Aroldo de Azevedo: breve biografia e algumas considerações de natureza epistemológica da obra didática O Mundo em que vivemos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46551/rc24482692202135%20

Palavras-chave:

Aroldo de Azevedo, Currículo, Livro didático, Possibilismo, Determinismo

Resumo

Aroldo de Azevedo foi um importante autor de livros didáticos de Geografia, cuja produção mais significativa ocorreu entre as décadas de 1940 e 1970. Suas obras foram amplamente adotadas nas escolas brasileiras, e o autor gozava de muito prestígio tanto no meio acadêmico quanto no meio escolar. Neste artigo, fruto de pesquisa mais ampla, apresentamos a biografia do autor e breve inventário de sua produção. A leitura de uma de suas obras de grande difusão, intitulada O Mundo em que vivemos, da década de 1960, possibilita interpretar alguns trechos, em que o autor revela certas posturas consideradas elitistas, bem como equívocos conceituais acerca do possibilismo e do determinismo geográfico. Na perspectiva do paradigma indiciário, com base em pesquisa documental, foi observada a apresentação de um texto didático de excelente qualidade técnica. Contudo, a despeito de ser obra destinada a fim escolar, para um público leitor em processo de formação acadêmica básica, sua qualidade técnica obnubila seu fim escolar e escamoteia sua mensagem ideológica elitista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruno Falararo de Mello, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP, Rio Claro, São Paulo, Brasil.

É Graduado em Geografia – Licenciatura pela Universidade Estadual Paulista Júlio Mesquista Filho (UNESP/Rio Claro) e em Geografia – Bacharelado pelo Centro Universitário Internacional (Uninter), Mestre em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio Mesquista Filho (UNESP/Rio Claro) e Doutor em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio Mesquista Filho (UNESP/Rio Claro). É pesquisador do Grupo de Estudo e Pesquisa em Linguagem, Experiência e Formação, vinculado aos Programas de Pós-Graduação em Educação e de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Estadual Paulista Júlio Mesquista Filho (UNESP/Rio Claro), e lecionou na rede municipal de educação de Rio Claro.

João Pedro Pezzato, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquista Filho – UNESP, Rio Claro (SP), Brasil

É Graduado em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio Mesquista Filho (Unesp/Rio Claro), Mestre e Doutor em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo (USP). É professor associado do Departamento de Educação da Unesp/Rio Claro, e coordenador do Grupo de Estudo e Pesquisa em Linguagem, Experiência e Formação, vinculado aos Programas de Pós-Graduação em Educação e de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Estadual Paulista Júlio Mesquista Filho (UNESP/Rio Claro).

Chrstiane Fernanda da Costa, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquista Filho – UNESP, Rio Claro (SP), Brasil

É Graduada em Geografia e em Pedagogia pela Universidade Estadual Paulista Júlio Mesquista Filho (UNESP/Rio Claro), Mestra e Doutora em Educação pela Universidade Estadual Paulista Júlio Mesquista Filho (UNESP/Rio Claro). É pesquisadora do Grupo de Estudo e Pesquisa em Linguagem, Experiência e Formação, vinculado aos Programas de Pós-Graduação em Educação e de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Estadual Paulista Júlio Mesquista Filho (UNESP/Rio Claro), e leciona na rede municipal de educação de Rio Claro/SP.

Referências

ALBUQUERQUE, Maria Adailza Martins de. Dois momentos na história da Geografia escolar: a Geografia clássica e as contribuições de Delgado de Carvalho. Revista Brasileira de Educação em Geografia, Rio de Janeiro, v. 1, n. 2, p. 19-51, jul./dez., 2011.

APPLE, Michael. Currículo e poder. Revista Educação e Realidade, Porto Alegre/UFRGS, v. 14, n. 2, p. 46-57, jul./dez. 1989.

AZANHA, José Mário Pires. Uma ideia de pesquisa educacional. São Paulo: Edusp/Fapesp. 1992.

AZEVEDO, Aroldo de. O Mundo em que vivemos. 5. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1967.

BERNARDES, Nilo. O pensamento geográfico tradicional. Revista brasileira de Geografia, v. 44, n. 3, p. 391-413, jul./set. Rio de Janeiro, 1982.

CARVALHO JUNIOR, Ilton Jardim de e MORAES SOBRINHO, Aparecido Pires. A perpetuação de mitos no pensamento geográfico: a ideia das influências ambientais e a falsa dicotomia determinismo/possibilismo. Revista da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Geografia (Anpege), v. 13, n. 22, p. 164-197, set./dez. 2017.

CHERVEL, André. L'histoire des disciplines scolaires. Réflexions sur un domaine de recherche. Histoire de l'éducation, n. 38, p. 59-119, 1988.

GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas, sinais: morfologia e história. Tradução de Federico Carotti. 2. ed. 7ª impressão. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

GOODSON, Ivor. A construção social do currículo. Tradução de Maria João Carvalho. Lisboa: EDUCA, 1997.

ISSLER, Bernardo. A Geografia e os Estudos Sociais. 1973, 253f. Tese (Doutorado em Geografia), FFCL/ UNESP, Presidente Prudente, 1973.

MELLO, Bruno Falararo de. Uma leitura da climatologia escolar em livros didáticos de Geografia (1967-2013). 2020, 274f. Tese (Doutorado em Geografia). Universidade Estadual “Júlio de Mesquita Filho”, Rio Claro, São Paulo, 2020.

PONTUSCHKA, Nídia Nacib et al. Para ensinar e aprender Geografia. 1. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

SANTOS, Milton. Por uma Geografia Nova: Da crítica da Geografia a uma Geografia crítica. 6ª ed. São Paulo: EDUSP, 2004.

SANTOS, Wilson dos. A obra de Aroldo de Azevedo – uma avaliação. 1984. 98 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, São Paulo, 1984.

Downloads

Publicado

2021-11-15

Como Citar

MELLO, B. F. de; PEZZATO, J. P.; COSTA, C. F. da. Aroldo de Azevedo: breve biografia e algumas considerações de natureza epistemológica da obra didática O Mundo em que vivemos : . Revista Cerrados, [S. l.], v. 19, n. 02, p. 485–507, 2021. DOI: 10.46551/rc24482692202135 . Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/4365. Acesso em: 8 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos

Categorias