https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/poiesis/issue/feed Revista Poiesis 2023-02-02T23:14:53+00:00 Revista Poiesis revista.poiesis@unimontes.br Open Journal Systems <p>A Revista Poiesis é uma publicação semestral do Departamento de Filosofia da Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES, visando abrir espaço para publicação de artigos na área de filosofia em interface com outras áreas do conhecimento. O propósito é estimular a produção acadêmica e o debate filosófico entre pesquisadores, primando sempre pela qualidade na publicação de material que sirva de instrumento de pesquisa ao público especializado e à comunidade acadêmica em geral. Esperamos que o periódico possa contribuir para o desenvolvimento das discussões acerca das temáticas filosóficas, sobretudo na contemporaneidade.</p> https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/poiesis/article/view/6239 A RELEVÂNCIA DO CONHECIMENTO INTUITIVO EM SCHOPENHAUER: UMA CRÍTICA PONTUAL À TEORIA DO CONHECIMENTO DE KANT 2023-02-02T02:11:09+00:00 Gildete dos Santos Freitas gildete.freitas@unimontes.br <p>A Estética Transcendental segundo a apreciação de Schopenhauer é a parte mais coerente e original da filosofia kantiana, tanto é que a teoria do tempo e do espaço é mantida na teoria do conhecimento schopenheaueriana como formas a priori da sensibilidade. Contudo, em relação à Analítica Transcendental, Schopenhauer não faz uma apreciação afirmativa. Ele nega toda a Analítica, considerando-a a parte mais fracassada da filosofia de Kant, pois nela, ele não só manteve a lacuna acerca da intuição empírica (que não ficou bem esclarecida na Estética) como a submeteu as suas doze categorias. Em seu texto Crítica da filosofia kantiana Schopenhauer apresenta seus argumentos contra a exposição kantiana acerca do processo cognitivo, que tem sua raiz na determinação de que a intuição possui um caráter puramente sensível e que por isso, a partir dela, não é possível cogitar um conhecimento<br />propriamente dito, esse conhecimento é para Kant uma tarefa que compete ao Entendimento com suas doze categorias. O que Schopenhauer pretende marcar é a prioridade do conhecimento intuitivo em relação ao conhecimento abstrato. É nesse ponto que ele pensou ser necessário distinguir o conhecimento abstrato do conhecimento intuitivo. E aqui, nos aproximamos do real motivo que levou Schopenhauer a rejeitar a teoria Kantiana, a saber, a falta de distinção entre essas duas dimensões de conhecimento.</p> 2023-02-02T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Revista Poiesis https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/poiesis/article/view/6240 O JARDIM DO ÉDEN E O PALÁCIO DE BUDA: OS PARAÍSOS PERDIDOS 2023-02-02T02:20:06+00:00 José Benedito de Almeida Júnior revista.poiesis@unimontes.br <p>Este trabalho de mitologia comparada tem por objetivo refletir sobre elementos comuns do Jardim do Éden, o pecado original, e o palácio onde Buda viveu até o final da sua juventude, antes de partir para o mundo. Entendemos que estas narrativas, do ponto de vista simbólico, podem ser interpretadas como uma representação do amadurecimento dos filhos quando assumem a condução da própria vida, por meio da liberdade de suas escolhas. Este processo de separação é a ruptura de um segundo cordão umbilical, uma espécie de luto para pai e mãe, pois trata-se de uma perda que terão de aceitar. Para interpretar as fontes primárias utilizamos as obras de pesquisadores do fenômeno da mitologia.</p> 2023-02-02T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Revista Poiesis https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/poiesis/article/view/6241 MOTIVO RELIGIOSO DA MATÉRIA E FORMA: OS ECOS DO CETICISMO DA ANTIGUIDADE E SUA IMPLICAÇÃO NA PRODUÇÃO ACADÊMICA EM ADMINISTRAÇÃO 2023-02-02T02:29:08+00:00 Wanderklayson Aparecido Medeiros de Oliveira wander@fasa.edu.br Marcelo de Rezende Pinto marcrez@hotmail.com Humberto Elias Garcia Lopes heglopes@pucminas.br <p>Os estudos científicos, especialmente àqueles relativos às ciências humanas, apresentam uma importância significativa para a academia, uma vez que se sustentaram a partir de universo do conhecimento filosófico e epistemológico. Desse modo, o objetivo do presente ensaio é discutir como os ecos do ceticismo da Antiguidade são sentidos na produção acadêmica em Administração. Os motivos religiosos básicos, elencados a partir da ideia cosmonômica de Herman Dooyeweerd, constituem-se em chaves hermenêuticas para o próprio entendimento e interpretação da história, considerando-se a cultura e a ação humana em âmbito social ou individual. Na concepção grega, omotivo religioso considerava a matéria e a forma, em sua essência. Os estudos realizados para elaboração do presente ensaio permitiram concluir que ecos do ceticismo da Antiguidade são sentidos, ainda hoje, na produção acadêmica em Administração, permitindo, assim, afirmar que ela é influenciada, em alguma medida, pelo motivo religioso da matéria e forma.</p> 2023-02-02T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Revista Poiesis https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/poiesis/article/view/6245 Apresentação da Edição 2023-02-02T22:31:42+00:00 2023-02-02T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Revista Poiesis https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/poiesis/article/view/6232 O BRASIL NOS ROMANCES DE DARCY RIBEIRO 2023-02-01T23:03:46+00:00 Elise Aparecida de Oliveira eliseproliteratura@gmail.com <p>O presente trabalho propõe apresentar Darcy Ribeiro: ficcionista. O universo ficcional do escritor forma uma unidade à proporção que a narrativa segue uma ordem sequencial do processo histórico do Brasil, desde o momento anterior à conquista até a década de 1980. Nos romances do antropólogo-romancista é possível constatar que as personagens encenam os problemas teorizados por ele em sua obra antropológica, encaminhando-se para a criação de romances de tese. Através de<br>personagens tipos, o autor de O Povo Brasileiro, entrelaçando sua obra científica e a ficcional, suscita uma reflexão sobre as possíveis causas dos problemas da sociedade brasileira.</p> 2023-02-02T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Revista Poiesis https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/poiesis/article/view/6233 A “HORA DO CHUMBO”: O GOLPE DE 1964 A PARTIR DO OLHAR DE DARCY RIBEIRO 2023-02-01T23:13:15+00:00 Edi de Freitas Cardoso Júnior edi.cardoso@ifnmg.edu.br <p>Procuramos reconstituir a atuação de Darcy Ribeiro no âmbito da estratégia política e atos finais de João Goulart no governo, nos estertores da crise que resulta no golpe de 1964. O antropólogo ocupa o cargo de ministro-chefe do Gabinete Civil da Presidência da República quando ganha relevo a mobilização sindical-popular impulsionada pelo Planalto, em cooperação com as esquerdas, em favor das reformas de base. O objetivo de Jango seria pressionar e persuadir o legislativo a aprovar o programa reformista, oficializado através da Mensagem presidencial de 1964. Desse modo, destaca-se o Comício das reformas, realizado no Rio de Janeiro, em 13 de março. Mensagem e Comícioconstituem ações complementares, materializando a jogada política decisiva do presidente. Darcy<br />Ribeiro colabora em ambas as frentes. Além de ocupar-se de redigir a Mensagem, estabelece contatos políticos visando obter apoios para atos públicos em defesa do governo federal e das reformas. Desse modo, o ministro-chefe do Gabinete Civil contribui fundamentalmente para a estratégia final de poder implementada por Jango para viabilizar politicamente as reformas. Também procuramos identificar os passos de Darcy Ribeiro nos acontecimentos subsequentes ao Comício. Ele permanecerá ao lado do presidente até se consumar sua deposição. Darcy Ribeiro e Waldir Pires, consultor-geral da República, são os últimos integrantes do governo a deixar o Planalto, após esgotarem-se todas as possibilidades de resistência.