Influência dos fatores geológicos, geomorfológicos e fisiográficos, na dinâmica fluvial do alto curso do Rio Jequitinhonha no segmento entre Diamantina e Couto Magalhães de Minas – Minas Gerais/Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46551/rc24482692202322

Palavras-chave:

Serra do Espinhaço Meridional, Rio Jequitinhonha, Geomorfologia Fluvial, Aspectos Fisiográficos

Resumo

A Serra do Espinhaço Meridional é composta essencialmente por litologias do Supergrupo Espinhaço, formado principalmente por rochas quartzíticas, filíticas, conglomeráticas, com predominância absoluta dos quartzitos, compondo uma cobertura rígida densamente fraturada e cisalhada. A Serra do Espinhaço é compartimentada em duas unidades geomorfológicas: os planaltos, que se encontram muito bem individualizados e, a depressão, que se diferencia por uma zona deprimida de direção NW-SE. Localizada em sua borda leste, encontra se a bacia hidrográfica do Rio Jequitinhonha, rio este, de extrema relevância para região Nordeste do estado de Minas Gerais. Estudos abordando a geomorfologia fluvial, são importantes e relevantes para entender como a dinâmica fluvial influência no comportamento hidrológico do rio. Neste trabalho, analisou-se os fatores fisiográficos do segmento fluvial do Rio Jequitinhonha abrangendo o município de Diamantina. As características fisiográficas ao longo deste segmento contribuem diretamente no seu comportamento fluvial. Características tais, como as feições geomorfológicas, aspectos geológicos e litológicos, característica climática, fitofisionomia vegetal, além, das atividades de mineração, tornam-se responsáveis por modificações na dinâmica fluvial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruno Teles de Souza, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri – UFVJM, Diamantina (MG), Brasil

É Graduado em Geologia pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e Mestre em Geologia pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM). Atualmente atua como geólogo no setor de mineração.

Endereço: Rodovia MGT 367 – Km 583, n° 5000, Alto da Jacuba, Diamantina, MG, CEP: 39100-000.

Hernando Baggio, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri – UFVJM, Diamantina (MG), Brasil

É Graduado em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Mestre em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Doutor em Geologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Atualmente é professor pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM).

Endereço: Rodovia MGT 367 – Km 583, n° 5000, Alto da Jacuba, Diamantina, MG, CEP: 39100-000.

Bárbara Thaíssa da Silva Barros, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), Diamantina, Minas Gerais, Brasil

É Graduada em Geografia pela Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) e Mestre em Geologia pela Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM). Atualmente é Professora na rede pública da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG).

Endereço: Rodovia MGT 367 – Km 583, n° 5000, Alto da Jacuba, Diamantina, MG, CEP: 39100-000.

 

Referências

ALMEIDA-ABREU, P. A. O Supergrupo Espinhaço da Serra do Espinhaço Meridional (Minas Gerais): O rifte, a bacia e o orógeno. Revista Geonomos, Belo Horizonte, n. 3, v. 1, p. 1-18, 1995.

ALMEIDA-ABREU, P. A.; RENGER, F. E. Serra do Espinhaço Meridional: um orógeno de colisão do Mesoproterozóico. Revista Brasileira de Geociências, [S./l.], v.32, n.1, p.1-14, 2002.

AUGUSTIN, C. H. R. R; FONSECA, B. M; ROCHA, L. C. Mapeamento geomorfológico da Serra do Espinhaço Meridional: primeira aproximação. Revista Geonomos, [S./l.], v.19, n.2, p.50-69, 2011.

BAPTISTA, M. B; SPERLING, M. V. Morfologia Fluvial. In: VON SPERLING, M (Org.). Estudos e modelagem da qualidade da água de rios (Princípios de tratamento biológico de águas residuárias, V.7). 2. ed. Editora UFMG. Belo Horizonte, p. 139 – 184, 2014.

CHAVES, M. L. S. C.; CHAMBEL, L. Diamantes do médio Rio Jequitinhonha, Minas Gerais: Qualificação gemológica e análise granulométrica. Revista Escola de Minas, Ouro Preto, v. 57, n. 4, p. 267-275, 2004.

CHRISTOFOLETTI, A. Geomorfologia. 2. ed. São Paulo: Edgard Blucher Ltda, 188 p. 1980.

CHRISTOFOLETTI, A. Geomorfologia fluvial. Volume I - O canal fluvial. 1. ed. São Paulo: Edgard Blucher Ltda, 297 p. 1981.

COSTA, F. N. Campos Rupestres. In: SILVA, A. C.; PEDREIRA, L. C. V. S. F.; ABREU, P. A. A. O. (Org.). Serra do Espinhaço Meridional: Paisagens e ambientes. O Lutador, 2005, 271p.

