PERFIL ANTROPOMÉTRICO, FORÇA E FLEXIBILIDADE DE IDOSOS PRATICANTES DE ATIVIDADE FÍSICA

Autores

  • Wellington Danilo Soares Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes
  • Kelly Regina Cruz Santos Centro Universitário Funorte
  • Lúcio Antônio de Jesus Centro Universitário Funorte
  • Saulo Daniel Mendes da Cunha Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes
  • Vinicius Dias Rodrigues Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes
  • Árlen Almeida Duarte de Sousa Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

DOI:

10.46551/rn2024152300084

Palavras-chave:

Aptidão física, Antropometria, Envelhecimento populacional, Saúde do idoso

Resumo

O envelhecimento populacional é uma realidade não somente do Brasil, mas de todo o mundo, e as mudanças que este processo ocasiona na sociedade se faz pensar em uma temática cada vez mais em pauta e na necessidade de programas, ações’ políticas públicas, estudos e projetos direcionados a este público. O objetivo do estudo foi analisar e comparar o perfil antropométrico, força e flexibilidade em idosos praticantes de atividade física. Trata-se de uma pesquisa com abordagem quantitativo, comparativa e de corte transversal. Foram realizados mensuração de força de preensão manual da mão dominante, através de um dinamômetro, também avaliação dos níveis de flexibilidade, através da técnica de goniometria, e por fim, avaliação do perfil antropométrico, pelo protocolo do Índice de Massa Corporal (IMC). Participaram do estudo 64 idosos, ambos os sexos, selecionados de forma intencional. Os resultados demonstram que houve uma diferença estatisticamente significativa na comparação dos sexos. Na flexibilidade as mulheres obtiveram médias superiores aos homens, já com relação a força de preensão manual, os homens apresentaram médias superiores às mulheres. Não houve diferença entre sexos no que tange ao Índice de Massa Corporal – IMC, sendo que a maioria dos pesquisados foram classificados com sobrepeso e obesidade. Conclui-se que as mulheres avaliadas têm maior flexibilidade e menores níveis de força quando comprados com os homens. Faz-se necessário que ambos os idosos busquem por uma melhor qualidade de vida, priorizando a alimentação e a prática de exercícios físicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kelly Regina Cruz Santos, Centro Universitário Funorte

Acadêmica do curso de Educação Física do Centro Universitário de Saúde da Funorte, Montes Claros, MG, Brasil – Concepção, desenho da pesquisa e redação do manuscrito. E-mail: kelly.santos@soufunorte.com.br ORCID: https://orcid.org/0009-0003-5886-3095

Lúcio Antônio de Jesus, Centro Universitário Funorte

Acadêmico do curso de Educação Física do Centro Universitário de Saúde da Funorte, Montes Claros, MG, Brasil – Concepção, desenho da pesquisa e redação do manuscrito. E-mail: lucio.jesus@soufunorte.com.br ORCID: http://orci.org/0009-0003-0714-4760

Saulo Daniel Mendes da Cunha, Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

Doutor em Ciências da Saúde pela Universidade Estadual de Montes Claros – Unimontes, docente no Departamento de Educação Física da Unimontes, Montes Claros, MG, Brasil – Tratamento dos dados. E-mail: saulodanc@gmail.com. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-7529-1397.

Vinicius Dias Rodrigues, Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

Doutor em Ciências da Saúde pela Universidade Estadual de Montes Claros – Unimontes, docente no Departamento de Educação Física da Unimontes, Montes Claros, MG, Brasil – Coleta e tratamento dos dados. E-mail: vinicius.rodrigues@unimontes.br. ORCID: https://orcid.org/ 0000-0002-6959-5992.

Árlen Almeida Duarte de Sousa, Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

Doutor em Ciências da Saúde pela Universidade Estadual de Montes Claros – Unimontes, docente no Departamento de Métodos e Técnicas da Unimontes, Montes Claros, MG, Brasil – Revisão crítica do manuscrito. E-mail: arlen.sousa@unimontes.br. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-7690-5282.

Referências

ARAÚJO, W.A.;SILVA, T.; SOUZA, E.C. ;LIMA, K.F.O.;ALMEIDA, G.S. Importância da atividade física no cotidiano da pessoa idosa: revisão de literatura.Rev. Mult. Psic. v.13, n.46, p.425-433, 2019.

AZEVEDO FILHO, E. R.; et al. Percepção dos idosos quanto aos benefícios da prática da atividade física: um estudo nos Pontos de Encontro Comunitário do Distrito Federal. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v.41, n.2, p.142-149, 2019.

