A importância socioambiental dos Parques Nacionais no Brasil: uma revisão sistemática

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46551/rc24482692202310

Palavras-chave:

Biodiversidade, Território brasileiro, Unidades de conservação

Resumo

Os Parques Nacionais do Brasil são áreas que possuem distintas funções, dentre elas, preservar a fauna e a flora. As Áreas Protegidas (APs) são ferramentas essenciais para manter a integridade do habitat e a diversidade de espécies que ali ocorrem. O presente trabalho busca evidenciar a importância dos Parques Nacionais para a conservação dos biomas brasileiros. Dessa maneira, procurou contribuir para o aprofundamento desta temática evidenciando trabalhos que buscaram conhecer a importância e as estratégias desses ambientes, tratando-se de uma pesquisa de revisão bibliográfica de forma sistemática no período de 2000 a 2022 em dissertações, artigos, anais de evento, livros, sites e capítulo de livro, disponíveis nas bases de dados: Scielo, Capes, Google Acadêmico e sites oficiais. Os resultados levam a concluir que as Unidades de Conservação auxiliam no controle do desmatamento e da exploração descontrolada dos recursos naturais e que esses levantamentos são importantes para suprir lacunas deixadas pelas políticas públicas. Portanto, conhecer os diferentes setores do poder público e da sociedade civil auxilia no controle para que esses órgãos invistam em ações de fiscalização e que estudos como estes podem auxiliar no entendimento das características de cada região, desenvolvendo debates acerca da proteção da natureza.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carolina Wagner, Universidade Federal do Amazonas - UFAM, Humaitá (AM), Brasil

É Graduada em Licenciatura em Ciências: Biologia e Química pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Atualmente é Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Ciências ambientais (PPGCA) e é bolsista FAPEAM.

Endereço: Rua Vinte e Nove de Agosto, Centro, CEP 69.800-000 - Humaitá, AM - Brasil.

Milton César Costa Campos, Universidade Federal da Paraíba - UFPB, Areia (PB), Brasil

É Graduado em Agronomia pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) (2004), Mestrado em Agronomia (Ciências do Solo) pela Universidade Estadual Paulista (UNESP) (2006), Doutorado em Agronomia (Ciências do Solo) pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) (2009) e Pós-Doutorado em Engenharia de Água e Solo pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) (2013). Atualmente é Professor Associado III do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Endereço: 12 Rodovia, PB-079, CEP 58.397-000, Areia - PB, Brasil.

Renato Abreu Lima, Universidade Federal do Amazonas - UFAM, Humaitá (AM), Brasil

É Graduado em Ciências Biológicas pela Faculdade São Lucas (FSL), Mestre em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente pela Universidade Federal de Rondônia (UNIR) e Doutor em Biodiversidade e Biotecnologia pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Atualmente, é professor do Magistério Superior da Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

Endereço: Rua Vinte e Nove de Agosto, Centro, CEP 69.800-000 - Humaitá, AM, Brasil.

Referências

AGUIAR, P. C. B.; MOREAU, A. M. S. S.; FONTES, E. O. Áreas Naturais Protegidas: Um Breve Histórico do Surgimento dos Parques Nacionais e das Reservas Extrativistas. Revista Geográfica de América Central, Costa Rica, v.1, n.50, p.195–213, 2013. Disponível em: <https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=451744541007>. Acesso em: 15 dez. 2022.

BRADFORD, R. B.; FIGUEIREDO, C. A. A; RODRIGUES, C. G. O. Onde está Wilderness no Brasil? O Conceito de Áreas Naturais Primitivas para as Unidades de Conservação Brasileiras. Biodiversidade Brasileira, [S./l.], v.12, n.3, p.332-349, 2022. Disponível em: <https://revistaeletronica.icmbio.gov.br/BioBR/article/view/1986>. Acesso em: 10 dez. 2022.

BRANDAU, R.; MONTEIRO, R.; BRAILE, D. M. Importância do uso correto dos descritores nos artigos científicos. Brazilian Journal of Cardiovascular Surgery, [S./l.], v.20, n.1, p.VII-IX, 2005. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/rbccv/a/YjJ9Hw34dfDTJNcTKMFnKVC/?lang=pt#:~:text=J%C3%A1%20os%20descritores%20s%C3%A3o%20organizados,reflitam%20o%20fulcro%20do%20artigo>. Acesso em: 11 nov. 2022.

BRASIL, Lei no 9.985/2000 de 18 de julho de 2000. Sistema Nacional de Unidades de Conservação - SNUC, 2000. Disponível em: <https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9985.htm>. Acesso em: 14 dez. 2022.

BRASIL, União Internacional para a Conservação da Natureza. América do Sul Escritório Regional Relatório Anual, 2019.

