A integralidade na formação e atenção em saúde

Autores

  • João Felício Rodrigues Neto Doutor em Medicina Interna e Terapêutica – UNIFESP. Coordenador do Curso Médico da Unimontes

Resumo

A integralidade contrapõe-se à abordagem fragmentária e reducionista dos indivíduos. O olhar do profissional, neste sentido, deve ser totalizante, com
apreensão do sujeito biopsicossocial. Assim, seria
caracterizada pela assistência que procura ir além da
doença e do sofrimento manifesto, buscando apreender necessidades mais abrangentes dos sujeitos.
Trata-se de um recurso por meio do qual o conhecimento cientificamente produzido no campo da saúde, intermediado pelos profissionais de saúde, atinge a vida cotidiana das pessoas, uma vez que a compreensão dos condicionantes do processo saúdedoença oferece subsídios para a adoção de novos
hábitos e condutas de saúde.

Integrar ações preventivas, promocionais e
assistenciais; integrar profissionais em equipes
interdisciplinar e multiprofissional para uma compreensão mais abrangente dos problemas de saúde e
intervenções mais efetivas; integrar partes de um
organismo vivo, dilacerado e objetivizado pelo olhar
reducionista da biomedicina, e reconhecer nele um
sujeito, um semelhante a mim mesmo; nisto implica
a assimilação do princípio da integralidade em prol
da reorientação do modelo da formação e atenção
em saúde.
Os artigos produzidos nesse volume buscam ir além
do tratamento de uma determinada doença e, sim,
tratar a pessoa de uma forma integral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-05-13

Como Citar

FELÍCIO RODRIGUES NETO, João. A integralidade na formação e atenção em saúde. Revista Unimontes Científica, [s. l.], v. 7, n. 1, 2020. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/unicientifica/article/view/2407. Acesso em: 24 jul. 2024.

Edição

Seção

Apresentação