FERREIRA, V. O. Unidades de paisagem da bacia do rio Jequitinhonha, em Minas Gerais: subsídios para a gestão de recursos hídricos. Caminhos de Geografia, [S./l.], v. 12, n. 37, abr. 2011.

FONSECA, B.; AUGUSTIN, R. Análise morfométrica de bacias de drenagem e sua relação com a estrutura geológica na Serra do Espinhaço Meridional-MG. Revista Brasileira de Geomorfologia, [S./l.], v.15, n.2, p. 153-172, 2014.

GROSSI-SAD, J. H.; ROQUE, N. C.; KNAUER, L. G., NOCE, C. M. & FONSECA, E. Geologia da Folha Carbonita. In: GROSSI-SAD, J. H.; LOBATO, L. M.; PEDROSA-SOARES, A. C. & SOARES-FILHO, B. S. (Ed.). PROJETO ESPINHAÇO EM CD-ROM (textos, mapas e anexos). Belo Horizonte, COMIG - Companhia Mineradora de Minas Gerais, p.1251-1371, 1997.

HOWARD, A. D. Drainage analysis in geologic interpretation: a summation. The American Association of Petroleum Geologists Bulletin, [S./l.], v. 51, nº11, p. 2246-2259. 1967.

INSTITUTO METEOROLÓGICO DO BRASIL – INMET. Normais climatológicas do brasil, período 1981 – 2010. Disponível em: <http://www.inmet.gov.br/portal/index.php?r=clima/normaisClimatologicas>. Acesso em: 26 Out. 2019.

KELLER, E. A.; PINTER, N. Active tectonics, earthquakes, uplift, and landscape. 2nd ed. Pretince-Hall, Inc. Upper Saddle River, New Jewrsey, 2002. 362p.

KING, L. C. A Geomorfologia do Brasil Oriental. Revista Brasileira de Geografia, [S./l.], v.8, n.2, p. 147-266, 1956.

KÖPPEN, W.; GEIGER, R. Klimate der Erde. Gotha: Verlag Justus Perthes. 1928. (Wall-map 150cmx200cm.).

MENDONÇA FILHO, C. V. Vegetação. In: SILVA, A. C.; PEDREIRA, L. C. V. S. F.; ABREU, P. A. A. O. (Org.). Serra do Espinhaço Meridional: Paisagens e ambientes. O Lutador, 2005, 271p.

NOCE, C. M.; FOGAÇA, A. C. C. Mapa geológico da Folha Curimataí, Minas Gerais, Brasil. Projeto Espinhaço. Belo Horizonte: COMIG/IGC-UFMG, 1996.

NOCE, C. M. Geologia da Folha Curimataí, Minas Gerais. In: Grossi-Sad, J.H.; Lobato, L.M.; Pedrosa-Soares, A.C.; Soares-Filho, B.S. (Org.). Projeto Espinhaço em CD-ROM. 1ed.Belo Horizonte: Companhia Mineradora de Minas Gerais, p. 1199-1250, 1997.

SAADI, A. A geomorfologia da serra do espinhaço em minas gerais e de suas margens. Revista Geonomos, [S./l.], v.3, n.1, p.41-63, 1995.

SOUZA, B. T.; SANTOS, M. S.; BAGGIO FILHO, H.; SILVA, R. F. Análise Espacial e Temporal do Uso e Ocupação da Terra Associado a Atividade de Extração Mineral no Rio Jequitinhonha Diamantina - MG. Acta Geográfica, [S./l.], v. 16, p. 166-188, 2023.

SALGADO, A. A. R; VALADÃO, R. C. Contribuição da Desnudação Geoquímica na Evolução da Erosão Diferencial no Espinhaço Meridional-MG. Revista Brasileira de Geomorfologia, [S./l.], v. 4, nº 2, p. 31-40, 2003.

STRAHLER, ARTHUR, N. Quantitative Analysis of Watershed Geomorphology. Amer. Geoph. Union Trans, [S./l.], v. 38, p. 913-920, 1957.

UHLEIN A., TROMPETTE R., EGYDIO-SILVA M. Rifteamentos superpostos e tectônica de inversão na borda sudeste do Cráton São Francisco. Geonomos, [S./l.], v. 3, n. 1, p. 99-107, 1995.

ZERNITZ, E. R. Drainage patterns and their significance. The Journal of Geology, [S./l.], v.40, n.6, p.498-521, 1932.

Downloads

Publicado

2023-09-10

Como Citar

SOUZA, B. T. de; BAGGIO, H.; BARROS, B. T. da S. Influência dos fatores geológicos, geomorfológicos e fisiográficos, na dinâmica fluvial do alto curso do Rio Jequitinhonha no segmento entre Diamantina e Couto Magalhães de Minas – Minas Gerais/Brasil. Revista Cerrados, [S. l.], v. 21, n. 02, p. 134–157, 2023. DOI: 10.46551/rc24482692202322. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/6485. Acesso em: 21 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Categorias