JOGOS MATEMÁTICOS COMO MOTIVAÇÃO PARA APRENDIZAGEM MATEMÁTICA

Autores

  • Julcilene Alves Lopes Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

DOI:

https://doi.org/10.46551/259498102021009

Palavras-chave:

Jogos; Aprendizagem; Lúdico.

Resumo

O tema do presente artigo é, Educação matemática: contribuições dos
jogos no processo ensino aprendizagem. A problemática da pesquisa
busca compreender se a forma que vem sendo utilizado os jogos para
ensinar a matemática no ensino fundamental da escola X, no primeiro
semestre de 2012, vem sendo adequada a aprendizagem desta disciplina.
Desta forma vale salientar que a hipótese antes de realizar a pesquisa
era: a forma que vem sendo utilizado os jogos para ensinar a matemática
no ensino fundamental da escola X, no primeiro semestre de 2012, vem
sendo adequada a aprendizagem desta disciplina. A metodologia adotada
fundamentou-se em uma visão qualitativa da pesquisa e a
operacionalização da mesma envolveu uma pesquisa bibliográfica
baseada nos autores: Kishimoto (2006), Smole (2000), Vigotsky (1989),
Piaget (1998), Oliveira (2000), Araújo (1992), Moyles (2006), Fantin
(2000), Dante (1991,2005), Santos (2002), PCNs (1997). E uma
pesquisa de campo que foi concretizada por meio da realização de uma
entrevista estruturada, através da qual foram indagados uma amostra de
cinco professores da escola x sendo que estes sujeitos compõem um
universo de doze professores. Baseando-se nos estudos sobre o uso dos
jogos no ensino da matemática e em resultados da pesquisa com os
indagados pode se compreender que a forma que vem sendo utilizados
de jogos para realizar o ensino aprendizagem da matemática na escola x
contribui para o desenvolvimento da autonomia do raciocínio
matemático pela criança e ainda possibilita a realização de planejamento
de ações projeções de soluções para situações novas, criando estratégias
próprias para sua resolução, desenvolvendo a imaginação e a
criatividade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Julcilene Alves Lopes, Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

Graduada em Pedagogia pela Universidade Estadual de Montes Claros – UNIMONTES, pósgraduada em Supervisão e Orientação Escolar e em Psicopedagogia. Trabalha na Secretaria de
Educação do Distrito Federal.

Referências

ARAÚJO Vânia. O jogo no contexto da educação psicomotora. São Paulo: Cortez, 1992.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais:

Matemática. – Brasília: MEC/SEF, 1997.

CUNHA, Nylse Helena da Silva. Brinquedo, desafio e descoberta. Rio de Janeiro: FAE,

DAMBRÓSIO, Ubiratan. Etnomatemática: elo entre as tradições e a modernidade. Belo

Horizonte: Autêntica, 2001.

DANTE. Roberto Luiz. Didática da resolução de problemas de matemática. São Paulo:

Editora Ática, 1991.

FANTIN, M. No mundo da brincadeira: jogo, brinquedo e cultura na educação infantil.

Florianópolis: Cidade Futura, 2000.

FREIRE. P. Pedagogia da autonomia. São Paulo: Editora Paz e Terra, 1971.

KISHIMOTO, M. Tizuko. O jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. 9. ed. São Paulo:

Cortez, 2006.

LIMA. E. S. A Criança pequena e suas linguagens. São Paulo, Ed. Sobradinho, 2004.

MOYLES, Janet. A excelência do brincar. São Paulo: Artmed, 2006.

OLIVEIRA, Vera et al. O brincar e a criança do nascimento aos seis anos. Petrópolis:

Vozes, 2000.

PIAGET, J.;Inhelder, B. A psicologia da criança. 22 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil,

SANTOS, F. L. Educação matemática, de uma abordagem histórico cultural às

estruturas lógicas-matemáticas do pensamento cognitivo. Cortez Editora, São Paulo. 2002.

VYGOTSKY, L.S. Pensamento e Linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1993

Downloads

Publicado

2021-03-08 — Atualizado em 2021-03-16

Versões

Como Citar

Lopes, J. A. (2021). JOGOS MATEMÁTICOS COMO MOTIVAÇÃO PARA APRENDIZAGEM MATEMÁTICA. Revista Ciranda, 5(1), 164-175. https://doi.org/10.46551/259498102021009 (Original work published 8º de março de 2021)

Edição

Seção

Artigos