN, 1993), (HAESBAERT, 2004), (ALMEIDA, 2010), (SANTOS, 2003), e pesquisa documental em órgãos públicos como o Ministério da Saúde – MS. Conclui-se que o território torna-se uma estratégia de gestão essencial para ações em vigilância, e subsídio para as políticas de saúde que devem fundamentar-se nas particularidades dos processos territoriais, considerando que apenas os aspectos biológicos não são suficientes para a organização do sistema de atenção à saúde que atenda com eficácia as especificidades da população.</p> 2020-07-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Revista Cerrados https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/2344 O uso de Sensoriamento Remoto para estimar área plantada de cana-de-açúcar em Campos dos Goytacazes – RJ, Brasil 2020-07-17T20:57:18+00:00 Antonio Ivo Gomes Barbosa antonioivo@id.uff.br Claudio Henrique Reis claudioreis@id.uff.br José Carlos Mendonça mendonca@uenf.com Luca Lämmle lucalammle@ige.unicamp.br <p class="ResumoAbstract" style="margin-left: 0cm; line-height: normal;"><span style="font-size: 12.0pt;">O Brasil é o maior produtor de cana-de-açúcar, fato que torna importante a realização de minuciosa análise com base na área plantada para que possa ser estimada a produtividade agrícola em questão. Nesse contexto, o presente trabalho teve como objetivo realizar a estimativa da área plantada de cana-de-açúcar no município de Campos dos Goytacazes – RJ ao longo de um ano-safra por meio de Sensoriamento Remoto. A metodologia consistiu no uso das imagens do Satélite LANDSAT-8 referentes ao ano-safra 2017/2018 processadas no software livre SPRING versão 5.5.5. As ferramentas que possibilitaram a culminância do resultado final foram: interpretações visuais para delimitação das áreas de plantio e identificação das áreas onde seja permitido efetuar a queima da palha na colheita, utilizando para isto a Linguagem Espacial para Geoprocessamento Algébrico (LEGAL) em consonância com o uso dos modelos digitais de elevação ASTER, SRTM e TOPODATA. Os resultados apontaram uma área plantada de 25.238,34 hectares no referido município, dentre as quais apresentaram declividade superior a 12% entre 742,14 e 3.159,65 hectares. Os valores totais de área plantada por cana-de-açúcar divergem dos valores calculados pelo IBGE (30.000 ha) e CONAB (19.200 ha) para o referido ano-safra.</span></p> 2020-08-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Revista Cerrados https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/3037 Praça das Nações e Parque Ecológico CIMBA em Araguaína/TO: espaços públicos na Amazônia legal 2020-07-18T15:24:09+00:00 João de Deus Leite joaodedeus@mail.uft.edu.br Miguel Pacífico Filho miguilim@mail.uft.edu.br Izabel Oliveira de Moraes izabelolimoraes@yahoo.com.br <p>Particularizamos dois recortes espaciais na cidade de Araguaína/TO: Praça das Nações e Parque Ecológico Cimba, que serão pensados à luz da Análise de Discurso francesa, a partir das teorizações de Orlandi (1999) sobre a “ordem do discurso urbano”. Por meio da categoria “organização” produzimos um diálogo com teóricos da geografia e da arquitetura/urbanismo. Definimos aqueles recortes conceitualmente como espaços públicos e problematizamos como são produzidos. Recorremos a um portal de notícias local para enfocar condições de produção, perseguindo o seguinte questionamento: de que modo a ordem do discurso urbano operou efeitos na revitalização daqueles espaços? Percebe-se uma contradição nessa revitalização, já que a “organização” busca inscrever o quê, supostamente, atrapalha a ordem urbana na discursividade da expulsão. Sobre o primeiro espaço, revitaliza-se para ressignificar a infraestrutura precária e expulsar população em situação de rua. Sobre o segundo, revitaliza-se para ressignificar os “vazios urbanos”, impedindo o descarte irregular de lixo. Em ambos, as práticas sociais figuram como subterfúgio para o projeto de urbanização.