ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL NO SISTEMA DE SAÚDE BRASILEIRO

Autores

  • Otil Carlos Dias dos Santos Universidade Estadual de Montes Claros – UNIMONTES e Faculdades Santo Agostinho - FASA

Palavras-chave:

Estratificação Social, Saúde e Políticas Públicas

Resumo

No Brasil, as políticas públicas desenvolvidas, pelo Estado, do bem estar social, têm sido motivo de discussão entre as diversas áreas do conhecimento, tendo em vista que, estatisticamente os resultados alcançados e o cumprimento dos objetivos pretendidos têm se apresentados, na maioria das vezes, distorcidos, por não harmonizar com a verdadeira realidade dos fatos, principalmente no que diz respeito às políticas de proteção e assistência social. Dentre as políticas públicas oferecidas ao povo brasileiro, a da saúde talvez seja a que melhor represente este processo. Sendo assim, este artigo tem como objetivo discutir a estratificação social no sistema de saúde brasileiro, quanto ao nível de acesso dos usuários a este sistema, utilizando três variáveis, as quais acredita-se serem os pilares do processo da desigualdade como, cor da pele, renda domiciliar e educação, a partir das políticas públicas desenvolvidas no país. Portanto, cabe demonstrar que nas práticas das políticas públicas e, principalmente, as do acesso à saúde nem sempre têm apresentado resultados satisfatórios, conforme serão apresentados no decorrer deste estudo. A metodologia utilizada consistiu em levantamento bibliográfico, além dos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – Pnad de 2003, apresentados no relatório do CPP – Centro de Políticas Públicas (2009).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARENDT, H.O declínio do estado-nação e o fim dos direitos do homem - In: Origens do totalitarismo. São Paulo: Cia das Letras, 1989.
BAPTISTA, Tatiana Wargas de Faria. História das políticas de saúde no Brasil: a trajetória direito a saúde In: Política de Saúde: organização e operacionalização do Sistema Único de Saúde. Rio de Janeiro: EPSJU/Fiocruz, 2007 – pag. 29-60.
BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 05 de outubro de 1988, Ed. Atual. São Paulo: Saraiva, 2006.
CPP- Centro de Políticas Públicas. Insper – Instituto de Ensino e Pesquisa. São Paulo, 2009.http://www.insper.edu.br/sites/default/files/relatorio_da_pesquisa_sobre_saude_PNAD98-03.pdf – acesso em 18/07/2011.
GUIMARÃES, Antônio Sérgio. Classes Sociais. In O que ler na ciência social brasileira (1970-1995). MICELI, Sérgio. (Org). São Paulo: Ed. AMPOCS, 1999.
MARX, Karl. O 18 Brumário de Luis Bonaparte. VirtualBooks, Formato: e- book/PDF, Código: CRCM1800009 © Ridendo Castigat Mores, 2000, Linguagem: Português
SCALON, Maria Celi: SANTOS, José Alcides F. Desigualdades, classes e estratificação social. In Horizontes das Ciências Sociais no Brasil. Sociologia. MARTINS, Carlos B. (coord.). São Paulo: AMPOCS, 2010.
SCHWARTZMAN, Simon. As causas da pobreza. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004.
SOUZA, et. Al. Direito da saúde no Brasil/ André Evangelista de Souza... [et.al.]; Organizadora: Lenir Santos – Campinas/SP – Saberes Editora, 2010.
TUMIN, Melvin M. Estratificação Social. São Paulo: Pioneira, 1970.

Downloads

Publicado

2020-04-04

Como Citar

CARLOS DIAS DOS SANTOS, O. . ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL NO SISTEMA DE SAÚDE BRASILEIRO. Revista Desenvolvimento Social, [S. l.], v. 3, n. 10, p. 53–61, 2020. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/rds/article/view/1792. Acesso em: 8 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos