SÍFILIS CONGÊNITA NO BRASIL: PANORAMA ATUALIZADO DA INCIDÊNCIA E FATORES DE INFLUÊNCIA

Autores

  • Beatriz Dias Freitas Universidade de Brasília - UnB
  • Karoliny Marques do Carmo Santana Universidade de Brasília - UnB
  • Natália Lopes de Freitas Universidade de Brasília - UnB
  • Joel Antônio Cordeiro de Abreu Universidade de Brasília - UnB
  • Fabiana Brandão Universidade de Brasília - UnB

DOI:

https://doi.org/10.46551/ruc.v23n2a02

Palavras-chave:

Treponema pallidum; Sífilis Congênita; Incidência; Fatores de influência

Resumo

Objetivo: destacar fatores de risco e discutir o panorama atual da Sífilis congênita no Brasil. Métodos: trata-se de uma revisão integrativa de literatura, baseada no modelo PRISMA com busca de artigos nas bases de pesquisas biomédicas Pubmed e Science Direct, em um intervalo de publicação de 2011 a 2020, o que resultou na produção de um fluxograma, seguindo as etapas de identificação, seleção e inclusão dos dados. Resultados: foi observado um aumento significativo na incidência de casos de sífilis gestacional e congênita na última década. Além disso, foi possível o levantamento de grupos que apresentam maior propensão em transmitir a sífilis congênita; sendo as mulheres com baixa escolaridade, em vulnerabilidade socioeconômica, em uso de drogas ilícitas, durante a gravidez, autodeclaradas pretas ou pardas e a alta incidência de sexo desprotegido, as casualidades que levaram ao aumento dos casos. Considerações finais: este estudo sugere possíveis
falhas do sistema de saúde em oferecer um pré-natal adequado, diagnóstico assertivo de sífilis e outras ISTs, tratamento correto e campanhas de conscientização que alcance os grupos de maior propensão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Beatriz Dias Freitas, Universidade de Brasília - UnB

Graduanda do curso de Farmácia pela Universidade de Brasília (UnB). Faculdade de Saúde, Universidade de Brasília, Campus Darcy Ribeiro, Asa Norte, Brasília-DF, 70910-900, Brasil.

Karoliny Marques do Carmo Santana, Universidade de Brasília - UnB

Graduanda do curso de Farmácia pela Universidade de Brasília (UnB). Faculdade de Saúde, Universidade de Brasília, Campus Darcy Ribeiro, Asa Norte, Brasília-DF, 70910-900, Brasil.

Natália Lopes de Freitas, Universidade de Brasília - UnB

Graduanda do curso de Farmácia pela Universidade de Brasília (UnB). Faculdade de Saúde, Universidade de Brasília, Campus Darcy Ribeiro, Asa Norte, Brasília-DF, 70910-900, Brasil.
.

Joel Antônio Cordeiro de Abreu, Universidade de Brasília - UnB

Mestre em Ciências Genômicas e Biotecnologia e Graduando do curso de Farmácia pela Universidade de
Brasília (UnB). Faculdade de Saúde, Universidade de Brasília, Campus Darcy Ribeiro, Asa Norte, Brasília-DF, 70910-900, Brasil. 

Fabiana Brandão, Universidade de Brasília - UnB

Pós-doutorado e Professora Adjunto do Departamento de Farmácia da. Universidade de Brasília (UnB).
Laboratório de Análises Clínicas, Departamento de Farmácia, Faculdade de Saúde, Universidade de Brasília, Campus Darcy Ribeiro, Asa Norte, Brasília-DF, 70910-900, Brasil.

Referências

BRASIL, VIGILÂNCIA EM SAÚDE. oletim filis nternet Out, 2020 [cited 2021 May 31]. Available from: http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2020/boletimsifilis-2020.

