ESPAÇOS E VIVÊNCIAS DE LAZER NA CIDADE: construindo territórios

Palavras-chave: Espaço. Território. Lazer. Consumo. Cidadania.

Resumo

O presente artigo, de escopo teórico a partir de pesquisa bibliográfica, tem como objetivo problematizar o lazer no cotidiano urbano a partir da compreensão e da existência de territórios para sua vivência. A categoria território tem ganhado cada vez mais destaque nos estudos que discutem o espaço e as relações de poder que nele evidenciam os agentes de sua produção e condicionam a sua apropriação. Nesse sentido, pensar os espaços de lazer como territórios nos leva a refletir sobre a própria configuração do lazer nas cidades, suas contradições e disputas. Como resultados, foram identificadas duas tendências retratadas a partir de dois espaços emblemáticos nas cidades contemporâneas: a emergência do lazer em territórios do consumo – marcada por relações capitalistas de mercado e pela dimensão econômica, como nos shoppings centers; que tem se sobreposto ao lazer em territórios da cidadania – marcado pela busca de sua efetivação como um direito social e pela dimensão política, como nos espaços públicos de praças e parques. Compreende-se, assim, que as relações entre o lazer e seus espaços urbanos como territórios são permeadas por tensões e interesses divergentes que se refletem em sua apropriação cotidiana, contribuindo para ampliar as possíveis análises entre esses dois campos.

 

SPACES AND LEISURE EXPERIENCES IN THE CITY: building territories

ABSTRACT

 This article, with a theoretical scope based on bibliographical research, aims to problematize leisure in urban everyday life through the understanding and existence of territories for its experience. The territory category has gained more and more prominence in the studies that discuss the space and the relations of power that evidence the agents of its production and influence its appropriation. In this sense, thinking about leisure spaces and experiences in urban daily life leads us to reflect on the very configuration of leisure in cities, its contradictions and disputes. As results, two tendencies portrayed from two emblematic spaces in contemporary cities were identified: the emergence of leisure in territories of consumption – marked by capitalist relations of the market and by the economic dimension, like in shopping malls; which has overlapped leisure in territories of citizenship – marked by the search of its effectiveness as a social right and by the political dimension, like in public spaces such as squares and parks. It is realized, therefore, that the relations between leisure and its urban spaces as territories are permeated by divergent tensions and interests that are reflected in its daily appropriation, contributing to expand the possible analyzes between these two fields.

Keywords: Space. Territory. Leisure.Consumption.Citizenship.

 

ESPACIOS Y VIVENCIAS DEL OCIO EN LA CIUDAD: construyendo territorios

RESUMEN

El presente artículo, de alcance teórico a partir de investigación bibliográfica, tiene como objetivo problematizar el ocio en el cotidiano urbano a partir de la comprensión y de la existencia de territorios para su vivencia. La categoría territorio ha ganado cada vez más destaque en los estudios que discuten el espacio y las relaciones de poder que en él evidencian los agentes de su producción y condicionan su apropiación. En ese sentido, pensar los espacios de ocio como territorios nos lleva a reflexionar sobre la propia configuración del ocio en las ciudades, sus contradicciones y disputas. Como resultados, se identificaron dos tendencias retratadas a partir de dos espacios emblemáticos en las ciudades contemporáneas: la emergencia del ocio en territorios del consumo - marcada por relaciones capitalistas de mercado y por la dimensión económica, como en los centros comerciales; que se ha superpuesto al ocio en territorios de la ciudadanía, marcado por la búsqueda de su efectividad como un derecho social y por la dimensión política, como en los espacios públicos de plazas y parques. Se comprende, así, que las relaciones entre el ocio y sus espacios urbanos como territorios están impregnadas por tensiones e intereses divergentes que se reflejan en su apropiación cotidiana, contribuyendo a ampliar las posibles análisis entre esos dos campos.

Palabras clave: Espacio. Territorio. Ocio. Consumo. Ciudadanía.

Biografia do Autor

Isabela Veloso Lopes Versiani, Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES), Montes Claros, Minas Gerais, Brasil

Possui Graduação em Educação Física, Graduação em Ciências Sociais e Mestrado em Desenvolvimento Social, todos cursados pela Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES). Atualmente é Professora do Departamento de Educação Física e do Desporto (UNIMONTES) e cursa Doutorado em Desenvolvimento Social pelo Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Social da Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES).

Anete Marilia Pereira, Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES), Montes Claros, Minas Gerais, Brasil

Possui Graduação em Geografia pela Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES), Mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Doutorado em Geografia pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Atualmente é Professora do Programa de Pós-Graduação em Geografia do Departamento de Geociências e do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Social, ambos da Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES).

Referências

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil (1988). Promulgada em 5 de outubro de 1988. Obra coletiva de autoria da Editora Saraiva. São Paulo: Saraiva, 2006.

BRASIL, Congresso Nacional. Lei n. 10.257 de 10 de julho de 2001(Estatuto da Cidade). Regulamenta os arts. 182 e 183 da Constituição Federal, estabelece diretrizes gerais da política urbana e dá outras providências. Disponível em: Acesso em: 10 maio 2008.

