Diferenças etnoculturais na escola: Experiências de alunos Xakriabá em um espaço escolar não indígena

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46551/rc24482692202021

Palavras-chave:

Diferenças étnicas. Encontros interétnicos. Ambiente escolar.

Resumo

No espaço escolar se formam relações e encontros socioculturais distintos e a partir disso conflitos podem ser detectados. Realizou-se algumas reflexões com base em um levantamento preliminar acerca da maneira como as relações entre os indígenas da etnia Xakriabá e alunos não índios ocorrem em um espaço escolar não indígena. Metodologicamente a pesquisa se caracteriza como qualitativa e explicativa, utilizando como método de análise a fenomenologia e acessando os valores simbólicos e subjetivos que envolvem os construtos sociais destes indivíduos, perfilando-os nos pressupostos da Geografia Humanista Cultural. Utilizou-se de levantamento bibliográfico e trabalho de campo. Identificou-se na pesquisa evidências de que a diferença etnocultural transfigura-se em elemento que desperta conflitos, atos de racismo e bullying no espaço escolar. Isso torna importante dar visibilidade aos grupos de estudantes considerados como não hegemônicos, neste caso os alunos Xakriabá, para que possam apontar atos preconceituosos contra sua etnia e reivindiquem suas demandas, no ambiente escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leonardo José dos Reis Coimbra de Melo, Universidade Federal de Goiás – UFG, Goiânia, Goiás, Brasil

É Graduado em Geografia pela Universidade Estadual de Goiás (UEG). Atualmente é Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Geografia (IESA) da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Ademir Divino Vaz, Universidade Estadual de Goiás – UEG, Pires do Rio, Goiás, Brasil

É Graduado e Mestre em Geografia pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Atualmente é Professor da Universidade Estadual de Goiás (UEG) – Campus de Pires do Rio.

Maria Geralda de Almeida, Universidade Federal de Goiás – UFG, Goiânia, Goiás, Brasil

É Graduada em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Mestrado e Doutorado em Geografia pela Université de Bordeaux III, pós doutorado em Geografia Humana pela Universidad de Barcelona, em Geografia Cultural pela Université Laval, Universita Degli Studi Di Genova e Universite de Paris IV Paris-Sorbonne. Atualmente é Professora do Programa de Pós-Graduação em Geografia (IESA) da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Referências

ALMEIDA, Ranna Iara de Pinho Chaves. Cultura Escolar Agrícola e Educação Escolar Indígena: vivências dos alunos Xakriabá no Instituto Federal Goiano – Campus Urutaí – GO. In. 31ª Reunião Brasileira de Antropologia, realizada entre os dias 09 e 12 de dezembro de 2018, Brasília/DF. 2018. Disponível em: <http://www.evento.abant.org.br/rba/31RBA/files/1541462792_ARQUIVO_CulturaEscolarAgricolaeEducacaoEscolarIndigena.pdf>. Acesso em: 17 de out. de 2019.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Vocação de criar anotações sobre a cultura e as culturas populares. Cadernos de Pesquisa, [S./l.], v. 39, n. 138, p. 715-746, set./dez. 2009.

INCRA - Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária. Regularização de Território Quilombola: perguntas e respostas. Brasília, DF. 2018. Disponível em <http://www.incra.gov.br/sites/default/files/incra-perguntasrespostas-a4.pdf>. Acesso em: 30 de maio de 2018.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília. 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm>. Acesso em: 26 de jan. de 2019.

CAMPOS, V.; SILVA, A. L.; SILVA, D. R. A Formação do Povo Brasileiro e o Reconhecimento Efetivo da Diversidade: Cultura, educação e ações afirmativas em prol de uma sociedade reflexiva. Revista do Programa de Pós-graduação em Humanidades, Culturas e Artes, Rio de Janeiro/Unigranrio, v. 1, n. 15, p. 383-397, 2017.

CANDAU, Vera Maria. Multiculturalismo e educação: desafios para a prática pedagógica. In: Moreira, A. Candau, V. (org.). Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas. 2. ed. Petrópolis: Vozes. 2008 EU A RETIRARIA!

CORREA, Célia Nunes. O Barro, o Genipapo e o Giz no fazer epistemológico de Autoria Xakriabá: reativação da memória por uma educação territorializada. Célia Nunes Correa Xakriabá. Brasília – DF, 2018. 218 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Sustentabilidade junto a Povos e Terras Tradicionais – MESPT), Centro de Desenvolvimento Sustentável, Universidade de Brasília, Brasília, 2018.

GELEDÉS – INSTITUTO DA MULHER NEGRA (Brasil). Racismo Institucional Uma Abordagem Conceitual. 2016. Disponível: <http://www.onumulheres.org.br/wp-content/uploads/2016/04/FINAL-WEB-Racismo-Institucional-uma-abordagem-conceitual.pdf>. Acesso em: 11 de abr. de2019.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. - São Paulo: Atlas, 2008.

