A PRONÚNCIA EM SALA DE AULA

ENSINO DE ESPANHOL A PARTIR DA PRÁTICA TEATRAL

Autores

  • Ana Caroline Souza de Oliva
  • Maria Fernanda Lacerda de Oliveira

Palavras-chave:

Ensino de Língua Espanhola, Pronúncia, Teatro, Aprendizagem Significativa.

Resumo

Este trabalho objetiva apresentar e discutir sobre o ensino de Espanhol a partir de uma estratégia didática para desenvolver a pronúncia no ambiente da sala de aula. Nessa abordagem e mediante a realidade advinda das escolas regulares, que marginalizam essa habilidade, desenvolver a prática da oralidade por meio do teatro constitui a proposta deste trabalho. Esta pesquisa configura-se a partir da discussão teórica  a respeito das implicações do teatro para o ensino de espanhol com foco na pronúncia, almejando-se uma aprendizagem significativa. Sob esta ótica, para além de fins educativos, que se constroem na aprendizagem significativa, o ideário de humanização é proporcionado, visto que tal fator mostra-se primordial à aprendizagem do idioma. Dessa forma, um novo olhar para o processo de ensino-aprendizagem de línguas, associando as teorias subjacentes ao ensino de pronúncia em língua espanhola e à aprendizagem significativa, bem como ao desenvolvimento da autonomia do estudante, o ensino por meio do teatro se torna relevante para a articulação entre teoria e prática, e entre os demais conteúdos e habilidades a serem desenvolvidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALONSO, Encina. Cómo ser Profesor/a y Querer Seguir Siéndolo: Princípios y Práctica de la Enseñanza del Español como Segunda Lengua, libro de Referencia para Profesores y Futuros Profesores. Madrid: Edelsa Grupo Didascalia, 1994.

BARROS, Luizete Guimarães; DIAS, Eva Christina Orzechowski. Língua Espanhola V: Fonética e Fonologia. Florianópolis: Coordenação de Ambiente Virtual, 2010.

CAVASSIN, Juliana. Perspectivas para o Teatro na Educação como Conhecimento e Prática Pedagógica. Revista Científica: Faculdade de Artes do Paraná, Curitiba, v. 3, n. 1, p.39-52, jan./dez. 2008.

FALCÃO, Carla Aguiar. O Ensino da Pronúncia do Espanhol na Educação à Distância: Uma Proposta Didática. In: XXIV Jornada Nacional do Grupo de Estudos Linguísticos do Nordeste. Natal. Anais da Jornada do Grupo de Estudos Linguísticos do Nordeste, 2012, v. único.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: Saberes Necessários à Prática Educativa. 25ª edição. São Paulo: Paz e Terra, 1996, 52 p.

GADOTTI, Moacir. Perspectivas Atuais da Educação. São Paulo, v.14, n.2, p. 03-11, abr-jun. 2000. FapUNIFESP(Scielo).

MACHADO, Maria Ângela de Ambrosis Pinheiro. O Processo de Criação do Ator: Uma Perspectiva Semiótica. In: CARREIRA, André et al. Memória ABRACE IX: Metodologias de Pesquisa em Artes Cênicas. Rio de Janeiro: 7letras, 2006. p. 92-104.

OLIVÉ, Dolors. Poch. Fonética para Aprender Español: Pronunciación. Madrid: Edinumen, 1999.

PELIZZARI, Adriana et al. Teoria da Aprendizagem Significativa Segundo Ausubel. Revista: Psicologia, Educação e Cultura, Curitiba, v. 1, n. 2, p.37-42, jul. 2002. Anual.

RICHARDS, Jack C; LOCKHART, Charles. Tradução de Juán Jesús Zaro. Estrategias de Reflexión sobre la Enseñanza de Idiomas. Madrid: Cambridge University Press, 1998.

TALLEI, Jorgelina. Dime Qué Material Usas y te Diré Qué Profesor Eres. In: BARROS, Cristiano Silva de; COSTA, Elzimar Goettenauer de Marins (Org.). Se HaceCamino al Andar: Reflexões em Torno do Ensino de Espanhol na Escola. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, 2012. p. 163-173.

Downloads

Publicado

2020-03-25

Como Citar

Caroline Souza de Oliva, A., & Fernanda Lacerda de Oliveira, M. (2020). A PRONÚNCIA EM SALA DE AULA: ENSINO DE ESPANHOL A PARTIR DA PRÁTICA TEATRAL. Revista Ciranda, 4(1), 74-80. Recuperado de https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/ciranda/article/view/1574

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)