INDICADORES SOCIOECONÔMICOS ASSOCIADOS À CÁRIE DENTÁRIA: UMA REVISÃO CRÍTICA

Autores

  • Valéria Cândido Brizon Doutoranda em Odontologia, área de concentração Saúde Coletiva, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Unicamp
  • Raquel Rossete Melo Mestre em Odontologia, área de concentração Saúde Coletiva, Faculdade de Odontologia da UFMG.
  • Patrícia Maria Zarzar Doutora, Professora Adjunta do Departamento de Odontopediatria e Ortodontia da Faculdade de Odontologia da UFMG.
  • Viviane Elisângela Gomes Doutora, Professora Adjunta do Departamento de Odontologia Social e Preventiva da Faculdade de Odontologia da UFMG
  • Ana Cristina Borges Oliveira Doutora, Professora Adjunta do Departamento de Odontologia Social e Preventiva da Faculdade de Odontologia da UFMG

Palavras-chave:

Fator(es) socioeconômico(s). Criança. Cárie dentária.

Resumo

A prevalência da doença cárie na população infantil está associada às condições socioeconômicas.
Entretanto, a literatura ainda é escassa sobre estudos que avaliem criticamente os indicadores socioeconômicos.
Esta revisão crítica objetivou analisar a associação entre a presença de cárie dentária em crianças de 6 a 12
anos e os indicadores socioeconômicos. Foram realizadas buscas nas bases de dados PUBMED, MEDLINE,
BBO, SCIELO, COCHRANE LIBRARY, LILACS e ISI WEB OF KNOWLEDGE, sendo utilizadas as
palavras-chave e combinações (“e/ou” e “and/or”): cárie dentária, dente cariado, fator(es) socioeconômico(s),
status socioeconômico, indicador(es) socioeconômico(s), iniquidade(s) socioeconômico(s), dental caries,
dental decay, decayed teeth, socioeconomic factor, socioeconomic status, social condition, socioeconomic
inequalities [termo MeSH e termo palavra]. Também foram pesquisados da lista de referências dos artigos
selecionados, que preenchiam os critérios de inclusão. Dos 151 artigos selecionados, 95 foram excluídos
por não apresentarem os critérios de inclusão. A amostra final contou com 56 estudos, dos quais a maioria
associou, estatisticamente, a cárie dentária com os indicadores socioeconômicos (98,2%). Entre eles, 11
classificaram a condição socioeconômica pela escolaridade materna (19,6%) e 5 consideraram a escolaridade
das mães e a renda familiar (8,9%). Por outro lado, 5 estudos analisaram a escolaridade dos pais (8,9%), 29
consideraram a escolaridade dos pais e a renda familiar (52,0%), 4 investigaram a renda familiar (7,0%),
e 1, a escolaridade paterna (1,8%). A cárie dentária foi associada com a renda familiar e a escolaridade,
que são indicadores socioeconômicos. A grande heterogeneidade da metodologia dos estudos dificultou a
comparação entre eles.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. WORLD HEALTH ORGANIZATION.
Global Oral Health Data Bank. Geneva: World
Health Organization, 2002.
2. DA ROSA, P.; NICOLAU, B.; BRODEUR,
J. M.; BENIGERI, M.; BEDOS, C.; ROUSSEAU,
M. C. Associations between school deprivation
indices and oral health status. Community Dentistry
and Oral Epidemiology, v. 39, n. 3, p. 213-220,
2011.
3. TAGLIAFERRO, E. P.; AMBROSANO, G.
M.; MENEGUIM, M. C.; PEREIRA, A. C. Risk
indicators and risk predictors of dental caries in
schoolchildren. Journal of Applied Oral Science,
v.16, n. 6, p. 408-413, 2008.
4. MEDINA-SOLÍS, C. E.; MAUPOMÉ,
G.; PELCASTRE-VILLAFUERTE, B.; AVILABURGOS, L.; VALLEJOS-SÁNCHEZ, A. A.;
CASANOVA-ROSADO, A. J. Socioeconomic
inequalities in oral health: dental caries in 6 to 12
year-old children. Revista de Investigación Clínica,
v.58, n.4, p.296-304, 2006.
5. HASHIM, R.; THOMSON, W. M.; AYERS,
K. M.; LEWSEY, J. D.; AWAD, M. Dental caries
experience and use of dental services among
preschool children in Ajman, UAE. International
Journal of Paediatric Dentistry, v. 16, n. 4, p. 257-
262, 2006.
6. SAGHERI, D.; HAHN, P.; HELLWIG, E.
The development of a directed population approach
to tackle inequalities in dental caries prevalence
among secondary school children based on a small
area profile. Central European Journal of Public
Health, v. 16, n. 2, p. 65-70, 2008.
7. DYE, B. A.; AREVALO, O.; VARGAS, C.
M. Trends in paediatric dental caries by poverty
status in the United States, 1988-1994 and 1999-
2004. International Journal of Paediatric Dentistry,
v. 20, n. 2, p. 132-143, 2010.
8. PIZZO, G.; PISCOPO, M. R.;
MATRANGA, D. et al. Prevalence and sociobehavioral determinants of dental caries in Sicilian
schoolchildren. Medical Science Monitor, v. 16, n.
10, p. 83-89, 2010.
9. ROBERTS-THOMSON, K. F.; SPENCER,
A. J. The second National Oral Health Survey of
Vietnam-1999: variation in the prevalence of dental
diseases. The New Zealand Dental Journal, v. 106,
n. 3, p. 103-108, 2010.
10. HUEW, R.; WATERHOUSE, P. J.;
MOYNIHAN, P. J.; MAGUIRE, A. Prevalence and
severity of dental caries in Libyan schoolchildren.
International Journal of Dentistry, v.61, n.4, p.217-
223, 2011.
11. PIOVESAN, C.; MENDES, F. M.;
ANTUNES, J. L.; ARDENGHI, T. M. Inequalities
in the distribution of dental caries among 12-yearold Brazilian schoolchildren. Brazilian Oral
Research, v. 25, n. 1, p. 69-75, 2011.
12. TRAEBERT, J.; JINBO, Y.; DE LACERDA, J. T. Association between maternal schooling
and caries prevalence: a cross-sectional study in
southern Brazil. Oral Health & Preventive Dentistry, v. 9, n. 1, p. 47-52, 2011.
13. NORO, L. R.; RONCALLI, A. G.;
MENDES JÚNIOR, F. I.; LIMA, K. C. Dental
caries incidence in adolescents in a city Northeast

Downloads

Publicado

2020-04-16

Como Citar

CÂNDIDO BRIZON, V. .; ROSSETE MELO, R. .; MARIA ZARZAR, P. .; GOMES, . V. E. .; BORGES OLIVEIRA, . A. C. . INDICADORES SOCIOECONÔMICOS ASSOCIADOS À CÁRIE DENTÁRIA: UMA REVISÃO CRÍTICA. Revista Unimontes Científica, v. 16, n. 1, p. 79-91, 16 abr. 2020.

Edição

Seção

Artigos de Revisão