Análise da gestão ocupacional em Montes Claros – MG: Impactos do uso do solo e suas consequências na temperatura de superfície

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22238/rc24482692v15n12017p285a311

Palavras-chave:

Urbanização; temperatura de superfície; desenvolvimento urbano; Montes Claros.

Resumo

O uso do solo é a atividade de uma sociedade por sobre uma superfície, este caracteriza-se conforme as individualidades conjugada aos padrões de necessidades humanas. Um dos impactos ambientais que deve ser considerado neste processo de apropriação é o comportamento térmico de superfície. Neste sentido, o presente trabalho, tendo como área de estudo o perímetro urbano de Montes Claros – MG, teve como objetivo analisar a ocupação do espaço urbano na cidade sob uma condição cronológica: 1990 a 2010. Por meio da análise de imagens de sensoriamento remoto (Landsat 5 TM) procurou-se verificar se o modelo de ocupação provocou problemas urbanos de natureza térmica. Os resultados mostraram, a partir da metodologia adotada, que regiões com decréscimo de NDVI (Índice de Vegetação por Diferença Normalizada) e grande adensamento de edificações tiveram significativos aumento de temperatura no período considerado, ratificando o problema de aumento de temperatura de superfície nos centros urbanos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruna Reis Pereira, Faculdades Integradas Pitágoras de Montes Claros – FIP/MOC, Montes Claros, Minas Gerais, Brasil.

possui graduação e m Arquitetura e urbanismo pelas Faculdades Integradas Pitágoras de Montes – FIP/MOC.

.

Mariana Barreto Mees, Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Doutoranda em Arquitetura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Mestre em Engenharia Civil da área de Arquitetura e Construção na Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo da Universidade Estadual de Campinas -UNICAMP. Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Católica de Santos (2003), Licenciatura Plena em Matemática pelo Centro Universitário Claretiano de Batatais (2006) e Licenciatura Plena em Pedagogia pelo Centro Universitário Claretiano de Batatais (2008). Atualmente e professora do Departamento de Arquitetura e Urbanismo das Faculdades Integradas Pitágoras de Montes Claros.

Manoel Reinaldo Leite, Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES, Brasil, Minas Gerais, Brasil.

É Graduado em Geografia pela Universidade estadual de Montes Claros Possui mestrado em Cartografia e Sensoriamento remoto, pela Universidade Federal de Uberlândia, atualmente é professor do Departamento de Geociências da Universidade Estadual de Montes Claros e do Departamento de Engenharia de Minas das Faculdades Integradas Pitágoras de Montes Claros.

Raul de Magalhães Filho, Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES, Brasil, Minas Gerais, Brasil.

Possui graduação em Geografia pela Universidade Estadual de Montes Claros e Graduação em Engenharia de Sistemas pela FACOMP. Pesquisador Bolsista do Laboratório de Geoprocessamento da Universidade Estadual de Montes Claros.

Referências

ALLEN, R. G., TASUMI, M. AND TREZZA, R. SEBAL (Surface Energy Balance Algorithms for Land) Advanced Training and Users Manual – Idaho Implementation, version 1.0, 97 p., 2002.

ALLEN, R. G.; TASUMI, M.; MORSE, A.; TREZZA, R.; WRIGHT, J. L.; BASTIAANSSEN, W. G. M.; KRAMBER, W.; LORITE, I.; ROBISON, C. W. Satellite-Based Energy Balance for Mapping Evapotranspiration with Internalized Calibration (METRIC) – Applications. Journal of Irrigation and Drainage Engineering, ASCE, 395-406 p., 2007b.

BARATTO, Romullo. Ministério do meio ambiente disponibiliza documentos sobre sustentabilidade urbana. Disponível em: <http://www.archdaily.com.br/br/783420/ministerio-do-meio-ambiente-disponibiliza-documento-sobre-sustentabilidade-urbana>. Acesso em 13 março. 2016.

BASTIAANSSEN, W. G. M. Regionalization of surface flux densities and moisture indicators in composite terrain: A remote sensing approach under clear skies in Mediterranean climate. PhD. Dis., CIP Data Koninklijke Biblioteheek, Den Haag, the Netherlands. 272 p.,1998.

BERNARDI, Jorge Luiz. Funções sociais da cidade: conceitos e instrumentos / Jorge Luiz Bernadi; orientador, Carlos Mello Garcias. – Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná, 2006. 136 f.: il.; 30 cm

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Sustentabilidade urbana: impactos do desenvolvimento econômico e suas consequências sobre o processo de urbanização em países emergentes: textos para as discussões da Rio+20: volume 3 – habitação social e sustentabilidade / Tarcisio Nunes..., [et al]. Organizadores: Brasília: MMA, 2015.