</p> 2020-08-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Revista Cerrados https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/2363 O perfil dos sujeitos sociais que compõem as redes de reciclagem no Estado do Rio de Janeiro 2020-07-03T14:30:02+00:00 Uilmer Rodrigues Xavier da Cruz uilmer_rodrigues@hotmail.com <p>A construção da identidade é fruto das relações entre os indivíduos e os espaços, compondo uma dinâmica que está em contínua construção. Dessa forma, os sujeitos sociais possuem características que resultam de suas relações com os espaços e da soma das escalas imbricadas e estabelecidas em seus múltiplos relacionamentos e de diversas maneiras. Diante disso, demarca-se o propósito deste artigo: promover uma compreensão geográfica acerca de sujeitos sociais e redes e, mais especificamente, de sujeitos relacionados à Rede de Reciclagem do Estado do Rio de Janeiro (RRERJ) sobre os modos pelos quais compõem suas relações. Assim, o objetivo, aqui, é compreender as relações de poder que existem nas atividades de reciclagem e catação, observando o espaço e a construção da identidade dos sujeitos que compõem a RRERJ e lhes traçando um perfil mais detalhado. Nesse seguimento, é possível inferir que a discussão deste artigo pode levar a uma análise das relações de trabalho e da exploração dos sujeitos que trabalham na reciclagem de resíduos recicláveis, fomentando uma melhor compreensão da organização desigual do espaço.</p> 2020-08-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Revista Cerrados https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/2764 OS "SEM RIO": populações desterritorializadas pelo desastre ambiental de Mariana 2020-06-13T18:42:21+00:00 João Mendes da Rocha Neto jmdrn@uol.com.br <p>Em 2015, o Brasil foi atingido por um dos maiores desastres ambientais de sua história com a ruptura da Barragem de Fundão, no estado de Minas Gerais. O episódio descortinou uma face da apropriação do território pelas grandes corporações, enfatizando o acidente enquanto processo de desterritorialização. Nesse sentido, o presente artigo possui a intenção de discutir a desterritorialização a partir das falas de atingidos e das imagens do território, refletindo sobre múltiplas manifestações. Para tanto, foi realizada uma revisão bibliográfica com autores de campos diversos do conhecimento, que permitem o debate conceitual, mas também contribuem para contextualizar o objeto estudado. Posteriormente, caracterizou-se o evento com levantamento de dados baseados em documentos e sítios eletrônicos de órgãos governamentais que estão atuando na reparação dos efeitos do desastre. Finalmente os registros fotográficos e entrevistas in loco permitiram discutir o arcabouço conceitual e a percepção sobre evento enquanto processo de despojo territorial. As conclusões do artigo revelam a imposição da lógica territorial das mineradoras e um ambiente institucional que não consegue promover as reparações sociais e ambientais decorrentes do desastre, repercutindo em uma situação de instabilidade para os atingidos, que mescla apatia pelo território relacional perdido e esperança por uma nova territorialidade.</p> 2020-08-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Revista Cerrados https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/1177 Atributos químicos e metais pesados em solos de remanescentes florestais urbanos 2020-07-09T14:21:01+00:00 Regina Marcia Longo regina.longo@puc-campinas.edu.br Denise Helena Lombardo Ferreira lombardo@puc-campinas.edu.br Alessandra Leite da Silva alessandra_ls@yahoo.com Júlio César Penereiro jcpenereiro@yahoo.com.br Deborah Regina Mendes deborahmendes56@gmail.com <p>Apesar de legislações que promovem a proteção de determinadas áreas relevantes, como as unidades de conservação, a borda destas encontra-se altamente sujeita aos efeitos externos, conhecido como efeito de borda. Este fenômeno se manifesta pela alteração das características da vegetação, da fauna e do solo nesta área. Diante disso, o objetivo deste trabalho foi quantificar aspectos da fertilidade do solo e dos metais pesados: chumbo (Pb), cromo (Cr) e níquel (Ni) que possam estar presentes no solo nas bordas da Mata de Santa Genebra, Campinas/SP, Brasil, a fim de verificar a interferência dos diferentes graus de uso e ocupação do entorno. Realizaram-se coletas de amostras de solo em 40 pontos da borda do fragmento, equidistantes em 200 m, e procederam-se análises químicas de fertilidade e de metais pesados. Nas amostras foram determinados os teores de: pH (CaCl<sub>2</sub>); matéria orgânica (MO); fósforo (P), potássio (K), cálcio (Ca) e magnésio (Mg). Os valores da capacidade de troca de cátions (T) e da saturação por bases (V%) foram obtidos por meio de cálculos. Nas leituras das amostras para a determinação quantitativa dos metais: chumbo (Pb), cromo (Cr) e níquel (Ni) foi utilizada a Espectrofotometria de Absorção Atômica (EAA) por atomização em chama. Após análise dos resultados obtidos pode-se observar que o remanescente em estudo apresenta condições de conservação em relação à fertilidade natural do solo que pode vir a auxiliar nos programas de reflorestamento. No entanto, algumas regiões do entorno, principalmente aquelas que se encontram sob pressões externas (urbanização, presença de estradas e atividades rurais), apresentaram alterações nos teores de metais pesados em estudo.</p> 2020-09-21T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Revista Cerrados https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/1934 Heranças da paisagem semiárida: Os Relevos Residuais de Alexandria-RN, Brasil 2020-06-19T21:10:50+00:00 Diógenys da Silva Henriques diogenyshenriques@outlook.com Anny Caratina Nobre de Souza anny-catarina13@hotmail.com Sergio Domiciano Gomes de Souza sergio_gsousa@hotmail.com Maria Losângela Martins de Souza losangelaufc@gmail.com <p>O presente artigo objetiva discutir acerca dos relevos residuais do semiárido nordestino, enfocando um estudo de caso realizado no município de Alexandria no Alto Oeste Potiguar, Rio Grande do Norte, através do qual apresenta-se como heranças das feições geomorfológicas marcantes da paisagem semiárida do sertão do oeste potiguar nordestino. No tocante os procedimentos metodológicos, a pesquisa é sistematizada em duas etapas: gabinete – levantamento bibliográfico e geocartográfico – e campo – visita e reconhecimento da área em estudo. Consideramos assim os estudos teóricos de Ab’Saber (2003), Bertrand (2004), Lima et. al. (2009), Maia e Nascimento (2015; 2018), Souza e Oliveira (2002), além de interpretações cartográficas acerca das características geológico-geomorfológicas da área com base na CPRM (2005). Neste trabalho, verificamos a presença de relevos residuais predominantes, bem como extensas áreas de lajedos, que conferem uma paisagem exuberante no interior do sertão potiguar nordestino, de uma morfologia granítica, resultante do processo formativo de processos endógenos e exógenos, como resposta à constituição da paisagem como herança, sobretudo os <em>inselbergs.</em></p> 2020-09-21T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Revista Cerrados https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/2095 A construção social da Indicação Geográfica para o mel de aroeira no Norte de Minas Gerais: uma análise sobre atores e processos 2020-05-12T13:50:44+00:00 Alex Douglas Martin Demier soudcoelho@yahoo.com.br Daniel Coelho de Oliveira daniel.coelhoo@yahoo.com.br Clesio Marcelino de Jesus clesiomj@gmail.com Fausto Makishi faustomakishi@gmail.com <p>O processo de identificação de atributos específicos no Mel de Aroeira do Norte de Minas trouxe novas perspectivas de agregação de valor à produção apícola regional a partir da possibilidade do reconhecimento da Indicação geográfica – IG. Neste contexto, o presente artigo buscou entender o processo de obtenção da IG do Mel de Aroeira no Norte de Minas como uma construção social, fruto de um arranjo envolvendo organizações e instituições que se articulam em níveis regional e local. Como metodologia, foram realizadas revisões bibliográficas, entrevistas a apicultores, presidentes de Associações e representantes de instituições de apoio, também foram utilizados dados secundários de produção de mel na região. Conclui-se que a possibilidade de registro da IG chegou aos apicultores “de cima pra baixo”, liderada pela Fundação Ezequiel Dias (FUNED), Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (CODEVASF), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), que vislumbraram uma possibilidade de agregação de valor e desenvolvimento territorial. A própria delimitação territorial da IG do Mel de Aroeira, também não é fruto de uma construção social dos apicultores da região e, sim, definida a partir dos resultados da caracterização do mel e referendada por Instituições.</p> 2020-09-21T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Revista Cerrados https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/3061 A formação da cidadania ecológica articulada à Educação Ambiental na escola 2020-07-22T02:24:33+00:00 Francisco Wendell Dias Costa geo.fwcosta@gmail.com Patrícia Rosa Aguiar patricia.rosaa@gmail.com <p>Este artigo tem por objetivo analisar a formação da cidadania ecológica articulada à Educação Ambiental na escola como proposta para a mudança de atitudes e valores sobre as questões socioambientais. A pesquisa foi desenvolvida com base em um estudo descritivo do tipo análise documental (livros, capítulos de livros e artigos acadêmicos). A escola é considerada o principal espaço para adquirir e disseminar os conhecimentos sobre a utilização da Educação Ambiental como atividade que possibilita a formação de sujeitos ecológicos, de atitude reflexiva, crítica e proativa, com intuito de agir na mitigação dos impactos socioambientais. Portanto, a prática da Educação Ambiental na escola visa a formação da Cidadania Ecológica em defesa do meio ambiente.