Nível de informação sobre tuberculose entre usuários de um Centro de Saúde em Montes Claros - MG

Autores

  • Paulo Henrique Silveira Rocha Graduado em Enfermagem pelas Faculdades Santo Agostinho - FASA
  • Marcelo Santos Bandeira Graduado em Enfermagem pelas Faculdades Santo Agostinho - FASA
  • Sirlaine Pinho Graduado em Enfermagem pelas Faculdades Santo Agostinho - FASA
  • Carla Silvana Oliveira Silva Doutoranda em Ciências pela Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP
  • Lucinéia Pinho Doutora em Ciências da Saúde pela Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes

Palavras-chave:

Tuberculose. Conhecimento. Saúde Pública.

Resumo

Objetivo: Este trabalho objetiva conhecer o nível de informação sobre tuberculose entre usuários
de um Centro de Saúde em Montes Claros, MG. Metodologia: A pesquisa foi qualitativa, descritiva,
exploratória e incluiu trabalho de campo. Indivíduos entre 25 e 49 anos foram entrevistados utilizando-se
de um roteiro semiestruturado com questões norteadoras. Os dados foram avaliados com base na técnica
de análise de conteúdo. Resultados: As informações que os usuários do Centro de Saúde detinham sobre a
transmissão, prevenção e tratamento da tuberculose eram insuficientes. Embora os entrevistados reportassem
ter obtido as informações, principalmente, por programas veiculados na televisão, percebeu-se que seu
conhecimento era proveniente de fontes diversas. De modo geral, os entrevistados não se lembravam de ter
recebido informações sobre tuberculose pelo sistema público de saúde. Conclusão: O estudo evidencia que
o nível de informação sobre tuberculose na população estudada é limitado, de modo que novas estratégias
devam ser usadas para levar o conhecimento sobre a doença.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. GOLDMAN, L; AUSIELLO, D. Cecil
Medicina. 23. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, v. 2,
2009.
2. MACIEL, E. L. N. et al. O conhecimento de
enfermeiros e médicos que trabalham na Estratégia
de Saúde da Família acerca da tuberculose no
município de Vitória (ES): um estudo de corte
transversal. Ciência e Saúde Coletiva, v.14, n. 1, p.
1395-1402, 2009.
3. VERONESI, R. Tratado de Infectologia. 3.
ed. São Paulo: Atheneu, v. 1, 2006.
4. BRASIL, Ministério da Saúde. Brasil reduz
casos novos de tuberculose. Portal da Saúde,
24 Mar. 2011. Disponível em: <http://portal.
saude.gov.br/portal/aplicacoes/noticias/default.
cfm?pg=dspDetalheNoticia&id_area=124&CO_
NOTICIA=12351>. Acesso em: 09 mai 2012.
5. BRASIL, Ministério da Saúde. Secretaria
de Vigilância em Saúde. Departamento de
Vigilância Epidemiológica. Guia de vigilância
epidemiológica. 7. ed. Brasília: Ministério da
Saúde, 2009. Disponível em: <http://portal.saude.
gov.br/portal/arquivos/pdf/gve_7ed_web_atual_
tuberculose.pdf> >. Acesso em: 09 mai. 2012.
6. JAMAL, L. F; MOHERDAUI, F.
Tuberculose e infecção pelo HIV no Brasil:
magnitude do problema e estratégias para o
controle. Revista de Saúde Pública, v. 41, n. 1, p.
104-110, 2007.
7. VENDRAMINI S. H. F. et al. Tratamento
supervisionado no controle da tuberculose em uma
unidade de saúde de Ribeirão Preto: a percepção do
doente. Boletim de Pneumologia Sanitária, v. 10, n.
1, p. 5-12, 2002.
8. ASSUNÇÃO, C.G; SEABRA, J. D. R.;
FIGUEIREDO, R. M. Percepção do paciente
com tuberculose sobre a internação em hospital
especializado. Ciência y Enfermería, v. 15, n. 2, p.
69-77, 2009.
9. MACIEL, E. L. N. et al. O agente
comunitário de saúde no controle da tuberculose:
conhecimentos e percepções. Cadernos de Saúde
Pública, v. 24, n. 6, p. 1377-1386, 2008.
