O Impacto da Ausência de Vedamento Coronal na Infiltração Endodôntica

Revisão Integrativa

Autores

  • Edwaldo de Souza Barbosa Júnior
  • Falyne Pinheiro de Oliveira
  • Laura Marcelly Teixeira Gomes
  • Danilo Cangussu Mendes
  • Renata Francine Rodrigues de Oliveira
  • Soraya Mameluque Ferreira Ferreira

DOI:

https://doi.org/10.46551/ruc.v22n2a08

Palavras-chave:

Obturação do Canal Radicular, Falha de Restauração Dentária, Infiltração Dentária

Resumo

A restauração coronária está intimamente ligada ao sucesso e bom prognóstico do tratamento endodôntico, uma vez que a microinfiltração de microrganismos da cavidade bucal através dos canais radiculares preenchidos pode atingir os tecidos periapicais provocando infecções. Ainda que os canais radiculares sejam obturados em condições ideais, a microinfiltração estará presente caso não haja selamento coronal. Objetivo: Apresentar diferentes estudos e conclusões a respeito de infiltração endodôntica, buscando responder a seguinte pergunta: Qual impacto da ausência de vedamento coronal na infiltração coronária em dentes tratados endodonticamente? Método: Foi realizada uma revisão integrativa da literatura seguindo as etapas preconizadas pelo Joanna Briggs Institute utilizando os seguintes descritores: Obturação do canal radicular, falha de restauração dentária e infiltração dentária, que foram empregados para buscas de artigos científicos entre 2015 e 2020 através da plataforma da Biblioteca Virtual em Saúde (BVS). Resultados: Foram identificados 06 estudos que compuseram a amostra dessa revisão, organizados e tabulados para extração de dados conforme informações relevantes para solução da pergunta norteadora. Conclusão: É fundamental o tratamento restaurador adequado e de qualidade, tanto com materiais provisórios, quanto definitivos, para que assim possam fornecer longevidade aos tratamentos endodônticos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

KHADEMI, A.; SHEKARCHIZADE, N. Evaluation of coronal microleakage of mineral trioxide aggregate plug-in teeth with short roots prepared for post placement using bacterial penetration technique. Indian Journal of Dental Research, v. 27, n. 3, p. 295-299, 2016.

L, T. et al. Influence of coronal restorations on the periapical health of endodontically treated teeth. Endod Dent Traumatol, v. 16, p. 218-221, 2000.

RAY, H. A.; TROPE, M. Periapical status of endodontically treated teeth in relation to the technical quality of the root filling and the coronal restoration. International Endodontic Journal, v. 28, p. 12-18, 1995.

BABU, N. S. V. et al. Comparative analysis of microleakage of temporary filling materials used for multivisit endodontic treatment sessions in primary teeth: an in vitro study. Eur Arch Paediatr Dent, v. 20, n. 6, p. 565-570, 2019. ISSN 1996-9805 (Electronic) 1818-6300 (Linking). Disponível em: < https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/30997657 >.

KIM, S. Y. et al. Quantitative microleakage analysis of endodontic temporary filling materials using a glucose penetration model. Acta Odontol Scand, v. 73, n. 2, p. 137-43, 2015. ISSN 1502-3850 (Electronic) 0001-6357 (Linking). Disponível em: < https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25252594 >.

AL-MADI, E. M. et al. Influence of Iatrogenic Gaps, Cement Type, and Time on Microleakage of Cast Posts Using Spectrophotometer and Glucose Filtration Measurements. Int J Prosthodont, v. 31, n. 6, p. 627-633, 2018. ISSN 0893-2174 (Print) 0893-2174 (Linking). Disponível em: < https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29624627 >.

MOHAJERFAR, M. et al. Coronal Microleakage of Teeth Restored with Cast Posts and Cores Cemented with Four Different Luting Agents after Thermocycling. J Prosthodont, v. 28, n. 1, p. e332-e336, 2019. ISSN 1532-849X (Electronic) 1059-941X (Linking). Disponível em: < https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29578300 >.

DAMMAN, D. et al. Coronal microleakage of restorations with or without cervical barrier in root-filled teeth. Rev Odonto Cienc, v. 27, n. 3, p. 208-212, 2012.

KHAYAT, A.; LEE, S.-J.; TORABINEJAD, M. Human Saliva Penetration of Coronally Unsealed Obturated Root Canals. Journal of Endodontics, v. 19, n. 9, p. 458-461, 1993.

SYMANSKI, N. C. et al. Temporary restorative materials used by Brazilian Dental Schools during and after endodontic treatment. RFO, Passo Fundo, v. 18, n. 1, p. 88-93, 2013.

INSTITUTE, T. J. B. Joanna Briggs Institute Reviewers’ Manual: Methodology for JBI Scoping Reviews. Adelaide, Austrália: The Joanna Briggs Institute, 2015. 24f.

GALVÃO, T. F.; PANSANI, T. D. S. A. Principais itens para relatar Revisões sistemáticas e Meta-análises: A recomendação PRISMA. Epidemiol. Serv. Saúde, v. 24, n. 2, p. 335-342, 2015.

JAFARI, F. et al. Endodontic microleakage studies: correlation among different methods, clinical relevance, and potential laboratory errors. Minerva Stomatol, v. 66, n. 4, p. 169-177, 2017. ISSN 1827-174X (Electronic) 0026-4970 (Linking). Disponível em: < https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28650135 >.

LEE, K. S. et al. In vitro microleakage of six different dental materials as intraorifice barriers in endodontically treated teeth. Dental Materials Journal, v. 34, n. 4, p. 425–431, 2015.

LABRADA, M. V.; CERÓN, C. X. M. Influencia de la calidad de restauración coronal en el pronóstico de dientes tratados endodónticamente. Revista Cubana de Estomatología, v. 52, n. 1, p. 47-62, 2015.

Downloads

Publicado

2021-01-26 — Atualizado em 2021-01-26

Versões

Como Citar

BARBOSA JÚNIOR, E. DE S.; OLIVEIRA, F. P. DE .; GOMES, L. M. T.; MENDES, D. C.; OLIVEIRA, R. F. R. DE; FERREIRA, S. M. F. O Impacto da Ausência de Vedamento Coronal na Infiltração Endodôntica: Revisão Integrativa. Revista Unimontes Científica, v. 22, n. 2, p. 1-15, 26 jan. 2021.