Estimativa de passivos na bacia hidrográfica do Córrego Caidor, Silvânia - Goiás, como subsídio à criação de uma área de proteção ambiental

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46551/rc24482692202029

Palavras-chave:

Monitoramento Ambiental. Área de Preservação Permanente. Sentinel.

Resumo

Áreas de Proteção Ambiental são normalmente associadas às Unidades de Conservação, atuando como uma zona de proteção da biodiversidade, especialmente na região de borda, mais afetada por desmatamentos e queimadas. Porém, sua adoção se dá também como proteção às regiões hidrográficas, como aquelas com presença de nascentes e pontos de captação para abastecimento público. Este é o caso da bacia hidrográfica do córrego Caidor, no município de Silvânia, Goiás. Neste contexto, esse estudo busca subsidiar a implantação de uma APA na bacia do córrego Caidor, por meio de análise temporal sobre o uso da terra na região. Para tanto, foi organizado um extenso banco de dados, composto por imagens de satélites (Sentinel), localização de agroindústrias, poços e barragens, pivôs de irrigação, além do atual uso e cobertura da terra (em conjunto com dados do Cadastro Ambiental Rural - CAR). Como resultado deste levantamento, são apresentados os mapas com os passivos ambientais na área de estudo, visando a determinação da APA e controle das propriedades rurais, especialmente daquelas com maior potencial poluidor. Cerca de 80% desta bacia apresenta uso da terra para fins agropecuários, com seus respectivos passivos ambientais associados à pressão sobre os recursos hídricos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jaila Raiane Barbosa de Souza, Universidade Federal de Goiás – UFG, Goiânia, Goiás, Brasil

É Graduada em Ciências Ambientais pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Atualmente é Mestranda pelo Programa de Pós-graduação em Geografia da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Andrelisa Santos de Jesus, Universidade Federal de Goiás – UFG, Goiânia, Goiás, Brasil

É Graduada e Mestre em Geografia pela Universidade Federal de Goiás (UFG) e Doutora em Geotecnia pela Universidade de Brasília (UnB). Atualmente é Professora do Instituto de Estudos Socioambientais da Universidade Federal de Goiás (IESA/UFG).

Manuel Eduardo Ferreira, Universidade Federal de Goiás – UFG, Goiânia, Goiás, Brasil

É Graduado em Geografia pela Universidade de Brasília (UnB), Mestre em Geologia pela Universidade de Brasília (UnB) e Doutor em Ciências Ambientais pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Atualmente é Professor do Instituto de Estudos Socioambientais da Universidade Federal de Goiás (IESA/UFG) e de seu Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGeo).

Referências

AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS. Programa Produtor de água. Plataforma digital. Disponível em: <http://www3.ana.gov.br/portal/ANA/programas-projetos/programa-produtor-de-agua>. Acesso em: 27 de maio de 2018.

BRASIL. Lei n.º 9.985, de 18 de julho de 2000. Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/ l9985.htm>. Acesso em: 08 abril 2018.

BRASIL. Lei n.° 12.651, de 25 de maio de 2012. Código Florestal Brasileiro. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12651.htm>. Acesso em: 02 de junho de 2020.

CONSELHO NACIONAL DE MEIO AMBIENTE. Resolução nº 010 de 14 de dezembro de 1988. Dispõe sobre a regulamentação das Áreas de Proteção Ambiental. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res88/res1088.ht ml>. Acesso em: 24 de maio de 2018

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Módulos Fiscais. Disponível em: <https://www.embrapa.br/codigo-florestal/area- de-reserva-legal-arl/modulo-fiscal>. Acesso em: novembro de 2017.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. O que é ILPF? Disponível em: < https://www.embrapa.br/web/rede-ilpf/o-que-e>. Acesso em: 27 de maio de 2018.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Agropecuário 2017 - Resultados definitivos. IBGE. Plataforma digital. Disponível em: <https://censos.ibge.gov.br/ agro/2017/>. Acesso em: 02 de junho de 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS. Guia de Procedimentos do Licenciamento Ambiental Federal. Documento de Referência. Brasília: IBAMA, 2002. Cap. 3. Disponível em: <https://www.mma.gov.br/estruturas/sqa_pnla/arquivos/Procedime ntos.pdf >.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. IBGE Cidades. 2020. Disponível em: < https://cidades.ibge.gov.br/brasil/go/silvania/panorama > Acesso em: 10 de Maio de 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Manual técnico de uso da terra. Coordenação de Recursos Naturais e Estudos Ambientais. – 3. ed. - Rio de Janeiro, 2013. 171 p.

PECCINI, A. Contabilidade ambiental – conceito, aplicabilidade e campo de atuação. Rio de Janeiro, 2012.

SILVÂNIA. Lei n°1774, de 1 de setembro de 2014. Código de Meio Ambiente do Município de Silvânia/GO. Disponível em: <http://www.camaradesilvania.go.gov.br/ legislacao/leis/2014/lei1774.pdf>. Acesso em: 27 de maio de 2018.

Downloads

Publicado

2020-12-22

Como Citar

SOUZA, J. R. B. DE .; SANTOS DE JESUS, A.; FERREIRA, M. E. . Estimativa de passivos na bacia hidrográfica do Córrego Caidor, Silvânia - Goiás, como subsídio à criação de uma área de proteção ambiental. Revista Cerrados, v. 18, n. 02, p. 553-574, 22 dez. 2020.