A hidrografia na trajetória de Riobaldo em “Grande Sertão: Veredas”

Autores

  • Marina de Fátima Brandão Carneiro Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES

Palavras-chave:

Hidrografia. Trajetória de Riobaldo. Grande Sertão: veredas. Literatura brasileira

Resumo

Na narrativa de Grande Sertão: veredas percebe-se a grande importância da hidrografia revelando os caminhos percorridos por Riobaldo, ao ziguezaguear pelos sertões dos Gerais, desde menino e, especialmente, com os bandos de jagunços e seu grande amor, Diadorim. Nesse espaço ficcional se destacam três bacias hidrográficas de Minas Gerais: a do Rio São Francisco, que parte sua vida ao meio; a do Rio Pardo e a do Rio Jequitinhonha onde vários episódios de sua vida se desenrolam. Neste contexto, este trabalho tem como objetivo analisar a importância e a função da hidrografia como suporte para o espaço ficcional da obra Grande Sertão: veredas de João Guimarães Rosa, dando sentido à complexa e conflituosa trajetória do seu principal personagem, Riobaldo. A abordagem metodológica privilegiou um estudo analítico-sintético com a realização de leituras e análises da obra já citada e de outros autores que analisaram e escreveram sobre o tema.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marina de Fátima Brandão Carneiro, Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES

Profª. Doutoranda – Programa de Pós-Graduação em Geografia – Tratamento da Informação Espacial – PUC Minas, Dinter, professora do Departamento de Geociências do Centro de Ciências Humanas da Universidade Estadual de Montes Claros, Unimontes, Pesquisadora do Grupo de Pesquisa Interdisciplinar Nonada – GPIN.

Referências

CARNEIRO, M. de F. B.. Veredas: as “veias abertas” do grande sertão rosiano. 2011. Resumo apresentado ao III Seminário de Pesquisa em Literatura e Criação Literária, Montes Claros, 2011. Não publicado.

MARTINS, Nilce Sant’Anna. O Léxico de João Guimarães Rosa. – 3. ed. revista – São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008.

NETO, Germano; MENESES, Adélia Bezerra de (seleção de textos). Saudades de Rosa e Sertão. – São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2007.

ROSA, João Guimarães. Grande Sertão: veredas. 19 ed. – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

Downloads

Publicado

2014-12-31

Como Citar

CARNEIRO, M. de F. B. A hidrografia na trajetória de Riobaldo em “Grande Sertão: Veredas”. Revista Cerrados, [S. l.], v. 12, n. 01, p. 315–324, 2014. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/2991. Acesso em: 11 ago. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>