FORMAÇÃO PROFISSIONAL EM SERVIÇO SOCIAL E POLÍTICA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NO ÂMBITO DAS IES DO PROCAD-AMAZÔNIA

ELEMENTOS PARA O DEBATE

Autores

  • Vera Lúcia Batista Gomes UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ - UFPA
  • Sara Daltro Tavares Paiva UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ - UFPA
  • Karina Camille Marques Cezar UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ - UFPA

DOI:

https://doi.org/10.46551/rssp.202118

Palavras-chave:

Formação profissional; Serviço Social; Política de Educação.

Resumo

Este artigo teve o propósito de analisar a formação profissional e a política de educação superior no Brasil, com breves destaques para o contexto da pandemia provocada pelo COVD-19. Foi baseado em análises sobre a produção de conhecimento de dissertações e teses sobre formação profissional e política de educação, desenvolvidas nos Programas de Pós-Graduação em Serviço Social das IES que integram o PROCAD/Amazônia (2018), assim como, de experiências vivenciada pelas autoras com o ERE. A luz da teoria marxista, os resultados apontam que tanto nas universidades públicas federais quanto nas privadas, devido ao sucateamento e a precarização do ensino superior, decorrentes das medidas ultraneoliberais expressas na restrição orçamentária para a política de educação superior e no contexto pandêmico, a formação em Serviço Social vem sendo ameaçada, tornando-se imperiosas as lutas coletivas para o acesso aos direitos da classe trabalhadora.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vera Lúcia Batista Gomes, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ - UFPA

Assistente social graduada em Serviço Social pela Universidade Federal do Pará, Mestrado Em Serviço Social - Universidade Federal do Pará e doutorado em Sociologia do Trabalho - Université de Picardie Jules Vernes; Docente da faculdade de Serviço Social da Universidade Federal do Pará – UFPA e do Programa de Pós-graduação em Serviço Social – PPGSS/UFPA; Coordenadora/Pesquisadora do grupo de pesquisa Trabalho, Estado e Sociedade na Amazônia – GEPTESA. https://orcid.org/0000-002-8146-5082 E-mail: Veragomesbelem@hotmail.com

Sara Daltro Tavares Paiva, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ - UFPA

Assistente Social formada pela Universidade Federal do Pará – UFPA; Mestranda do Programa de Pós-graduação em Serviço Social – PPGSS/UFPA; Pesquisadora do grupo de estudos e pesquisa Trabalho, Estado e Sociedade na Amazônia – GEPTESA. https://orcid.org/0000-0001-6294-3459 E-mail: sara.daltro223@gmail.com

Karina Camille Marques Cezar, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ - UFPA

Assistente Social formada pela Universidade Federal do Pará – UFPA e Especialista em Gestão e Planejamento de Políticas Públicas em Serviço Social pela Escola Superior da Amazônia – ESAMAZ; Mestranda do Programa de Pós-graduação em Serviço Social – PPGSS/UFPA; Pesquisadora do Grupo de Estudos, Pesquisa e Extensão em Serviço Social e Política Social na Amazônia – GEPSS; https://orcid.org/0000-0002-6591-6189 E-mail karinamarquesas@hotmail.com

Referências

ABEPSS. Diretrizes gerais para o curso de Serviço Social. Rio de Janeiro, 1996.

ABEPSS. Relatório final da pesquisa avaliativa da implementação das Diretrizes Curriculares do curso de Serviço Social. Brasília, 2008.

ABRAMIDES, B. O projeto ético-político do Serviço Social Brasileiro: ruptura com o conservadorismo. São Paulo: Cortez, 2019.

BRAVO, Maria Inês Souza, RAIZER, Eugênia Célia, LEMOS, Esther Luíza de Souza, ELPÍDIO, Maria Helena. O protagonismo da ABESS/ABEPSS na virada da formação profissional em Serviço Social. In: OLIVEIRA E SILVA, Maria Liduína de (org.). Congresso da Virada e o Serviço Social hoje: Reação conservadora, novas tensões e resistências. São Paulo: Cortez, 2019.

ABREU, M. A formação profissional em Serviço Social e a mediação da Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social (ABEPSS): as diretrizes curriculares/1996 em relação à perspectiva emancipatória no âmbito do avanço do conservadorismo. In: SILVA, M. (org). Serviço Social no Brasil: história de resistência e de ruptura com o conservadorismo. São Paulo: Cortez, 2016. p. 235-264.

Conselho Federal de Serviço Social – CFESS. Sobre a impossibilidade entre graduação à distância e Serviço Social. Vol. 02 Brasília. 2014.

