VULNERABILIDADE DA PAISAGEM ÀPERDA DE SOLOS DO MUNICÍPIO DE FRANCISCO SÁ – MG

Palavras-chave: Vulnerabilidade. Perda de solos. Geotecnologias.

Resumo

Dentre os problemas ambientais que atualmente ocorrem, a vulnerabilidade da paisagem à perda de solos é um dos que merece significativa atenção, devido aos danos irreversíveis causados à paisagem. Assim, este trabalho propõe determinar a vulnerabilidade da paisagem do município de Francisco Sá (MG) para a perda de solos, pautando-se na metodologia proposta por Crepaniet al. (2001). A partir dessa metodologia e com o uso das ferramentas geotecnológicas, foram elaborados mapas de vulnerabilidade para os elementos que compõem a paisagem (geologia, geomorfologia, solos, clima e uso do solo). Após a determinação da fragilidade de cada elemento, criou-se o produto cartográfico final de vulnerabilidade da paisagem, a partir do cruzamento de todas as variáveis. Como resultado, é possível afirmar que a paisagem do município de Francisco Sá apresenta vulnerabilidade de média à alta para a perda de solos o que, para tanto, foram considerados como principais fatores para essa constatação, os tipos de solos ali predominantes e seus respectivos usos.

 

VULNERABILITY OF THE LANDSCAPE MUNICIPALITYOF FRANCISCO SÁ IS SOIL LOSS

ABSTRACT

Among the currently assisted environmental problems, the vulnerability of the landscape to soil loss is one that deserves attention. Thus, this paper proposes to determine the vulnerability of the landscape of the municipality of Francisco Sá to soil loss, based on the methodology proposed by Crepani et al. (2001). Based on this methodology and using geotechnological tools, vulnerability maps were prepared for the elements that make up the landscape (geology, geomorphology, soils, climate and land use) and, after determining the fragility of each element, were created. The final vulnerability chart of the landscape with the crossing of all variables. As a result, it is possible to state that the municipality of Francisco Sá presents medium to high vulnerability to soil loss, which were considered as main factors the predominant soil for this finding, types and their respective uses.

Keywords: Vulnerability. Loss of soil. Geotechnologies.

 

VULNERABILIDAD DEL PAISAJE DE LA MUNICIPIO DE FRANCISCO SA ES PÉRDIDA DE SUELO

RESUMEN

Entre los problemas ambientales asistidos actualmente, la vulnerabilidad del paisaje a la pérdida de suelo merece atención. Así, este trabajo propone determinar la vulnerabilidad del paisaje del municipio de Francisco Sá a la pérdida de suelo, con base en la metodología propuesta por Crepani et al. (2001) Con base en esta metodología y el uso de herramientas geotecnológicas, se prepararon mapas de vulnerabilidad para los elementos que componen el paisaje (geología, geomorfología, suelos, clima y uso del suelo) y, después de determinar la fragilidad de cada elemento, se crearon. El gráfico de vulnerabilidad final del paisaje con el cruce de todas las variables. Como resultado, es posible decir que el paisaje del municipio de Francisco Sá presenta una vulnerabilidad de mediana a alta a la pérdida de suelo, que se consideraron como factores principales para este hallazgo, los tipos predominantes de suelos y sus respectivos usos.  

Palabras clave: Vulnerabilidad. Pérdida de suelo. Geotecnologías.

 

Biografia do Autor

Maria Tereza Pereira dos Santos, Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES, Montes Claros, Minas Gerais, Brasil.

Possui Graduação e Mestrado em Geografia, ambos cursados pela Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES). Atualmente é Professora da Secretaria do Estado da Educação de Minas Gerais.

Maria Ivete Soares de Almeida, Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES, Montes Claros, Minas Gerais, Brasil.

Possui Graduação em Geografia pela Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES), Mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Goiás (UFG) e Doutorado em Tratamento da Informação Espacial pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC/Minas). Atualmente é Professora do Programa de Pós-Graduação em Geografia, Departamento de Geociência da Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES).

Referências

BARBOSA, Y. B.; LORANDI, R. Geoprocessamento aplicado ao estudo da vulnerabilidade à erosão na bacia hidrográfica do Ribeirão do Pântano nos municípios de São Carlos, Analândia e Descalvado (SP). Revista Geografia, Londrina, v. 21, n. 1, p. 103-123, 2012.

COSTA, F. H. S. et al. Determinação da vulnerabilidade ambiental na Bacia Potiguar, região de Macau (RN), utilizando sistemas de informações geográficas. Revista Brasileira de Cartografia, nº 58/02, p.119-127, agosto, 2006.

COUTINHO, L.M. O conceito de bioma. In: Acta Botanica Brasilica:20(1), p.1-11, 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_serial&pid=0102-3306&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 13 de jun. 2019.

CPRM – COMPANHIA DE PESQUISA DE RECURSOS MINERAIS.Portal do GeoBank. Disponível em:http://geosgb.cprm.gov.br/. Acesso em: 12 jun. 2019.

