O que revelam as reflexões de futuros professores de Matemática sobre teoria e prática?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46551/emd.e202043

Resumo

O artigo apresenta os resultados de um estudo de caso, de caráter interpretativo, realizado com futuros professores cursando a disciplina de Prática de Ensino de Matemática II, do curso de Licenciatura em Matemática na Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS). O estudo buscou analisar as reflexões dos futuros professores sobre teoria e prática. Para tanto, elaboramos, como aporte teórico, estudos relacionados à reflexão no contexto da formação de professores, à relação teoria e prática e à práxis. Elegemos, como instrumento de coleta dos dados, o diário de bordo, o qual se constituiu de uma potente fonte para análise dos registros das reflexões dos partícipes. Os resultados do presente estudo fomentam e enriquecem as pesquisas que versam sobre a formação de professores de Matemática, ao revelar a importância da reflexão crítica, desde a formação inicial, com vistas a contribuir para o desenvolvimento profissional por meio de sua práxis.

Palavras-chave: Licenciatura em Matemática. Teoria. Prática. Práxis. Reflexão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AFANASIEV, Victor. Fundamentos de Filosofia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968.

BARTLET, Leo. Teacher development through reflective teaching. In: RICHARDS, Jack C.; NUNAN, David. (Ed.). Second Language Teacher Education. Cambridge: Cambridge University Press, 1990, p. 202-214.

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari Knopp. Investigação qualitativa em Educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Tradução de Maria João Alvarez, Sara Bahia dos Santos, Telmo Mourinho Baptista. Porto: Porto Editora, 1994.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Parecer CNE/CP Nº 9, de 8 de maio de 2001. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em Nível Superior, Curso de Licenciatura, de Graduação Plena. Brasília: Diário Oficial da União, 18 jan. 2002.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP n. 2, de 1 de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Brasília: Diário Oficial da União, 02 jul. 2015.

CANDAU, Vera Maria Ferrão; LELIS, Isabel Alice. A relação teoria-prática na formação do educador. In: CANDAU, Vera Maria Ferrão. (Org.). Rumo a uma nova Didática. 9. ed. Petrópolis: Vozes, 1999, p. 56-72.

CANDAU, Vera Maria Ferrão; LELIS, Isabel Alice. A relação teoria-prática na formação do educador. Tecnologia Educacional, Rio de Janeiro, v. 40, n. 12, p. 5-12, 1983.

CARR, Wilfred; KEMMIS, Stephen. Teoria critica de la ensenanza. Barcelona: Ediciones Martinez Roca, 1988.

CHAUÍ, Marilena. O que é ideologia? São Paulo: Brasiliense, 1980.

CUNHA, Maria Isabel. O professor universitário na transição de paradigmas. Araraquara: JM Editora, 1998.

DEWEY, John. How we think. Boston: Heath, 1910.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GATTI, Bernadete Angelina. (Org.). Análises pedagógico-curriculares para os cursos de licenciatura vinculados às áreas de Artes, Biologia, História, Língua Portuguesa, Matemática e Pedagogia no âmbito da UAB e PARFOR. Brasília, UNESCO/MEC/CAPES, 2012.

GATTI, Bernardete Angelina. A formação inicial de professores para a Educação Básica: as licenciaturas. Revista USP, São Paulo, n. 100, p. 33-46, 2014.

GATTI, Bernardete Angelina; BARRETO, Elba Siqueira de Sá; ANDRÉ, Maria Elisa Dalmazo Afonso de; ALMEIDA, Patrícia Cristina Albieri de. Professores do Brasil: novos cenários de formação. Brasília: UNESCO, 2019.

GATTI, Bernardete Angelina; NUNES, Marina Muniz Rosa. (Org.). Formação de professores para o Ensino Fundamental: estudo de currículos das licenciaturas em Pedagogia, Língua Portuguesa, Matemática e Ciências Biológicas. São Paulo: FCC/DPE, 2009.

GERALDI, Corinta Maria Grisolla; FIORENTINI; Dario; PEREIRA, Elisabete Monteiro de Aguiar (Org.). Cartografias do trabalho docente. Campinas: Mercado de Letras, 1998.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2009.

HABERMAS, Jurgen. Teoria de la accion comunicativa. Madrid: Taurus, 1987.

LIBÂNEO, José Carlos. Adeus professor, adeus professora. São Paulo: Cortez, 2000a.

LIBÂNEO, José Carlos. Formação de professores e nova qualidade educacional: apontamentos para um balanço crítico. Educativa, Goiânia, v. 3, p. 43-70, 2000b.

LIBÂNEO, José Carlos. Pedagogia e pedagogos, para quê? São Paulo: Cortez, 1999.

LIBÂNEO, José Carlos. Reflexividade e formação de professores: outra oscilação do pensamento pedagógico do professor brasileiro? In: PIMENTA, Selma Garrido. GHEDIM, Evandro. (Org.) Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2006, p. 53-79.

LIBERALI, Fernanda Coelho. As linguagens das reflexões. In: MAGALHÃES, Maria Cecília Camargo. (Org.). A formação do professor como um profissional crítico. Campinas: Mercado de Letras, 2004, p. 87-117.

LIBERALI, Fernanda Coelho. O diário como ferramenta para a reflexão crítica. 1999. 179f. Tese (Doutorado em Linguistica Aplicada ao Ensino de Linguas) — Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes. Pontificia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo.

LUCARELLI, Elisa. Teoria e practica como inovación en docência, instigación y atualización pedagógica. Cuadernos de Investigación, Buenos Aires, n. 10, 1994.

LÜDKE, Menga. A pesquisa na formação do professor. In: ENCONTRO NACIONAL DE DIDÁTICA E PRÁTICAS DE ENSINO, 7, 1994, Goiânia. Anais do VII ENDIPE. Goiânia: UFG, 1994, p. 297-303.

MARIN, Alda Junqueira. (Org.). Educação continuada. Campinas: Papirus, 2000.

NÓVOA, Antônio. Os professores e sua formação. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1992.

PEREIRA, Patrícia Sandalo. A concepção de prática de licenciandos de Matemática. 2005. 202f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) — Instituto de Geociências e Ciências Exatas. Universidade Estadual Paulista. Rio Claro.

PEREIRA, Patrícia Sandalo; NOGUEIRA, Kely Fabrícia Pereira. Pesquisas que versam sobre a Prática como componente curricular na Educação Matemática (2001 – 2012). In: LOPES, Celi Espasandin; TRALDI JR., Armando; FERREIRA, Ana Cristina (Org.) A formação do professor que ensina Matemática: aprendizagem docente e políticas públicas. Campinas: Mercado das Letras, 2015, p. 128-146.

PÉREZ GÓMEZ, Ángel Ignacio. La cultura escolar en la sociedad neoliberal. Madrid: Morata, 1999.

PERRENOUD, Philippe. Dez novas competências para ensinar. Traduçaõ de Patrícia Chittoni Ramos. Artmed, 2000.

PIMENTA, Selma Garrido; GARRIDO, Elsa; MOURA, Manuel Oriosvaldo de. A pesquisa colaborativa na escola como aprendizagem facilitadora para o desenvolvimento da profissão de professor. In: MARIN, Alda Junqueira. (Org.) Formação continuada. Campinas: Papirus, 2000, p. 63-88.

PIMENTA, Selma Garrido. Para uma re-significação da Didática: Ciências da Educação, Pedagogia e Didática — uma revisão conceitual e uma síntese provisória. In: ENCONTRO NACIONAL DE DIDÁTICA E PRÁTICAS DE ENSINO, 8, 1996, Florianópolis. Anais do VIII ENDIPE. Florianópolis: UFSC, 1996, p. 97-135.

RIBEIRO, Carlos Miguel. El desarrollo profesional de dos maestras inmersas en un grupo de trabajo colaborativo, a partir de la modelización de sus clases de Matemáticas. 2010. 670f. Tesis (Doctorado en Investigación en la Enseñanza y el Aprendizaje de las Ciencias Experimentales, Sociales y Matemáticas) — Departamento de Didáctica de las Ciencias y Filosofía. Universidad de Huelva. Huelva.

ROMERO, Tânia Regina de Sousa. A interação coordenador e professor: um processo colaborativo? 1998. 216f. Tese (Doutorado em Linguistica Aplicada ao Ensino de Linguas) — Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes. Pontificia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo.

SCHÖN, Donald A. Educating the reflective practitioner. San Francisco: Jossey-Bass, 1987.

SCHÖN, Donald A. The reflective practitioner: how professionals think in action. London: Temple Smith, 1983.

STAKE, Robert E. Pesquisa qualitativa: estudando como as coisas funcionam. Tradução de Karla Reis. Porto Alegre: Penso, 2011.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em Ciências Sociais: a pesquisa qualitativa em Educação. São Paulo: Atlas, 1987.

VAN MANEN, Max. Linking ways of knowing with ways of being practical. Curriculum Inquiry, v. 6, n. 3, p. 205-228, 1977.

VÁZQUEZ, Adolfo Sánchez. Filosofia da Práxis. 2. ed. Buenos Aires: Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales; São Paulo: Expressão Popular, 2011.

VISEU, Floriano Augusto Veiga. A formação do professor de Matemática, apoiada por um dispositivo de interação virtual no estágio pedagógico. 2008. 538f. Tese (Doutorado em Educação) — Faculdade de Ciências. Universidade de Lisboa. Lisboa.

VYGOTSKY, Lev Semyonovich. A formação social da mente. Tradução de José Cipolla Neto, Luis Silveira Menna Barreto, Solange Castro Afeche. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

ZABALZA, Miguel. Diários de sala de aula: contributo para o estudo dos dilemas práticos dos professores. Porto. Porto editora, 1994.

ZEICHNER, Kenneth M. El maestro como profesional reflexivo. Cuadernos de Pedagogia, n. 220, p. 44-49, 1993.

ZEICHNER, Kenneth M. Reflective teaching and field-based experience in teacher education. Interchange, v. 12, p. 1-22, dec. 1981.

Arquivos adicionais

Publicado

2020-09-14

Edição

Seção

Dossiê — Formação de professores que ensinam Matemática