INDICADORES DA CAPACIDADE FUNCIONAL EM IDOSOS DE UM CENTRO DE CONVIVÊNCIA

Autores

  • Bruna Prates Vieira Universidade do Estado da Bahia - UNEB
  • Silvia Carla Batista Soares Universidade do Estado da Bahia - UNEB
  • Berta Leni Costa Cardoso Universidade do Estado da Bahia - UNEB
  • Luiz Humberto Rodrigues Souza Universidade do Estado da Bahia - UNEB

Palavras-chave:

Capacidade funcional; Idosos; Velocidade da caminhada; Força de preensão manual

Resumo

Objetivo: avaliar a velocidade da caminhada e a força de preensão manual, enquanto indicadores da
capacidade funcional em idosos de um centro de convivência no município de Guanambi/BA. Metodologia:
trata-se de um estudo descritivo e exploratório, com amostra selecionada por conveniência. Participaram
do estudo 16 idosos de ambos os sexos, com média de idade 70,69 ± 5,88 anos. Utilizou-se uma anamnese
para registrar as informações sociodemográficas, os indicadores de saúde e os dados antropométricos. A
capacidade funcional foi verificada por meio dos testes de velocidade da caminhada e força de pressão
manual. Resultados: a média de força de preensão manual nas mãos direita e esquerda, em ambos os sexos,
apresentaram abaixo da média de referência, enquanto a velocidade de caminhada apresentou um resultado
satisfatório. Quanto à atividade física, 62,5% relataram praticar, no entanto, 61,11% encontram-se com
sobrepeso. Conclusão: os indicadores de capacidade funcional utilizados apontaram desfechos diferentes
no grupo pesquisado, sugerindo, assim, novas investigações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E
ESTATÍSTICA. Tábuas abreviadas de mortalidade
por sexo e idade: Brasil, grandes regiões e unidades
da federação, 2010. Rio de Janeiro, 2013a.
2. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA
E ESTATÍSTICA. Projeção da população do
Brasil por sexo e idade: 2000-2060. Rio de Janeiro,
2013b.
3. REBELATTO, J. R. et al. Influência de um
programa de atividade física de longa duração
sobre a força muscular manual e a flexibilidade
corporal de mulheres idosas. Revista Brasileira de
Fisioterapia, São Carlos, v. 10, n. 1, p.127-132,
2006.
4. CAMARA, F. M. et al. Capacidade funcional
do idoso: formas de avaliação e tendências. Acta
Fisiátrica, São Paulo, v. 15, n. 4, p. 249-256, 2008.
5. GONÇALVES, L. H. T. et al. O idoso
institucionalizado: avaliação da capacidade
funcional e aptidão física. Caderno de Saúde
Pública, Rio de Janeiro, v. 26, n. 9, p. 1738-1746,
set, 2010.
6. FARIAS, D. L. et al. A força de preensão manual
é preditora do desempenho da força muscular de
membros superiores e inferiores em mulheres
sedentárias. Motricidade, Portugal, v. 8, n. S2, p.
624-629, 2012.
7. FARIA, J. C. et al. Importância do treinamento de
força na reabilitação da função muscular, equilíbrio
e mobilidade de idosos. Acta Fisiátrica, São Paulo,
v. 10, n. 3, p. 133-137, 2003.
8. CASTRO, C. L. M. et al. Estudo da marcha em
idosos: resultados preliminares. Acta Fisiátrica,
São Paulo, v. 7, n. 3, p. 103-107, 2000.
9. MATSUDO, S. M. et al. Evolução do perfil
neuromotor e capacidade funcional de mulheres
fisicamente ativas de acordo com a idade
cronológica. Revista Brasileira de Medicina do
Esporte, São Paulo, v. 9, n. 6, p. 365-376, nov-dez,
2003.
10. RIBEIRO, L. H. M.; NERI, A. L. Exercícios
físicos, força muscular e atividades de vida diária
em mulheres idosas. Ciência e Saúde Coletiva, Rio
de Janeiro, v. 17, n. 8, p. 2169-2180, ago, 2012.
11. GERALDES, A. A. R. et al. A força de preensão
manual é boa preditora do desempenho funcional
de idosos frágeis: um estudo correlacional múltiplo.