CREPANI E. et al.Sensoriamento Remoto e Geoprocessamento Aplicados ao Zoneamento Ecológico-Econômico e ao Ordenamento Territorial. São José dos Campos, SP: INPE, jun. 2001, 113 p.

GUERRA, A. J. T.; CUNHA, S. B. Degradação ambiental. In: CUNHA, S. B. Geomorfologia e meio ambiente. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1996. p. 337-379.

GUERRA, A. J. T.; MENDONÇA, J. K. S. Erosão dos solos e a Questão Ambiental. In: VITTE, A. C.; GUERRA, A. J. T. (orgs.). Reflexões sobre a Geografia Física no Brasil. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, p. 225-256, 2005.

GUIMARÃES, M.L.V.; GROSSI-SAD, J.H.; FONSECA, E.da. Geologia da Folha Francisco Sá. In: GROSSI-SAD, J. H. et al. (coords.eds.). Projeto Espinhaço. Belo Horizonte: COMIG, 1997, p. 223-313.CD-ROM(textos, mapas e anexos).

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Mapa de Clima do Brasil. 2002. Disponível em: http://geoftp.ibge.gov.br/informacoes_ambientais/climatologia/mapas/brasil/Map_BR_clima_2002.pdf. Acesso em: 11 jun. 2019.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA.Censo Demográfico de Francisco Sá 2010. Rio de Janeiro, 2010. Disponível em:http://www.sidra.ibge.gov.br. Acesso em: 12 jun. 2019.

IGAM – INSTITUTO MINEIRO DE GESTÃO DAS ÁGUAS. Plano Estadual de Recursos Hídricos – PERH / Instituto Mineiro de Gestão das Águas. Belo Horizonte: IGAM, 2010. 518p.; il. – (Relatório final – volume I: aspectos estratégicos para a gestão de recursos hídricos de Minas Gerais).

INPE – INSTITUTO DE PESQUISAS ESPACIAIS (Brasil). Programa LANDSAT. São José dos Campos: INPE, 2019. Disponível em: http://www.dgi.inpe.br/documentacao/satelites/landsat. Acesso em: 26 set. 2019.

NICOLAU, R. de F. Vulnerabilidade da paisagem à perda de solos da bacia hidrográfica do rio do Peixe – Goiás. In:Caminhos de Geografia, Uberlândia– MG, v. 19, n. 66, p. 285–296, julho 2018.

ROCKETT, G. C, et al.Geoprocessamento aplicado análise ambiental: vulnerabilidade natural à perda de solo no Morro do Osso, Porto Alegre/RS. Geografia, v. 39, n. 3, p. 465-481, 2014.

SANTOS, H.C.; LEITE, R.F.C. Norte de Minas múltiplos olhares sobre a ocupação do Cerrado.In: XVI ENCONTRO NACIONAL DE GEÓGRAFOS, Porto Alegre: AGB, 25-31 julho 2010. 10 p.

SCOLFORO, J. R.; MELLO, J. M.; OLIVEIRA, A. D. Inventário Florestal de Minas Gerais: Cerrado – Florística, Estrutura, Diversidade, Similaridade, Distribuição Diamétrica e de Altura, Volumetria, Tendências de Crescimento e Áreas Aptas para Manejo Florestal. Lavras: UFLA, 2006.

SILVA NETO, J. C. A. Avaliação da vulnerabilidade à perda de solos na bacia do rio Salobra, MS, com base nas formas do terreno. Geografia (Londrina), v.22, p.5-25, 2013.

SILVA NETO J. C. A.; ALEIXO, N. C. R. Análise temporal da vulnerabilidade da paisagem à perda dos solos na bacia hidrográfica do Rio Salobra – Serra da Bodoquena, Mato Grosso do Sul. Revista Formação(Online), v. 2, n. 23, p.252-270, 2016.

SUERTEGARAY, D. M; NUNES, J. O. R. A natureza da Geografia Física. Revista Terra Livre, São Paulo, n. 17, v. 1,p.11-24, 2° sem. 2001.

TAGLIANI, C. R. A. Técnica para avaliação da vulnerabilidade ambiental de ambientes costeiros utilizando um Sistema Geográfico de Informações.In: Anais XI Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto – SBSR, Belo Horizonte, Brasil, INPE, p. 1657 – 1664, 2003.

TRICART, J. Ecodinâmica. Rio de Janeiro: IBGE, 1977, 91p.

VALLE JUNIOR, R. F. Diagnóstico de áreas de risco de erosão e conflito de uso dos solos na bacia do rio Uberaba. 2008. 222 f. Tese (Doutorado em Agronomia) – Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Universidade Estadual Paulista – Júlio de Mesquita Filho, Jaboticabal, 2008.

Publicado
2019-12-31
Como Citar
SantosM. T. P. dos, & AlmeidaM. I. S. de. (2019). VULNERABILIDADE DA PAISAGEM ÀPERDA DE SOLOS DO MUNICÍPIO DE FRANCISCO SÁ – MG. Revista Cerrados, 17(02), 290-311. https://doi.org/10.22238/rc2448269220191702290311