PARA DISCUTIR O SENTIDO DA IMAGINAÇÃO NO OFÍCIO HERMENÊUTICO A PARTIR DA REFERÊNCIA A KANT, HEIDEGGER E CASTORIADIS

  • Ana Monique Moura De Araujo
Palavras-chave: Imaginação; Interpretação; Ser vivente; Reflexão

Resumo

Nós queremos aqui ampliar a discussão sobre os resultados das reflexões de Kant acerca do lugar da imaginação e mostrar como Heidegger e Castoriadis são, ao nosso ver, alguns dos autores mais relevantes para desenvolver este assunto, de maneira reverenciadora e crítica ao mesmo tempo, numa hermenêutica contemporânea.

Biografia do Autor

Ana Monique Moura De Araujo

Bacharelado em Filosofia pela Universidade Federal da Paraíba, mestrado em Filosofia pela Universidade Federal da Paraíba, doutorado pelo Programa Integrado de Doutorado em Filosofia (Universidade Federal de Pernambuco, Universidade Federal da Paraíba, Universidade Federal do Rio Grande do Norte), com pesquisas especiais, através do doutorado PDSE - CAPES, sobre a Filosofia de Kant, suas obras e ressonâncias e pesquisas adicionais em Teoria Crítica, Política, Estética Aplicada e Filosofia da Arte pela Hochschule für Grafik und Buchkunst - Academy of Fine Arts em Leipzig, Alemanha.

Publicado
2019-12-26
Seção
Artigos