Comunidade aprendente de professores que ensinam Matemática nos anos iniciais: uma experiência formativa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24116/emd.e202015

Resumo

Este artigo apresenta a experiência formativa de uma comunidade aprendente de professores que ensinam Matemática nos Anos Iniciais no intuito de estudar, discutir, refletir e compreender as mudanças curriculares propostas pelo Referencial Curricular Gaúcho de Matemática para esta etapa da escolaridade. A proposição formativa fundamenta-se teoricamente nos entendimentos de comunidade aprendente (BRANDÃO, 2005; GALIAZZI et al., 2017; FREITAS, 2010). A comunidade de professores em formação desenvolveu atividades formativas de forma síncrona e assíncrona, por meio do Google Sala de Aula, totalizando 40 horas.  A partir dessa experiência, assumimos que a formação continuada de professores em comunidade oportuniza discussões, reflexões e partilha de experiências possibilitando o aperfeiçoamento da ação docente.

Palavras-chave: Comunidade aprendente. Formação continuada de professores. Matemática. Anos Iniciais. Currículo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BECKER, Fernando; MARQUES, Tania Beatriz Iwaszko. (Org.). Ser professor é ser pesquisador. Porto Alegre: Mediação, 2007

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Encontros e caminhos: formação de educadoras (es) ambientais e coletivos educadores. Brasília: MMA, Diretoria de Educação Ambiental, 2005.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular: Educação Infantil e Ensino Fundamental. Brasília: MEC/SEB, 2017.

DEMO, Pedro. Educar pela pesquisa. Campinas: Autores Associados, 2015.

DIESEL, Aline; BALDEZ, Alda Leila Santos; MARTINS, Silvana Neumann. Os princípios das metodologias ativas de ensino: uma abordagem teórica. Revista Thema, v. 14, n. 1, p. 268-288, jan./mar. 2017.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1987.

FREITAS, Diana Paula Salomão de. A perspectiva da comunidade aprendente nos processos formativos de professores pesquisadores educadores ambientais. 2010. 225f. Dissertação (Mestrado em Educação Ambiental) Instituto de Educação. Universidade Federal do Rio Grande.

GALIAZZI, Maria do Carmo; FEEITAS, Diana Paula Salomão de; LIMA, Cleiva Aguiar de; COUSIN, Claudia da Silva; SOUZA, Moacir Langoni de; CUPELLI, Rodrigo Launikas. Narrativas de comunidades aprendentes em Educação Ambiental. Ambiente & Educação, Rio Grande, v. 22, n. 2, jul./dez. 2017.

GALLO, Silvio. O problema e a experiência do pensamento: implicações para o ensino de filosofia. In: BORBA, Siomara; KOHAN, Walter. (Org.). Filosofia, aprendizagem, experiência. Belo Horizonte: Autêntica, 2008, p. 115-130.

MORAES, Roque; LIMA, Valderez Marina do Rosário. (Org.). Pesquisa em sala de aula: tendências para a educação em novos tempos. Porto Alegre: EdPUCRS, 2012.

MORÁN, José. Mudando a educação com metodologias ativas. In: Coleção mídias contemporâneas. Convergências Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens. Ponta Grossa: Foca Foto-PROEX/UEPG, 2015, p. 15-33.

NÓVOA, António. Para una formación de profesores construida dentro de la profissión. Revista de Educación, n. 350, p. 203-218, sep./dic. 2009.

RIO GRANDE DO SUL. Secretaria de Estado da Educação. Departamento Pedagógico. Referencial Curricular Gaúcho: Matemática. Porto Alegre: SEE/DP, 2018.

TRIGO, Carmen; NUNES, Wallace Vallory. Experimentos didáticos no ensino da Matemática: orientações pedagógicas. Rio de Janeiro: IFRJ, 2011.

VYGOTSKY, Lev Semenovich. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. Tradução de José Cipolla Neto, Luis Silveira Menna Barreto, Solange Castro Afeche. São Paulo: Martins Fonte, 1991.

Arquivos adicionais

Publicado

2020-04-24

Edição

Seção

Dossiê — Formação de professores que ensinam Matemática