</p> 2023-02-02T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Revista Poiesis https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/poiesis/article/view/6235 DARCY RIBEIRO: A LITERATURA COMO REFLEXÃO SOBRE O EXÍLIO 2023-02-02T01:28:50+00:00 Geraldo da Aparecida Ferreira geraldo.ferreira@unimontes.br <p>A perda do sentido de si, estável como sujeito integrado, vem ocasionando o deslocamento e a descentralização do indivíduo. Entendemos que a constante mobilidade e as migrações, forçadas ou não, contribuem para esse quadro. Consequentemente, na modernidade, notamos uma mudança significativa nos conceitos de identidade e subjetividade. Argumenta-se, nesse sentido, que, desde a virada do século XIX, o ser humano vem assistindo ao lento processo de fragmentação e fragilização da sua subjetividade, de que é o sujeito de si mesmo e da sua história. Neste artigo buscaremos discutir essas questões através da abordagem dos livros O mulo, Confissões, Migo e Testemunho, de Darcy Ribeiro.</p> 2023-02-02T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Revista Poiesis https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/poiesis/article/view/6236 O ATEU E O TEÓLOGO: UM DIÁLOGO PARA A LIBERDADE ENTRE DARCY RIBERO E LEONARDO BOFF 2023-02-02T01:44:09+00:00 Hugo Barbosa de Paulo hugobarbosadepaulo@gmail.com Francely Aparecida dos Santos francely.santos@unimontes.br <p>Este trabalho, a partir de uma revisão de literatura, buscou analisar o diálogo metafísico entre o teólogo Leonardo Boff e o antropólogo Darcy Ribeiro em seu leito de quase morte. Para compreensão do debate, utilizamos a categoria do diálogo, segundo o qual o, através do processo de dialogação, os indivíduos transitam da consciência ingênua para a consciência crítica, tal qual pensa Paulo Freire. Utilizamos também alguns fragmentos da metafísica platônica, que destaca que o Criador é sinônimo de amor, sendo o ponto fixo que unifica tudo dentro de uma hierarquia eterna e racional (LEVENE, 2019), bem como também do “Mito da Caverna”, para justificar o profícuo<br />trabalho do antropólogo em prol da educação brasileira. Assim, procuramos historicizar o trabalho e a vida pública de Darcy Ribeiro, utilizando autores como Xavier (2017), Erthal e Martinazzo (2013) e Martinazzo et all (2020). Neste sentido, mesmo sem acreditar no ente metafísico, Darcy Ribeiro se unificou a Ele, através, exclusivamente de um “ato de amor” doando a sua vida com obras em prol da transformação da sociedade brasileira e na defesa de uma Educação pública e de qualidade social. Gomes (2010) descreve Darcy Ribeiro como um homem plural, que tinha seu campo de atuação em diversas áreas e que no decorrer da sua vida executou vários trabalhos como educador, antropólogo, indigenista, escritor de ficção e político. Ao fazer uma análise sobre a sua atuação, a partir do viés<br />educacional, percebe-se que o Intelectual lutou pela universalização da educação pública popular e pela reestruturação do ensino superior (XAVIER, 2017). Por fim, Darcy Ribeiro, com sua atuação no campo educacional, nos desafia constantemente a pensar na continuidade da educação brasileira no século 21 (MARTINAZZO et all, 2020).