Oportunidades e desafios da criação de Unidades de Conservação: reflexões sobre as experiências no Estado de Goiás, Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46551/rc24482692202024

Palavras-chave:

Unidades de Conservação, Oportunidades e Desafios, Goiás, Brasil

Resumo

Este trabalho apresenta uma abordagem qualitativa sobre as oportunidades e desafios da criação de Unidades de Conservação no Brasil e especificamente no Estado de Goiás. O estudo foi segmentado em duas etapas, sendo a primeira baseada em pesquisas bibliográficas e acervos governamentais, orientadas pelos seguintes questionamentos: Quem são as áreas protegidas no Brasil e no mundo? O que o Brasil ganha com a criação de áreas protegidas? O país atende aos principais convênios e conferências internacionais sobre a regulação de áreas protegidas? Na segunda etapa foi realizado um levantamento sobre os dados das unidades de conservação em agências e órgãos públicos estaduais e federais do estado de Goiás, além da utilização de imagens de geoprocessamento referentes ao ano de 2019, disponibilizadas pelo site Map Biomas. As análises apontaram que, em Goiás, muitas dessas áreas existem apenas no papel, pois não apresentam conselho gestor ou plano de manejo, sem que, na prática, qualquer ação de preservação ou conservação seja efetivada. Dessa forma, verifica-se a necessidade de maior gerenciamento das áreas protegidas em Goiás.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Cristina Araújo Foli, Universidade Federal de Goiás – UFG, Goiânia, Goiás, Brasil

É Graduada em Geografia pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e Mestre em Geografia pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Atualmente é Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGEO) do Instituto de Estudos Socioambientais (IESA), da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Karla Maria Silva de Faria, Universidade Federal de Goiás – UFG, Goiânia, Goiás, Brasil

É Graduada, Mestre e Doutora em Geografia pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Atualmente é Docente vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais (CIAMB) e ao Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGEO), ambos da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Referências

AB’SABER, A. N. O domínio do Cerrado: introdução ao conhecimento. Revista do Serviço Público, Brasília, v. 40, n. 4, p. 41-56, 1983.

ARENS, K. O Cerrado como vegetação oligotrófica. Revista Botânica, São Paulo, v. 224, n. 15, p. 57-78, 1958.

BARBOSA, A. S. A complexa teia hídrica que brota do Cerrado está ameaçada. Portal Ecodebate. Disponível em: https://www.ecodebate.com.br/2014/10/27/a-complexa-teia-hidrica-que-brota-do-cerrado-esta-ameacada-entrevista-com-altair-sales-barbosa. Acesso em: 22 julho 2020.

BARROS, A. C. A construção da política nacional de áreas protegidas fortalecendo as estratégias de conservação, uso e repartição de benefícios da biodiversidade no Brasil. In: Anais do IV Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação, vol. 2. Curitiba, Fundação O Boticário de Proteção à Natureza & Rede Pró-Unidades de Conservação, p. 177-186, 2004.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 19 julho 2020.

BRASIL. Lei nº 9.985, de 18 de julho de 2000. Institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza – SNUC. Brasília, DF. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9985.htm. Acesso em: 18 julho 2020.

BROCHADO, M. L. C. Análise de cenário de desmatamento para o estado de Goiás. 2014. 58 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Florestal). Faculdade de Tecnologia, Departamento de Engenharia Florestal, Universidade de Brasília, Brasília, 2014.

CHAGAS, A. H. B.; LEAL, A. C.; CAMPOS, F. I.; PEIXOTO, J. C.; GIUSTINA, C. C. D. Gestão das Águas no Estado de Goiás: perspectivas para a participação da Universidade na instalação e atuação do Comitê das Bacias Hidrográficas do Rio Almas e Afluentes Goianos do Rio Maranhão. Revista Fronteiras, Anápolis, v. 6, n. 2, p. 147-166, 2017. Disponível em: http://periodicos.unievangelica.edu.br/index.php/fronteiras. Acesso em: 05 ago 2020.

COELHO, H. A.; REZENDE, E. N. A efetiva implantação das Unidades de Conservação ambiental por meio da desapropriação. Revista da Faculdade de Direito da UFG, v. 40, n. 1, p. 146-165, jan./jun. 2016. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/revfd/article/view/38078. Acesso em: 07 julho 2020.