CAPEL, H. Las ciencias sociales y el estudio del território. Biblio 3W. Revista Bibliográfica de Geografia y Ciencias Sociales. Barcelona: Universidad de Barcelona. v. XXI, n. 1.149, 2016.

CASTELLANI FILHO, L. Gestão Municipal e política de lazer. In: YSAYAMA, Helder; LINHALES, Meily. (org.) Sobre lazer e política: maneiras de ver, maneiras de fazer. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2006. p.119-135.

DUMAZEDIER, J. Sociologia Empírica do Lazer. São Paulo: Editora Perspectiva, 1974. 244 p.

FERNANDES, B. Sobre a tipologia de territórios. In: SAQUET, M.; SPOSITO, E. (org.). Territórios e territorialidades: teorias, processos e conflitos. São Paulo: Expressão Popular: UNESP: Programa de Pós Graduação, 2009. p.197-215.

GOMES, C., Lazer e Cidade: reflexões. In: BRANDÃO, C. (org.). As Cidades da Cidade. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2006. p. 171-184.

GOMES, P. Considerações acerca dos espaços públicos e suas variações no tempo e no espaço. In: SERPA, A.; CARLOS, A. (org.). Geografia Urbana: desafios teóricos contemporâneos. Salvador: EDUFBA, 2018. p. 351 -375.

HAESBAERT, R. Dilema de conceitos: espaço-território e contenção territorial. In: SAQUET, M.; SPOSITO, E. (org.). Territórios e territorialidades: teorias, processos e conflitos. São Paulo: Expressão Popular: UNESP: Programa de Pós Graduação, 2009. p. 95-120.

HAESBAERT, R; LIMONAD, E. O território em tempos de globalização. Etc...., espaço, tempo e crítica. Rio de Janeiro: UFF. v. 1, n.2(4), p.39-52, ago. 2007.

LEFEBVRE, H. O direito à cidade. São Paulo: Centauro, 2001. 146 p.

LLANOS-HERNANDEZ, L. El concepto del territorio y la investigación en las ciencias sociales. Agricultura, sociedad y desarrollo. México. v. 7, n. 3, p. 207-220, set. 2010.

MARCELLINO, N. Introdução. In: MARCELLINO, N. et al. Espaços e equipamentos de lazer em região metropolitana: o caso da RMC - Região Metropolitana de Campinas. Curitiba: Opus, 2007. p.10-28.

MASCARENHAS, F. “Lazerania” também é conquista: tendências e desafios na era do mercado. Movimento, Porto Alegre, v. 10, n. 2, p. 73-90, maio/ago. 2004. Disponível em: http://boletimef.org/?canal=12&file=897 . Acesso em: 10 jan. 2008.

MASCARENHAS, G. Contribuições da Geografia para o Estudo do Lazer. In: MELO,V. (org.) Lazer: olhares multidisciplinares. Campinas: Editora Alínea, 2010. p. 139-160.

MARIN, R. Práticas sociais de lazer nas cidades amazônicas: pesquisas como requisito para políticas públicas. In: CHAAR, B. (org.) Novas leituras do lazer contemporâneo. Belém: NAEA, 2018. p.75-89.

MEDEIROS, R. Território, Espaço de Identidade. In: SAQUET, M.; SPOSITO, E. (org.) Territórios e territorialidades: teorias, processos e conflitos. São Paulo: Expressão Popular: UNESP: Programa de Pós Graduação, 2009. p.217-227.

PADILHA, W. Introdução. In: PADILHA, W (org.). Dialética do Lazer. São Paulo: Cortez, 2006. p.9-18

PAULA, F. C. Repensando o território: discutindo a categoria de território vivido. Anais do II Encontro Nacional de História do Pensamento Geográfico. 2009, São Paulo. Disponível em: https://enhpgii.wordpress.com/trabalhos/ . Acesso em: 10 ago. 2017.

RAFFESTIN, C. Por uma Geografia do Poder. São Paulo: Ática, 1993. 269 p.

RAFFESTIN, C. Immagini e identitá territoriali. In: DEMATTEIS, G; FERLAINO, F. Il modo e i luoghi: geografie delle identità e del cambiamento. Torino: IRES, 2003.p.3-11.

SAQUET, M. Por uma abordagem territorial. In: SAQUET, M; SPOSITO, E. (org.) . Territórios e territorialidades: teorias, processos e conflitos. São Paulo: Expressão Popular: UNESP: Programa de Pós Graduação, 2009. p 73- 94.

SOUZA, M. L. O território: sobre espaço e poder, autonomia e desenvolvimento. In: CASTRO, I. et al. (org.). Geografia:conceitos e temas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1995.

SOUZA, M. L.“Território” da divergência (e da confusão): em torno das imprecisas fronteiras de um conceito fundamental. In: SAQUET, M.; SPOSITO, E. (org.) Territórios e territorialidades: teorias, processos e conflitos. São Paulo: Expressão Popular: UNESP: Programa de Pós Graduação, 2009. p. 57 -72.

Publicado
2019-12-27
Como Citar
VersianiI. V. L., & PereiraA. M. (2019). ESPAÇOS E VIVÊNCIAS DE LAZER NA CIDADE: construindo territórios. Revista Cerrados, 17(02), 126-144. https://doi.org/10.22238/rc2448269220191702126144