Revista Brasileira de Medicina do Esporte, São
Paulo, v. 14, n. 1, p. 12-16, jan-fev, 2008.
12. THOMAS, J. R.; NELSON, J. K.; SILVERMAN,
S. J. Métodos de pesquisa em atividade física. 5.
ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.
13. BOHANNON, R. W. et al. Reference values
for adult grip strength measured with a Jamar
dynamometer: a descriptive meta-analysis.
Physiotherapy, London, v. 92, n. 1, p. 11-15, mar,
2006.
14. BOHANNON, R. W.; ANDREWS, A. W.;
THOMAS, M. W. Walking speed: reference
values and correlates for older adults. The Journal
of Orthopaedic and Sports Physical Therapy,
Alexandria, v. 24, n. 2, p. 86–90, aug, 1996.
15. NOVAES, C. O. et al. Perfil de saúde física
e capacidade funcional em uma população de
idosos residentes na comunidade. Revista Hospital
Universitário Pedro Ernesto, Rio de Janeiro, v. 14,
n. 4, p. 24-29, out-dez, 2015.
16. LOURENÇO, T. M. et al. Capacidade funcional
no idoso longevo: uma revisão integrativa. Revista
Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre, v. 33, n. 2,
p. 176-185, 2012.
17. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA
E ESTATÍSTICA. Indicadores sociais municipais:
uma análise dos resultados do universo do censo
demográfico 2010. Estudos e Pesquisas: Informação
Demográfica e Socioeconômica. Rio de Janeiro,
2011.
18. KAUFFMAN, T. L. Manual de reabilitação
geriátrica. Rio de Janeiro: Guanabara
Koogan, 2001.
19. NOGUEIRA, S. et al. Fatores determinantes da
capacidade funcional em idosos longevos. Revista
Brasileira de Fisioterapia, São Carlos, v. 14, n. 4,
p. 322-329, jul-ago, 2010.
20. MAZZEO, R. S. et al. Exercício e atividade
física para pessoas idosas. Revista Brasileira de
Atividade Física e Saúde, Pelotas, v. 3, n. 1, p. 48-
78, 1998.
21. FIATARONE-SINGH, M. A. Body composition
and weight control in older adults. In: LAMB, D.
R.; MURRAY, R. (Org.). Perspectives in exercise
science and sports medicine: exercise, nutrition
and weight control. Carmel: Cooper, 1998. p. 243-
288.
22. WORLD HEALTH ORGANIZATION.
Physical status: the use and interpretation of
anthropometry. Genebra, 1995.
23. MATSUDO, S. M. M. Avaliação do idoso: física
e funcional. 2. ed. Londrina: Midiograf, 2004.
24. ELIAS, R. G. et al. Aptidão física funcional
de idosos praticantes de hidroginástica. Revista
Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Rio de
Janeiro, v. 15, n. 1, p. 79-86, 2012.
25. MATSUDO, S. M. M.; MATSUDO, V. K. R. E.;
BARROS NETO, T. L. Impacto do envelhecimento
nas variáveis antropométricas, neuromotoras e
metabólicas da aptidão física. Revista Brasileira de
Ciência e Movimento, Brasília, v. 8, n. 4, p. 21-32,
2000.
26. MOURA, P. M. L. S. Estudo da força de
preensão palmar em diferentes faixas etárias do
desenvolvimento humano. 2008. 93 f. Dissertação
(Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade
de Brasília, UnB, Brasília.
27. AIRES, M.; PASKULIN, L. M. G.; MORAIS,
E. P. Capacidade funcional de idosos mais velhos:
estudo comparativo em três regiões do Rio Grande
do Sul. Revista Latino-Americana de Enfermagem,
Ribeirão Preto, v. 18, n. 1, p. 1-7, jan-fev, 2010.

Downloads

Publicado

2020-03-25

Como Citar

PRATES VIEIRA, Bruna; BATISTA SOARES, Silvia Carla; COSTA CARDOSO, Berta Leni; RODRIGUES SOUZA, Luiz Humberto. INDICADORES DA CAPACIDADE FUNCIONAL EM IDOSOS DE UM CENTRO DE CONVIVÊNCIA. Revista Unimontes Científica, [s. l.], v. 19, n. 1, p. 93–104, 2020. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/unicientifica/article/view/1568. Acesso em: 23 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)