DIAS, B. As Unidades de Conservação no Brasil, Biodiversidade e os Acordos Internacionais. Vídeo (Palestra). Canal Mídia e Amazônia. In: Unidades de Conservação no Brasil: ameaças, retrocessos e o futuro do SNUC. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=fx0TixHhWB4. Acesso em: 24 julho 2020.

DIEGUES, A. C. O mito moderno da natureza intocada. 4. ed. São Paulo: Hucitec, 2004, 168 p.

FRANCO, J. L.; SCHIRRINI, G. M.; BRAZ, V. S. História da Conservação da Natureza e das Áreas Protegidas: Panorama Geral. Historiae, Rio Grande, v.6, n. 2, p. 233-270, 2015. Disponível em: https://periodicos.furg.br/hist/article/view/5594. Acesso em: 13 ago 2020.

GARCIA, L. V. M.; MOREIRA, J. C.; BURNS, R. C. Conceitos Geográficos na Gestão das Unidades de Conservação Brasileiras. GEOgraphia, Niterói, Universidade Federal Fluminense v. 20, n. 42, jan. /abr., 2018. Disponível em: https://periodicos.uff.br/geographia/article/view/13832. Acesso em: 14 ago 2020.

GOIÁS. Lei nº 14.247, de 29 de julho de 2002. Institui o Sistema de Unidades de Conservação no Estado de Goiás e dá outras providências. Disponível em: https://legisla.casacivil.go.gov.br/pesquisa_legislacao/81809/lei-14247. Acesso em: 12 ago . 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Cidades e Estados. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/go.html. Acesso em: 22 julho 2020.

LEUZINGER, M. D. Natureza e Cultura: direito ao meio ambiente equilibrado e direitos culturais diante da criação de unidades de conservação de proteção integral e domínio público habitadas por populações tradicionais. 2007. 357 f. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Sustentável). Universidade de Brasília, Brasília, 2007.

MAP BIOMAS BRASIL. Coleção 5. Disponível em: https://plataforma.mapbiomas.org. Acesso em: 23 out. 2020.

MEDA, R. V. A criação de Unidades de Conservação no reconhecimento de territórios às populações tradicionais. Revista de Direito da Cidade, Rio de Janeiro, Universidade Estadual do Rio de Janeiro, v. 6, n. 1, p. 275-300, 2014. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/rdc/article/view/11346/8966. Acesso em: 28 de ago. 2020.

MEDEIROS, R. A Proteção da Natureza: das estratégias internacionais e nacionais às demandas locais. 2003. 391 f. Tese (Doutorado em Geografia). Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2003.

MEDEIROS, R. Evolução das Tipologias e Categorias de Áreas Protegidas no Brasil. Revista Ambiente & Sociedade, Campinas, v. 9, n. 1, p. 41-64, jan/jul 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/asoc/v9n1/a03v9n1.pdf. Acesso em 14 de abril de 2020.

MEDEIROS, R.; YOUNG, C. E. F. Contribuição das unidades de conservação brasileiras para a economia nacional. Brasília: Unep/WCMC, 2011, 120 p.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - MMA. Parque Nacional do Araguaia. Disponível em: https://www.mma.gov.br/informma/item/12577-noticia-acom-2015-01-712.html. Acesso em: 19 julho 2020.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - MMA. Biodiversidade. Disponível em: https://www.mma.gov.br/biodiversidade.html. Acesso em: 19 julho 2020.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - MMA. Cadastro Nacional de Unidades de Conservação. Área das Unidades de Conservação de acordo com o SNUC por tipo, categoria e esfera. Disponível em: www.mma.gov.br/areas-protegidas/cadastro-nacional-de-ucs.html. Acesso em: 24 julho 2020.

OLIVEIRA, I. A. Gestão de conflitos em parques: estudo de caso do entorno nordeste do Parque Estadual da Serra do Tabuleiro. 2005. 269 f. Tese (Doutorado em Engenharia da Produção). Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2005.

OLIVEIRA, A. S. de. Os dilemas socioambientais no entorno do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros: uma análise pela perspectiva crítica da Educação Ambiental. 2016. 167 f. Tese (Doutorado em Ciências Ambientais). Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2016.

