“EU VOU VIVENDO”: REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA RELIGIOSIDADE E ESPIRITUALIDADE PARA PESSOAS VIVENDO COM HIV

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46551/rnm23173092202090102

Palavras-chave:

Espiritualidade, Religiosidade, Síndrome de Imunodeficiência Adquirida, enfermagem, Representações Sociais

Resumo

Objetivo: Analisar as representações da religiosidade e da espiritualidade para as pessoas vivendo com o Vírus da Imunodeficiência Humana. Métodos: Estudo qualitativo baseado na Teoria das Representações Sociais, desenvolvido em um ambulatório com 32 pessoas vivendo com HIV. Os dados foram coletados através de entrevistas e analisadas pelo software ALCESTE. Resultados: No que tange à caracterização dos sujeitos, destacam-se que a maioria são homens, e Dentre os que nunca enfrentaram internações hospitalares em decorrência da aids também são maioria. Todos os participantes utilizam antirretrovirais, destes, uma parcela considerável apresentou alteração de esquema terapêutico. A quase totalidade refere que acredita em Deus. Conclusão: A religião, como um processo de religação com o Divino e o Espírito Santo, como uma força capaz de transformar o cotidiano destes sujeitos, recriando o existir e o seu entorno, permite o exercício da esperança, da criatividade, do sonho e da liberdade, bem como a crença em uma Divindade que se faz presente na terra.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. GOMES AMT. Representações sociais da espiritualidade de quem vive com Aids: um estudo a partir da abordagem estrutural. Psicologia e Saber Social, 2016; 5(2), 187-197.
2. GOMES AMT; SILVA EMP; OLIVEIRA DC. Representações sociais da AIDS para pessoas que vivem com HIV e suas interfaces cotidianas. Revista Latino-Americana de Enfermagem (Online), 2011; 19, 485-492.
3. JODELET D. Representações sociais: um domínio em expansão. In: Jodelet, D. (Org.). As representações sociais. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2001; 17-44.
4. ESPÍRITO SANTO C.C; GOMES A.M.T. O pensamento religioso no contexto da sexualidade e saúde. In: LIMA, C.F.; REIS, A; DEMÉTRIO, F. Sexualidades e saúde: Perspectivas para um cuidado ampliado. Editora Bonecker: Rio de Janeiro, 2018; 59-77.
5. CAMARGO BV; JUSTO AM. Tutorial para uso do software IRAMUTEQ (Interface de R pour les Analyses Multidimensionnelles de Textes et de Questionnaires). Análise do corpus textual. 2013.
6. BOFF L. Sustentabilidade: o que é, o que não é. Petrópolis: Vozes, 2012.
7. OLIVEIRA DC. Construção e transformação das representações sociais da AIDS e implicações para os cuidados de saúde. Rev. Latino-Am. Enfer. 2013. 21(Spec):[10 telas]: 276-86.
8. COUTINHO MFC; O´DWYER G; FROSSAR V. Tratamento antirretroviral: adesão e a influência da depressão em usuários com HIV/Aids atendidos na atenção primária. Saúde debate. 2018. 42: (116) Jan-Mar.
9. KOENIG HG. Religion, spirituality, and health: a review and update. Advances. 2015; 29(3): 11-18.
10. BUBER M. Le chemin de l’homme d’après la doctrine hassidique, Mónaco, Éditions du Rocher, 1995.
11. SIQUEIRA D. Novos movimentos religiosos como desafio à sociologia da religião na atualidade. Goiânia, 2008; 6(1): 34-43, jan./jun.

Publicado

2020-05-03

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)