Modelagem Matemática: um olhar semiótico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24116/emd.e202014

Resumo

O desenvolvimento de uma atividade de modelagem matemática a partir dos interpretantes produzidos por alunos de um primeiro ano do Ensino Médio é focalizado nesse texto à luz da teoria semiótica peirceana. A metodologia que subsidia o estudo realizado é de cunho qualitativo, já que temos por interesse discutir acerca dos signos produzidos pelos alunos ao longo do desenvolvimento de uma atividade de modelagem matemática. Como resultados, ponderamos que o processo de geração de (signos) interpretantes depõe (des)conhecimentos dos alunos, seja sobre Matemática, seja sobre a situação e/ou problema que desencadeou a atividade de modelagem matemática em foco. Além disso, esse processo favorece uma dinamicidade na geração dos interpretantes, proporcionada devido ao uso do software GeoGebra e leva os alunos a assumirem atitudes autônomas ao longo do desenvolvimento da atividade de modelagem matemática.

Palavras-chave: Modelagem Matemática. Semiótica. Tecnologia. Interpretantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, Lourdes Maria Werle. Um olhar semiótico sobre modelos e modelagem: metáforas como foco de análise. Zetetiké, Campinas, v. 18, p. 387- 414, 2010.

ALMEIDA, Lourdes Maria Werle; DIAS, Michele Regiane. Um estudo sobre o uso da Modelagem Matemática como estratégia de ensino e aprendizagem. Bolema, Rio Claro, v. 17, n. 22, p. 19-36, jul./dez. 2004.

ALMEIDA, Lourdes Maria Werle; SILVA, Karina Alessadra Pêssoa; VERONEZ, Michele Regiane Dias. Sobre a geração e a interpretação de signos em atividades de modelagem matemática. In: VI SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 2015, Pirenópolis. Anais do VI SIPEM. Pirenópolis: SBEM, 2015, p. 1-13.

ALMEIDA, Lourdes Maria Werle; SILVA, Karina Alessandra Pessôa. (Org.). Modelagem Matemática em foco. Rio de Janeiro: Ciência Moderna, 2014.

ALMEIDA, Lourdes Maria Werle; SILVA, Karina Pessôa; VERTUAN, Rodolfo Eduardo. Modelagem Matemática na Educação Básica. São Paulo: Contexto, 2013.

BORSSOI, Adriana Helena; SILVA, Karina Pêssoa; ALMEIDA, Lourdes Maria Werle. Atividades de Modelagem Matemática e uso da Tecnolocia: uma análise semiótica. In: VIII CONFERÊNCIA NACIONAL SOBRE MODELAGEM NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 2013, Santa Maria. Anais da VIII CNMEM: Modelagem Matemática: pesquisas, práticas e implicações para a Educação Matemática. Santa Maria: UFN, UFRGS, 2013, p. 1-15.

DENZIN, Norman K.; LINCOLN, Yvonna S. Introdução: a disciplina e a prática da pesquisa qualitativa. In: DENZIN, Norman e LINCOLN, Yonna (Orgs.). O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. Tradução de Sandra Regina Netz. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2006, p. 15-41.

FERREIRA, Emerson Pessoa. Semiótica visual na Educação Tecnológica: significações da imagem e discurso visual. 2006. 147f. Dissertação (Mestrado em Educação Científica e Tecnológica) — Centro de Ciências da Educação. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis.

GOLDENBERG, Mirian. A arte de pesquisa: como fazer pesquisa qualitativa em Ciências Sociais. Rio de Janeiro: Record, 1999.

GREEFRATH, Gilbert. Using Techenologies: New possibilities of Teacheing and Learning Modelling — Overview. In: KAISER, Gabriele; BLUM, Werner; FERRI, Rita Borromeo; STILLMAN, Gloria. (Ed.). Trends in Teaching and Learning of Mathematical Modelling: International Perspectives on the Teaching and Learnings of Mathematical Modellings. New York: Springer, 2011, p. 301-314.

HERTLEIF, Corinna. Dynamic Geometry software in Mathematical Modelling: about the role of programme-related self-efficacy ant attitudes towaresd learning with the software. In: 13th INTERNATIONAL CONFERENCE ON TECHNOLOGY IN MATHEMATICS TEACHING, 2017, Lyon. Proceedings of the ICTM13. Lyon: Ecole Normale Supérieure de Lyon, 2017, p. 124-133.

NÖTH, Winfried. Panorama da Semiótica: de Platão a Peirce. 4. ed. São Paulo: Annblume, 2008.

PEIRCE, Charles Sanders. Semiótica. Tradução de José Teixeira Coelho Neto. 3. ed. 2. reimp. São Paulo: Perspectiva, 2005.

SANTAELLA, Lucia. Matrizes da linguagem e pensamento: sonora, visual, verbal. 3. ed. São Paulo. Iluminuras, 2009.

SILLER, Hans Stefan; GREEFRATH, Gilbert. Mathematical modelling in class regarding to technology. In: DURAND-GUERRIR, Viviane; SOURY-LAVERGNE, Sophie; ARZARELLO, Ferdinando. (Ed). Procedings of the Sixth Congresso of the European Society for Research in Mathematics Education. Lyon: IRNP, 2010, p. 2136-2145.

SILVA, Karina Alessandra Pessôa. Modelagem Matemática e Semiótica: algumas relações. 2008. 262f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Educação Matemática) — Centro de Ciências Exatas. Universidade Estadual de Londrina. Londrina.

VERONEZ, Michele Regiane Dias; ALMEIDA, Lourdes Maria Werle. Sobre o papel dos signos em atividades de Modelagem Matemática. REnCiMa, São Paulo, v. 8, n. 3, p. 142-157. 2017.

VERTUAN, Rodolfo Eduardo. Um olhar sobre a Modelagem Matemática à luz da Teoria dos Registros de Representações Semiótica. 2007. 142f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Educação Matemática) — Centro de Ciências Exatas. Universidade Estadual de Londrina. Londrina.

Arquivos adicionais

Publicado

2020-04-22

Edição

Seção

Dossiê — Modelagem Matemática e Resolução de Problemas