Educação Inclusiva: um estudo sobre a percepção dos professores de uma escola em Espinosa – MG

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22238/rc24482692201917017085

Palavras-chave:

Inclusão. Gestão educacional. Interação. Educação Inclusiva.

Resumo

O processo de inclusão do aluno com deficiência em classes comuns da rede regular ainda requer muitas mudanças na gestão educacional por parte do Estado, que funciona como um exemplo da sociedade, dando uma visão geral de como ela é, ressaltando uma importante missão da escola que é a de proporcionar relacionamentos em um ambiente de interação. A prática em sala de aula não atende efetivamente as necessidades dos alunos no processo de inclusão e um dos motivos que contribuem para isso é a falta de adaptação do currículo por parte da escola. Este estudo proporcionou um olhar mais atento no que envolve a realidade da educação inclusiva nas escolas e também trouxe para mais perto a realidade vivenciada nas escolas da rede regular. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ertz Ramon Teixeira Campos, Universidade Estadual de Montes Claros – UNIMONTES,Montes Claros, Minas Gerais, Brasil

Possui Graduação em História pela Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES). Atualmente é Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES).

Humberto Gabriel Rodrigues, Universidade Estadual de Montes Claros – UNIMONTES,Montes Claros, Minas Gerais, Brasil

Possui Graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES), Mestrado em Genética e Bioquímica pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e Doutorado em Ciências da Saúde pela Universidade de Brasília (UnB). Atualmente é Professor da Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES).

Helen Cristhianne de Oliveira Macedo, Universidade Estadual de Montes Claros – UNIMONTES,Montes Claros, Minas Gerais, Brasil

Possui Graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES).

Aliny Cristiany Cardoso de Sá, Universidade Estadual de Montes Claros – UNIMONTES,Montes Claros, Minas Gerais, Brasil

Possui Graduação em Letras/Português pela Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES).

Francisco Malta de Oliveira, Universidade Estadual de Montes Claros – UNIMONTES,Montes Claros, Minas Gerais, Brasil

Possui Graduação em Administração e Mestrado em Desenvolvimento Social, ambos cursados pela Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES). Atualmente é Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Social da Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES).

Éder de Souza Beirão, Universidade Estadual de Montes Claros – UNIMONTES,Montes Claros, Minas Gerais, Brasil

Possui Graduação em Administração pela Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES). Atualmente é Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Social da Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES).

Referências

ÁLVAREZ, Mercedes; TORRADO-FONSECA, Mercedes. El método Delphi. Reire. Revista D'innovació I Recerca En Educació, [s.l.], v. 9, n. 1, p.87-102, jan. 2016. Publicacions UB. http://dx.doi.org/10.1344/reire2016.9.1916.

AQUINO, Julio Groppa. Diferenças e preconceitos na escola: Alternativas teóricas e Praticas. São Paulo. Sumus, 1998.

BRASIL. Congresso Nacional. Constituição: República Federativa do Brasil. Brasília, Centro Gráfico, 1988.

BRASIL. Congresso Nacional. Lei de Diretrizes e Bases da Educação (Lei nº 9.394). Brasília, Centro Gráfico, 1996.

BRASIL. Experiências educacionais inclusivas. Programa Educação Inclusiva: direito à diversidade. Organizadora: Berenice Weissheimer Roth. – Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial, 2006.

CARTOLANO, Maria Teresa. Formação do educador no curso de pedagogia: A educação especial. IN: Cadernos CEDES, nº 46 – Setembro, 1998. UNICAMP/ Campinas, São Paulo.

CUORE, R. E. C. Como promover a inclusão escolar, enfrentando as mudanças propostas pelo paradigma da inclusão. Disponível em: <http://www.artigonal.com/educacao-artigos/como-promover-a-inclusao-escolar-efrentando-as-mudancas-propostas-pelo-paradigma -da-inclusao-1024382.html>. Acesso em 07 set. 2011.

DECLARAÇÃO DE SALAMANCA: Sobre Princípios, Políticas e Práticas na Área das Necessidades Educativas Especiais, 1994, Salamanca-Espanha.

DÍAZ, Féliz, BORDAS, Miguel, GALVÃO, Nelma , MIRANDA Theresinha, organizadores; autores, Elias Souza dos Santos… [et al.]. Educação inclusiva, deficiência e contexto social: questões contemporâneas, - Salvador: EDUFBA,2009.

FERREIRA, Maria Elisa C., GUIMARÃES, Marly. Educação Inclusiva. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI; Marina de Andrade. Fundamentos de metodologia científica. 5.ed. São Paulo: Atlas, 2003.

LOPES, Esther. Adequação curricular: um caminho para a inclusão do aluno com deficiência intelectual. Londrina, 2010.

MANTOAN, Maria Tereza Égler. Inclusão Escolar: pontos e contrapontos. São Paulo: Summus, 2006.

MANTOAN, Maria Tereza Égler. Inclusão Escolar: o que é? Por quê? Como fazer? São Paulo: Moderna, 2003.

MAZZOTTA, Marcos. Trabalho Docente e Formação de Professores de Educação, especial. São Paulo: EPU,1993.

MINAS GERAIS, Secretaria de Estado de Educação. Caderno de textos para formação de professores da rede pública de ensino de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2006.

MITTLER, Peter. Educação Inclusiva: contextos sociais. Trad. Windyz Brazao Ferreira. - Porto Alegre: Artmed, 2003.

QUADROS, Ronice. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Inclusão: Revista Educação Especial. Brasília, v. 4, n. 1, p. 1-61, jan./jun. 2008

SASSAKI, Romeu Kazuni, Inclusão: Construindo uma sociedade para todos. 4 ed. Rio de Janeiro: WVA, 1997.

SANTOS, Jaciete Barbosa. A dialética da exclusão/inclusão na história da educação de alunos com deficiência. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 11, nº 17, p. 27-44, jan/jun, 2002.

SCORTEGAGNA, Paola; OLIVEIRA, Rita. A formação do professor da Educação de Jovens e Adultos: um processo contínuo e reflexivo. Dialogia, São Paulo, v. 7, n. 1, p. 77-84, 2008.

UNESCO. Orientações para a inclusão: garantindo o acesso à educação para todos. 2005. Disponível em: http://redeinclusão.web.ua.pt/files/fl_43.pdf. Acesso em 21 de março de 2017.

Downloads

Publicado

2019-04-01

Como Citar

CAMPOS, E. R. T.; RODRIGUES, H. G.; MACEDO, H. C. de O.; SÁ, A. C. C. de; OLIVEIRA, F. M. de; BEIRÃO, Éder de S. Educação Inclusiva: um estudo sobre a percepção dos professores de uma escola em Espinosa – MG. Revista Cerrados, [S. l.], v. 17, n. 01, p. 70–85, 2019. DOI: 10.22238/rc24482692201917017085. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/889. Acesso em: 9 ago. 2022.