BRASIL, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Áreas protegidas, 2022a. Disponível em: <https://www.icmbio.gov.br/cepnor/area-protegidas.html#:~:text=Est%C3%A3o%20sob%20sua%20responsabilidade%20o,manuten%C3%A7%C3%A3o%20de%20seus%20modos%20de>. Acesso em: 14 dez. 2022.

BRASIL, Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza. Painel Unidades de Conservação. 2022b. Disponível em: <https://app.powerbi.com/view?r=eyJrIjoiMGNmMGY3NGMtNWZlOC00ZmRmLWExZWItNTNiNDhkZDg0MmY4IiwidCI6IjM5NTdhMzY3LTZkMzgtNGMxZi1hNGJhLTMzZThmM2M1NTBlNyJ9&pageName=ReportSectione0a112a2a9e0cf52a827>. Acesso em: 13 dez. 2022.

BRASIL, Ministério do Meio Ambiente. Concessões. 2022c. Disponível em: <https://www.gov.br/mma/pt-br/assuntos/areasprotegidasecoturismo/agenda-de-concessoes>. Acesso em: 13 dez. 2022.

COUTINHO, L. M. O conceito de bioma. Acta botanica brasílica, [S./l.], v.20, n.1, p.13-23, 2006. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/abb/a/RhxPXykYPBPbCQCxz8hGtSn/?format=pdf&lang=pt>. Acesso em: 12 dez. 2022.

CRUZ, C. B. M.; SOUZA, E. M. F. R.; RICHTER, M.; ROSÁRIO, L. S.; ABREU, M. B.; SPERLE, D. Unidades de Conservação no entorno da bacia de campos: análise da representatividade e distribuição espacial. Atlas de sensibilidade ambiental ao óleo: caracterização ambiental regional da Bacia de Campos, atlântico Sudoeste. Rio de Janeiro: Elsevier. Habitats, v.9. p.31-47.

DIEGUES, A. C. O mito moderno da natureza intocada. 6. ed. Ampliada. São Paulo: Editora Hucitec - Nupaub, 2008. 198 p.

DRUMMOND, J.; BARROS-PLATIAU, A. F. Brazilian environmental laws and policies, 1934–2002: a critical overview. Law & Policy, [S./l.], v.28, n.1, p.83-108, 2006.

DRUMMOND, J. A.; FRANCO, J. L. A.; OLIVEIRA, D. Uma análise sobre a história e a situação das unidades de conservação no Brasil. IN: GANEM, R. Conservação da biodiversidade: legislação e políticas públicas. 1.ed. Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2010. p.341-385.

EMBRAPA. A Embrapa nos biomas brasileiros. 2022. Disponível em: <https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/82598/1/a-embrapa-nos-biomas-brasileiros.pdf>. Acesso em: 10 nov. 2022.

ESPÍNOLA, R. S.; CASTRO, V. M. Ecoturismo e gestão participativa em Áreas Protegidas: o caso da Floresta Nacional do Tapajós (PA). Revista Brasileira de Ecoturismo, São Paulo, v.5, n.2, p.281-296, 2012. Disponível em: <https://periodicos.unifesp.br/index.php/ecoturismo/article/view/6053>. Acesso em: 09 dez. 2022.

FLICK, U. Métodos de Pesquisa: introdução à pesquisa qualitativa. 3.ed. Editora: Bookman, 2009. 408 p.

FOLI, A. C. A.; FARIA, K. M. S. Oportunidades e desafios da criação de unidades de conservação: reflexões sobre as experiências no Estado de Goiás, Brasil. Revista Cerrados, Montes Claros, v. 18, n. 2, p. 424-446, 2020. Disponível em: <https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/3235>. Acesso em: 28 nov. 2022.

FRANCO, J. L. A.; SCHITTINI, G. M. BRAZ, V. S. História da conservação da natureza e das áreas protegidas: panorama geral. Historiæ, Rio Grande, v.6, n.2, p.233-270, 2015. Disponível em: <https://periodicos.furg.br/hist/article/view/5594>. Acesso em: 26 nov. 2022.

GALVÃO, M. C. B.; RICARTE, I. L. M. Revisão sistemática da literatura: conceituação, produção e publicação. Logeion: Filosofia da informação, Rio de Janeiro, v.6 n.1, p.57-73, 2020. Disponível em: <https://revista.ibict.br/fiinf/article/view/4835>. Acesso em: 26 nov. 2022.

GASTON, K. J.; JACKSON, S. F.; CANTU-SALAZAR, L.; CRUZ-PIÑÓN, G. The Ecological Performance of Protected Areas. Annual Review of Ecology Evolution and Systematic, [S./l.], v.39, p.93-113, 2008.

ICMBIO, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Painel dinâmico de informações. 2022. Disponível em: <https://www.gov.br/icmbio/pt-br/centrais-de-conteudo/paineis-dinamicos-do-icmbio>. Acesso em: 25 nov. 2022.

