JOGANDO FUTEBOL COM A REALIDADE

APROXIMAÇÕES NECESSÁRIAS

Autores

  • Marcelo Resende Teixeira Secretaria de Educação Distrito Federal https://orcid.org/0000-0002-3679-9809
  • José Manoel Montanha Soares Secretaria de Educação do Distrito Federal - Subsecretaria de Formação Continuada de Profissionais de Educação (EAPE)

DOI:

https://doi.org/10.46551/rssp.202214

Palavras-chave:

Trabalho. Capitalismo. Futebol.

Resumo

Resumo: Este estudo objetiva examinar um futebol fora dos holofotes do espetáculo, a partir da configuração dos chamados “trabalhadores da bola”. Entendendo que a simples observação contemplativa de tal fenômeno é insuficiente para compreendê-lo; procurou-se fazer uma mediação com categorias norteadoras, a saber: trabalho e capitalismo. A investigação foi caracterizada como exploratória, quantitativo-qualitativa, bibliográfica e de cunho documental. Os dados foram coletados nas seguintes fontes: a) Site salario.com.br; b) Novo CAGED; c) eSocial; d) empregador web; e) dados de relatórios da Confederação Brasileira de Futebol. Como principais achados, percebeu-se uma desigualdade profunda em relação a salários, altos índices de desemprego e uma permanente precarização.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Resende Teixeira, Secretaria de Educação Distrito Federal

Graduado em Educação Física pela Universidade Norte do Paraná – UNOPAR. Especialista em Administração e Marketing Esportivo pela Universidade Gama Filho – UGF. Mestre em Educação Física pela Universidade de Brasília - UnB. Professor da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal - SEEDF.  

José Manoel Montanha Soares, Secretaria de Educação do Distrito Federal - Subsecretaria de Formação Continuada de Profissionais de Educação (EAPE)

Licenciado em Educação Física pela Universidade Federal de Pelotas (1996), Especialista em Educação Física Escolar pela Universidade de Brasília (2004), Mestre (2008) e Doutor (2012) em Política de Educação pela Universidade de Brasília (UnB). Pós-doutorado em Políticas Públicas de Esporte e Lazer pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro – UERJ (2016). Professor formador na Subsecretaria de Formação Continuada de Profissionais da Educação (EAPE) da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal (SEEDF).  

Referências

ABÍLIO, Ludmila Costhek. De motoboy invisível a entregador organizado: uberização e o trabalhador just-in-time na pandemia. In: OLVEIRA, Dalila Andrade; POCHMANN, Márcio. (org.) A devastação do trabalho: a classe do labor na crise da pandemia. Brasília: Gráfica e Editora Positiva, 2020.

ANTUNES. Ricardo. O privilégio da servidão: o novo proletariado de serviço na era digital. São Paulo: BOITEMPO. 2018.

BROHM Jean-Marie. Sociología Política del Deporte. Cidade do México: Fondo de Cultura Económica, 1982.

CASTELLANI FILHO, Lino. "Trabalhadores da bola"; Universidade do Futebol. Disponível em: Trabalhadores da bola - Universidade do Futebol/. Acesso em 18/03/2021.

CBF. Relatório impacto do futebol brasileiro. Rio de Janeiro. EY. 2018.

CAPELO, Rodrigo. "Seis em cada dez jogadores de futebol perderam o emprego na temporada de 2016"; Revista Época. Disponível em: Seis em cada dez jogadores de futebol perderam o emprego na temporada de 2016 - ÉPOCA | Época Esporte Clube (globo.com). Acesso em 18 de março de 2021.

CLARKE, Simon. Marx e a teoria da crise. Nova Iorque: Editora St. Martin’s. 1994.

DAMO, Arlei Sander. Do dom à profissão: uma etnografia do futebol espetáculo a partir de jogadores no Brasil e na França. (Tese de doutorado- Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social)- Instituto de Filosofia e Ciências Humanas- UFRGS, Porto Alegre, 2005.

DIESPORTE, Diagnóstico Nacional do Esporte. Disponível em: http://arquivo.esporte.gov.br/diesporte/2.html. Acesso em 14/06/2021.

FEDERICI, Silvia. (2004) O calibã e a bruxa: mulheres, corpo e acumulação primitiva. Tradução: Coletivo Sycorax. São Paulo: Elefante, 2017.

FONTES, Virginia. O Brasil e o capital-imperialismo: teoria e história. Rio de Janeiro: Fiocruz.UFRJ, 2010.