</p> 2020-09-20T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Revista Cerrados https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/2961 Dynamics in urban state housing production: reflections on space formation 2020-08-26T19:25:34+00:00 Lisandro Pezzi Schmidt lisandrops@hotmail.com Márcia da Silva marcia.silvams@gmail.com <p>The multiple strategies for social housing production and market alter the functional and also social structure of urban space. The articulation of the real estate developers, the state movement and the growing demand for the units, besides expanding the real estate business through spaces for capital circulation, arouses the need for reflection on the interests where the projects are located. The general objective of this research is to reflect on how the movement and production favors the formation of spatialities within the production of the Minha Casa Minha Vida Program (PMCMV). For the construction of the analysis it was necessary to combine several sources, which were systematized in order to cross the theoretical contributions and observation in the field and information derived from the choice of projects aimed at Track 1 - Condominium Systems in PMCMV. It should be noted that the research aims to contribute to the verticalization of studies on medium and small cities and will allow following and updating discussions on sectoral policies. It can be used to evaluate the structure and municipal management and how the social function of the city has been performed.</p> 2020-10-16T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Revista Cerrados https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/1995 Análise multitemporal do uso e cobertura da terra do município de Conceição do Araguaia-Pará através do Google Earth Engine 2020-06-02T23:47:08+00:00 Jones Remo Barbosa Vale jonesremo@hotmail.com Júlio Anderson Araújo Pereira ojulioaraujo@gmail.com Samara Sunny dos Anjos Cereja samarasunny98@gmail.com Larisse Fernanda Pereira de Souza larisse.souza14@gmail.com <p>A Floresta Amazônica é a maior floresta tropical contígua do planeta e cobre cerca de 40% território brasileiro, vem passando por intenso processo de conversão de áreas florestais, principalmente, no arco do desmatamento que é uma área crítica com problemas ambientais como queimadas e desflorestamento. O município de Conceição do Araguaia-PA encontra-se nessa área crítica e apresenta-se como uma frente de expansão da atividade agropastoril na região. O objetivo do trabalho foi analisar temporalmente as mudanças de uso e cobertura da terra no município de Conceição do Araguaia. Para o desenvolvimento do trabalho foram utilizadas imagens do satélite Landsat-5/TM do ano de 1999 e 2009, e do satélite Landsat-8/OLI-TIRS do ano de 2019 processadas e classificadas na plataforma Google Earth Engine. A partir dos resultados obtidos constatou-se que entre os anos de 1999 e 2019 houve um desflorestamento de 22% no município em estudo, sendo que a atividade agropastoril obteve um aumentou de 14,6%. Com isto pode-se concluir que as condições edafoclimáticas favorecem o desenvolvimento da agropecuária e ela está diretamente ligada ao desflorestamento local, caracterizando-se como a principal matriz econômica do município.</p> 2020-10-16T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Revista Cerrados https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/3136 Rio São Francisco: um lugar-território 2020-08-24T12:41:23+00:00 Cícero Bezerra da Silva cicerogeografia016@gmail.com <p>O artigo tem como objetivo primeiro discutir os fundamentos teóricos e conceituais que norteiam as categorias geográficas lugar e território e, a partir de suas respectivas similitudes, apresentar uma leitura híbrida/composta dessas categorias, formando o <em>lugar-território</em>. Essas similitudes estão assentadas nos processos de apropriação material e simbólica, nas identidades e no sentido do pertencimento que conformam essas categorias. Utiliza-se como referência empírica de análise o rio São Francisco em seu baixo curso, cuja espacialidade é caracterizada pela complexidade diversa de usos e apropriações revelada tanto pela leitura do lugar quanto pela leitura do território. Destarte, essa complexidade observada nas vivências com o rio e em entrevistas semiestruturadas delineou os fundamentos que fazem da espacialidade ribeirinha um <em>lugar-território</em>.</p> 2020-10-16T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Revista Cerrados