GOMES, Nilma Lima. Educação e Diversidade Étnico-Cultural. In BRASIL. Diversidade na educação: reflexões e experiências. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Brasília. 2003. Disponível em: <http://forumeja.org.br/sites/forumeja.org.br/files/Diversidade-na-educaCAo-reflexOes-e-experiEncias_Marise_Ramos.pdf#page=69>. Acesso em: 06 de mai. de 2019

LIMA, Marcus Eugênio Oliveira. FARO, André. SANTOS, Mayara Rodrigues dos. A desumanização presente nos estereótipos de índios e ciganos. Revista Psicologia Teoria e Pesquisa, [S./l.], v. 32 n. 1, p. 219-228, Jan-Mar 2016.

MOURA, E. P. G.; ZUCCHETTI, D. T. Educação além da Escola: Acolhida a outros saberes. Cadernos de Pesquisa, [S./l.], v.40, n.140, p. 629-648, maio/ago. 2010. Disponível: <http://www.scielo.br/pdf/cp/v40n140/a1640140.pdf>. Acesso em: 10 de abril de 2018.

RAMALHO, Lays da Silva. Diversidade cultural na escola. Diversidade e Educação, [S./l.], v.3, n.6, p. 29-36, jul./dez. 2015.

RIBEIRO, Darcy. O povo brasileiro: a formação e o sentido do brasil. 2 ed. Companhia das Leras. 1995. Disponível em: <http://www.iphi.org.br/sites/filosofia_brasil/Darcy_Ribeiro_-_O_povo_Brasileiro-_a_formação_e_o_sentido_do_Brasil.pdf>. Acesso em: 11 de abr. de 2019.

RIBEIRO, Solange Lucas. Espaço escolar um elemento (in)visível no currículo. Sitientibus, Feira de Santana, n 31, p. 103-118, Jul./dez. 2004. Disponível em: <http://www2.uefs.br/sitientibus/pdf/31/espaco_escolar.pdf>. Acesso em: 3 de mai. de 2019.

ROCHA, Lurdes Bertol. ALMEIDA, Maria Geralda. Cultura, mundo-vivido e território. In. Simpósio nacional sobre geografia, percepção e cognição do meio ambiente. 2005. Disponível em: <https://geografiahumanista.files.wordpress.com/2009/11/lurdes.pdf>. Acesso em 14 de abr. de 2019.

ROSA, H. S.; ANAYA, F. C. Raiz que sustenta a nossa identidade. Revista Agriculturas, [S./l.], v. 13 - n. 1, p. 13-17, março/2016. Disponível em: <http://aspta.org.br/files/2016/06/Agriculturas_V13N1_Comunica%C3%A7%C3%A3o.pdf>. Acesso em: 6 de nov. de 2019.

SANTOS, A. F. M. XAKRIABÁ: Identidade e história. Relatório de pesquisa. Pós-graduação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade de Brasília, em nível de Mestrado. Brasília. 1994. Disponível em: <http://dan.unb.br/images/doc/Serie167empdf.pdf>. Acesso em: 17 de jul. de 2019.

SILVA, G.; LOPES, C. S. Topofilia e topofobia: um estudo da percepção ambiental de Alunos do ensino médio em Paiçandu – PR. In. Os desafios da escola pública paranaense na perspectiva do professor PDE. Paraná. 2014. Disponível em: <http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/cadernospde/pdebusca/producoes_pde/2014/2014_uem_geo_artigo_gerson_da_silva.pdf>. Acesso em: 4 de mai. de 2018.

SILVEIRA, R. S.; NARDI, H. C. Interseccionalidade gênero, raça e etnia e a lei Maria da Penha. Psicologia & Sociedade, [S./l.], 26(n. spe.), 14-24. (2014). Disponível em: <https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/147307/000993659.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 02 de mai. de 2019.

SOUZA, C. P.; ALMEIDA, L. C. P. Enciclopédia biosfera. Centro Científico Conhecer - Goiânia, v.7, n.12; 2011. Disponível em: <http://www.conhecer.org.br/enciclop/conbras1/bullying.pdf>. Acesso em: 6 de nov. de 2019.

SUERTEGARAY, D. M. A. Notas sobre a epistemologia da Geografia. Cadernos Geográficos, Florianópolis, n. 12, p. 1-63, maio 2005. Disponível em: <http://cadernosgeograficos.ufsc.br/files/2016/02/Cadernos-Geográficos-UFSC-Nº-12-Notas-sobre-a-Espistemologia-da-Geografia.-Maio-de-2005.pdf>. Acesso em: 02 de maio de 2019.

VIÑAO FRAGO, Antonio; ESCOLANO, Agustín. Currículo, espaço e subjetividade: a arquitetura como programa. 2. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2001. Disponível em: <http://www.edufrn.ufrn.br/bitstream/123456789/130/41/ARQUITETURA%20COMO%20PROGRAMA.%20Currículo%2C%20espaço%20e%20subjetividade.%20FRAGO%2C%20Antonio.%20ESCOLANO%2C%20Austín.%202001pdf>. Acesso em: 3 de mai. de 2019.

Downloads

Publicado

2020-11-13

Como Citar

MELO, L. J. DOS R. C. DE; VAZ, A. D.; ALMEIDA, M. G. DE. Diferenças etnoculturais na escola: Experiências de alunos Xakriabá em um espaço escolar não indígena. Revista Cerrados, v. 18, n. 02, p. 344-370, 13 nov. 2020.