10. RODRIGUES, P. M. et al. Infecção
por Mycobacterium tuberculosis entre agentes
comunitários de saúde que atuam no controle da
TB. Jornal Brasileiro de Pneumologia, v. 35, n. 4,
p. 351-358, 2009.
11. SOUZA, K. M. J. et al. Abandono do
tratamento de tuberculose e relações de vínculo com
a equipe de saúde da família. Revista da Escola de
Enfermagem da USP, v. 44, n. 4, p. 904-910, 2010.
12. DATAUFF - Núcleo de Pesquisas da
Universidade Federal Fluminense. Falta de
informação ainda é o maior desafio – pesquisa
inédita avalia conhecimento da população sobre
Tuberculose. Jan. 2010. Disponível em: < http://
www.fundoglobaltb.org.br/download/Pesquisa_
FG-DATAUFF_tuberculose_jan-2010.PDF>.
Acesso em: 30 mai. 2012.
13. NOGUEIRA, P. A; QUEIROZ, R.
Diferenças na adesão ao tratamento da tuberculose
em relação ao sexo no distrito de saúde da Freguesia
do Ó/Brasilândia - São Paulo. Saúde e Sociedade,
v. 19, n. 3, p. 627-637, 2010.
14. SA, L. D. et al. Tratamento da tuberculose
em unidades de saúde da família: histórias de
abandono. Texto contexto – Enfermagem, v. 16, n.
4, p. 712-718, 2007.
15. ANDRADE, M. M. Introdução à
metodologia do trabalho científico: elaboração de
trabalhos na graduação. 5. ed. São Paulo: Atlas,
2001.
16. DEMO, P. Metodologia do conhecimento
científico. São Paulo: Atlas, 2000.
17. FONTANELLA, B. J. B; RICAS, J;
TURATO, E. R. Amostragem por saturação em
pesquisas qualitativas em saúde: contribuições
teóricas. Cadernos de Saúde Pública, v. 24, n. 1, p.
17-27, 2008.
18. CAREGNATO, R. C. A; MUTTI, R.
Pesquisa qualitativa: análise de discurso versus
análise de conteúdo. Texto Contexto - Enfermagem,
v. 15, n. 4, p. 679-684, 2006.
19. BARDIN, L. Análise do conteúdo. 4ª ed.
Lisboa (PT): Edições 70; 2006.
20. BARBOSA, T. L. A. et al. Expectativas
e percepções dos estudantes do curso técnico em
enfermagem com relação ao mercado de trabalho.
Texto contexto – Enfermagem, v.20, p. 45-51, 2011.
21. CALDEIRA, E. S.; LEITE, M. T. S.;
RODRIGUES-NETO, J. F. Estudantes de Medicina
nos serviços de atenção primária: percepção dos
profissionais. Revista Brasileira de Educação
Médica, v. 35, n.4, p. 477-485, 2011.
22. QUADROS-COELHO, M. A. et al. Prevalência da infecção tuberculosa em
universitários da Universidade Estadual de Montes
Claros, Minas Gerais. Revista Brasileira de
Educação Médica, v. 33, n. 4, p. 535-541, 2009.
23. FERREIRA, K. R. Falta de informação
atrapalha tratamento da tuberculose. Agência USP
de notícias, São Paulo, 28 Set. 2011. Disponível
em: < http://www.usp.br/agen/?p=73802>. Acesso
em: 26 nov. 2011.
24. IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia
e Estatística. Pesquisa nacional por amostra de
domicílios, 2009. Disponível em: <http://www.
ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_
visualiza.php?id_noticia=1708>. Acesso em: 23
nov. 2011.
25. SANCHEZ, A. I. M; BERTOLOZZI, M. R.
Operacionalização do conceito de vulnerabilidade
à tuberculose em alunos universitários. Ciência e
Saúde Coletiva, v. 16, n. 2, p. 669-675, 2011.
26. PINHO, L. et al. Percepções de hipertensos
sobre o acompanhamento nutricional recebido em
um Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF).
Revista Motricidade, v. 8, supl. 2, p. 58-66, 2012.

Downloads

Publicado

2020-04-23

Como Citar

SILVEIRA ROCHA, P. H. .; SANTOS BANDEIRA, . M. .; PINHO, . S. .; OLIVEIRA SILVA, C. S. .; PINHO, L. . Nível de informação sobre tuberculose entre usuários de um Centro de Saúde em Montes Claros - MG. Revista Unimontes Científica, v. 14, n. 2, p. 20-29, 23 abr. 2020.

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)