COSTA, Fabiana. As particularidades do Ensino Superior brasileiro nos marcos do capitalismo dependente. Temporalis, Brasília (DF), ano 18, n. 35, jan./jun., 2018.

FERRAREZ, C. Mercantilização da educação superior brasileira e a formação profissional do Serviço Social. Temporalis, Brasília (DF), ano 16, nº31, jan./jun. 2016.

GARCIA, M. L. T. Prefácio. In: CUNHA, M. G. N.; PRATES, J. C.; ANDRADE, R. F. C. de; BORDIN, E. B. PROCAD AMAZÔNIA: formação e trabalho do assistente social no norte e sul do Brasil. Manaus: EDUA; São Paulo: Alexa Cultural, 2000.

HOEPNER, C. M. “A viagem de volta”: a formação profissional em Serviço Social no Estado do Rio Grande do Sul. Dissertação (Mestrado em Serviço Social) – Programa de Pós-Graduação em Serviço Social. Pontífice Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017.

IAMAMOTO, M. O Serviço Social na contemporaneidade: trabalho e formação profissional. São Paulo: Cortez, 2015.

IAMAMOTO, M.; CARVALHO, R. Relações Sociais e Serviço Social no Brasil. São Paulo: Cortez, 2014.

IAMAMOTO, Marilda. O Serviço Social na contemporaneidade: trabalho e formação profissional. Cortez, 2005.

LEWGOY, A. et al. Formação profissional em serviço social: de que se trata? Temporalis, Brasília, n. 31, jan./jun., 2016

LEWGOY, A.; MACIEL, A. O projeto de formação em Serviço Social: análise da sua trajetória histórica no período 1996 a 2016. Temporalis: Brasília, n. 32, jul./dez., 2016.

LIMA, N. G. H. Formação profissional em debate: um estudo dos projetos pedagógicos do curso de Serviço Social em Manaus a partir das novas Diretrizes Curriculares de 1996. Dissertação (Mestrado em Serviço Social) – Programa de Pós-Graduação em Serviço Social e Sustentabilidade. Universidade Federal do Amazonas, Manaus.

MACIEL, A. Universidade em crise: uma travessia necessária para a formação em serviço social. Tese (Doutorado em Serviço Social) – Pontífice Universidade Católica, Porto Alegre, 2006. 220 f.

MARX, K.; ENGELS, F. Crítica da educação e do ensino. Campinas, São Paulo: Navegando. 2011.

MEC – Ministério da Educação. Disponível em: https://www.gov.br/mec/pt-br Acesso em: 10 fev. 2020.

NETTO, J. P. Capitalismo monopolista e Serviço Social. 8º edição. São Paulo: Cortez, 2011.

NETTO, J. P. Ditadura e Serviço Social: uma análise do Serviço Social no Brasil pós-64. 16º edição. São Paulo: Cortez, 2011.

SAVIANI, D. Trabalho e Educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, vol. 12, nº 34, 152-165, jan./abril., 2007.

LAMPERT, Michael da Costa. Transformações societárias em contexto pós-golpe de 2016 e suas implicações para formação presencial em serviço social no rio grande do sul. – 2020. 156 p. Dissertação de mestrado – Programa de Pós-graduação em Serviço Social, PUCRS.

PAIVA, Janaína Zildéia da Silva. As transformações do trabalho docente na Universidade Federal do Amazonas: da produção ao produtivismo na pós-graduação / Janaína Zildéia da Silva Paiva. - 2016. 167 f. Dissertação de mestrado – Universidade Federal do Amazonas.

SETUBAL, Aglair Alencar. Desafios à pesquisa no Serviço Social: da formação acadêmica à prática profissional. Revista Katálysis, v. 10, n. SPE, p. 64-72, 2007.

SIMIONATTO, Ivete; NEGRI, Fabiana. Gramsci e a produção do conhecimento no Serviço Social brasileiro. Revista Katálysis, v. 20, n. 1, p. 13-21, 2017.

Downloads

Publicado

2021-07-24

Como Citar

Lúcia Batista Gomes, V. ., Daltro Tavares Paiva, S., & Camille Marques Cezar, K. . (2021). FORMAÇÃO PROFISSIONAL EM SERVIÇO SOCIAL E POLÍTICA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NO ÂMBITO DAS IES DO PROCAD-AMAZÔNIA: ELEMENTOS PARA O DEBATE. Revista Serviço Social Em Perspectiva, 5(02), 34–56. https://doi.org/10.46551/rssp.202118