Atividade Antibacteriana de Frutas do Nordeste Brasileiro sobre Bactéria Cariogênica

Autores

  • Carlos Eduardo Mendes D’Angelis Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes
  • Abner Nicolas da Silva Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes
  • Nair Amélia Prates Barreto Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes
  • Karina Andrade de Prince Centro Universitário FIPMoc – UNIFIPMoc
  • Ana Cristina Carvalho Botelho Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes
  • Ana Cristina Morseli Polizello Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto/ Universidade de São Paulo
  • Augusto Cesar Cropanese Spadaro Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto/ Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.46551/ruc.v22n1a01

Palavras-chave:

Streptococcus mutans, Atividade antibacteriana, Produtos naturais

Resumo

a cárie dentária é um grande problema de saúde pública em muitos países. Algumas regiões do Brasil são mais afetadas como o Norte e o Nordeste. A atividade antibacteriana frente à Streptococcus mutans representa um alvo terapêutico interessante para o estudo e controle da cárie dentária, já que este micro-organismo é reconhecido como um importante agente causador da formação de placa dental e cárie dentária. Objetivo: o objetivo deste trabalho foi avaliar a atividade antimicrobiana, frente à S. mutans, da polpa de frutos nativos da região Nordeste do Brasil: Spondias mombin L. (cajazeira), Spondias purpurea L (sirigueleira) e Spondias tuberosa (umbuzeiro). Metodologia: as frações clorofórmica, hexânica, acetato de etila e Aquosa de polpas de fruta integral dessas espécies foram obtidas através do processo de partição líquido-líquido. Realizou-se teste de difusão em ágar, caracterizando os extratos quanto ao seu potencial antimicrobiano frente à S. mutans, elegendo-se o de maior atividade para realização da concentração inibitória mínima - CIM. Resultados: as frações hexânica, acetato de etila e clorofórmica de cajá apresentaram expressiva atividade antimicrobiana frente a S. mutans nos ensaios de disco-difusão, sendo eleita para o teste de CIM. O teste revelou atividade inibitória de 0,01 mg/mL, 0,78 mg/mL e 0,02 mg/mL para as frações hexânica, clorofórmica e acetato de etila, respectivamente. Conclusão: conclui-se que as frações hexânica, clorofórmica e acetato de etila de cajá apresentaram interessante efeito antimicrobiano, principalmente as frações mais apolares, e, merecem estudos mais aprofundados quanto a sua atividade biológica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Um panorama da saúde no Brasil: acesso e utilização dos serviços, condições de saúde e fatores de risco e proteção à saúde 2008. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/panorama_saude_brasil_2003_2008/> .Acesso em: 23 de Abril de 2018.

2. KASSEBAUM, N. J. et al. Global burden of untreated caries: a systematic review and metaregression. J Dent Res., Thousand Oaks, v. 94, n. 5, p. 650-658, mar, 2015.

3. COTA, A. L. S., ALVIM, R. G. Effect of storage temperature on Streptococcus mutans viability. Rev. odontol. UNESP, Araraquara , v. 47, n. 2, 2018.

4. FORSSTEN S. F., BJÖRKLUND M., OUWEHAND A. C. Streptococcus mutans, Caries and Simulation Models. Nutrients, Suíça, v. 2, n. 3, p. 290-298, mar, 2010.

5. AXELSSON P., LINDHE J., WÄSEBY J. The effect of various plaque control measures on gingivitis and caries in schoolchildren. Community Dentistry And Oral Epidemiology. Copenhague, v. 4, n. 6, p. 232-239, nov, 1976.

6. LEMES, R. S. et al . Chemical composition and antibacterial activity of essential oils from Citrus aurantifolia leaves and fruit peel against oral pathogenic bacteria. An. Acad. Bras. Ciênc., v. 90, n. 2, 2018.

7. ALMEIDA B. S., BASTOS J. R. M. Uso de clorexidina associada com a escovação no controle de placa dentária de escolares. Revista Gaúcha de Odontologia, Campinas, v. 49, n. 3, p. 133-138, 2001.

8. WANG H., REN D. Controlling Streptococcus mutans and Staphylococcus aureus biofilms with direct current and chlorhexidine, AMB Express, Heidelberg, v. 7, n. 1, p. 204, nov, 2017.

9. OOSHIMA T. et al. Caries inhbitory activity of cacao bean husk extract in in-vitro and animal experiments, Archives of Oral Biology, Oxford, v. 45, n. 8, p. 639-645, ago, 2000.