PEELING R.W. et al. Syphilis. Nature Reviews Disease Primers [Internet]. 2017 Oct 12 [cited 2021 May 31];3(1):1–21. Available from:

https://www.nature.com/articles/nrdp201773

BEZERRA M.L.M.B. et al. Congenital Syphilis as a Measure of Maternal and Child Healthcare, Brazil [Internet]. Vol. 25, Emerging Infectious Diseases. 2019. p. 1469–76. Available from: http://dx.doi.org/10.3201/eid2508.180298

MARINHO S.J. et al. Mother-to-child transmission and gestational syphilis: Spatialtemporal epidemiology and demographics in a Brazilian region. PLoS Negl Trop Dis [Internet]. 2019 Feb;13(2):e0007122. Available from: http://dx.doi.org/10.1371/journal.pntd.0007122

BRASIL, MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de DST e HIV. Protocolo clínico e diretrizes terapêuticas para a prevenção da transmissão vertical do HIV, sífilis e hepatites virais. In: Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de DST e HIV, editor. Protocolo clínico e diretrizes terapêuticas para a prevenção da transmissão vertical do HIV, sífilis e hepatites virais [Internet]. 2015 [cited 2021 May 31]. Available from: http://www.aids.gov.br/pt-br/profissionais-de- saude/hiv/protocolos-clinicos-e-manuais.

HORVÁTH A. Biology and Natural History of Syphilis [Internet]. Sexually Transmitted Infections and Sexually Transmitted Diseases. 2011. p. 129–41. Available from: http://dx.doi.org/10.1007/978-3-642-14663-3_11

COOPER J.M. SÁNCHEZ P.J. Congenital syphilis [Internet]. Vol. 42, Seminars in Perinatology. 2018. p. 176–84. Available from:

http://dx.doi.org/10.1053/j.semperi.2018.02.005

ARAÚJO M.A.L. et al. Protocolo Brasileiro para Infecções Sexualmente Transmissíveis 2020: abordagem às pessoas com vida sexual ativa [Internet]. Vol. 30, Epidemiologia e Serviços de Saúde. 2021. Available from: http://dx.doi.org/10.1590/s1679-4974202100003.esp1

MACÊDO V.C. et al. Risk factors for syphilis in women: case-control study. Rev Saúde Pública [Internet]. 2017 Aug 17;51:78. Available from: http://dx.doi.org/10.11606/S1518-8787.2017051007066

RIBEIRO A.D.C. et al. Neurosyphilis in Brazilian newborns: a health problem that could be avoided. Rev Inst Med Trop Sao Paulo [Internet]. 2020 Nov 9;62:e82. Available from: http://dx.doi.org/10.1590/S1678-9946202062082.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Indicadores Sífilis - DCCI [Internet]. Indicadores e Dados Básicos da Sífilis nos Municípios Brasileiros. [cited 2021 May 31]. Available from: http://indicadoressifilis.aids.gov.br/

BRASIL, MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de DST A e. HV. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Atenção Integral às Pessoas com Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST). Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de DST e HVPC. DTPAI as PCIST, editor. 2018.

KOJIMA N. KLAUSNER J.D. An Update on the Global Epidemiology of Syphilis. Curr Epidemiol Rep [Internet]. 2018 Mar;5(1):24–38. Available from: http://dx.doi.org/10.1007/s40471-018-0138-z

GALVÃO T.F. et al. Principais itens para relatar Revisões sistemáticas e Metaanálises: A recomendação PRISMA. Epidemiol Serv Saúde [Internet]. 2015 [cited 2021 May 31];24:335–42. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-96222015000200335

DOMINGUES R.M.S.M. LEAL M do C. Incidência de sífilis congênita e fatores associados à transmissão vertical da sífilis: dados do estudo Nascer no Brasil. Cadernos de Saúde Pública [Internet]. 2016;32(6). Available from: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=s0102-

x2016000605002&script=sci_abstract&tlng=es

MARQUES S.M. et al. Trends of syphilis in Brazil: A growth portrait of the treponemic epidemic. PLoS One [Internet]. 2020 Apr 9;15(4):e0231029. Available from: http://dx.doi.org/10.1371/journal.pone.0231029

OLIVEIRA V.S. et al. Aglomerados de alto risco e tendência temporal da sífilis congênita no Brasil. Rev Panam Salud Publica; 44, aug 2020 [Internet]. 2020; Available from: https://iris.paho.org/handle/10665.2/52524

BENEDETTI K.C.S.V. et al. High Prevalence of Syphilis and Inadequate Prenatal Care in Brazilian Pregnant Women: A Cross-Sectional Study. Am J Trop Med Hyg [Internet]. 2019 Oct;101(4):761–6. Available from: http://dx.doi.org/10.4269/ajtmh.18-0912

PIRES C.P. et al. Syphilis notifications among pregnant women in Campo Grande, state of Mato Grosso do Sul, Brazil, 2011 to 2017. Rev Soc Bras Med Trop [Internet]. 2020 Sep 11;53:e20200024. Available from: http://dx.doi.org/10.1590/0037-8682-0024-2020

ANDRADE A.L.M.B. et al. LATE DIAGNOSIS OF CONGENITAL SYPHILIS: A RECURRING REALITY IN WOMEN AND CHILDREN HEALTH CARE IN BRAZIL. Rev Paul Pediatr [Internet]. 2018 Jul;36(3):376–81. Available from: http://dx.doi.org/10.1590/1984-0462/;2018;36;3;00011

MARTINEZ E.Z. et al. Attributable fraction of congenital syphilis due to the lack of prenatal care. Rev Soc Bras Med Trop [Internet]. 2019 Jul 18;52:e20180532. Available from: http://dx.doi.org/10.1590/0037-8682-0532-2018

RAC M.W.F. et al. Syphilis during pregnancy: a preventable threat to maternal-fetal health. Am J Obstet Gynecol [Internet]. 2017. Apr;216(4):352–63. Available from: http://dx.doi.org/10.1016/j.ajog.2016.11.1052.

CASAL C.A.D. et al. Molecular detection of Treponema pallidum sp. pallidum in blood samples of VDRL-seroreactive women with lethal pregnancy outcomes: a retrospective observational study in northern Brazil. Rev Soc Bras Med Trop [Internet]. 2011 Jul;44(4):451–6. Available from: http://dx.doi.org/10.1590/s0037-86822011005000047

OLIVEIRA D de. et al. Rollet’s mixed chancre in razilian pregnant women: An unusual case report [Internet]. Vol. 91, International Journal of Infectious Diseases. 2020. p. 57–9. Available from: http://dx.doi.org/10.1016/j.ijid.2019.11.011

DOMINGUES R.M.S.M. et al. Prevalence of syphilis in pregnancy and prenatal syphilis testing in Brazil: birth in Brazil study. Rev Saude Publica [Internet]. 2014 Oct;48(5):766–74. Available from: http://dx.doi.org/10.1590/s0034-8910.2014048005114

TUSSET D. et al. Programa Academia da Saúde: correlação entre internações por doenças crônicas não transmissíveis e adesão nos municípios brasileiros, 2011-2017 [Internet]. Vol. 29, Epidemiologia e Serviços de Saúde. 2020. Available from: http://dx.doi.org/10.1590/s1679-49742020000500013

ACOSTA L.M.W. et al. Coinfecção HIV/sífilis na gestação e transmissão vertical do HIV: um estudo a partir de dados da vigilância epidemiológica. Rev Panam Salud Publica [Internet]. 2016 Dec [cited 2021 May 31];40:435–42. Available from: https://www.scielosp.org/article/rpsp/2016.v40n6/435-442

BRASIL, MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Ciência. IE-C. Protocolo clínico e diretrizes terapêuticas para atenção integral às pessoas com infecções sexualmente transmissíveis. da Saúde M, editor. 2015.

Desabastecimento de penicilina alerta para desafio global de combate à sífilis [Internet]. 2016 [cited 2021 Aug 10]. Available from:

https://portugues.medscape.com/verartigo/6500488

ÁVILA A.P.O. MELO KCC de. Separação de poderes e diálogos institucionais nos litígios envolvendo o direito à saúde. Rev Investig Const [Internet]. 2018 Jan 1;5(1):83. Available from: http://revistas.ufpr.br/rinc/article/view/54934

ARAUJO R.S. et al. Who was affected by the shortage of penicillin for syphilis in Rio de Janeiro, 2013-2017? Rev Saude Publica [Internet]. 2020 Nov 2;54:109. Available from: http://dx.doi.org/10.11606/s1518-8787.2020054002196.

Downloads

Publicado

2021-08-22

Como Citar

FREITAS, B. D.; SANTANA, K. M. do C.; FREITAS, N. L. de; ABREU, J. A. C. de; BRANDÃO, F. SÍFILIS CONGÊNITA NO BRASIL: PANORAMA ATUALIZADO DA INCIDÊNCIA E FATORES DE INFLUÊNCIA. Revista Unimontes Científica, [S. l.], v. 23, n. 2, p. 01–16, 2021. DOI: 10.46551/ruc.v23n2a02. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/unicientifica/article/view/4503. Acesso em: 8 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos de Revisão - Dossiê Doenças Infecciosas e Parasitárias

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)