Uma reflexão sobre cidade, conflito e a “ocupação” como léxico da agência política do Recife contemporâneo a partir do Movimento Ocupe Estelita

Autores

  • Izabella Medeiros Grupo de Pesquisa Curupiras: Colonialidades e Outras Epistemologias
  • Francisco Sá Barreto Grupo de Pesquisa Curupiras: Colonialidades e Outras Epistemologias

DOI:

https://doi.org/10.46551/issn2179-6807v26n1p10-37

Palavras-chave:

Cidade. Movimento Ocupe Estelita. Cultura Política. Segregação urbana. Novas agências políticas.

Resumo

Este trabalho é produto de uma pesquisa em desenvolvimento cujo objetivo central é investigar a interdependência entre os discursos da tradição/identidade e do progresso/desenvolvimento na produção de uma cultura política da cidade observados em três tempos específicos (1937, 1971 e 2014) na cidade do Recife-PE. O presente trabalho decorre do terceiro recorte temporal e tem como objetivo entender de que maneira a ocupação do Movimento Ocupe Estelita sintetiza as relações de conflito observadas na cultura política da cidade do Recife deste início de século. Para isso, realizamos pesquisa documental em jornais e na internet e também produzimos nossos próprios diários de pesquisa. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Izabella Medeiros, Grupo de Pesquisa Curupiras: Colonialidades e Outras Epistemologias

Doutora em Sociologia, pesquisadora do Grupo de Pesquisa Curupiras: Colonialidades e Outras Epistemologias, e-mail: bellamedeiros@gmail.com.

Francisco Sá Barreto, Grupo de Pesquisa Curupiras: Colonialidades e Outras Epistemologias

Doutor em Sociologia, professor do Departamento de Antropologia e Museologia da UFPE, pesquisador do Grupo de Pesquisa Curupiras: Colonialidades e Outras Epistemologias, e-mail: xicosabarreto@gmail.com.

Referências

ACIOLI, Maíra. Empatando tua vista. Blog Direitos urbanos, 21, fev. 2017. https://direitosurbanos.wordpress.com/empatando-tua-vista/. Acessado em 15 de julho de 2020.

AGAMBEN, Giorgio. Profanações. São Paulo: Boitempo, 2007.

BHABHA, Homi. O Local da Cultura. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1998.

BENZAQUEN, Júlia Figueiredo; SÁ BARRETO, Francisco. A mão dupla da rua: a ambivalência da “nova resistência” ou elementos para uma outra gramática da mobilização. Estudos de Sociologia, v. 2, n. 19, abr. 2015.

CALDEIRA, Teresa Pires do Rio. Cidade de Muros: crime, segregação e cidadania em São Paulo. São Paulo: Ed. 34, 2000.

GOHN, Maria da Glória. Teoria dos movimentos sociais: paradigmas clássicos e contemporâneos. São Paulo: Edições Loyola, 1997.

______. Manifestações e protestos no Brasil: correntes e contracorrentes na atualidade. São Paulo: Cortez, 2017.

HABERMAS, Jürgen. Mudança estrutural da esfera pública: investigações quanto a uma categoria da sociedade burguesa. Rio de Janeiro: Tempo brasileiro, 2003.

JACOBS, Jane. Morte e vida de grandes cidades. São Paulo: Martins Fontes, 2014.

JEUDY, Henri-Pierre. Espelho das cidades. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2005.

LEITE, Rogério Proença. Contra-usos da cidade: lugares e espaço público na experiência urbana contemporânea. Campinas: Unicamp, 2007.

LIMA, Antônio Marques. A dinâmica da relocação do Residencial Via Mangue III: um estudo sobre a formação da identidade comunitária. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso em Ciências Sociais – Departamento de Antropologia e Museologia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife. 2014.

MARICATO, Ermínia. Brasil, cidades: alternativas para a crise urbana. Petrópolis: Vozes, 2013.

MONTALDO, Graciela. Zonas ciegas: populismos y experimentos culturales em Argentina. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2010.

