“Quem vai querer saber da minha história?”: Refletindo sobre decolonialidade com adolescentes na socioeducação em internação a luz de estudos raciais

“Who will want to know my story?”: Reflecting on decoloniality with adolescents in socioeducation in the light of racial studies

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46551/issn2179-6807v29n2p94-113

Palavras-chave:

Socioeducação, Decolonialidade, Interseccionalidade, Educação Racial

Resumo

A intencionalidade desta escrita é a de contribuir para o crescimento da discussão sobre decolonialidade com adolescentes. A partir de autores que discutem a temática, deseja-se aqui exemplificar através de plano de aula realizado com adolescentes internos do Departamento de Gestão e Ações Socioeducativas do Estado do Rio de Janeiro (DEGASE), como é emergente pensar um olhar decolonial com adolescentes. Este trabalho pretende refletir não apenas a partir de autores que são considerados no campo, como Palermo (2005), mas também trazer tensionamentos de Segato (2021) que pensa a colonialidade como uma das ferramentas principais para o encarceramento da população negra. Por fim, pretende-se mostrar os efeitos que a abordagem sobre a temática teve nas concepções dos adolescentes que cumprem medidas socioeducativas de internação, sobre raça, classe e gênero a partir do conto “Rolézim” do escritor Geovani Martins (2018). Através da compreensão teórica destes e de outros autores citados ao longo do artigo, somando a experiência prática em sala de aula, será possível perceber que entender e aplicar decolonialidade na atuação enquanto educadores e intelectuais, que pensam nas desigualdades presentes no tecido social, fará com que seja possível construir ensinamentos sobre interseccionalidade e letramento racial com a juventude marginalizada no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Clara Peixoto, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Doutoranda em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Mestra em Educação (Linha de pesquisa Estado, Trabalho-Educação e Movimentos Sociais) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2023). Graduada em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (2020). Email: anaclaraoliveira.peixoto@gmail.com. ORCID iD: https://orcid.org/0000-0001-6971-7307

Referências

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente. Lei 8.069/90. São Paulo, Atlas, 1991.

EVARISTO, Conceição. Escritora Conceição Evaristo é convidada do Estação Plural: depoimento [jun. 2017]. Entrevistadores: Ellen Oléria, Fernando Oliveira e Mel Gonçalves. TVBRASIL, 2017. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=Xn2gj1hGsoo. Acesso em: 15 jan. 2023.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987

HOOKS, bell. Ensinando a transgredir: a educação como prática da liberdade. Tradução: Marcelo Brandão Cipolla. São Paulo: Editora Martins Fontes. 2017.

HOOKS, bell. O feminismo é para todo mundo: políticas arrebatadoras / bell hooks; tradução Ana Luiza Libânio. – 1. ed. - Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 2020.

MARTINS, G. O sol na cabeça. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

MENDES, Claudia Lucia e JULIÃO, Elionaldo. Trajetórias de vida de jovens em situação de privação de liberdade no Sistema Socioeducativo do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: DEGASE, 2018.

NASCIMENTO, Abdias do. O genocídio do negro brasileiro: processo de um racismo mascarado. São Paulo: Editora Perspectiva, 2016.

PALERMO, Zulma. Desde la otra orilla: pensamiento crítico y políticas culturales en América Latina, Córdoba: Alción, 2005.

SEGATO, Rita. A cor do cárcere na América Latina. In: Crítica da colonialidade em oito ensaios e uma antropologia por demanda. Rio de Janeiro: Bazar do Tempo, 2021.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da Pesquisa-ação. São Paulo: Cortez, 2011.

WACQUANT, Loïc. As Prisões da Miséria. Paris: Raisons d'Agir, 1999.

Downloads

Publicado

2023-12-21

Como Citar

PEIXOTO, A. C. “Quem vai querer saber da minha história?”: Refletindo sobre decolonialidade com adolescentes na socioeducação em internação a luz de estudos raciais: “Who will want to know my story?”: Reflecting on decoloniality with adolescents in socioeducation in the light of racial studies. Revista Desenvolvimento Social, [S. l.], v. 29, n. 2, p. 94–113, 2023. DOI: 10.46551/issn2179-6807v29n2p94-113. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/7129. Acesso em: 13 jun. 2024.