Planícies de inundação e áreas inundáveis: análise comparativa dos conceitos mediante aplicação nas bacias hidrográficas do ribeirão Bom Jardim e rio das Pedras, Triângulo Mineiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22238/rc2448269220191701114130

Palavras-chave:

Dinâmica fluvial. Deposição sedimentar. Fisiografia. Geocartografia.

Resumo

As planícies de inundação são áreas que margeiam os cursos d’água, podendo inundar em períodos de cheia. Possuem gradiente topográfico baixo, declividades brandas e solos aluviais. As áreas inundáveis podem também ser imergidas em eventos extremos de precipitação, porém não possuem as mesmas características fisiográficas das planícies de inundação, ou seja, estas podem não possuir uma larga margem horizontal no entorno do canal fluvial, não haver deposição de sedimentos, ser encaixadas, porém podem sofrer com o fenômeno da inundação. Sendo assim, este artigo tem como objetivo fazer uma revisão conceitual de planícies de inundação e áreas inundáveis, comparando os dois conceitos e aplicando-os nas bacias hidrográficas do ribeirão Bom Jardim e rio das Pedras, localizadas no Triângulo Mineiro. A partir da fisiografia das áreas, por meio da revisão conceitual e aplicação de ferramentas geocartográficas, constatou-se que toda a planície de inundação do Ribeirão Bom Jardim coincide com as áreas inundáveis, o que não ocorre com o Rio das Pedras. Tais áreas, indistintamente, devem ser preservadas para evitar danos materiais e humanos no futuro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Oliveira Borges, Universidade Federal Uberlândia - UFU, Uberlândia, Minas Gerais, Brasil

Possui Graduação e Mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Vanderlei de Oliveira Ferreira , Universidade Federal Uberlândia - UFU, Uberlândia, Minas Gerais, Brasil.

Possui Graduação, Mestrado e Doutorado em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Atualmente é Professor do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Referências

GIANINNI, P. C. F.; RICCOMINI, C. Sedimentos e processos sedimentares. In: FAIRCHILD, T.; TOLEDO, C. Decifrando a Terra. 2ª ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2009, p. 167-190.

ROCHA, P. C; COMUNELLO, E. Geomorfologia e áreas inundáveis na planície fluvial do Alto Rio Paraná. In: VIII Simpósio Brasileiro de Geografia Física Aplicada, 2009, Viçosa. Anais... Curitiba, 2009, p. 60-75.

PRESS, F. et. al. Rios: o transporte para os Oceanos. In: PRESS, F. et. al. Para entender a Terra. 4ª ed. São Paulo: ARTMED, 2006, p. 341-364.

NANSON, G. C.; CROKE, J.C. A genetic classification of foodplains. Amsterdam: Elsevier Science Publishers B.V., Geomorphology, v. 4, 1992, p. 459-486.

NETTO, A. V. L; FERREIRA, V. O. Situação ambiental das faixas marginais de proteção de corpos hídricos e nascentes da bacia hidrográfica do rio das Pedras, nos municípios de Uberlândia e Tupaciguara/MG. Observatorium, v. 3, p. 02-19, 2012.

CHRISTOFOLETTI, Antonio. Geomorfologia. 1ª ed. São Paulo: Editora Edgard Blücher, 1974, 149 p.

CHRISTOFOLETTI, A. Dinâmica do escoamento fluvial. In: CHRISTOFOLETTI, A. Geomorfologia Fluvial. São Paulo: Edgard Blucher, 1981, p. 01-18.

CHRISTOFOLETTI, A. Formas de relevo originadas em ambientes fluviais. In: CHRISTOFOLETTI, A. Geomorfologia Fluvial. São Paulo: Edgard Blucher, 1981, p. 210-310.

KNIGHTON, D. Fluvial processes. In: KNIGHTON, D. Fluvial forms and processes: a new perspective. Grã-Bretanha: Arnold, 1998, p. 96-150.

SUGUIO, K.; BIGARELLA, J. J. Ambientes Fluviais. 2ª ed. Florianópolis: Editora da UFSC, 1990, 183p.

EMBRAPA. Centro Nacional de Pesquisa de Solos (Rio de Janeiro, RJ). Sistema brasileiro de classificação de solos. 2. ed. Rio de Janeiro: EMBRAPA-SPI, 2006, 306 p.

RAMOS, C. Perigos naturais devido a causas meteorológicas: o caso das cheias e inundações. Porto: e-LP Engineering and Technology Journal, v. 4, 2013, p. 11-16.

Downloads

Publicado

2019-04-30

Como Citar

BORGES, F. O.; FERREIRA , V. de O. . Planícies de inundação e áreas inundáveis: análise comparativa dos conceitos mediante aplicação nas bacias hidrográficas do ribeirão Bom Jardim e rio das Pedras, Triângulo Mineiro. Revista Cerrados, [S. l.], v. 17, n. 01, p. 114–130, 2019. DOI: 10.22238/rc2448269220191701114130. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/cerrados/article/view/1027. Acesso em: 27 set. 2022.