OLIVEIRA, Fernanda Martinez. Inclusão social a partir do direito à moradia: Programa Recife sem palafitas. Cadernos Gestão Pública e Cidadania, v. 9, n. 44, nov. 2004, p. 7-22.

PEIXOTO, Paulo. Requalificação Urbana. Em: FORTUNA, Carlos; PROENÇA-LEITE, Rogério (Orgs.). Plural de Cidade: léxicos e culturas urbanas. Coimbra: Almedina, 2009.

PONTUAL, Virgínia. Uma cidade e dois prefeitos: narrativas do Recife das décadas de 1930 a 1950. Recife: Ed.UFPE, 2001.

SÁ BARRETO, Francisco. A dor e a delícia de ser o que: a brasilidade e o caso do pertencimento como disciplina. 2012. p. 293. Tese de Doutorado em Sociologia – Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa. 2012.

SÁ BARRETO, Francisco; MEDEIROS, Izabella Maria. As cidades como objeto das políticas de cultura: o caso da Recife do século XXI. Brasília: Anais do Congresso da SBS, 2017.

______. Limites e possibilidades de agências digitais para outras urbanidades possíveis – o caso do grupo de direitos urbanos em Recife, Pernambuco. REVISTA DIREITO E PRÁXIS, v. 11, p. 666-696, 2020a.

______. Culturas do Passado-Presente: Um estudo sobre o discurso da Novidade e as políticas patrimoniais em um Recife de três tempos. REVISTA BRASILEIRA DE PESQUISA (AUTO)BIOGRÁFICA, v. 05, p. 667-691, 2020b.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Pela mão de Alice: o social e o político na pós-modernidade. 10ª ed., São Paulo: Cortez, 2005.

______. La refundación del Estado en América Latina. Perspectivas desde una epistemología del sur. Lima, Julio de 2010. Instituto Internacional de Derecho y Sociedad. Programa Democracia y transformación global. Red latinoamericana de Antropología Jurídica (RELAJU), 2010.

SANTOS, Milton. A urbanização brasileira. São Paulo: EdUSP, 2013.

SARLO, Beatriz. Tempo Presente: notas sobre a mudança de uma cultura. Rio de Janeiro: José Olympo, 2005.

SEVCENKO, Nicolau. A Revolta da Vacina: mentes insanas em corpos rebeldes. São Paulo: Cosac Naify, 2010.

SOUZA, Jessé. A ralé brasileira: quem é e como vive. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2009.

VERAS, Lúcia Maria de Siqueira. Paisagem-postal: a imagem e a palavra na compreensão de um Recife urbano. 2014. p. 467. Tese de Doutorado em Desenvolvimento Urbano – Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Urbano, Universidade Federal de Pernambuco, Recife. 2014.

WACQUANT, Loïc. Os condenados da cidade: estudos sobre marginalidade avançada. Rio de Janeiro: Revan, 2005.

______________. As duas faces do gueto. São Paulo: Boitempo, 2008.

YÚDICE, George. A Conveniência da Cultura: usos da cultura na era global. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2004.

ŽIŽEK, Slavoj. Multiculturalismo, ou a lógica cultural do capitalismo multinacional. Em. ŽIŽEK, Slavoj et al. Žižek crítico: política e psicanálise na era do multiculturalismo. São Paulo: Hacker Editores, 2005.

ZUKIN, Sharon. Paisagens do século XXI: notas sobre a mudança social e o espaço urbano. Em: ARANTES, Antônio. O Espaço da diferença. Campinas: Papirus, 2000.

Downloads

Publicado

2020-09-15

Como Citar

Medeiros, I., & Barreto, F. S. (2020). Uma reflexão sobre cidade, conflito e a “ocupação” como léxico da agência política do Recife contemporâneo a partir do Movimento Ocupe Estelita. Revista Desenvolvimento Social, 26(1), 10-37. https://doi.org/10.46551/issn2179-6807v26n1p10-37