MOTIVAÇÕES INTRÍNSECAS E EXTRÍNSECAS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA REMOTA

Autores

  • Antônio Nides de Oliveira Nunes Centro de Educação a Distância da Universidade Estadual de Montes Claros-Unimontes, (CEAD/Unimontes)
  • Wellington Danilo Soares Centro de Educação a Distância da Universidade Estadual de Montes Claros-Unimontes, (CEAD/Unimontes)
  • Ronilson Ferreira Freitas Centro de Educação a Distância da Universidade Estadual de Montes Claros-Unimontes, (CEAD/Unimontes); Universidade Federal do Amazonas (UFA)
  • Vivianne Margareth Chaves Pereira Reis Centro de Educação a Distância da Universidade Estadual de Montes Claros-Unimontes, (CEAD/Unimontes)
  • Alenice Aliane Fonseca Centro de Educação a Distância da Universidade Estadual de Montes Claros-Unimontes, (CEAD/Unimontes)

Palavras-chave:

Motivação, Educação Física, Aulas Remotas, Adolescentes, Pandemia

Resumo

O objetivo do presente estudo foi avaliar as motivações intrínsecas e extrínsecas nas aulas de educação física remota durante o isolamento social pela pandemia Covid-19em alunos do ensino fundamental II. Trata-se de um estudo descritivo de corte transversal e caráter quantitativo, realizado com alunos matriculados no ensino fundamental II de escolas públicas do norte de Minas Gerais. A coleta de dados foi realizada através do google forms. Participaram do estudo 286 alunos, com média de idade de 12,97 anos DP±1,30, sendo 60,5% (n=173) do sexo feminino e 39,5% (n=113) masculino. Ao avaliar a motivação intrínseca e extrínseca observou-se que as meninas são menos motivadas para a participação das aulas de Educação Física remotas, quando comparada aos meninos. Os comportamentos de motivação intrínsecas: não consegue realizar bem as atividades (p=0,000), tem vergonha de ligar a câmera para participar das aulas (p=0,054), as aulas exercitam pouco o corpo (p=0,013) e não há tempo para praticar tudo o que gostaria (p=0,000). E as motivações extrínsecas: o professor não incentiva a participação (p=0,039), os colegas não participam (p=0,002) e não tem os materiais necessários para a aula (p=0,008) apresentaram diferenças significativas. Os resultados deste estudo nos permitem afirmar que um número elevado de alunos de ambos os gêneros se encontrava desmotivados. No entanto, os meninos estavam mais motivados intrínseca e extrinsecamente em relação as meninas. Com isso, destaca-se a importância da atuação do professor como principal agente de motivação durante períodos de aulas remotas.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALLABADI, H. et al. Impact of COVID-19 lockdown on dietary and lifestyle behaviours among adolescents in Palestine. Dynam Human Health, v. 7, n. 2, 2170, 2020.

AMMAR A et al. Effects of COVID-19 Home Confinement on Eating Behaviour and Physical Activity: Results of the ECLB-COVID19 International Online Survey. Nutrients, v.12, p. 1583, 2020.

BRITO, A. A.; THIMÓTEO, T. B.; BRUM, F. Redes sociais, suas implicações sobre a imagem corporal de estudantes adolescentes e o contexto da pandemia do coronavírus (COVID-19). Temas em Educação Física Escolar, v. 5, n. 2, p. 105-125, 2020.

Direção-Geral da Saúde. REACT-COVID Inquérito sobre alimentação e atividade física em contexto de contenção social; 2020.

LOPES, J. R. et al. Adequação a uma alimentação saudável em adolescentes escolares e perfil bioquímico associado. Cadernos Saúde Coletiva [online], v. 29, n. 3, p. 301-313, 2021.

MAIA, E. G. et al. Padrões alimentares, características sociodemográficas e comportamentais entre adolescentes brasileiros. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 21, n.1, p. e180009,2018.

MALTA, D. C. et al. The COVID-19 pandemic and changes in the lifestyles of Brazilian adolescents. Revista Brasileira de Epidemiologia. v. 24, e210012. 2021.

MARQUES, E. S. et al. A violência contra mulheres, crianças e adolescentes em tempos de pandemia pela COVID-19: panorama, motivações e formas de enfrentamento. Cad Saúde Pública, v.36, e00074420, 2020.

MELO, S. P. S. C. et al. Sobrepeso, obesidade e fatores associados aos adultos em uma área urbana carente do Nordeste Brasileiro. Revista Brasileira de Epidemiologia. v. 23, e200036, 2020.

OLIVEIRA, L. V. et al. Modificações dos Hábitos Alimentares Relacionadas à Pandemia do Covid-19: uma Revisão de Literatura. Brazilian Journal of Health Review, v. 4, n. 2, p. 8464-8477, 2021.

PERRAR, I.; ALEXY, U.; JANKOVIC, N. Changes in Total Energy, Nutrients and Food Group Intake among Children and Adolescents during the COVID-19 Pandemic-Results of the DONALD Study. Nutrients, v. 14, n. 2, p. 297, 2022.

PIETROBELLI, A. et al. Effects of COVID-19 Lockdown on Lifestyle Behaviors in Children with Obesity Living in Verona, Italy: A Longitudinal Study. Obesity (Silver Spring), v.28, n.8, p.1382-85, 2020.

PINHO, L. de. et al. Associação entre prática de atividade física e consumo alimentar em adolescentes escolares. Revista de Educação Física. v. 32, e3253. 2021.

RICHTER, S. A. et al. Como a quarentena da COVID-19 pode afetar o sono das crianças e adolescentes?. Resid Pediatr, v.11, n.1, p.429, 2020.

RUIZ-ROSO, M. B. et al. Covid-19 Confinement and Changes of Adolescent’s Dietary Trends in Italy, Spain, Chile, Colombia and Brazil. Nutrients, v.12 n.6, p.1807, 2020.

SZWARCWALD, C. L. et al. Adesão às medidas de restrição de contato físico e disseminação da COVID-19 no Brasil. Epidemiol Serv Saúde, v. 29, n.5, p.e2020432, 2020.

WERNECK, A. O. et al. Associations of sedentary behaviours and incidence of unhealthy diet during the COVID-19 quarantine in Brazil. Public health nutrition, v. 24, n. 3, p. 422–426, 2021.

World Health Organization (WHO). Coronavirus disease (COVID-19) Pandemic. 2020 Disponível em: https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019. Acesso em 01 Nov. 2021.

World Health Organization. Diet, Nutrition and the Prevention of Chronic Diseases. Report of a Joint WHO/FAO Expert Consultation. Genebra: World Health Organization; 2003.

WU, C. et al. Risk factors associated with acute respiratory distress syndrome and death in patients with coronavirus disease 2019 Pneumonia in Wuhan, China. JAMA Intern Med, v.180, n.7, p. 934-943, 2020.

Publicado

2022-06-22

Como Citar

NIDES DE OLIVEIRA NUNES, A.; DANILO SOARES, W.; FERREIRA FREITAS, R.; MARGARETH CHAVES PEREIRA REIS, V. .; ALIANE FONSECA, A. MOTIVAÇÕES INTRÍNSECAS E EXTRÍNSECAS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA REMOTA. RENEF, [S. l.], v. 5, n. 5, p. 16–24, 2022. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/renef/article/view/5266. Acesso em: 25 set. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>