NA CARONA DO MARXISMO: O SERVIÇO SOCIAL E A QUESTÃO ÉTNICO-RACIAL VISTO PELA PERSPECTIVA MARXISTA

Autores

  • JULIANA MARTA SANTOS DE OLIVEIRA Universidade Federal da Bahia
  • ELISABETE APARECIDA PINTO Universidade federal da Bahia
  • RITA DE CÁSSIA PEREIRA ALVES Universidade federal do Recôncavo da Bahia -UFRB

Palavras-chave:

serviço social, formação, marxismo, questão étnico-racial, questão racial

Resumo

A hipótese primária deste trabalho é de que o racismo permeia e define todas as relações sociais no país, desta forma, o Serviço Social e os Assistentes Sociais não podem ser percebidos fora do prisma mais amplo desse contexto social alienante. Esta realidade tem um impacto negativo na produção do conhecimento na área, bem como, na ausência do debate no paradigma e teorias que alicerçam a profissão. Dentre as categorias de análise da realidade social destacamos a questão social por ser entendida como a própria razão da existência e surgimento do Serviço Social enquanto profissão. Assim, acreditamos que o conceito de questão social mais frequentemente utilizado pelo Serviço Social não inclui os processos históricos que envolvem a população negra. Defendemos, portanto, conforme a perspectiva de Octávio Ianni a existência de uma questão social latente a partir do Brasil Colônia, não podendo a questão racial ser entendida como umas das expressões da questão social. Quanto ao marxismo – teoria que embasa a profissão – foi adulterado e mascarado numa determinação de classe, mas na realidade abre a possibilidade de se pensar raça/etnia sem hierarquização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

JULIANA MARTA SANTOS DE OLIVEIRA, Universidade Federal da Bahia

Assistente social e Pedagoga, mestre em estudos sobre a Universidade - UFBA.

Coordenadora dos programas de assistencia estudantil PROAE- UFBA

ELISABETE APARECIDA PINTO, Universidade federal da Bahia

Assistente social, Professora doutora do Instituto de Psicologia no colegiado de Serviço Social

RITA DE CÁSSIA PEREIRA ALVES, Universidade federal do Recôncavo da Bahia -UFRB

Pedagoga e Advogada, Professora Doutora, Pró-reitora de Graduação da UFRB.

Referências

ALCARY, Valério. Por quê as cotas são uma proposta mais igualitária que a equidade meritocratica. Critica Marxista. 1 ed. 2007, ISSN 0104-9321.
ALMEIDA, Mauro W. Barbosa de. Lutas Sociais, desigualdade social e discriminação racial. Critica Marxista. 1 ed. 2007, ISSN 0104-9321.
BUONICORE, Augusto C. Reflexões sobre o marxismo e a questão racial. Revista espaço acadêmico, n.51 – Agosto/2005 – mensal – ISSN 1519.6186.
BUONICORE, Augusto C. Marxismo, História e Revolução Brasileira: Encontros e desencontros. São Paulo: Anita Garibaldi, 2009.
CHADAREVIAN, Pedro Caldas. Os precursores da interpretação marxista do problema racial. In: Des théories Du racisme à l’analyse économique actuelle de sés conséquencessur le marche du travail au Brésil.Tese de doutorado, Université de La Sorbonne, Paris 3, setembro de 2006.
LESSA, Sergio. Cotas e o renascimento do racismo. Critica Marxista. . 1 ed. 2007, ISSN 0104-9321.
MAESTRI, Mario. Raça, classe e política no Brasil. Critica Marxista. . 1 ed. 2007, ISSN 0104-9321.
MOURA, Clovis. O racismo como arma ideológica de dominação. Revista Princípios. Agosto- Outubro de 1994.
MOORE, Carlos. Racismo & Sociedade: novas bases epistemológicas para entender o racismo. 2ª edição – Belo Horizonte: Nandyala, 2012. p.304.
ROCHA, Roseli da Fonseca. A questão étnico racial e a sua relevância no processo de formação em serviço social. XI Congresso Luso Afro brasileiro de ciências sociais. Salvador Bahia, 7 -10 Agosto de 2011. Universidade Federal da Bahia.

Downloads

Publicado

2020-02-07

Como Citar

MARTA SANTOS DE OLIVEIRA, J., APARECIDA PINTO, E., & PEREIRA ALVES, R. D. C. (2020). NA CARONA DO MARXISMO: O SERVIÇO SOCIAL E A QUESTÃO ÉTNICO-RACIAL VISTO PELA PERSPECTIVA MARXISTA. Revista Serviço Social Em Perspectiva, 1(1), 83–102. Recuperado de https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/sesoperspectiva/article/view/798