Análise da Força Muscular em Idosas Praticantes e Não Praticantes de Atividade Física Sistematizada

Autores

  • Anne Jacqueline Souza Santos Faculdades Integradas do Norte de Minas - Funorte
  • Claudiney Silva Ferreira Faculdades Integradas do Norte de Minas - Funorte
  • Amanda Mota Lacerda Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes
  • João Lucas Rodrigues dos Santos Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes
  • Mariana Rocha Alves Faculdade Verde Norte
  • Magda Mendes Vieira Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes
  • Vinicius Dias Rodrigues Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

DOI:

https://doi.org/10.46551/ruc.v22n1a05

Palavras-chave:

Força Muscular, Idosos, Sarcopenia, Atividade Física

Resumo

Resumo: Introdução: A prática regular de atividade física é fundamental para idosos. A diminuição da força e da potência do músculo pode influenciar na diminuição de autonomia, bem-estar e da qualidade de vida dos mesmos. A perda da força e da massa muscular predispõe os idosos a uma limitação funcional, fator predisponente para muitos processos patológicos associados ao aumento da morbidade e mortalidade. Objetivo: Analisar a força muscular em idosos praticantes e não praticantes de atividades físicas sistematizadas. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa descritiva, quantitativa e de corte transversal. Este estudo foi realizado na cidade de Montes Claros – MG, com população idosa na faixa etária de 65 a 75 anos de idade. Os indivíduos foram divididos em dois grupos, sendo inclusos no G1 idosas praticantes de atividades físicas regulares, e no G2 idosas não praticantes de atividades físicas. Todos os dados foram coletados a partir da investigação das variáveis, digitalizados e analisados no programa estatístico (SPSS®, 20.0). O presente estudo obteve aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa das Faculdades Integradas do Norte de Minas. Nesta pesquisa, foram realizados testes de força muscular de preensão manual, e a comparação realizada a partir da média relativa, média absoluta, máxima relativa e máxima absoluta para ambas as mãos (direita e esquerda). Resultados: Idosas ativas tinham maior força de pressão manual, significativa quando comparadas com as idosas sedentárias. Conclusão: Verificou-se que o exercício físico regular pode ter contribuído para manutenção ou aumento da força muscular no grupo de idosas ativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anne Jacqueline Souza Santos, Faculdades Integradas do Norte de Minas - Funorte

Educadora Física - Funorte. Minas Gerais - Brasil.

Claudiney Silva Ferreira, Faculdades Integradas do Norte de Minas - Funorte

Educador Físico - Funorte. Minas Gerais - Brasil

Amanda Mota Lacerda, Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

Mestre em Ciências da Saúde (Unimontes). Minas Gerais - Brasil.

João Lucas Rodrigues dos Santos, Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

Mestre em Ciências da Saúde (Unimontes). Minas Gerais - Brasil

Mariana Rocha Alves, Faculdade Verde Norte

Mestre em Medicina (UFF). Professora da Faculdade Verde Norte. Minas Gerais - Brasil.

Magda Mendes Vieira, Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

Doutora em ciências da saúde (Unimontes). Minas Gerais - Brasil.

Vinicius Dias Rodrigues, Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

Doutor em Ciências da Saúde (Unimontes). Professor da Universidade Estadual de Montes Claros e Faculdades unidas do Norte de Minas Gerais. Minas Gerais - Brasil.

Referências

KARSCH, U. M. Idosos dependentes: famílias e cuidadores. Cadernos de Saúde Pública, v. 19, p. 861-866, 2003. ISSN 0102-311X. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2003000300019&nrm=iso >.

BRASIL. Lei nº 8.842, de 4 de janeiro de 1994. Dispõe sobre a Política Nacional do Idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências. Diário oficial da União, 1994.

RP, V. Envelhecimento populacional e as informações de saúde do PNAD: demandas e desafios contemporâneos. Cad Saúde Pública, v. 23, n. 1, p. 2463-6, 2007.

CRISTOPOLISKI, F. et al. Stretching exercise program improves gait in the elderly. Gerontology, v. 55, n. 6, p. 614-620, 2009. ISSN 0304-324X.

