Desigualdade, ação, reconhecimento e redistribuição

Reflexões e questionamentos sobre políticas de estado

Autores

  • José Muniz Falcão Neto Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

DOI:

https://doi.org/10.46551/issn2179-6807v27n1p269-287

Palavras-chave:

Políticas de Estado, Reconhecimento, Transposição, Monteiro

Resumo

O artigo tem como proposta discutir a partir de alguns conceitos de Frederick Barth (2005), Pierre Bourdieu (1989), Nancy Fraser (2001) e Michel Foucault (1990) determinadas situações sociais planejadas pelo Estado no país. Aplico as formulações dos autores para levantar questões e reflexões acerca das políticas públicas em contextos sócio - culturais de desigualdade e injustiça. Partindo de um caso particular, através de algumas consequências da construção do canal da transposição das águas de Rio São Francisco no contexto da cidade de Monteiro - PB, evoco certos efeitos colaterais desta agência pública que reverberaram em "políticas racionais de Estado" que interferiram nas práticas cotidianas e culturais de algumas famílias e moradores desta cidade. Neste sentido, o presente trabalho tem o objetivo de fazer reflexões sobre o projeto de transposição, o qual são e foram operacionalizadas pelo Estado. Assim, portanto, tendo por base os relatos e a experiência de vida de dois moradores da cidade de Monteiro - PB, explicitarei as mudanças ocorridas no cotidiano dos moradores e seus modos de vida, após a inauguração da transposição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Muniz Falcão Neto, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Mestre em Antropologia pelo Programa de Pós Graduação em Antropologia da UFPB, possui habilitação em Antropologia Visual pela mesma instituição e membro do grupo de pesquisa AVAEDOC (Antropologia Visual, Artes, Etnografias e Documentários). Email: Josemunizfalcaoneto@gmail.com.

Referências

BARTH, F. “Etnicidade e o conceito de cultura”, in Antropolítica: Revista Contemporânea de Antropologia e Ciência Política, n. 19, (2º. Sem). 2005. pp. 15-30.

BOURDIEU, Pierre. “A identidade e a representação. Elementos para uma reflexão crítica sobre a idéia de região”. In O poder simbólico. Lisboa: Difel, 1989, pp. 107-132.

CASTRO-GÓMEZ, Santiago. La Poscolonialidad explicada a los niños. In: La Poscolonialidad explicada a los niños. Cauca: UniversidaddelCauca/Instituto Pensar - UniversidadJaveriana, 2005.

FERNANDES, Florestan. O negro na emergência da sociedade de classes. In: A integração do negro na sociedade classes. 5 ed. São Paulo: Globo, 2008.

FERNANDES, Gerusa Fidelis; SILVA, Polyana Pereira da; SILVA, Rejane do Nascimento da. A TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO E A DESERTIFICAÇÃO NO MUNICÍPIO DE MONTEIRO – PB. Disponível em: https://editorarealize.com.br/editora/anais/wiasb/2017/TRABALHO_EV079_MD4_SA9_ID67_12092017015058.pdf. Acesso em: 15 de abril de 2021.

FERREIRA, Andrey Cordeiro. Introdução:por uma sociologia das insurgências. In: Pensamento e práticas insurgentes: anarquismo e autonomias nos levantes e resistências do capitalismo no século XXI. Niterói : Alternativa, 2016.

FINCH III, Charles S.; NASCIMENTO, Elisa Larkin. Abordagem afrocentrada, história e evolução. In: NASCIMENTO, Elisa Larkin (org). AFROCENTRICIDADE: uma abordagem epistemológica inovadora. São Paulo: Selo Negro, 2009.

FOUCAULT, M. “Omnes et singulatim: por uma crítica da ‘razão política’”. In Novos Estudos CEBRAP, Nº 26, março. 1990. pp 77-99.

FRASER, Nancy. “Da redistribuição ao reconhecimento? Dilemas da justiça numa era "pós-socialista"”. In: SOUZA, Jessé (org.). Democracia hoje: novos desafios para a teoria democrática contemporânea. Brasília: EdUnB, 2001.

GUPTA, Akhil e FERGUSON, J. “Mais além da “cultura”: espaço, identidade e política da diferença”, in ARANTES, A. Augusto(org.) O Espaço da diferença.Campinas: Papirus, 2000, p. 30-49.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Centauro Editora, 2003, 224p.

LANDER, Edgar. Europa, modernidade e eurocentrismo. In LANDER, Edgar. (org.) A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais perspectivas latino-americanas. ColecciónSurSur, CLACSO, Ciudad Autónoma de Buenos Aires, Argentina. setembro 2005.

MIGNOLO, Walter D. A colonialidade de cabo a rabo: o hemisfério ocidental no horizonte conceitual da modernidade. In A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais perspectivas latino-americanas. ColecciónSurSur, CLACSO, Ciudad Autónoma de Buenos Aires, Argentina. setembro 2005.

NASCIMENTO, Abdias. A perseguida e persistência da cultura africana no Brasil. In: O genocídio do povo negro brasileiro: Processo de um racismo mascarado. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra S/A, 1978.

ROMANI, Carlos. clevelândia (oiapoque). colônia penal ou campo de concentração? verve, 4: 112-130, 2003.

SOUZA, Jessé. A elite do atraso: da escravidão à lava jato. Rio de Janeiro: Leya, 2017.

Downloads

Publicado

2021-08-16

Como Citar

Falcão Neto, J. M. . (2021). Desigualdade, ação, reconhecimento e redistribuição: Reflexões e questionamentos sobre políticas de estado. Revista Desenvolvimento Social, 27(1), 269–287. https://doi.org/10.46551/issn2179-6807v27n1p269-287