Avaliação Diagnóstica no Ensino de Solos na Amazônia: Um Olhar Geográfico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46551/rvg26752395202415273

Palavras-chave:

Avaliação Diagnóstica, Ensino de Solos, Ensino Médio, Geografia Escolar

Resumo

Este artigo tem como objetivo iniciar uma reflexão sobre o Ensino de Solos na Geografia Escolar nos Cursos Técnicos de Nível Médio de Forma Integrada do Instituto Federal do Amazonas (IFAM), CAMPUS Eirunepé. Para tanto, o nosso primeiro passo foi fazer uma avaliação diagnóstica com a finalidade de verificar conhecimentos prévios e detectar possíveis dificuldades de aprendizagem dos discentes do Curso Técnico de Nível Médio em Agropecuária na Forma Integrada sobre o tema solos no citado campus. A análise se desenvolve principalmente com base na revisão bibliográfica de contribuições de Cavalcanti, Libanêo e Luckesi. Fundamentados nesses aportes, foram identificadas alternativas e possibilidades tanto no âmbito teórico-metodológico, quanto no prático para a compreensão da temática em questão. Além disso, a postura política e ideológica dos autores no que diz respeito ao processo educativo nos oferecem subsídios para o entendimento e reflexão da prática pedagógica, do planejamento e da avaliação. Por fim, os resultados obtidos com essa prática pedagógica podem ser um instrumento pedagógico que possibilite enxergar novas estratégicas para viabilizar ações disciplinares e interdisciplinares, dinamizando, portanto, o ensino sobre solos.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cassiano Lobato Paulino, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas

Doutorando em Geografia na Universidade Federal do Amazonas. Mestre em Geografia pela Universidade Federal de Rondônia (2015). Estudou na qualidade de aluno especial no Programa de Pós-Graduação em Geografia Humana da USP (2013). Especialista em Gestão, Orientação e Supervisão Escolar pela Faculdade Rio Sono-Riso (2012). Graduado em Geografia pela Universidade do Estado do Amazonas (2005).

Mircia Ribeiro Fortes, Universidade Federal do Amazonas

Licenciada e Bacharel em Geografia pela Universidade Federal do Amazonas (1992),  Mestre em Sociedade e Cultura na Amazônia pela Universidade Federal do Amazonas (2001), na área de concentração em Processos Socioculturais na Amazônia, Doutora em Ciências pela Universidade de São Paulo (2014), na área de concentração em Geografia Física. É professora Adjunta do Curso de Graduação em Geografia e do Programa de Pós-Graduação em Geografia, do Instituto de Filosofia, Ciências Humanas e Sociais (IFCHS) da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Atualmente é Coordenadora da Pós-Graduação em Geografia.

Referências

CAVALCANTI, L. de S. O ensino de geografia na escola. Campinas: Papirus, 2012.

CAVALCANTI, L. de S. Geografia, escola e construção de conhecimentos. Campinas: Papirus, 2016.

IFAM (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas). Projeto Pedagógico do Curso Técnico de Nível Médio em Agropecuária na Forma Integrada. Eirunepé: IFAM Campus Eirunepé, 2020.

IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Eirunepé. Disponível em: https://cidades. ibge.gov.br/brasil/am/eirunepe/panorama. Acesso em: 28 de maio. 2022.

LIBÂNÊO, J. C. Didática. São Paulo: Cortez, 1994.

LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. São Paulo: Cortez, 2013.

LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem: componentes do ato pedagógico. 1. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

LIMA, M. R. de et al. Teses, Dissertações e Monografias de Educação em Solos no Brasil. Viçosa: Universidade de Viçosa; SBCS, 2020.

LIMA, M. R. O solo no ensino de ciências no nível fundamental. Ciência & Educação, v. 11, n. 3, p. 383-394, 2005.

MENDES, S. de O. O solo no ensino de geografia e sua importância para a formação cidadã na educação básica. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal de Goiás, Instituto de Estudos Socioambientais (Iesa), Programa de Pós-Graduação em Geografia, Goiânia, 2017.

MENEZES, E. T. de. Verbete distorção idade-série. Dicionário Interativo da Educação Brasileira - EducaBrasil. São Paulo: Midiamix, 2001. Disponível em: https://www.educabrasil.com.br/distorcao-idade-serie/. Acesso em: 21 abr. 2023.

MORAN, J. M. Metodologias ativas para uma aprendizagem mais profunda, 2013. Disponível em: http://www2.eca.usp.br/moran/wp-content/uploads/2013/12/metodologias_moran1.pdf. Acesso em: 25 abr. 2023.

MORAIS, E. M. B. de. As temáticas físico-naturais na Geografia escolar. 2011. Tese (Doutorado) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Departamento de Geografia da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

MORAIS, R. Ciências para Séries Iniciais e alfabetização. Sagra DC Luzzatto: Porto Alegre, 1998.

PRODANOV, C. C.; FREITAS, E. C. de. Metodologia do trabalho científico: Método e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2013.

SACRAMENTO, A. C. R.; FALCONI, S. Educação geográfica e ensino de solos: uma experiência em sala de aula. Revista Geográfica de América Central, San José, p. 1-15, 2011.

Downloads

Publicado

2024-01-01

Como Citar

Paulino, C. L., & Fortes, M. R. (2024). Avaliação Diagnóstica no Ensino de Solos na Amazônia: Um Olhar Geográfico. Revista Verde Grande: Geografia E Interdisciplinaridade, 6(01), 52–73. https://doi.org/10.46551/rvg26752395202415273