</p> 2023-02-02T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Revista Poiesis https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/poiesis/article/view/6237 DARCY RIBEIRO E A INTELLIGENTSIA BRASILEIRA: ANOS DE FORMAÇÃO 2023-02-02T01:53:42+00:00 Demetrius Ricco Ávila revista.poiesis@unimontes.br <p>Este trabalho tem por objetivo realizar uma análise da formação intelectual de Darcy Ribeiro no decurso de um período compreendido entre 1946 e 1957. Para tanto, esta formação será tomada em sentido amplo, seja no que toca à graduação de Ribeiro em ciências sociais, na Escola Livre de Sociologia e Política estabelecida na cidade de São Paulo, quanto evocando sua concomitante militância político-partidária nos quadros do Partido Comunista Brasileiro, atuando em condições de clandestinidade durante os anos do Estado Novo varguista (1937-1945). Desse modo, as dimensões intelectual e política da formação de Darcy Ribeiro serão analisadas de maneira imiscuída, em sua correlação e em suas determinações recíprocas, em consonância com o propósito supradito de tomar em sentido amplo àquela formação. Ademais, a análise considerará como elemento fundante dessa formação uma carga de leituras extracurriculares impostas a Ribeiro por uma bolsa de estudos na referida escola, leituras compostas por interpretações sobre o Brasil, apresentadas ao então estudante na forma de ensaios elaborados por intelectuais prógonos, tal como na forma de literatura ficcional. Por fim, caberá na análise pretendida a atuação de Darcy Ribeiro, após graduado, em trabalhos etnológicos junto a populações indígenas do Pantanal e da Amazônia brasileira, vinculado ao Serviço de Proteção aos Índios e sob a influência direta do Marechal Cândido Rondon.</p> 2023-02-02T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Revista Poiesis https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/poiesis/article/view/6246 MIGO, DE DARCY RIBEIRO: COMIDA, TRANSGRESSÃO E EROTISMO 2023-02-02T22:39:50+00:00 Vera Lúcia Nobre da Silva vera-nobre94@hotmail.com Antônio Wagner Veloso Rocha rochaantoniowagner@gmail.com <p>Darcy Ribeiro atravessa fronteiras em suas escritas literárias, permitindo-nos, por meio da ficção nos encontrarmos com a psiquê do homem e, ao mesmo tempo, ampliarmos a nossa compreensão da totalidade humana. Este trabalho baseia-senoseu<br>romance Migo a fim de analisar as relações entre comida,transgressão e erotismo na citada obra, tendo como fontes de pesquisa, dentre outrasreferências, os estudos culturais da antropologia e da psicanálise.</p> 2023-02-02T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Revista Poiesis https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/poiesis/article/view/6238 DARCY, O MENINO DOS GERAES QUE VIROU CIDADÃO DO MUNDO 2023-02-02T02:02:22+00:00 Gy Reis Gomes Brito gy.reis@unimontes.br Alessandra Luci Xavier de Oliveira alessandralucicelf@gmail.com <p>O presente trabalho tem por objetivo apresentar uma parte do legado de Darcy Ribeiro devido ser o centenário da sua vida. Antropólogo, político e intelectual, Darcy , um homem preocupado com temas sociais- como a educação de qualidade e igualitária a todos para formação de crianças e de adolescentes- foi um menino das Geraes e tornou-se um grande homem no cenário social e político brasileiro. Rompeu fronteiras e tornou-se cidadão do mundo, não só pelos feitos na educação, mas também na luta pela inclusão social, pela diversidade cultural, bem como a preocupação com os povos originários na formação política, social brasileira. Mas foi na área da<br />educação que ele despontou, pois ele era convicto à democratização da educação no país e Darcy acreditava que a educação era a mola propulsora para o desenvolvimento do Brasil. Assim, ele foi o idealizador das reformas educacionais como a Lei de Diretrizes e Base da educação nacional (LDB) que vigora até o presente momento no Brasil. Além disso, Darcy elaborou projetos por influência de Anísio Teixeira para essa minoria excluída da sociedade - crianças e adolescentes na zona de vulnerabilidade - como os CIEP´s no Rio de Janeiro no governo de Leonel Brizola. Dessa forma, este trabalho abordará essa faceta de Darcy Ribeiro.</p> 2023-02-02T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Revista Poiesis