BARBOSA, S. M. Estudo do equilíbrio em idosos através da fotogrametria computadorizada. Fisioterapia Brasil, v. 2, n. 3, p. 178-182, 2016. ISSN 2526-9747.

LACOURT, M. X.; MARINI, L. L. Decréscimo da função muscular decorrente do envelhecimento e a influência na qualidade de vida do idoso: uma revisão de literatura. Revista Brasileira de Ciências do Envelhecimento Humano, v. 3, n. 1, 2006. ISSN 2317-6695.

SILVA, T. A. D. A. et al. Sarcopenia associada ao envelhecimento: aspectos etiológicos e opções terapêuticas. Revista Brasileira de Reumatologia, v. 46, n. 6, p. 391-397, 2006. ISSN 0482-5004.

FERREIRA, O. G. L. et al. Envelhecimento ativo e sua relação com a independência funcional. Texto & Contexto-Enfermagem, v. 21, n. 3, p. 513-518, 2012. ISSN 0104-0707.

ROSENBERG, I. H. Sarcopenia: origins and clinical relevance. The Journal of nutrition, v. 127, n. 5, p. 990S-991S, 1997. ISSN 0022-3166.

LARSSON, L.; GRIMBY, G.; KARLSSON, J. Muscle strength and speed of movement in relation to age and muscle morphology. Journal of Applied Physiology, v. 46, n. 3, p. 451-456, 1979. ISSN 8750-7587.

JANSSEN, I.; HEYMSFIELD, S. B.; ROSS, R. Low relative skeletal muscle mass (sarcopenia) in older persons is associated with functional impairment and physical disability. Journal of the American Geriatrics Society, v. 50, n. 5, p. 889-896, 2002. ISSN 0002-8614.

SAYER, A. A. et al. Type 2 diabetes, muscle strength, and impaired physical function: the tip of the iceberg? Diabetes care, v. 28, n. 10, p. 2541-2542, 2005. ISSN 0149-5992.

GALE, C. R. et al. Grip strength, body composition, and mortality. International journal of epidemiology, v. 36, n. 1, p. 228-235, 2007. ISSN 1464-3685.

JANSSEN, I. et al. The healthcare costs of sarcopenia in the United States. Journal of the American Geriatrics Society, v. 52, n. 1, p. 80-85, 2004. ISSN 0002-8614.

GOODPASTER, B. H. et al. The loss of skeletal muscle strength, mass, and quality in older adults: the health, aging and body composition study. The Journals of Gerontology Series A: Biological Sciences and Medical Sciences, v. 61, n. 10, p. 1059-1064, 2006. ISSN 1758-535X.

DELMONICO, M. J. et al. Alternative definitions of sarcopenia, lower extremity performance, and functional impairment with aging in older men and women. Journal of the American Geriatrics Society, v. 55, n. 5, p. 769-774, 2007. ISSN 0002-8614.

MARIANO, E. R. et al. Força muscular e qualidade de vida em idosas. Revista Brasileira de geriatria e gerontologia, v. 16, n. 4, p. 805-811, 2013. ISSN 1809-9823.

RABELO, D. F.; CARDOSO, C. M. Auto-eficácia, doenças crônicas e incapacidade funcional na velhice. Psico-USF, v. 12, n. 1, p. 75-81, 2007. ISSN 1413-8271.

ROUBENOFF, R. Origins and clinical relevance of sarcopenia. Canadian journal of applied physiology, v. 26, n. 1, p. 78-89, 2001. ISSN 1066-7814.

FRISARD, M. I. et al. Physical activity level and physical functionality in nonagenarians compared to individuals aged 60–74 years. The Journals of Gerontology Series A: Biological Sciences and Medical Sciences, v. 62, n. 7, p. 783-788, 2007. ISSN 1758-535X.

BRIEF, A. Envelhecimento, força muscular e atividade física: uma breve revisão bibliográfica. Revista Científica FacMais, v. 2, n. 1, 2012.