BAUMGARTNER, R.N. Body composition in elder lypersons: a critical review of need sandmethods. Prog Food Nutr Sci. v.17, n.3, p.223-60, 1993.

CETIN DC, NASR G. Obesity in the elderly: more complicated than you think. Cleve Clin J Med. v.14, n.1, p.51-61, 2014.

CIVINSKI, C., MONTIBELLER, A., BRAZ, A. L. O.A importância do exercício físico no envelhecimento. Revista da Unifebe. v.9, n.1, p.163-175, 2011.

FLORES, T. R.; et al. Aconselhamento por profissionais de saúde e comportamentos saudáveis entre idosos: estudo de base populacional em Pelotas, Sul do Brasil, 2014. Epidemiol. Serv. Saúde, v.27, n.1, 2018.

GIROTTO, E.; ANDRADE, S.M.D.; CABRERA, M.A.S. Prevalência de obesidade abdominal em hipertensos cadastrados em uma Unidade de Saúde da Família. Arq Bras Cardiol, v.94, n.6, p.754-762, 2010.

LIMA, A. P., DELGADO, E. I. A melhor idade do Brasil: aspectos biopsicossociais decorrentes do processo de envelhecimento. Acta Brasileira do Movimento Humano. v.1, n.2, p.76-91, Set-Out, 2010.

MOTA J., RIBEIRO, J.L.; CARVALHO, J.; MATOS, M.G. Atividade física e qualidade de vida associada à saúde em idosos participantes e não participantes em um programa regular da atividade física. Rev. Bras. Educ. Fís. Esp, v.20, n.3, p.219-25, Jul-Set, 2006.

NASCIMENTO, C.M.; et al. Estado nutricional e condições de saúde da população idosa brasileira: revisão da literatura. Rev. Méd. Minas Gerais,v.21, n.2, Abr-Jun, 2011.

OKUMA, S. S. O idoso e a atividade física. 2. ed. Campinas-SP: Papirus Editora, 2002.

PENHA, P.J.; AMADO JOÃO, A.M. Avaliação da flexibilidade muscular entre meninos e meninas de 7 e 8 anos. Fisioterapia e Pesquisa, v.15, n.4, p.387-91, Out-Dez, 2008.

PEREIRA, D.S.; OLIVEIRA, A.C.S.; PEREIRA, M.H.Q.; PEREIRA. M.L.A.S. Mini avaliação nutricional: utilização e panorama nos diferentes cenários de atenção do idoso.Saúde.v.3, n.1, p.824;32, 2017.

RAMOS, L.J. Avaliação do estado nutricional, de seis domínios da qualidade de vida e da capacidade de tomar decisão de idosos institucionalizados e não-institucionalizados no município de Porto Alegre, RS. [Dissertação] [internet]. Porto Alegre: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. 2008. Disponível em: https://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/2565. Acesso em: 02 maio 2023.

SESC. Trabalhos sociais com idosos. Disponível em: https://www.sesc.com.br/atuacoes/assistencia/trabalho-social-com-idosos/. Acesso em: 01 out. 2022.

SQUARCINI, C. F. R.; ROCHA, S. V.; MUNARA, H. L. R.; BENEDITRI, T. R. B.; ALMEIDA, F. A. Programa de Atividade Física para Idosos: Avaliação da Produção Cientifica Brasileira utilizando o modelo RE-AIM. Rev. Bras. Geriotr. Gerontol, v.18, n.4, p.909-920,2015.

VERAS, R.P.; OLIVEIRA, M. Envelhecer no Brasil: a construção de um modelo de cuidado. Ciência &Saúde Coletiva. v.32, n.6, p.1929-1936, 2018.

Publicado

2024-03-11 — Atualizado em 2024-03-11

Versões

Como Citar

SOARES, Wellington Danilo; SANTOS, Kelly Regina Cruz; JESUS, Lúcio Antônio de; CUNHA, Saulo Daniel Mendes da; RODRIGUES, Vinicius Dias; SOUSA, Árlen Almeida Duarte de. PERFIL ANTROPOMÉTRICO, FORÇA E FLEXIBILIDADE DE IDOSOS PRATICANTES DE ATIVIDADE FÍSICA. RENEF, [s. l.], v. 15, n. 23, p. 71–80, 2024. DOI: 10.46551/rn2024152300084. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/renef/article/view/6867. Acesso em: 16 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)