LIMA, Jacob Carlos.; BRIDI, Maria Aparecida. Trabalho Digital e Emprego: a reforma trabalhista e o aprofundamento da precariedade. Cad. CRH, v.32, n.86, p. 325-341, 2019. Disponível em: SciELO - Brasil - TRABALHO DIGITAL E EMPREGO: a reforma trabalhista e o aprofundamento da precariedade TRABALHO DIGITAL E EMPREGO: a reforma trabalhista e o aprofundamento da precariedade. Acesso em: 30/03/2021.

MANOEL, Glenda Bastos. "A evolução histórica do futebol no Brasil: o início de sua construção como identidade nacional"; Universidade do Futebol. Disponível em: https://universidadedofutebol.com.br/wp-content/uploads/2017/03/a-evolução-historia-do-futebol-no brasil.pdf. Acesso em: 18/03/2021.

MARTINS, Mariana Zuaneti. Aperfeiçoando o imperfeito: a ação sindical dos jogadores de futebol no período pós-lei Pelé. Campinas, 2016. 355f. Tese (Doutorado em Educação Física). Faculdade de Educação Física, UNICAMP, 2016.

MARTINS, Mariana. Zuaneti. et. al. Cartilha pedagógica: o futebol é delas. Vitória: Grafitusa, 2020.

MARX, Karl. O 18 brumário de Luís Bonaparte; São Paulo: Boitempo, 2011.

__________. O capital: Crítica da economia política. São Paulo: Boitempo, 2013.

MATTAR, Michel. Gestão de clubes de futebol. In: BASTOS, Flávia da Cunha (org.); MAZZEI, Leandro Carlos (org.). Gestão do Esporte no Brasil, Desafios e perspectivas. São Paulo: Ed. ICONE EDITORA, 2012.

MATIAS, Wagner. Barbosa. O enigma olímpico: o controvertido percurso da política esportiva no governo Lula. Brasília, 2013. 199f. Dissertação (Mestrado em Educação Física), Faculdade de Educação Física, UNB, 2013.

_____. A economia política do futebol e o “lugar” do Brasil no mercado-mundo da bola. Brasília, 2018. 510f. Tese (Doutorado em Educação Física), Faculdade de Ed. Física, UNB, 2018.

OLIVEIRA, Francisco. Crítica à razão dualista: o ornitorrinco. São Paulo, Boitempo, 2003.

OURIQUES, Nico. O gol contra do rei: a Lei Pelé e suas consequências. Motrivivência, Florianópolis, v. XI, n. 12, p. 37-64, 1999.

POCHMANN, Márcio. Os trabalhadores na regressão neoliberal. In: OLVEIRA, Dalila Andrade; POCHMANN, Márcio. (org.) A devastação do trabalho: a classe do labor na crise da pandemia. Brasília: Gráfica e Editora Positiva, 2020.

SÁ SILVA, Jackson. Ronie; ALMEIDA, Cristovão. Domingos; GUINDANI, Joel. Felipe. Pesquisa Documental: Pistas Teóricas e Metodológicas. Revista Brasileira de História e Ciências Sociais. n.1, p.01-15, jul/2009.

SANTOS, Arthur Henrique.; JACOBSEN, Kjeld. O trabalho nas atuais transformações da globalização capitalista. In: OLVEIRA, Dalila Andrade; POCHMANN, Márcio. (org.) A devastação do trabalho: a classe do labor na crise da pandemia. Brasília: Gráfica e Editora Positiva, 2020.

TEIXEIRA, Marcelo Resende. Esporte, fundo público e pequena política. 2016.231f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Faculdade de Educação Física, Universidade de Brasília; Brasília, 2016.

SOARES, José. Montanha.; TEIXEIRA, Marcelo, Resende. O horror econômico e a vida pós- pandemia: um diálogo com a obra de Viviane Forrester. Tempolaris. No prelo 2021.

WENETZ, Ileana.; MARTINS, Mariana Zuaneti. Apresentação. In: MARTINS, Mariana. Zuaneti.; WENETZ, Ileana. (org.) O futebol de mulheres no Brasil: desafios para as políticas públicas. Curitiba: Editora CRV, 2020.

Downloads

Publicado

2022-01-14

Como Citar

Teixeira, M., & Soares, J. . (2022). JOGANDO FUTEBOL COM A REALIDADE: APROXIMAÇÕES NECESSÁRIAS. Revista Serviço Social Em Perspectiva, 6(01), 272–295. https://doi.org/10.46551/rssp.202214