EVANS, W. J. Effects of exercise on senescent muscle. Clinical Orthopaedics and Related Research®, v. 403, p. S211-S220, 2002. ISSN 0009-921X.

SHECHTMAN, O. et al. Grip strength in the frail elderly. American journal of physical medicine & rehabilitation, v. 83, n. 11, p. 819-826, 2004. ISSN 0894-9115.

MARINS, J. C. B.; GIANNICHI, R. S. Avaliação e prescrição de atividade física: guia prático. Shape, 1998. ISBN 8585253126.

NOGUEIRA, D. A.; PEREIRA, G. M. Desempenho de testes para homogeneidade de variâncias em delineamentos inteiramente casualizados. Sigmae, v. 2, n. 1, p. 7-22, 2013. ISSN 2317-0840.

NORMANDO, D.; ALMEIDA, M. A. D. O.; QUINTÃO, C. C. A. Análise do emprego do cálculo amostral e do erro do método em pesquisas científicas publicadas na literatura ortodôntica nacional e internacional. Dental Press Journal of Orthodontics, v. 16, n. 6, p. 33-35, 2011. ISSN 2176-9451.

MATTIOLI, R. Á. et al. Associação entre força de preensão manual e atividade física em idosos hipertensos. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, v. 18, n. 4, p. 881-891, 2015. ISSN 1809-9823.

FERNANDES, A. D. A.; MARINS, J. C. B. Teste de força de preensão manual: análise metodológica e dados normativos em atletas. Fisioterapia em movimento, v. 24, n. 3, p. 567-578, 2011. ISSN 0103-5150.

PÍCOLI, T. D. S.; FIGUEIREDO, L. L. D.; PATRIZZI, L. J. Sarcopenia e envelhecimento. Fisioterapia em Movimento, v. 24, n. 3, p. 455-462, 2011. ISSN 0103-5150.

LENARDT, M. H. et al. Fragilidade e qualidade de vida de idosos usuários da atenção básica de saúde. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 69, n. 3, p. 478-483, 2016. ISSN 0034-7167.

BAUMGARTNER, R. N. et al. Body composition in elderly people: effect of criterion estimates on predictive equations. The American journal of clinical nutrition, v. 53, n. 6, p. 1345-1353, 1991. ISSN 0002-9165.

BOBOS, P. et al. Measurement Properties of the Hand Grip Strength Assessment: A Systematic Review With Meta-analysis. Archives of Physical Medicine and Rehabilitation, v. 101, n. 3, p. 553-565, 2020/03/01/ 2020. ISSN 0003-9993. Disponível em: < http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0003999319313668 >.

CANDELORO, J. M.; CAROMANO, F. A. Efeito de um programa de hidroterapia na flexibilidade e na força muscular de idosas. Revista brasileira de fisioterapia, v. 11, n. 4, p. 303-309, 2007. ISSN 1413-3555.

VALE, R. G. D. S. et al. Efeitos do treinamento resistido na força máxima, na flexibilidade e na autonomia funcional de mulheres idosas. Rev. bras. cineantropom. desempenho hum, 2006.

REBELATTO, J. R. et al. Influência de um programa de atividade física de longa duração sobre a força muscular manual e a flexibilidade corporal de mulheres idosas. Brazilian Journal of Physical Therapy, v. 10, n. 1, p. 127-132, 2006. ISSN 1413-3555.

MORI, H.; TOKUDA, Y. Differences and overlap between sarcopenia and physical frailty in older community-dwelling Japanese. Asia Pacific journal of clinical nutrition, v. 28, n. 1, p. 157, 2019.

Downloads

Publicado

2020-12-14 — Atualizado em 2020-12-15

Versões

Como Citar

SANTOS, A. J. S.; FERREIRA, C. S.; LACERDA, A. M.; SANTOS, J. L. R. DOS; ALVES, M. R.; VIEIRA, M. M.; RODRIGUES, V. D. Análise da Força Muscular em Idosas Praticantes e Não Praticantes de Atividade Física Sistematizada. Revista Unimontes Científica, v. 22, n. 1, p. 1-13, 15 dez. 2020.