10. LEITÃO D. P. S. et al. Comparative Evaluation of in-Vitro Effects of Brazilian Green Propolis and Baccharis dracunculifolia Extracts on Cariogenic Factors of Streptococcus mutans. Biol. Pharm. Bull., Tókio, v. 27, n. 11, p. 1834-1839, nov, 2004.

11. LEITÃO D. P. S. et al. Antibacterial Screening of Anthocyanic and Proanthocyanic Fractions from Cranberry Juice. Journal of Medicinal Food, Larchmont, v. 8, n. 1, p. 36-40, abr, 2005.

12. I.J.O. Sousa, et al. A diversidade da flora brasileira no desenvolvimento de recursos de saúde. Revista UNINGÁ Review, Maringá, v. 31, n. 1, p. 35-39, jul-set, 2017.

13. SILVA C. G. et al. Evaluation of antioxidant activity of Brazilian plants. Pharmacol. Res., Londres, v. 52, n. 3, p. 229-233, set, 2005.

14. ALVES R. E., FILGUEIRAS H. A. C., MOURA C. F. H. Caracterização de frutas nativas da América Latina. Jaboticabal: Funep, 2000.

15. Clinical and Laboratory Standards Institute – NCCLS. Performance standards for antimicrobial susceptibility testing. Fiftheent Informational Supplement. CLSI/NCCLS document M100-S15 [ISBN 1-56238-556-9].

16. ELOFF J. N. A sensitive and quick microplate method to determine the minimal inhibitory concentration of plant extracts for bacteria. Planta Med., Stuttgart, v. 64, n. 8, p. 711-713, dez, 1998.

17. D'ANGELIS, C. E. M.; LEITE, M. F.; SOUSA, J .P .B.; ALONSO, L.; POLIZELLO, A. C. M.; AIRES, C. P.; BASTOS, J. K.; GROPPO, M.;; SPADARO, A. C. C. Inhibiting effect of Dorstenia asaroides extracts on cariogenic properties of Streptococcus mutans. Anaerobe, v. 18, 2012.

18. NCCLS. Methods for dilution antimicrobial susceptibility tests for bacteria that grow aerobically: approved standard. 6ed. Wayne, PA: Technical Report M07-A6, 2003.

19. WU-YUAN, C. D.; GREEN, L; BIRCH, W. X.. In vivo screening of Chinese medicinal toothpastes: their effects on growth and plaque formation of mutans streptococci. Caries Res., v. 24, p. 198-202, 1990.

20. OOSHIMA, T.; OSAKA, Y.; SAZAKI, H.; OSAWA, K.; YASUDA, H.; MATSUMURA, M.; SOBUE, S.; MATSUMOTO, M. Caries inhibitory effect of cacao bean husk extract in in vitro and animal experiments. Arch. Oral. Biol., v. 45, p. 639-643, 2000.

21. FERRAZZANO, G. F., SCIOSCIA, E., SATERIALE, D., PASTORE, G., COLICCHIO, R., PAGLIUCA, C., CANTILE, T., ALCIDI, B., CODA, M., INGENITO, A., SCAGLIONE, E., CICATIELLO, A., VOLPE, M. G., DI STASIO, M., SALVATORE, P., PAGLIARULO, C. In vitro antibacterial activity of pomegranate juice and peel extracts on cariogenic bacteria. Biomed Res Int. 2017.

22. RAJA MAZLAN, R. N. A., RUKAYADI, Y., MAULIDIANI, M., ISMAIL, I. S. Solvent extraction and identification of active anticariogenic metabolites in Piper cubeba L. through ¹H-NMR-based metabolomics approach. Molecules, v. 16, n. 23, 2018.

23. BARNABÉ, M., SARACENI, C. H., DUTRA-CORREA, M., SUFFREDINI, I. B. The influence of Brazilian plant extracts on Streptococcus mutans biofilm. J Appl Oral Sci, v. 22, n. 5, 2014.

Downloads

Publicado

2020-06-14

Como Citar

MENDES D’ANGELIS, C. E. .; DA SILVA, A. N. .; PRATES BARRETO, N. A. .; ANDRADE DE PRINCE, K. .; CARVALHO BOTELHO, A. C.; MORSELI POLIZELLO, A. C.; CROPANESE SPADARO, A. C. . Atividade Antibacteriana de Frutas do Nordeste Brasileiro sobre Bactéria Cariogênica. Revista Unimontes Científica, v. 22, n. 1, p. 1-10, 14 jun. 2020.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)