PAINEL DAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO BRASILEIRAS – PUCB. Dados das unidades de conservação cadastradas no estado de Goiás. Disponível em: https://app.powerbi.com/view?r=eyJrIjoiMjUxMTU0NWMtODkyNC00NzNiLWJiNTQtNGI3NTI2NjliZDkzIiwidCI6IjM5NTdhMzY3LTZkMzgtNGMxZi1hNGJhLTMzZThmM2M1NTBlNyJ9. Acesso em: 26 julho 2020.

PEREIRA, D. B. Paradoxos do papel do Estado nas Unidades de Conservação. In.: ZHOURI, A. (Org.). A insustentável leveza da política ambiental: desenvolvimento e conflitos socioambientais. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

SANTOS, S. A. dos. NUNES, F. G. Mapeamento do conflito de uso legal da terra nas unidades de conservação (UCs) da Reserva da Biosfera do Cerrado: nordeste de Goiás. In: Anais XVII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, João Pessoa, 25 a 29 de abril de 2015, p. 933-940.

SCARAMUZZA, C. A. de M.; MACHADO, R. B.; RODRIGUES, S. T.; RAMOS NETO, M. B.; PINAGÉ, E. R.; DINIZ FILHO, J. A. F. Áreas Prioritárias para Conservação da Biodiversidade em Goiás. In.: FERREIRA, L. G. (Ed.). Conservação da biodiversidade e sustentabilidade ambiental em Goiás: Prioridades, estratégias e perspectivas. Goiânia, 2005, 192 p.

SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL - SEMAD. Unidades de Conservação. Disponível em https://www.meioambiente.go.gov.br. Acesso em: 20 julho 2020.

SILVA, J. I. A. O.; CUNHA, L. H. Regime Jurídico das Unidades de Conservação: suas características jurídico-ambientais. Revista Dat@venia, Campina Grande, v. 2, n. 1, p. 121-143, jan./jun. 2010. Disponível em: http://revista.uepb.edu.br/index.php/datavenia/article/view/121-143. Acesso em: 28 julho 2020.

SOARES, F. B.; SANTOS, R. dos; BARBALHO, M. G. S.; PEIXOTO, J. C.; LEAL, A. C. Unidades de Conservação no estado de Goiás: potencial para áreas de proteção integral na microrregião de Ceres. In: Anais VIII Simpósio Nacional de Ciência e Meio Ambiente, Anápolis, 23 a 27 de outubro de 2017. Disponível em: http://anais.unievangelica.edu.br/index.php/sncma/article/view/10. Acesso em: 26 ago.2020.

UNIÃO INTERNACIONAL DE CONSERVAÇÃO PARA A NATUREZA - UICN.

Governança de Áreas Protegidas: da compreensão à ação. Série Diretrizes para melhores Práticas para Áreas Protegidas, n. 20, Gland, Suíça: UICN, 2017, 124 p.

UNIÃO INTERNACIONAL DE CONSERVAÇÃO PARA A NATUREZA - UICN. Notícias, 2019. Disponível em: https://www.iucn.org/pt/news/secretariat/201908/a-uicn-uniao-internacional-para-a-conservacao-da-natureza-convoca-o-governo-brasileiro-e-outros-governos-e-cidadaos-a-se-unirem-para-acabar-com-os-incendios-na-amazonia#:~:text=%C3%89%20necess%C3%A1rio%20reconhecer%20que%20as,guardi%C3%B5es%20eficazes%20da%20riqueza%20amaz%C3%B4nica. Acesso em: 12 ago. 2020.

WWF BRASIL. Criação de Áreas Protegidas. Disponível em: https://www.wwf.org.br/natureza_brasileira/areas_prioritarias/amazonia1/nossas_solucoes_na_amazonia/areas_protegidas_na_amazonia/criacao_de_areas_protegidas_na_amazonia. Acesso em: 22 julho 2020.

Downloads

Publicado

2020-12-07

Como Citar

FOLI, A. C. A.; FARIA, K. M. S. de. Oportunidades e desafios da criação de Unidades de Conservação: reflexões sobre as experiências no Estado de Goiás, Brasil. Revista Cerrados, [S. l.], v. 18, n. 02, p. 424–446, 2020. DOI: 10.46551/rc24482692202024. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/3235. Acesso em: 23 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Categorias