QUEIXAS ÁLGICAS EM PRATICANTES DE CICLISMO

  • João Victor De Araújo Queiroz Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES
  • Waldney Roberto de Matos e Ávila Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES
  • Hellen Veloso Rocha Marinho Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES

Resumo

O ciclismo é um dos esportes mais tradicionais do mundo, o Mountain Bike é uma modalidade bem popular do ciclismo, mas algumas pessoas ainda têm receio de começar a prática, devido ao suposto potencial lesivo dessa modalidade. Algumas regiões corporais são mais demandadas durante a sua prática em função de diversos fatores, podendo acarretar no surgimento de sintomas específicos e lesões futuras. O objetivo do presente estudo foi verificar a presença de queixas (sintomas) em praticantes de Mountain Bike da cidade de Montes Claros. A amostra do presente estudo foi composta por 44 adultos jovens praticantes de Mountain Bike, sendo 38 homens e 6 mulheres, com idade média de 36,5 (± 11,57) anos. Os voluntários responderam a um a formulário estruturado específico, contendo questões objetivas e subjetivas relacionadas aos dados demográficos,  perfil da prática da modalidade,  presença de sintomas, histórico de lesões entre outros. Análise descritiva foi utilizada para caracterizar a amostra e as variáveis categóricas foram apresentadas na forma de frequência absoluta e frequência relativa. 50% dos voluntários reportaram a presença de sintomas.  Dos 26 sintomas relatados, foram evidenciados que 34% correspondiam à dor no joelho, 23% referiam à dor na coxa, 11% dos sintomas ocorriam em função de dor na coluna e quadril, 7% referiam a dor na perna,  enquanto que a queixa de dor foi reportada no ombro, punho e perna numa freqüência de  3,84%  para cada uma dessas regiões . Conclui-se que os locais com maior frequência de sintomas entre os praticantes de ciclismo foram o complexo articular  do joelho e  a região da coxa.

Publicado
2020-01-17
Como Citar
Victor De Araújo QueirozJ., Roberto de Matos e ÁvilaW., & Veloso Rocha MarinhoH. (2020). QUEIXAS ÁLGICAS EM PRATICANTES DE CICLISMO. Revista Eletrônica Nacional De Educação Física, 2(2), 23. Recuperado de //www.periodicos.unimontes.br/index.php/renef/article/view/438