GASRTLAND, Lisa. Ilhas de calor: como mitigar zonas de calor em áreas urbanas / Lisa Gartland: tradução Silvia Helena Gonçalves. – São Paulo: Oficina de Textos, 2010.

GALVÍNCIO, J.D., DANTAS, L.G., FERNANDES, J.G., SILVA, J.B., MOURA, M.S.B. & MACHADO, C. (2009). 2005, ‘Análise da temperatura do ar e da superfície no sítio Boa Felicidade Tema 2- Expansão e democratização das novas tecnologias em Geografia Física: aplicações emergentes 12 em São José do Sabugi – PB no semi-árido do Brasil’, Revista de Geografia, vol. 26, no. 2, pp. 124-141

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GOMES, H.B.; Balanço de Radiação e energia em Áreas de cultivo de cana-de-açúcar e cerrado no estado de São Paulo mediante imagens orbitais. Universidade Federal de Campina Grande, 2009. Tese de doutorado em Meteorologia, p.108.

JENSEN, J.R., Sensoriamento Remoto do Ambiente: uma perspectiva em recursos terrestres, 2da Edição traduzida pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – INPE, São Paulo, Parêntese, 672 p., 2009.

MENEZES, S. J. M. da Costa. Evapotranspiração regional utilizando o SEBAL em condições de relevo montanhoso. Universidade Federal de Viçosa. Dissertação de mestrado em engenharia agrícola. Viçosa, 2006. p.84.

NOVO, E.M.L. de M.: Sensoriamento Remoto; Princípios e Aplicações. 3ª ed., São Paulo: Edgard Blucher LTDA, 2008.

PIRES, Erika Gonçalves, JUNIOR, Laerte G. Ferreira. Monitoramento da temperatura de superfície em áreas de Cerrado utilizando geotecnologias. XLIII Congresso Brasileiro de Engenharia Agrícola - CONBEA 2014 - Campo Grande -MS 27 a 31 de julho de 2014

PLANO DIRETOR. Prefeitura Municipal de Montes Claros. Distribuição das áreas de risco em Montes Claros – MG. Disponível em: < http://www.montesclaros.mg.gov.br/planodiretor/Mapas%20%20e%20Plantas%20Plano%20Diretor/Riscos.JPG>. Acesso em: 01 fevereiro. 2016.

PLANO DIRETOR. Prefeitura Municipal de Montes Claros. Uso do solo urbano em Montes Claros – MG. Disponível em: <http://www.montesclaros.mg.gov.br/planodiretor/Mapas%20%20e%20Plantas%20Plano%20Diretor/PLANTA%20USO%20DO%20SOLO.JPG>. Acesso em: 01 fevereiro. 2016.

ROSA, R. Introdução ao sensoriamento remoto, 5ª ed. Uberlândia: UFU, 2003.

SOUSA, Silvio Braz de, FERREIRA, Laerte Guimarães. Análise da temperatura de superfície em ambientes urbanos: um estudo por meio de sensoriamento remoto no município de Goiânia, Goiás (2002 – 2011), Confins[Online], 15|2012, posto online no dia 18 Junho 2012, consultado o 21 Março 2017. URL: <http://confins.revues.org/7631>.

TEZA, C.T.V. BAPTISTA, G.M. DE M. Identificação do fenômeno ilhas urbanas de calor por meio de dados ASTER on demand 08 – Kinetic Temperature (III): metrópoles brasileiras. Anais XII SBSR, Goiânia, Brasil, 16 – 21 abril 2005, INPE, p. 3911 – 3918.

TASUMI, M. Progress in operational estimation of regional evapotranspiration using satellite imagery. PhD thesis, Dept. Biological and Agricultural Engineering, University of Idaho. Idaho, 2003.

WENG, Q. DENGSHENG, L. SCHUBRING, J. Estimation of land surface temperature–vegetation abundance relationship for urban heat island studies. Remote Sensing of Environment, v.66, n.23,p.467–483, 2004.

WENG, Q. & QUATTROCHI, D.A. Thermal remote sensing of urban areas: An introduction to the special issue. Remote Sensing of Environment, p.104, 119–122, 2006.

Downloads

Publicado

2017-06-30

Como Citar

PEREIRA, B. R.; MEES, M. B. .; LEITE, M. R. .; MAGALHÃES FILHO, R. de . Análise da gestão ocupacional em Montes Claros – MG: Impactos do uso do solo e suas consequências na temperatura de superfície. Revista Cerrados, [S. l.], v. 15, n. 01, p. 285–311, 2017. DOI: 10.22238/rc24482692v15n12017p285a311. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/1362. Acesso em: 3 jul. 2022.