JESUS, J. S.; RIBEIRO, E. M. S. Diagnóstico e proposta de implementação de trilha no Parque Metropolitano Armando de Holanda Cavalcanti, Cabo de Santo Agostinho, PE. In: Anais... 1º Congresso Nacional de Planejamento e Manejo de Trilhas. Rio de Janeiro: Infotrilhas, 2006.

JURAS, I. A. G. M. Instrumentos para a conservação da biodiversidade. In: GANEM, R. S. Conservação da Biodiversidade Legislação e Políticas Públicas. Centro de Documentação e Informação Edições Câmara: Brasília, 2011.

MARETTI, C. C.; CATAPAN, M. I. S.; ABREU, M. J. P.; OLIVEIRA, J. E. D. Áreas Protegidas: Definições, Tipos e Conjuntos - reflexões conceituais e diretrizes para gestão. In: CASES, M. O. Gestão de unidades de conservação: compartilhando uma experiência de capacitação. Instituto de Pesquisas Ecológicas: Brasília, 2012.

MORO, C. C.; OMENA, M. T. N.; LINDENKAMP, T. C. M. Discutindo as Concessões de Uso Público em Unidades de Conservação Brasileiras. Biodiversidade Brasileira, [S./l.], v.12, n.3, p.224-233, 2022. Disponível em: <https://revistaeletronica.icmbio.gov.br/BioBR/article/view/1989>. Acesso em: 20 nov. 2022.

MOURA, A. M. M. Trajetória da política ambiental federal no Brasil. In: MOURA, A. M. M. Governança Ambiental no Brasil: instituições, atores e políticas públicas. Brasília: INPE, 2016. p.13-43.

NASCIMENTO, D. T. F.; RIBEIRO, S. A. Os biomas brasileiros e a defesa da vida. Goiânia: Kelps, 2017. 46 p.

NOGUEIRA, B. G. S.; PAJEWSKI, F. F.; FLORES, G. J. O.; MICALOSKI, M. M.; BATISTA, R. L. M. Introdução às unidades de conservação. 2018. 28f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal), Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2018.

QUADROS, J.; GIRALDI-COSTA, A. C.; SEZERINO, F. S.; SANTOS, P. A. Participação social na criação e implantação de Unidades de Conservação no Brasil: o caso do Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange. Sustentabilidade em Debate - Brasília, v.6, n.3, p.32-49, 2015. Disponível em: <https://periodicos.unb.br/index.php/sust/article/view/15769>. Acesso em: 09 dez. 2022.

RANGEL, L. A.; SINAY, L. Ecoturismo como ferramenta para criação de Unidades de Conservação no estado do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Ecoturismo, São Paulo, v.12, n.4, p.563-580, 2019. Disponível em: <https://periodicos.unifesp.br/index.php/ecoturismo/article/view/6711>. Acesso em: 11 dez. 2022.

ROCHA, L. G. M.; DRUMMOND, J. A.; GANEM, R. S. Parques Nacionais Brasileiros: problemas fundiários e alternativas para a sua resolução. Revista de Sociologia e Política, Curitiba, v.18, n.36, p.205-226, 2010. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/rsocp/a/bxmbmm3tG6MZWsshZngTXSG/abstract/?lang=pt>. Acesso em: 06 dez. 2022.

SILVA, T. S.; CÂNDIDO, G. A.; FREIRE, E. M. X. Conceitos, percepções e estratégias para conservação de uma estação ecológica da Caatinga nordestina por populações do seu entorno. Sociedade & Natureza, Uberlândia, v.21, n.2, p.23-37, 2009. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/sn/a/SW6hcypGFvdzyZtny3bbwrQ/abstract/?lang=pt>. Acesso em: 07 dez. 2022.

SOUZA, A. S., OLIVEIRA, G. S., ALVES, L. H. A pesquisa bibliográfica: princípios e fundamentos. Cadernos da Fucamp, [S./l.], v.20, n. 43, p.64-83, 2021. Disponível em: <https://revistas.fucamp.edu.br/index.php/cadernos/article/view/2336>. Acesso em: 07 dez. 2022.

TEIXEIRA, O. F.; CASTILHO, A. G.; CUNHA, B. P. As Áreas de Preservação Permanente no Código Florestal e legislação estadual da Paraíba: aspectos da sustentabilidade como forma de garantir as atividades econômicas. In: CUNHA, B. P.; AUGUSTIN, S. Sustentabilidade ambiental: estudos jurídicos e sociais. Caxias do Sul: Educs, 2014.

Downloads

Publicado

2023-06-01

Como Citar

WAGNER, C.; CAMPOS, M. C. C.; LIMA, R. A. A importância socioambiental dos Parques Nacionais no Brasil: uma revisão sistemática. Revista Cerrados, [S. l.], v. 21, n. 01, p. 245–267, 2023. DOI: 10.46551/rc24482692202310. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/6113. Acesso em: 28 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Categorias